Mídias Digitais - Apresentação da aula 02 (11/08/2012)

2,133 views

Published on

Apresentação preparada para a aula de Mídias Digitais, no MBA em Marketing Digital (Instituto Doll). Todas as fontes utilizadas estão citadas na apresentação.

Published in: Education
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,133
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
8
Actions
Shares
0
Downloads
61
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Mídias Digitais - Apresentação da aula 02 (11/08/2012)

  1. 1. MÍDIAS DIGITAIS Redes Sociais A apresentação a seguir foi preparada por Talita Moretto para a disciplina de Mídias Digitais – MBA em Marketing Digital (Instituto Doll) | Aula 02, em 11 de agosto de 2012.Fonte: http://vmulher5.vila.to/interacao/original/37/pros-e-contras-do-famoso-brainstorming-37-1068.jpg. Acesso em 19/07/2012.
  2. 2. MÍDIAS DIGITAISFonte: http://www.oitopassos.com/wp-content/uploads/2012/06/Mi-4.jpg. Acesso em 20/07/2012.
  3. 3. Facebook admite que 83 milhões de seus perfis são falsos Os dados foram divulgados no primeiro relatório trimestral a reguladores financeiros americanos desde a abertura de capital da empresa, em maio: Eles podem ser classificados em três grupos: •O maior - quase 46 milhões - é de perfis duplicados que são criados por usuários além da conta principal. •O segundo - 23 milhões - é formado por usuários que criaram perfis – e não páginas – para negócios, organizações ou entidades “não-humanas”, como bichos de estimação. •O terceiro – 14 milhões - é composto de perfis “indesejados”, que violam as regras do Facebook – criados para enviar spams ou outro conteúdo para usuários da rede social.Fonte: Observatório da Imprensa e Olhar Digital
  4. 4. Facebook lança opção de segmentação O recurso está disponível apenas para algumas páginas, mas o FB promete disponibilizá-lo em breve para todas as fan page’; Anteriormente, só era possível segmentar se a empresa utilizasse os posts patrocinados; Anteriormente, os posts comuns eram distribuídos para todos os fãs da página. Agora, será possível segmentar por:Fonte: Olhar Digital
  5. 5. Como tudo começou Entre os primeiros agrupamentos sociais online a ganharem destaque, as comunidades virtuais‖ no ciberespaço tiveram como um de seus principais exploradores Howard Rheingold. O pesquisador avaliou, através de imersão em uma comunidade virtual, que a internet é capaz de possibilitar ligação social real, estabelecida entre grupos de pessoas ligadas por algum traço comum, como afiliação a uma subcultura (Rheingold, 1993). Estes agrupamentos, sejam conscientemente desenhados por seus atores ou percebidos através de suas formações, também dão forma ao que Pierre Lévy (2004) chama de inteligência coletiva. Para o autor, o controle numérico/digital das mensagens com as novas tecnologias de comunicação permitiu uma maior mobilização desta inteligência que surge das coletividades e é repartida, coordenada e valorizada em tempo real. Para entender, vamos ao conceito de WEB 2.0. RHEINGOLD, H. The Virtual Community: Homesteading on the Electronic Frontier. Reading. Massachusetts: Addison-Wesley, 1993. LÉVY, Pierre. Inteligencia Colective: por una antropologia del ciberespacio. Organización Panamercana de la Salud. Perre Lévy. Washington, DC, 2004. Disponível em http://inteligenciacolectiva.bvsalud.orgFonte: Tese Mestrado: Aplicativos de análise de informações sociais: mapeamento e dinâmicas interacionais (Tarcízio da Silva)
  6. 6. Fonte: http://officeweb.paulomoraes.net/wp-content/uploads/2010/03/oque-seria-web-2.0.jpg. Acesso em 20/07/2012.
  7. 7. Fonte: http://www.youtop10.com/p/images/9/9a/Web20map_kosmar.de_original.png. Acesso em 20/07/2012.
  8. 8. WEB 2.0 Termo proposto por Tim O‘Reilly, em 2005, procurou dar conta de uma nova fase dos modelos de negócio e da web. Ele reuniu sete elementos constitutivos da web 2.0: 1) Princípio constitutivo: a web como plataforma está no cerne da web 2.0; produção e acesso a conteúdos, softwares e comunicação são realizados através de navegadores. 2) A inteligência coletiva: ao conectar milhares e milhões de pessoas deixando rastros de dados durante seu uso e expondo publicamente opiniões, o coletivo pode ser analisado como uma inteligência coletiva que alimenta a própria rede. 3) A gestão dessa base de dados: uma vez que boa parte do poder na web gira em torno da publicação, posse e análise de dados.Fonte: Tese Mestrado: Aplicativos de análise de informações sociais: mapeamento e dinâmicas interacionais (Tarcízio da Silva)
  9. 9. WEB 2.0 4) O fim do ciclo das atualizações de softwares: é fruto de práticas como o beta perpétuo (é um termo utilizado quando se mantém um software em estágio de desenvolvimento beta por um período estendido ou indeterminado. É uma prática usada geralmente por desenvolvedores que querem continuar a lançar novas funcionalidades que podem não estar completamente testadas): os recursos dos softwares online são modificados na medida das demandas, insatisfações e tendências de uso. 5) Os modelos de programação ligeira e suas buscas pela simplicidade: estão relacionados ao uso de tipos de programação que permitem a atualização contínua dos softwares, assim como a integração de diferentes serviços 6) Os softwares não são mais limitados a apenas um dispositivo: este fator é relacionado ao aumento da capacidade de processamento de smarthphones, além da integração entre diferentes dispositivos digitais. 7) A ideia da experiência enriquecedora de uso propõe observar como os softwares web adicionaram novos recursos a softwares desktop, como leitores de emails. OREILLY, Timothy. What Is Web 2.0: Design Patterns and Business Models for the Next Generation of Software. 2005. Disponível em: http://oreillynet.com/pub/a/oreilly/tim/news/2005/09/30/what-is- web-20.htmlFonte: Tese Mestrado: Aplicativos de análise de informações sociais: mapeamento e dinâmicas interacionais (Tarcízio da Silva)
  10. 10. Fonte: http://www.flickr.com/photos/deborasebriam/5374414940/. Acesso em 20/07/2012.
