Redes Sociais na Internet - Raquel Recuero [Resenha]

13,809 views

Published on

RECUERO, Raquel. Redes sociais na internet. PortoAlegre, Sulina, 2009. Disponível em http://www.redessociais.net/cubocc_redessociais.pdf

Published in: Education
0 Comments
7 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
13,809
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
257
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
7
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Redes Sociais na Internet - Raquel Recuero [Resenha]

  1. 1. Resenha por Tarcízio Silva - @tarushijioRECUERO, Raquel. Redes sociais na internet. PortoAlegre, Sulina, 2009. Disponívelem http://www.redessociais.net/cubocc_redessociais.pdfNa introdução, Raquel Recuero explica que a temática do livro Redes Sociais naInternet está historicamente situada em um crescente interesse de certos ramos dapesquisa social em observar a sociedade com uma estrutura, um sistema ou rede. Depoisde mostrar como esta tendência, hoje, está representada na perspectiva da AnáliseEstrutural de Redes Sociais, a autora inicia o primeiro capítulo falando dos principaiselementos das redes sociais: atores e conexões. O primeiro elemento, o ator social, podese apresentar na internet de diversas formas, desde um blog, um perfil em um site derede social ou comentários registrados. O outro elemento, a conexão, é, para Recuero, o“principal foco do estudo das redes sociais, pois é sua variação que altera as estruturasdesses grupos” (p.30). Recuero busca definir interação, relações e laços sociais. A partirde vários outros autores define interação reativa e interação mútua, que pode estabelecerrelações sociais e constituir laços se mantidas por tempo considerável.O conceito de capital social, polêmico e amplamente discutido, é apresentado porRaquel Recuero. A partir da apresentação e comparação entre as conceituações dePutnam, Bourdieu e Coleman, a autora discute capital social como coletivo ouindividual, funções do capital social e seus valores. Para o estudo das redes sociais nainternet, entender capital social é importante por permitir que os tipos de relações econteúdo trocado seja melhor entendido.Pra falar das topologias da rede, Recuero recorre a Paul Baran e a apropriação de seusconceitos por Augusto de Franco. As topologias básicas possíveis seriam: centralizadas,descentralizadas e distribuídas. Em seguida, a autora escreve sobre a teoria das redes esuas abordagens. A proposta das redes igualitárias, de ver as redes como se fossemformadas aleatoriamente, foi uma primeira abordagem. Em seguida, algumasdescobertas e experimentos levaram à concepção da rede como “mundo pequeno”, poiscada ator estaria separado de qualquer outro ator por um pequeno número de conexões.A descoberta de dinâmicas estruturais que compõem a conexão preferencial levou a umentendimento ainda mais preciso das redes.Para analisar as redes, Recuero propõe duas abordagens. A primeira é analisar a redeinteira, todos seus atores e conexões. Como já foi mostrado, uma abordagem desse tipoResenha por Tarcízio Silva - @tarushijio
  2. 2. Resenha por Tarcízio Silva - @tarushijiopoderia se estender a todo o mundo, já que é altamente conectado. Por outro lado,analisar uma rede a partir da perspectiva ego é tomar um ator como centro – apenas parafins de análise – e partir de suas conexões. A autora ainda descreve algumaspropriedades das redes a partir da análise estrutural: grau de conexão, densidade,centralidade, centralização e multiplexidade.As redes sociais não são estruturas fixas; modificam-se com o tempo através de diversasdinâmicas. Os padrões de interação, entre cooperação, competição e conflito, podem serestudados nas redes sociais. Recuero explica que essas dinâmicas não devem ser vistasde uma forma valorativa. Cooperação é necessária para a própria existência do grupo ourede, mas o conflito é indispensável para a evolução da estrutura. Recuero diz que acompetição aparece nos sites de redes sociais, mas de forma sutil. Exemplifica com abusca por status ao se possuir diversas comunidades populosas no Orkut, por exemplo.Raquel Recuero fala da agregação – ou clustering – através do qual os atores se reúnemem torno de um interesse ou nó comum. Sobre ruptura, explica que existiria um númeromáximo de conexões que um nó conseguiria suportar.Os conceitos de adaptação e auto-organização também são importantes para oentendimento das redes sociais. Entre o caos e a ordem das redes, a dinâmica de auto-organização é particularmente exemplificada em situações de conflito dentro de gruposou comunidades online.A segunda parte do livro, “Aspectos do Estudo das Redes Sociais na Internet”, procuramostrar como estas redes podem ser observadas operacionalmente pelo pesquisador. Oprimeiro nível de aspectos se refere aos tipos das redes. Recuero divide as redes sociaisna internet em dois tipos: redes emergentes e redes de filiação ou associativas.As redes emergentes são aquelas que, como o nome indica, se configuram através dasinterações efetivas e mútuas entre os atores. As redes de filiação são redespredominantemente suportadas por conexões através de um sistema. É o exemplo deredes configuradas através do Orkut, por exemplo. Criar uma conexão nesse tipo de siteé tão simples quanto dar dois cliques. As redes associativas seriam caracterizadas,portanto, por conexões permanentes que podem significar apenas interação reativa.Porém, Recuero deixa claro que redes emergentes podem surgir a partir de associativase vice-versa.Resenha por Tarcízio Silva - @tarushijio
