Ações e Ferramentas

157 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Ações e Ferramentas

  1. 1. AÇÕES E FERRAMENTAS Departamento de Gestão de Tecnologia da Informação
  2. 2. Equipe • Amilton Luiz • Hugo Magalhães • Lucas Fábio • Márcia Maria • Rhaissa Santos • Rodrigo Venâncio • Tamires Guedes
  3. 3. Planejamento de Projeto (Rhaissa) Em construção
  4. 4. Acompanhamento e Controle de Projeto (Márcia) • Sobre ter um profissional exclusivamente dedicado a gerencia dos projetos. • Quando fazer: o mais rápido possível, para não haver sobrecarga de tarefas. • Como fazer: Contratar um profissional com experiência em gerencia de projetos ou no caso da DGTI que já possui um profissional com essas qualificações, contratar um profissional que assuma as atividades que impedem a dedicação exclusiva do gerente de projetos. Ou ainda, proporcionar capacitação para algum funcionário que já faça parte do quadro efetivo para ficar responsável pelo acompanhamento de projetos.
  5. 5. Gerenciamento de Requisitos (Rodrigo) • Mesmo que o sistema seja muito simples, é importante ter algo documentando o mínimo de informações sobre o sistema, pois caso houver alguma mudança apos algum tempo, a equipe atual não iniciar a mudança sem nenhuma informação. A alta rotatividade do capital humano faz com que seja necessário essa atitude.
  6. 6. Gerenciamento de Requisitos (Rodrigo) • Seria importante ter alguma ferramenta que monitorasse a mudança dos requisitos: se, no futuro esses requisitos forem os mesmos num outro projeto e sendo os mesmos cadastrados, não seria perdido o tempo de desenvolver algo que vai ser mudado no futuro.
  7. 7. Gerência de Configuração (Amilton) • Quando fazer: o mais rápido possível, para não haver sobrecarga de tarefas e melhorar a qualidade dos software. • Como fazer: Como no quadro da DGTI existem pessoas com experiência em teste de software a DGTI deveria utilizar a experiência deles.
  8. 8. Gerenciamento de Acordo com Fornecedor (Tamires) • Apesar da Gerência de Acordo com Fornecedor ser área de processo dispensável para avaliação de maturidade do padrão CMMI, seria interessante à DGTI tomar ações no sentido de: • esclarecer os trâmites de compra à equipe • promover transparência ao público interno e externo com relação às aquisições do setor
  9. 9. Gerenciamento de Acordo com Fornecedor (Tamires) • Sugestão de ferramentas e ações interessantes à esta área de processo: 1. Realizar formação/qualificação da equipe a respeito dos trâmites de compra da instituição 2. Construção de um plano de compras e aquisições anual de forma transparente e registrar a apresentação do mesmo aos gestores da instituição 3. Reportar aos gestores as dificuldades do setor em adquirir ou manter produtos http://www.esaf.fazenda.gov.br/
  10. 10. Medição e Análise (Lucas) • Sobre os erros que não são documentados de forma controlada, sugere-se que a documentação passe a ser organizada de modo que a mesma possa servir de fonte de pesquisa e solução para a própria equipe do DGTI. • Quando fazer: conforme os erros aparecem no decorrer do desenvolvimento.
  11. 11. Medição e Análise (Lucas) • Como fazer: a documentação de erros deverá conter o erro, a fonte do erro, etapa do projeto em que aconteceu (definição de requisitos, implementação, testes, etc), tempo gasto na busca por soluções, equipe responsável pela solução e solução encontrada com riqueza de detalhes.
  12. 12. Medição e Análise (Lucas) • Sobre análises de acompanhamento, sugere-se que um relatório seja gerado pelas equipes de desenvolvimento retratando o progresso e as dificuldades encontradas pela mesma dentro de um certo período. Esse relatório pode ser feito quinzenalmente e deve ser lido durante as reuniões para análise, esclarecimento e melhoramento no escalonamento, divisão de tarefas, dentre outras alterações que possam beneficiar o andamento do processo de desenvolvimento de software.
  13. 13. Medição e Análise (Lucas) • Sobre viabilidade de projetos e estabelecimento de metas e prazos, sugere-se uma análise dos relatórios gerados pela equipe afim de se estimar um prazo médio para o cumprimento de todas as atividades. Ao final da análise, apresentar os dados obtidos através das análises aos stakeholders.
  14. 14. Garantia de Qualidade de Processo e Produto (Hugo) • De todas as áreas para avaliação do PPQA, preferi focar na área de processos. Durante a entrevista foi identificado falhas no processo, entre elas a que chamou mais atenção foi a da ferramenta de teste que eles não possuem, o que acarreta retrabalho e uma grande perca de tempo quando se trata de erros recorrentes.
  15. 15. Garantia de Qualidade de Processo e Produto (Hugo) • Como sugestão para o plano de ação na área de Processo e qualidade, sugeri essas ações abaixo e a inserção de uma ferramenta de teste para melhoria do desenvolvimento. • Planejamento do processo; • Estabelecer registros das atividades desempenhadas por cada integrante; • Estabelecer um processo definido ou um processo base para que sirva de apoio para os próximos projetos; • Realizar testes nos softwares desenvolvidos • Coletar e documentar informações referentes a erros e acertos do projeto em questão.
  16. 16. Garantia de Qualidade de Processo e Produto (Hugo) • Sugestão de ferramentas • Mantis: http://www.mantisbt.org/ • Bugzilla: http://www.bugzilla.org/

×