  11. 11. Dinâmicas de Interação Os indivíduos apresentam-se na web através de diversas representações específicas, com graus de compartilhamento de informações menores ou maiores. A depender do que o ambiente interacional online em específico oferece, as possibilidades de emissão, controle e gerenciamento das informações compartilhadas, assim como o seu tipo, variam. A publicação de conteúdo pelos usuários é uma das características exemplares da web 2.0 e dos sites de redes sociais (SRS). A seleção de elementos constitutivos dos perfis, como descrições de si, preferências culturais, fotos, aplicativos e a própria seleção de conexões (amigos) é baseada em táticas de apresentação pessoal de acordo com desejos identitários.Fonte: Tese Mestrado: Aplicativos de análise de informações sociais: mapeamento e dinâmicas interacionais (Tarcízio da Silva)
  12. 12. Dinâmicas de Interação Informação social é qualquer unidade de dados interpretáveis pelos interagentes como representantes de alguma característica, sentimento ou intenção dos atores em rede. Tais dados circulam por ambientes que possuem suas próprias possibilidades, constrições e limites materiais e, por isso, cabe entender como se dão os processos sociotécnicos através dos quais a informação social é publicada, buscada, editada e reapropriada pelos usuários de sites de redes sociais. As possibilidades em torno de duas dinâmicas sociais devem ser observadas aqui: a construção identitária e o gerenciamento de impressões. Pesquisas apontam que muitos usuários de sites de redes sociais apresentam uma grande probabilidade de usar sites de redes sociais para descobrir informações sobre os outros, independentemente do relacionamento. Esta busca pode estar relacionada à facilidade que os ambientes interacionais online trazem.Fonte: Tese Mestrado: Aplicativos de análise de informações sociais: mapeamento e dinâmicas interacionais (Tarcízio da Silva)
  13. 13. Gerenciamento de Impressões De acordo com Erving Goffman (1989), na vida em sociedade as pessoas são entendidas como atores sociais que continuamente procuram oferecer uma imagem idealizada de si, de acordo com padrões reconhecidos, valorizados e codificados pela sociedade como um todo ou para outros interagentes significativos para o indivíduo. Esse processo de gerenciamento de impressões é um traço humano ubíquo (onipresente), pois as pessoas avaliam umas às outras de acordo com símbolos observáveis para fins de compreensão da situação interacional, do ambiente e, por consequência, maior conforto e manejo de expectativas. A busca por apresentar determinadas características favoráveis sempre é contextual; a imagem idealizada é sempre a ideal de acordo com a projeção que os indivíduos fazem do que seja o adequado ou desejado pelos outros.  GOFFMAN, E. A representação do eu na vida cotidiana. Petrópolis: Vozes, 1989.Fonte: Tese Mestrado: Aplicativos de análise de informações sociais: mapeamento e dinâmicas interacionais (Tarcízio da Silva)
  14. 14. Fonte: http://fabiolazarini.blogspot.com.br/2012/06/facebook-fica-fora-do-ar-em-ao-menos-7.html. Acesso em 10/08/2012.
  15. 15. FACEBOOK Possui dezenas de opções de preenchimento de informações sociais, através de uma auto-apresentação fortemente realizada na criação e edição dos perfis pessoais. O foco do FB é o perfil, onde podemos colocar bastante dados sobre si, colocar em destaque pessoas que queira (como namorados). O usuário tem acesso ao Feed de notícias já ao acessar o site. Tem Fan Page, opção curtir, compartilhar, comentar, usar aplicativos, criar eventos. Busca abranger todas as atividades online de seus milhões de usuários. A frequente referência ao Facebook como “jardins murados”‖ (walled gardens, em inglês), parte de pesquisadores, usuários e empreendedores que se preocupam com a abrangência das atividades online possíveis de serem realizadas dentro do mesmo domínio. Para estes críticos, isto traria consequências nefastas à diversidade social, cultural, mercadológica da web. A página oficial do Facebook traz as seguintes informações sobre o site: Missão: dar às pessoas o poder de compartilhar e tornar o mundo mais aberto e conectado.Informações: milhões de pessoas utilizam o Facebook todos os dias para se manter em contato com amigos, carregar número ilimitado de fotos, compartilhar links e vídeos e aprender mais sobre as pessoas que encontram. O modelo de monetização do Facebook é baseado na sua plataforma de anúncios que possui uma ampla cartela de segmentação possibilitada justamente pela quantidade de dados que os usuários adicionam ao sistema.Fonte: Tese Mestrado: Aplicativos de análise de informações sociais: mapeamento e dinâmicas interacionais (Tarcízio da Silva)
  16. 16. Fonte: http://midiabuzz.com.br/wp-content/uploads/2010/08/twitter3.jpg. Acesso em 19/07/2012.
