Deglutição

12,959 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
12,959
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
109
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Deglutição

  1. 1. DEGLUTIÇÃO Alimento presente na boca Faringe Esôfago EstômagoColaboram com o processo : • Língua • Músculos faríngeos • Paredes do esôfagoTúnica muscular do esôfago está formado em : Cão e Ruminantes : fibras musculares estriadas Cavalo, Suíno e Gato : a porção distal próxima da cardia tem fibras musculares lisas FASES DA DEGLUTIÇÃO 1. Primeira fase – Fase Voluntária Trajeto dos líquidos e sólidos até atravessar o ístmo da fauce. O bolo alimentar écolocado no dorso da língua em posição favorável à deglutição. A boca se fecha o bolo émovido para a base da língua contra o palato duro, iniciando o movimento na parte anteriorda língua no sentido antero posterior . Finalmente a base da língua se projeta fortementepara trás e para cima empurrando o bolo para a faringe. 2. Segunda fase – Fase Reflexa Ë bastante breve e corresponde ao transito do bolo alimentar pela faringe. Ao passarpela faringe o bolo alimentar cruza as vias respiratórias e por um breve espaço de tempo arespiração para. Os alimentos mais fluídos e os líquidos são projetados rapidamente até a cardia pelacontração dos músculos miloiodeos e outros músculos presentes na cavidade bucal. Os alimentos sólidos : contração dos músculos constrictores médios e inferiores dafaringe. A dilatação da zona distal da faringe facilita a movimentação do bolo alimentar.Quando o processo de deglutição é finalizado a respiração volta a ocorrer naturalmente.
  2. 2. 3. Terceira fase – Transito pelo Esôfago Temos a participação de movimentos peristálticos: - Peristáltismo primário : coordenado por fibras do nervo vago - Peristáltismo secundário : coordenado pelo sistema nervoso intrínseco Entre os animais domésticos, apenas o cavalo possui um esfíncter bemdesenvolvido, em forma de uma estrutura anular constituída por potentes fibras muscularesque formam a cárdia. A passagem dos alimentos pela cárdia depende do estado de repleção do estômago,bem como do processo de apreensão de alimento. Nos ruminantes temos a presença de esfíncteres no esôfago, esfíncter cranial ecaudal. Regulação Nervosa da Deglutição A segunda e a terceira fase da deglutição são controladas por um arco reflexo, oqual ocorre em função da excitação de certas elementos envolvidos no processo. • Base da Língua • Mucosa da Faringe • Palato • Epiglote • Nervo glossofaríngeo • Nervo laringocranial As fibras nervosas são dirigidas ao centro nervoso da deglutição localizado noBulbo, na base do 4o ventrículo, sobre o centro da respiração e próximo aos núcleos donervo vago.
  3. 3. MOVIMENTOS DO TRATO DIGESTIVO MOTILIDADE Componentes funcionais do Estômago : • Fundo • Corpo • Antro Esfíncteres : • Cardia (anterior) • Piloro (posterior) : o piloro não tem inervação independente e sua função é evitar a regurgitação (volta do alimento do intestino para o estômago). Inervação : • Intrínseca ⇒ Plexo mioentérico : Auerbach ⇒ Plexo submucoso : Meissner • Extrínseca ⇒ Simpática : plexo celíaco (inibe a motilidade ) ⇒ Parassimpática : plexo vagal ( estimula a motilidade )Funções : A motilidade gástrica tem 3 funções básicas • Armazenagem : relaxamento da região do fundo (relaxação receptiva). • Mistura : a presença do alimento na região do corpo e do antro aumento a atividade contrátil do estômago. Através da peristalse e da retropropulsão, o alimento é misturado com o suco gástrico dando origem ao quimo. • Esvaziamento : passagem do quimo para o intestino delgado.
  4. 4. Regulação do Esvaziamento Gástrico : 1. Reflexos Locais : • Excitatórios : iniciados pela expansão do antro. Vagotomia diminui a magnitude e a coordenação das contrações do estômago. • Inibitórios : reflexos enterogástricos- Proposta : prevenir o fluxo de quimo acima da capacidade do intestino- Causas : alta osmolaridade, baixo pH, produtos da digestão de lipídeos e proteínas, baixa osmolaridade, o conteúdo calórico do alimento, e a distensão da parede do duodeno 2. Hormônios: liberados do estômago e do intestino. • Efeitos excitatórios : Gastrina ( liberada na circulação em resposta à distensão do antro e produtos da quebra dos alimentos. • Efeitos inibitórios : produzidos por uma variedade de hormônios intestinais denominados enterogastronas, como CCK e Secretina. • CCK : liberado do duodeno em resposta a produtos da digestão de lipídeos e proteínas. CCK atua bloqueando o efeito excitatório da Gastrina na musculatura lisa do estômago. • Secretina : é liberada do duodeno em resposta à presença de ácido. A Secretina tem um efeito inibitório direto sobre a musculatura lisa. Não é um fenômeno espontâneo. Depende da conteúdo duodenal. Oesvaziamento é mais ou menos rápido dependendo da natureza da dieta. Moléculas que exercem influência sobre o esvaziamento gástrico e que seencontram no quimo do duodeno. Lipídeos > Ácidos Graxos > Amino Ácidos > Açúcares > Íons H+ Lipídeos diminuem a motilidade tanto quando estão presentes noestômago como no duodeno.1. Métodos de Estudo • Balão/Sonda : manômetro e quimógrafo • Radiológico : contraste e raios x • Fistula : quimógrafo
  5. 5. • Fragmento de tecido em solução isotônica rica em O22. Movimentos Nos períodos interdigestivos : atividade motora e secretora ocorre a cada 1-3horas com períodos de 10-30 minutos. Períodos digestivos : Bolo Alimentar → Estômago → Movimentos Gástricos  Ocorrência de ondas peristálticas fortes no antro pilórico.  Aumento do tonus e atividade rítmica. Os alimentos e o suco gástrico se misturam na região pilórica do estômagodurante a ingestão de alimento. No estado avançado de digestão e com o estômagoquase vazio, a mistura ocorre por todo o estômago. Não presenciamos estratificação. O estômago apresenta grande automatismo devido ao Plexo de Awerbach. A inervação extrínsica é dada pelos nervos : vago e esplênico. • Reflexos condicionados • Reflexos não condicionados No cavalo e no suíno, o estômago não fica totalmente vazio nos períodosinterdigestivos. Homem e carnívoros : esvaziamanto total interrefeições. Cavalo e suíno : após 24 horas.3. Replexão do Estômago4. Trânsito de LíquidosMecanismos de Esvaziamento : • Fenômeno contínuo • Pequenas quantidades • Ondas peristálticas • Contrações tônicas
  6. 6. O VÔMITO É um reflexo protetor. Comum em omnívoros e carnívoros. Cavalo não vomita : • Cárdia muito próximo do piloro. • Ângulo de desembocadura do esôfago no estômago é muito agudo. O Centro do Vômito é localizado no bulbo. Estão envolvidos com o mecanismo de vômito, as seguintes estruturas : • Nervo vago • Nervo glossofaríngeo • Inervação dos músculos respiratórios • Inervação da parede abdominal O Vômito : 1) Inspiração profunda 2) Fechamento da glote 3) Contração do piloro e região próxima 4) Relaxamento da região fúndica 5) O bolo vai para a região cárdica 6) Região cárdica → Esôfago 7) Fechamento da cárdia 8) Relaxamento do diafragma 9) Contração dos músculos respiratórios e aumento da pressão na cavidade torácica e esôfago.

×