Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Guia de Acessibilidade de Interfaces Web focado em Autismo

284 views

Published on

Apresentação do projeto GAIA no evento Design para o Autismo, realizado na Mergo UX dia 03 de Abril de 2019.

Published in: Education
  • Be the first to comment

Guia de Acessibilidade de Interfaces Web focado em Autismo

  1. 1. Ma. Talita Pagani
  2. 2. Mestra em Ciência da Computação com ênfase em Interação Humano-Computador Membro do GT de Acessibilidade Web do W3C Brasil Consultora de Acessibilidade na Utilizza - Design de Interação Evangelista de Acessibilidade Cognitiva e Entusiasta do tema Mulheres e Autismo Aspie sem diagnóstico formal até o momento
  3. 3. Uso para desenvolvimento de habilidades e atividades de vida cotidiana A pessoa com autismo tem grande afinidade com a tecnologia - Jogos - Vídeos - Conteúdos interativos - Manipulação direta (touch screen) Tecnologia traz previsibilidade e múltiplos estímulos Imagem: https://www.typekids.com/blog/can-computers-technology-help-autistic-children/
  4. 4. Outros benefícios do uso de computadores para pessoas com autismo: ➔ Aumenta a motivação; ➔ Reduz comportamentos impróprios; ➔ Aumenta a atenção; ➔ Pode permitir maior aprendizado comparado a métodos tradicionais. (GOLDSMITH E LEBLANC, 2004) Imagem: https://allaboutautismbni.com/2012/09/25/new-technology-from-autism-speaks/
  5. 5. “Embora os computadores, tablets e smartphones sejam bem explorados e utilizados pelas crianças, existem barreiras de interação que podem causar frustração, estresse ou outros incômodos.” (BRITTO, 2016) Exemplos notáveis: propagandas e pop-ups não solicitadas que interrompem a interação
  6. 6. ➔ Há poucas orientações para o desenvolvimento de tecnologias para pessoas com autismo; ➔ As orientações educacionais para crianças com autismo nem sempre são relevantes para o uso da tecnologia; ➔ Muitas diretrizes são restritas a artigos científicos e podem apresentar linguagem de difícil compreensão. (MILLEN, EDLIN-WHITE E COBB, 2010; BRITTO, 2016)
  7. 7. Pessoa desenvolvedora Pessoa educadora
  8. 8. 75% Não têm conhecimento suficiente sobre essas deficiências para aplicar em seus projetos (BRITTO, 2016)
  9. 9. 54% Indicam que as empresas em que atuam não consideram que estes usuários seriam parte do público-alvo dos projetos (BRITTO, 2016)
  10. 10. GAIA Guia de Acessibilidade de Interfaces Web com foco em aspectos do Autismo
  11. 11. ➔ Guia de 28 recomendações e boas práticas aberto, gratuito e colaborativo ➔ Ajuda profissionais de tecnologia a entender como e porque desenvolver soluções inclusivas a pessoas com autismo ➔ Ajuda terapeutas e profissionais de educação a entender aspectos de Web e hipermídia que beneficiam pessoas com autismo
  12. 12. TEA
  13. 13. gaia.wiki.br
  14. 14. http://kikolani.com/optin-popup-forms.html
  15. 15. BRITTO, T. C. P. GAIA: UMA PROPOSTA DE GUIA DE RECOMENDAÇÕES DE ACESSIBILIDADE WEB COM FOCO EM ASPECTOS DO AUTISMO. Dissertação – Mestrado. Programa de Pós Graduação em Ciência da Computação – Universidade Federal de São Carlos. https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/8683 GOLDSMITH, T.R.; LEBLANC, L.. 2004. Use of Technology in Interventions for Children with Autism. Journal of Early and Intensive Behavior Intervention 1, 2: 166–178. https://doi.org/10.2989/1814232X.2011.572353 MILLEN, L.; EDLIN-WHITE, R.; COBB, S. The development of educational collaborative virtual environments for children with autism. Proceedings of 5th Cambridge Workshop on Universal Access and Assistive Technology (CWUAAT 2010). Anais... Cambridge, UK: University of Cambridge, 2010. http://geniiz.com/wp-content/uploads/2012/01/11.pdf
  16. 16. twitter.com/talitapagani | contato@talitapagani.com https://gaia.wiki.br

×