  17. 17. TWITTER Possui perfis mais minimalistas, o foco na constante publicação de mensagens curtas e a auto- apresentação está mais calcada nestas mensagens instantâneas. Foca, predominantemente, no fluxo informacional baseado na circulação de textos . Quando lançado, 2006, tinha como proposta de ser um sistema de envio e troca de micro-mensagens via web e celulares (SMS) de até 140 caracteres (limite compatível a SMS, que possibilita até 160 então 20 caracteres reservados para a identificação do autor). Hoje, eles se descrevem: Sobre: Twitter é uma rede de informação em tempo real que conecta você às últimas informações sobre o que há de mais interessante. Basta encontrar os perfis que você mais se identifica e seguir as conversas. Este foco foi claramente desenvolvido a partir da utilização efetiva do sistema pelos usuários. Nele você tem: tweets, retweets, pode salvar listas, acompanha os Trends Topics – assuntos do momento, pode conectar contas (com FB, com um blog, outro site) A Recomendação de Amigos ou Seguidores baseada nas redes dos usuários é uma das funções mais básicas nos atuais sites de redes sociais. Funciona de variadas formas, mas a mais comum é simplesmente evidenciar os perfis que possuem uma grande quantidade de amigos mútuos com o usuário.Fonte: Tese Mestrado: Aplicativos de análise de informações sociais: mapeamento e dinâmicas interacionais (Tarcízio da Silva)
  18. 18. MÍDIAS DIGITAISFonte: http://www.oitopassos.com/wp-content/uploads/2012/06/Mi-4.jpg. Acesso em 20/07/2012.
  19. 19. O poder do engajamento através da promoção nas plataformas sociais O que você faria na internet para ganhar um perfume? E um notebook? E um carro? Por um milhão e meio de reais, milhares de brasileiros chegam a criar perfis em um site, enviar vídeos e testar o seu carisma com o público para concorrer a entrar em um dos maiores reality shows existentes. As mecânicas baseadas em promoção são utilizadas pelas marcas todos os dias para atrair a atenção de usuários para seus benefícios, gerar tráfego para seus sites ou interação com seus canais em mídias sociais. Os internautas são submetidos a diferentes níveis de engajamento: desde mecânicas, que exijam o mínimo de esforço, como apenas um clique de um retweet automático, até mesmo, produzindo conteúdo e disseminando para a sua própria audiência. A atividade do marketing destinada à promoção, também chamada de marketing promocional, tem a seguinte definição pela Ampro Associação de Marketing Promocional (2003): “Atividade do marketing aplicada a produtos, serviços ou marcas, visando, por meio da interação junto ao seu público-alvo, alcançar os objetivos estratégicos de construção de marca, vendas e fidelização”. Dezenas de lojas de calçados on-line já possuem canais no Youtube ou Vimeo. Com apenas um clique, o usuário pode ir do vídeo até a URL de compra, cadastrar-se no site e adquirir o produto.Fonte: Patrícia Moura no livro “Mídias Sociais: Perspectivas, Tendências e Reflexões”
  20. 20. O poder do engajamento através da promoção nas plataformas sociais O poder de adequação e transformação das mídias sociais não tem limites. Todos os dias, centenas de e-commerces postam vouchers de descontos em produtos ou serviços para os primeiros seguidores que repostarem as mensagens. O engajamento voltado para as práticas do marketing ultrapassa as barreiras do processo de decisão de compra e caminha ao lado da satisfação, fazendo com que fãs, seguidores ou consumidores de uma marca não apenas consumam, mas exibam para suas redes de contato no ciberespaço suas motivações e objetos de desejo. A adesão das marcas às plataformas sociais digitais fez com que a gestão de marketing buscasse não só abordagens e limites para o relacionamento com os consumidores, mas também, maneiras de despertar sua atenção dentre milhares de estímulos por milésimos de segundos na internet. A promoção, seja ela de vendas ou em busca de expor os valores agregados ou intangíveis da marca, tornou-se uma grande aliada das estratégias de marketing digital em ações presentes diariamente em redes como Youtube, Twitter, Orkut e Facebook. A ascendência das plataformas colaborativas despertou o interesse do consumidor global a participar de campanhas, promoções e atividades lúdicas on-line.Fonte: Patrícia Moura no livro “Mídias Sociais: Perspectivas, Tendências e Reflexões”
  21. 21. O poder do engajamento através da promoção nas plataformas sociais Pirâmide do EgajamentoFonte: Patrícia Moura no livro “Mídias Sociais: Perspectivas, Tendências e Reflexões”
  22. 22. O poder do engajamento através da promoção nas plataformas sociais Moderar ou Curating: usuários extremamente engajados que utilizam parte do seu tempo para gerir uma comunidade ou fórum, determinar regras de convivência e moderar o conteúdo produzido pelos demais usuários. Representam o topo da pirâmide, são influenciadores dos demais e representam o menor número de usuários. Produzir ou Producing: usuários que criam e produzem conteúdo em texto, vídeo ou áudio para seus próprios ambientes (ex: blog, Tumblr), que é publicado e replicado na web pelos demais usuários. Comentar ou Commenting: usuários que avaliam ou fazem críticas (reviews) sobre produtos e serviços, comentam em outros blogs e contribuem com fóruns ou comunidades on-line. Compartilhar ou Sharing: usuários que têm uma adesão razoável às plataformas sociais, interagem com conteúdo produzido em diferentes formatos e encaminham para os amigos por e-mail ou através de ferramentas de compartilhamento, também chamadas de sharing tools. Dificilmente produzem conteúdo próprio. Assistir ou Watching: usuários que leem blogs, leem avaliações sobre produtos ou serviços, ouvem podcasts, assistem vídeos de outros usuários. Normalmente, e principalmente no Brasil, os consumidores em seu papel de internautas trafegam por diferentes ou simultâneos perfis da Pirâmide do Engajamento espontaneamente em suas atividades on- line. Porém, quando impactados por uma campanha promocional, avaliam se o benefício oferecido vale o esforço necessário para a adesão.Fonte: Patrícia Moura no livro “Mídias Sociais: Perspectivas, Tendências e Reflexões”
  23. 23. MÍDIAS DIGITAISFonte: http://www.oitopassos.com/wp-content/uploads/2012/06/Mi-4.jpg. Acesso em 20/07/2012.