  3. 3. Resenha por Tarcízio Silva - @tarushijioChegando especificamente aos sites de redes sociais, Recuero utiliza a definição daspesquisadoras Danah Boyd e Nicole Ellison que os sefine como “sistemas que permitemi) a construção de uma persona através de um perfil ou página pessoal; ii) a interaçãoatravés de comentários; iii) a exposição pública da rede social de cada ator.”Recuero divide os sites de redes sociais como apropriados e como sites de redes sociaispropriamente ditos. Como exemplo deste segundo tipo estão o Orkut e o Facebook, quesão sistemas criados com foco nas conexões e relacionamento entre os atores. Outrossites, como YouTube e Fotolog, por outro lado, tem como foco a publicação deconteúdo, mas podem ser apropriados para que os perfis representem pessoas ou gruposde pessoas e suas redes.Alguns valores do capital social seriam mais facilmente trocados e construídos. Oprimeiro valor é o da visibilidade. Devido às características da internet, seria muito maisfácil que um nó fique visível na rede. O segundo valor é o da reputação. Ao ter maiscontrole das impressões transmitidas, geralmente persistentes, a reputação dos atoresseria construída em torno dos perfis e suas redes. A popularidade, nos sites de redessociais, é um valor relacionado à audiência. Nós conectores, por exemplo, seriamaqueles de maior popularidade. Por fim, autoridade é um valor mais qualitativamentepercebido, referindo-se à capacidade efetiva que um ator tem de influencia a rede.A difusão de informações na redes sociais é o tema do sexto capítulo. Recuero relacionacapital social à difusão de informações ao mostrar os diferentes tipos de memes a partirde vários níveis analíticos e sua relação com os valores do capital social. A autora citaDawkins, que definiu meme como “um „gene‟ da cultura”, que pode ser replicadoatravés das pessoas. Os memes podem ser classificados de acordo com a fidelidade dacópia, longevidade e alcance. Todos os tipos de memes seriam relacionados à reputação,pois replicar um determinado conteúdo envolve influência. Em relação aos outrosníveis, é particularmente interessante a divisão dos tipos de memes em relação àfidelidade: replicadores, miméticos e metamórficos.O sétimo capítulo finaliza o livro tratando de comunidades em redes sociais na internet.A primeira seção revisa amplamente o conceito de comunidades virtuais. A pesquisasobre comunicação mediada por dispositivos tecnológicos, que permitiu adesterritorializaçaõ dos laços sociais remonta a McLuhan e suas considerações sobre otelefone, televisão e a aldeia global. Cita a definição de comunidade virtual deRheingold, que leva em conta os agregados sociais com número considerável de pessoasResenha por Tarcízio Silva - @tarushijio
  4. 4. Resenha por Tarcízio Silva - @tarushijiodiscutindo publicamente durante determinado tempo e formando relações sociaisafetivas. Demorando-se na progressão do pensamento de Lemos sobre comunidades,mostra como o autor considera agregados sociais duradouros. Revisando outrasconcepções, Recuero entende a comunidade virtual como agregados mais densos dasredes sociais, com laços e capital social mais intenso. A partir dessa discussão, mostracomo as comunidades poderiam ser identificadas através dos clusters das redes.Os clusters são regiões da rede caracterizadas pela maior densidade das conexões.Citando Wasserman e Faust, Recuero fala de “grupos coesos”, que apresentariam laçosmútuos, membros próximos e freqüência alta absoluta e relativa de laços entre osmembros do grupo. Essas características contribuiriam para entender a comunidade naperspectiva das redes sociais e, por isso, Recuero finaliza o livro falando das topologiasdas comunidades nas redes sociais a partir dos conceitos de comunidades emergentes,comunidades de associação e comunidades híbridas. As primeiras seriam compostas declusters com conexões densas, mútuas e bastante próximas. As segundas, criadas emtorno de sistemas ou interesses em comum, trariam conexões mais pontuais e maiorfreqüência de laços fracos. Por fim, as comunidades híbridas trariam característicasemergentes e associativas. Um exemplo são comunidades de blogs que interagem entresi e possuem uma grande quantidade de leitores que, por sua vez, associam-se a esteconteúdo.Resenha por Tarcízio Silva - @tarushijio

×