  24. 24. Marketing de Conteúdo É uma técnica de marketing de criar e distribuir conteúdo relevante e valioso para atrair, converter e engajar um público-alvo bem definido, com o objetivo de impulsionar ações dos clientes que gerem rentabilidade. Pode aparecer com outros nomes: publicação personalizada, mídia personalizada, mídia dos clientes, a mídia de publicação, mídia privada, conteúdo de marca, mídia corporativa, publicação corporativa, jornalismo empresarial e de marca, ou marketing de conteúdo. Mas, para planejar, devemos entender que Mídias Socias são: descentralizadas (distribuídas), livres, em rede e com grande alcance. Estão inseridas em mercado complexo e em constante transformação. Os três focos das atuações em mídias sociais são: Relacionamento, Conteúdo e Monitoramento. Cada um é composto por uma miríade de serviços e práticas.Com informações de Tarcízio Silva – Pesquisador em marketing e comunicação digital. Organizador dosebook “#Midias Sociais: Perspectivas, Tendências e Reflexões” e “Mídias Sociais e Eleições 2010”.
  25. 25. Marketing de Conteúdo Hoje há muita concorrência por atenção nas mídias sociais. Nelas: •Qualquer pessoa pode estar presente; •Qualquer pessoa pode emitir sua opinião; •As pessoas falam entre si, para diferentes públicos; •As mensagens podem ser disseminadas.Com informações de Tarcízio Silva – Pesquisador em marketing e comunicação digital. Organizador dosebook “#Midias Sociais: Perspectivas, Tendências e Reflexões” e “Mídias Sociais e Eleições 2010”.
  26. 26. Marketing de Conteúdo Nas mídias sociais existem os INFLUENCIADORES. São pessoas que têm um alcance ou impacto maior que a média de suas opiniões em um mercado específico (WOMMA). Podem ser: Autoridades; Experts Institucionais; Elite de Mídia; Elite Cultural; Conectados Socialmente. (Ver gráfico) WOMMA - Influencer Handbook: http://womma.org/influencerhandbook/ Marketing para Influenciadores: é quando se realiza esforços para identificar, alcançar e relacionar -se com influenciadores para apoiar um objetivo de negócio (WOMMA). De acordo com pesquisa do Ibope 2010, o perfil de quem está nas mídias sociais: Curadores (10%) | Produtores (33%) | Comentadores (44%) Compartilhadores (83%) | Espectadores(96%)Com informações de Tarcízio Silva – Pesquisador em marketing e comunicação digital. Organizador dosebook “#Midias Sociais: Perspectivas, Tendências e Reflexões” e “Mídias Sociais e Eleições 2010”.
  27. 27. Com informações de Tarcízio Silva – Pesquisador em marketing e comunicação digital. Organizador dosebook “#Midias Sociais: Perspectivas, Tendências e Reflexões” e “Mídias Sociais e Eleições 2010”.
  28. 28. Mídia Social: Canais, Uso, Formato, Ações e Vantagens CANAL IDEAL PARA FORMATO PUBLICITÁRIO TIPO DE AÇÃO VANTAGENS Promover um produto e Conteúdo propor um patrocinado, ambiente para publieditorial, Conteúdo discussão, promoção cultural, permanente, boa incluindo pesquisa/enquete, indexação e Blogs em domínio material anúncio em espaços construção de link próprio (.com.br ou .com) multimídia Posts, banner publicitários building Agilidade no Disseminar Publieditorial, envio das conteúdo sorteios online, mensagens. Cliques Twitter (microblog) rapidamente Posts (140 caracteres) pesquisa/enquete rápidos Promover Conteúdo interação com patrocinado, Pode agregar potenciais Posts mais longos, fotos, publieditorial, valor através do Facebook (fanpage) consumidores vídeos elinks pesquisa/enquete debate Promover Capta a atenção ações de do usuário que não Youtube (webserie ou ativação e Conteúdo gosta de ler e videolog) informar target Vídeos de até 20 minutos patrocinado prefere vídeo Promover Fala com público ações de segmentado que Podcast (conteúdo em ativação e Áudios sem limite de Conteúdo prefere “ouvir” a áudio) informar target duração patrocinado assistir ou ler.Fonte: Marcelo Vitorino - blog presencaonline.com, publicado em 16/01/2012
  29. 29. Mídia Social: Canais, Uso, Formato, Ações e Vantagens Isso não quer dizer que se deve escolher um ou outro tipo de ação, por exemplo, se você quer fortalecer a marca, coletar informações de consumo e estabelecer relação com leitores de determinado perfil poderia: a) Montar uma promoção para escolher ganhadores de determinado produto através de um critério cultural e hospedar em um hotsite; b) Comprar exposição em espaços publicitários de blogs por conta da segmentação que eles possuem (banners); c) Determinar uma ação de publieditorial para outros blogs e twitters. d) Levantar uma discussão em uma fanpage sobre qual a melhor forma de escolher os premiados ou quais prêmios deveriam compor a promoção; e) Encomendar videologs ou podcasts de influenciadores falando sobre como participar e colocando-os como “embaixadores” da ação.Fonte: Marcelo Vitorino - blog presencaonline.com, publicado em 16/01/2012
  30. 30. Fonte: http://martinhocosta.files.wordpress.com/2011/10/brainstorm.jpg. Acesso em 19/07/2012. Que tal usar BRAINSTORMING? BRAINSTORMING (tempestade cerebral, na sua tradução para o português). Uma tempestade de ideias. Mais que uma técnica de dinâmica de grupo, é uma atividade desenvolvida para explorar a potencialidade criativa de um indivíduo ou de um grupo, colocando-a a serviço de objetivos pré-determinados. = AÇÃO COLABORATIVA. Fonte: :http://1.bp.blogspot.com/-uesu09tvjQQ/TeTtHg0lBoI/AAAAAAAAAZg/7T_nZkqVGms/s1600/brainstorming.jpg. Acesso em 19/07/2012.
  31. 31. MÍDIAS DIGITAIS >>Planejamento<<Fonte: http://www.oitopassos.com/wp-content/uploads/2012/06/Mi-4.jpg. Acesso em 20/07/2012.
  32. 32. Como ter boas experiências com sua audiência (em sites ou fan pages):Seja relevante: apresente o conteúdo apropriado, na hora certa, e elespermanecerão com você. Isso também vai ajudar outras pessoas aencontrarem você.Seja consistente: os clientes não veem os canais digitais da mesma formaque você vê, eles apenas veem sua empresa (a que está sendorepresentada pelo site ou Fan Page). Por isso o conteúdo deve serconsistente, você deve dar suporte ao que eles precisam, dê atenção aosseus gostos que eles continuarão te acompanhando.Seja interativo: interaja com o público, responda aos comentários, curtaos comentários, dialogue, faça atualizações e otimizações constantes.Coloque-se no lugar do cliente para melhor entendê-lo.
  33. 33. Criei uma fan page, como administrar? Fale em uma linguagem compreensível; Mostre-se com seriedade, coloque as informações demonstrando comprometimento com você mesmo e com a sua audiência; Seja claro e objetivo. Utilize textos concisos. Ao se prolongar muito no assunto a pessoa perde o interesse e dispersa a atenção; Não escreva textos ou citações longas demais. Prefira frases curtas e use espaçamento entre os parágrafos. Separe o conteúdo por seções (divida em temas, por exemplo) para orientar seu cliente na busca pela informação; Utilize imagens bonitas e com boa qualidade, isso ajuda a direcionar o olhar. E caso consiga contar uma história visualmente, prefira esta opção; Tente ser neutro, não demonstrar tanta emoção ou opinião pessoal. Este espaço não é para isso; Porém, falar um pouco de você não tem problema, fazer um pouco de autopromoção não é ruim. Sua audiência pode acabar se identificando com você, sua personalidade, idéias, etc. Mas seja moderado; Não ignore o que a sua audiência quer, afinal, precisa deles para ter o tráfego em sua rede; Preste atenção nos feedbacks porque eles são importantes para você.
  34. 34. O que mais motiva as pessoas para curtirem sua página no Facebook (Fonte: Infográfico – www.inventhelp.com):1.Receber descontos e promoções;2.Mostrar seu apoio à empresa;3.Ganhar amostras grátis ou cupons;4.Ficar informado sobre as atividades da empresa;5.Receber informações sobre futuros produtos;6.Ficar informado a respeito das futuras promoções;7.Por entretenimento ou para se divertir;8.Ter acesso a um conteúdo exclusivo;9.Porque alguém recomendou;10. Saber mais a respeito da empresa;11. Para interagir (curtir, comentar, compartilhar, etc.).
  35. 35. Dicas para otimizar sua estratégia de marketing no facebook Crie uma Fan Page, e não um perfil para sua empresa.Assim que criada a Fan Page, solicite a sua identidade URL (www.facebook.com/username).Coloque uma foto de capa bonita e criativa. Já selecione uma no formatoindicado (851 x 315 pixels).“Sobre”: coloque todas as informações necessárias para apresentar bem asua página (esclareça quem é a empresa/instituição, missão, no “sobre”uso uma frase curta e que resuma o seu foco porque esta parte fica visívelaos visitantes, coloque contato e endereço de site e, se tiver, o endereçofísico da empresa.Coloque conteúdo na sua página, mostre movimentação e interação, mascuidado com o excesso.Se tiver um site ou blog, utilize ferramentas para conectar contas, assim oconteúdo atualizado automaticamente vai para a página, o que podeaumentar o tráfego em seu site e dá credibilidade para a página.
  36. 36. Dicas para otimizar sua estratégia de marketing no facebook Certifique-se que ao compartilhar o conteúdo do site ou blog a descriçãoesteja correta, e concisa, pra que a pessoa clique mesmo no seu post.Fixe um post no topo de tempos em tempos para chamar a atenção paraalgum assunto, ou conteúdo.Apague os posts indesejados ou esconda (hide) na página.Utilize tags para remeter a outros usuários ou Fan Pages que você segue(Favoritos). Dá mais engajamento.Conecte seu canal do Youtube e/ou Twitter com o Facebook.Caso utilize bastante, adicione o aplicativo do SlideShare, ou crie seuspróprios aplicativos.Seja organizado. Organize suas informações, seus álbuns, seus posts.Utilize listas de interesse para separar os tópicos por assuntos.Poste conteúdo relevante e de interesse do público. Cuidado com aquelaspessoas que adoram compartilhar links e fotos de mensagens na suapágina. Deixe claro sua política de compartilhamento.
  37. 37. Dicas para otimizar sua estratégia de marketing no facebook Utilize a “enquete” para saber a opinião de seus fãs sobre algum assuntoque queira, até mesmo sobre sua atuação na rede.Lembre de ler as mensagens inbox que os visitantes mandam. Algunspreferem interagir de forma mais discreta.Habilite os Plugins do Facebook (botões de curtir, recomendar,compartilhar, tweetar) nos textos de seu site ou blog, para engajar opúblico e motivá-los a disseminar seu conteúdo.Crie concurso para conseguir mais fãs.Intercale: comente como Fan Page e como pessoa (você), utilize ser perfilpessoal para se aproximar do público.Seja engajado e seja sociável. Lembre-se que você criou uma rede social.Use o Facebook insights para acompanhar o tráfego na sua página(quantos entraram, quantos estão comentando, os mais “clicados”, poronde entraram na sua página, etc.). Ajuda a conhecer melhor o seupúblico.
  38. 38. Dicas para otimizar sua estratégia de marketing no facebookAgende seus posts para quando estiver ausente. Só cuidado para nãoexagerar e transformar sua página em um robô de compartilhar conteúdo.E não esqueça do engajamento com seus fãs: post enquanto ausente, masretorne aos comentários quando presente. (HootSuite).Faça da sua página um espaço agradável, onde as pessoas querem estar.Escute (leia) e responda sempre. Faça com que as pessoas se sintam bem,confiantes para falar com você, elas devem perceber que você dáatenção, que são ouvidas e respeitadas em suas opiniões,questionamentos, observações.Agradeça quando possível e cabível.Seja honesto. Se cometeu um erro assuma e seja rápido em corrigi-lo.Mantenha seu conteúdo atualizado.A política de privacidade e de conduta da empresa devem estar claras;esclareça seu objetivo com a página, o que vai fazer ali.
  39. 39. Eu quero aumentar a audiência em meu sitePreocupe-se com o comportamento das pessoas ali: frequência da visita(em que momento foi mais visitado, em qual horário), o que mais chama aatenção, o tempo gasto no site;Obtenha o máximo de informações possíveis dos visitantes, mas sem serimpertinente. Por exemplo, peça algumas perguntas de cadastro quandoa pessoa solicita para receber a newsletter;Preocupe-se com a forma que as pessoas acessam seu site através dedispositivos moveis, para que o conteúdo fique bem apresentado. Façavaler a pena o acesso através dos dispositivos moveis, para isso, deixe omais próximo possível do acesso que a pessoa tem em um local fixo(desktop, notebook);Conecte seu site às suas mídias sociais. Se alguém seguir sua empresa noFacebook, por exemplo, há chance de entrar no site e querer receber suanewsletter;Leve as pessoas até as suas mídias sociais, deixando disponível um gadgetdelas em seu site.
  40. 40. RAZÕES PARA VOCÊ INCLUIR MATERIAL VISUAL NAS SUAS ESTRATÉGIAS DE MARKETING (Fonte: HubSpot – blog.Huspot.Com)90% da informação transmitida ao cérebro é visual. A informação visual é processada60 mil vezes mais rápido do que um texto.40% das pessoas responderão melhor à informação visual do que a um simples texto.46.1% das pessoas dizem que o design de um site é o primeiro critério analisado paradar credibilidade à companhia.Anunciantes que usam infográficos aumentam o tráfego em seu site, em média, 12% amais do que aqueles que não usam.Postagens com vídeos atraem 3 vezes mais inbound links do que postas apenas detextos.Conteúdo visual gera mais engajamento.No Facebook, fotos geram mais Likes (curtir), comentários e compartilhamento do queos demais posts.98% das pessoas que usam Pinterest disseram que também possuem conta noFacebook e/ou Twitter.O Pinterest gera mais referência de tráfego para negócios do que Google+, Youtube eLinkedIn combinados.Mais de 60 horas de vídeo são colocados, por minuto, no Youtube.700 vídeos do Youtube são compartilhados no Twitter por minuto.Usuários têm 85% mais de probabilidade de comprar um produto após ver um vídeodeste produto.
  41. 41. Pretendo vender um produto nas mídias sociais. Erros que podem ser evitados:Não venda para a pessoa errada. Conheça seu público;Não faça intervenções na hora errada;Não tire conclusões precipitadas: você está lá para ajudar e não podefazer sem saber como, então pergunte o que seu cliente precisa;Esteja o mais próximo possível de seu cliente, trate-o bem e consiga aconfiança dele. Como? Escutando (lendo) o que ele tem a dizer, tentandoatendê-lo em suas necessidades, mas não enrole e nem engane: faça oque disse que ia fazer, se não pode, deixe isso claro;Sempre pesquise antes de tomar qualquer decisão, ou atitude. Estejainformado. Pesquise em todos os canais (mídias) que possam serrelevantes para você, tanto de outras companhias quanto de pessoasfísicas que estão nessas companhias.
  42. 42. MÍDIAS DIGITAIS >>Planejamento<<Fonte: http://www.oitopassos.com/wp-content/uploads/2012/06/Mi-4.jpg. Acesso em 20/07/2012.
  43. 43. Imagem: http://www.angelahayden.net/Brainstorm_Poster_Angela_Hayden.jpg. Acesso em 19/07/2012. O que é Branded Content? Uma forma de publicidade que consiste na integração do que é promocional, a publicidade propriamente dita, com a diversão, o entretenimento, fazendo com que a mensagem da marca torne-se muito mais agradável e, consequentemente, natural e contextualizada com o universo do público-alvo. Garante muito mais engajamento do consumidor. Independente do canal de comunicação utilizado, o branded content tem como objetivo fazer as marcas cada vez mais presentes na vida das pessoas. E por quanto mais tempo melhor! Pois é uma forma de fixar a marca e associá-la ao consumo de determinados conteúdos. Seja através de música, vídeo, texto, ou o que a imaginação quiser. Fonte: Guia de Produção de Conteúdo (boo-box – Tecnologia de Publicidade & Mídias Sociais)
  44. 44. Como fazer um Branded Content de sucesso O sucesso do branded content é alcançado quando o conteúdo produzido não tem cara de publicidade, mesmo transmitindo a mensagem da marca. Trabalhar nas entrelinhas é a fórmula de sucesso, principalmente em uma era em que a tecnologia e as redes sociais fazem parte da rotina das pessoas. Ao buscar por um produto de seu interesse, o consumidor pesquisará a opinião de seus contatos na web, através de blogs, sites especializados, Facebook, Twitter, entre outros. E é aí que a oportunidade está: assumir o papel de especialista em um assunto. Estar presente em todos os canais, falando com o público da maneira correta é o primeiro passo. A recorrência também é crucial, já que o branded content busca engajar os consumidores, e uma vez conquistados pelo conteúdo, é necessário mantê-los satisfeitos, com atualizações e novidades constantes, e é claro, de qualidade e sempre alinhadas com os atributos de marca.Fonte: Guia de Produção de Conteúdo (boo-box – Tecnologia de Publicidade & Mídias Sociais)
  45. 45. 8causes (8causes.com) e seu papel no universo do Branded Content Os aplicativos 8causes foram criados pelo Grupo 42 (uma holding de empresas de tecnologia latino-americana, da qual o boo-box faz parte) para promover a união entre as pessoas interessadas em determinados assuntos e produtores de conteúdo, como as marcas, que possuem o knowhow em determinada área e podem contribuir para a circulação de informações e conteúdos de qualidade, alimentando este ecossistema na web. Ao escolher patrocinar determinada causa, sua marca assumirá o papel de especialista no assunto, o que lhe propiciará várias possibilidades como: Branding - Exposição da marca associada a uma causa. Massa - Alto poder de alcance e viralização. Storytelling – Mais um canal de comunicação para a criação de conteúdo que reforce os atributos de marca. Comunidade – A base de seguidores é um excelente indicativo de quem é o seu público- alvo. Uma oportunidade de conhecê-los melhor. Content Marketing – Uma forma de alavancar outros canais de conteúdo, como blogs, Twitter, Facebook, etc.Fonte: Guia de Produção de Conteúdo (boo-box – Tecnologia de Publicidade & Mídias Sociais)
  46. 46. Como promover conteúdo através do 8causes 1) Liste todos os canais de comunicação da sua marca(blogs, Twitter, Facebook, Youtube, Flickr, Pinterest, Google+, etc.). Inclua nesta lista a frequência com que sua empresa costuma postar novidades em cada canal e quais os temas mais frequentes. Este conteúdo poderá ser um ótimo material para divulgar através do 8causes, desde que o conteúdo esteja totalmente alinhado com a causa escolhida. E é claro, tome cuidado com propagandas e postagens de cunho comercial, pois o objetivo do aplicativo é ser uma plataforma social e colaborativa. Para garantir a qualidade da comunicação, todos os aplicativos contam com um moderador especialista no assunto que fará a curadoria de conteúdo. 2) Mantenha a frequência de produção de conteúdo. Crie o hábito de pensar em pautas novas com antecedência. Acompanhe o perfil de outras marcas e blogueiros especialistas, para a partir daí dar a sua contribuição ao tema. Existem muitas agências ou mesmo freelas produtores de conteúdo, que podem ajudá-lo a manter seus canais de comunicação sempre movimentados. Outra fonte de conteúdo podem ser os próprios funcionários. Os comentários e a interação do público também podem servir de indicadores para ajudá-lo a definir novas pautas.Fonte: Guia de Produção de Conteúdo (boo-box – Tecnologia de Publicidade & Mídias Sociais)
  47. 47. Como promover conteúdo através do 8causes 3. Use e abuse do 8causes para gerar tráfego para seus canais de conteúdo. Agora que você já tem colaboradores, temas, e frequência de produção de conteúdo, inclua o seu aplicativo do 8 causes no processo de divulgação do seu conteúdo. Basta encaminhar um breve resumo do que se trata o material para o moderador. Lembre-se que este conteúdo será divulgado através do Twitter, portanto as mesmas regras valem: seja sucinto, tente não usar mais que 95 caracteres e utilize palavras atraentes, que façam com que as pessoas se interessem em clicar para saber mais. 4. Acompanhe a construção da comunidade de perto. Não se limite a produzir e divulgar conteúdo. Siga seu aplicativo e acompanhe de perto o crescimento da comunidade. Ela será uma excelente amostragem do seu público-alvo.Fonte: Guia de Produção de Conteúdo (boo-box – Tecnologia de Publicidade & Mídias Sociais)
  48. 48. Como aparecer “bem” nas redes sociais O primeiro passo para que as pessoas compartilhem seu conteúdo é a qualidade dele. Um texto bem escrito, sem erros gramaticais e com ideias expostas claramente tem muito mais chances de ser compartilhado do que algo truncado e cheio de erros. Um dos elementos que pode aumentar o compartilhamento do seu conteúdo é a facilidade de encontrá-lo. Quanto mais fácil for para encontrar seu blog ou post, melhor. Para isso, use e abuse de palavras-chave e invista na otimização de seu blog para os sites de busca (SEO). Você precisa descobrir quem é e onde está o seu público-alvo. É interessante focar seu blog em um assunto que você domine e tenha a ver com o seu negócio, já que uma das vantagens é a facilidade em identificar sua audiência. Crie uma newsletter (utilizando alguns serviços, como o Feedburner). No entanto, nada impede que você crie um boletim personalizado para seus leitores, onde você pode divulgar seus posts ou outros assuntos de interesse do seu público .Fonte: Guia de Produção de Conteúdo (boo-box – Tecnologia de Publicidade & Mídias Sociais)
  49. 49. Como aparecer “bem” nas redes sociais Com a infinidade de opções de leitura que os usuários têm à disposição, oferecer um conteúdo relevante para manter sua audiência conectada se tornou um desafio. Para garantir o sucesso de seus textos, posts e tweets, o primeiro passo é ter um domínio sobre o que você está escrevendo. Pesquisar bastante para entender sobre o assunto e buscar referências ajudam a produzir conteúdo com mais relevância para os leitores. Ter conhecimento sobre vários assuntos possibilita fazer articulações e ligações num texto. Uma boa estratégia é perguntar diretamente para seus leitores o que eles gostam de ler ou quais os assuntos mais interessantes. Além de questioná-los diretamente através de suas redes sociais (no Facebook a enquete), existem vários questionários online gratuitos, como o Survey Monkey e o Free Online Surveys, para você distribuir entre seus seguidores. Outra opção é incluir em email marketing ou no site de sua marca. Os comentários de blogs também têm informações muito preciosas sobre o que sua audiência mais gosta de ler.Fonte: Guia de Produção de Conteúdo (boo-box – Tecnologia de Publicidade & Mídias Sociais)
  50. 50. Podem ser úteis para você Disqus: É um sistema de comentários completo que oferece várias funções sociais, como a possibilidade de comentar assinando com seu perfil de Facebook ou Twitter, o que facilita o compartilhamento nestas redes. Além disso, com a função de Reactions, ele procura menções ao seu post em redes sociais e agrega tudo no seu blog. Intensedebate: Mais um sistema de comentários “na nuvem”, o Intensedebate conta com o chamado Social Commenting: os usuários se logam no sistema com suas contas de Twitter ou Facebook e postam comentários em seu site e nos próprios perfis ao mesmo tempo. Facebook Comments para WordPress: Este plugin transforma sua seção de comentários em algo bastante parecido com um mural do Facebook. Seu leitor se loga no Facebook, deixa um comentário na rede social e este é replicado em seu site. O plugin facilita o trabalho de moderação, já que não permite comentários anônimos nem spam. Twitter Mentions as Comments: Mais uma extensão para WordPress, esse plugin procura por menções a seus posts no Twitter e inclui estes tweets na seção de comentários de seus posts, junto com outros comentários deixados por seus leitores.Fonte: Guia de Produção de Conteúdo (boo-box – Tecnologia de Publicidade & Mídias Sociais)
  51. 51. Você, no Twitter 1. Inclua em sua biografia algumas palavras-chave relacionadas aos seus interesses e/ou área de expertise de sua marca. É uma boa maneira de mostrar às pessoas porque elas devem te seguir. 2. Preste atenção aos horários em que você tweeta. Um post às 5 da manhã pode não receber a mesma atenção do que se fosse publicado às 5 da tarde, por exemplo. 3. Ao escrever um tweet, pense em “manchetes”. Use frases curtas, mas completas, com palavras que chamem a atenção dos seus seguidores. 6. Ficar atento aos seus replies é necessário para manter as interações, mas também é legal configurar uma busca por palavras-chave como seu nome, site etc. para saber o que outras pessoas estão falando. 7. Julgar o valor de um perfil de Twitter somente pelo número de seguidores é uma medida bem fraca. De que adianta ter um milhão de seguidores mas não impactar realmente nem 1% dessa audiência? Qualidade é melhor do que quantidade.Fonte: Guia de Produção de Conteúdo (boo-box – Tecnologia de Publicidade & Mídias Sociais)
  52. 52. Você, no Twitter 8. Assim como os posts nos blogs, os tweets mais retweetados ou favoritados são indicadores do tipo de conteúdo que sua audiência quer ler. Além dos seus retweets, pesquise o que seus seguidores estão retweetando e onde eles estão buscando o conteúdo que você poderia oferecer. No Favstar você pode encontrar seus tweets mais favoritados e ir acompanhando os posts com mais sucesso durante um determinado período. 9. É provável que uma boa parcela de seus seguidores nunca vá interagir com você de fato. Se você quer respostas para seus tweets, faça perguntas. Estimule conversas, crie engajamento. 10. Crie o hábito de conferir seus tweets duas vezes antes de publicar e verifique se o link que pretende compartilhar está abrindo corretamente. Melhor encontrar erros quando eles ainda podem ser corrigidos.Fonte: Guia de Produção de Conteúdo (boo-box – Tecnologia de Publicidade & Mídias Sociais)
  53. 53. a a nh p Cam SOBRE A VÍRGULA Vírgula pode ser uma pausa... ou não.Fonte: http://www.sxc.hu/browse.phtml?f=download&id=1363488. Acesso em 10/08/2012. Não, espere. Não espere.   Ela pode sumir com seu dinheiro. Campanha de 100 anos 23,4. da ABI – Associação 2,34. Brasileira de Impresa   Pode criar heróis. (2008) Isso só, ele resolve. Isso só ele resolve.   Ela pode ser a solução. “ABI: 100 anos lutando Vamos perder, nada foi resolvido. para que ninguém Vamos perder nada, foi resolvido.   mude uma vírgula da A vírgula muda uma opinião. sua informação” Não queremos saber. Não, queremos saber.   A virgula pode condenar ou salvar. Não tenha clemência! Não, tenha clemência!   Uma vírgula muda tudo.

×