Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Análise de conteúdo do site Por Dentro da África - X Abciber

216 views

Published on

Apresentação do resumo aceito no X Simpósio de Nacional da Abciber.

  • Be the first to comment

Análise de conteúdo do site Por Dentro da África - X Abciber

  1. 1. DIÁSPORAS NA INTERNET: ANÁLISE DE CONTEÚDO DO SITE ‘POR DENTRO DA ÁFRICA’ Taís Silva Oliveira Prof. Dr.ª Silvia Dotta Prof. Dr. Ramatis Jacino PPGCHS - UFABC
  2. 2. METODOLOGIA E OBJETIVO Analisar o conteúdo (BARDIN, 2011) do site Por Dentro da África para identificar a afirmação das diferenças (CANCLINI, 2007) contida no discurso textual.
  3. 3. GLOBALIZAÇÕES CANCLINI (2007) GIDDENS (1991) SANTOS (2001) A fragmentação é uma característica estrutural dos processos desse fenômeno, a globalização, portanto, se apresenta como um conjunto de processos de homogeneização e deve ser percebida como o resultado de múltiplos movimentos, em parte contraditórios, mas que formam um conjunto de narrativas. A globalização pode ser definida como uma intensificação das relações sociais em escala mundial. Dessa forma ela permite conexões sociais além do tempo-espaço e essas relações, por sua vez, tendem a fortalecer pressões de autonomia local e identidade cultural. Três faces: a fábula – que prega uma suposta homogeneização e consumo; a perversa – a que vivenciamos atualmente com aumento exponencial de desemprego, pobreza, desabrigo, mortalidade infantil entre outros problemas sociais; e uma outra globalização possível, da qual o autor sugere a apropriação das bases técnicas para serviço dos fundamentos sociais e políticos.
  4. 4. “Para tratar dos processos globalizadores, deve se falar, sobretudo, de gente que migra ou viaja, que não vive onde nasceu, que troca bens e mensagens com pessoas distantes, que assiste o cinema e televisão de outros países ou conta histórias em grupo sobre o país que deixou. Gente que se reúne para celebrar alguma coisa distante ou se comunica por correio eletrônico com outras pessoas que não sabe quando irá rever. De certo modo, sua vida está em outro lugar. Quero pensar a globalização dos relatos que mostram, junto com sua existência pública, a intimidade de contatos interculturais sem os quais ela não seria o que é. Como a globalização não apenas homogeneíza e nos aproxima, mas também multiplica as diferenças e gera novas desigualdades, não se pode valorar a versão oficial das finanças e da mídia globalizada – que nos prometem a onipresença – sem ao mesmo tempo entender a sedução e o pânico de chegar facilmente a certos lugares e interagir com seres diferentes. Além do risco de nos sentirmos excluídos ou de sermos condenados a conviver com quem não queremos. Como a globalização não consiste na disponibilidade de todos para todos, nem na possibilidade generalizada de entrar em todos os lugares, é impossível entendê-la sem os dramas da interculturalidade e da exclusão, sem as agressões ou autodefesas cruéis do racismo e as disputas, amplificadas em escala mundial, para marcar a diferença entre o outro que escolhemos e o vizinho compulsório. A globalização sem a interculturalidade é “OCNI”, um objeto cultural não identificado.” (CANCLINI, 2007, p. 46)
  5. 5. A internet pode ser analisada também como artefato cultural que compreende diferentes significados em diferentes contextos e são passíveis de apropriação. Não há uma separação entre online e offline, ambas acontecem de forma fluida e interatuam permitindo diversos recortes temáticos e objetos de estudo (FRAGOSO; RECUERO&AMARAL, 2016). A possibilidade de encurtamento das relações sociais independente de proximidade geográfica, mas cada vez mais conexões por interesses em comum e a velocidade com que as notícias transitam, ambas características possibilitadas pela rede mundial de dispositivos conectados na internet (LÉVY, 2010).
  6. 6. TÍTULO DO TEXTO RESUMO DO CONTEÚDO CATEGORIA PRINCIPAIS CONCEITOS Belo Horizonte: Exposição retrata período da escravidão no Brasil Divulgação de evento sobre o período da escravidão da qual as mulheres são o tema centra. Cultura Exposição, Belo Horizonte, Lofgren e Patrícia Gouvêa, maio, período da escravidão, artistas, Isabel, Mãe Preta Zâmbiatentareencontrarahistória emCopadoMundoSub-20 Divulgação da Copa do Mundo sub-20 de futebol, destaque para os times africanos. Esporte South Africa, país, fase, futebol, base, equipe, Guiné, torneio, Copa, Zâmbia, grupo, final, avançar, Sul EleiçõesemAngola:Aplicativoserá usadoparadenunciarabusose fraudes Explica como acontecerão as eleições em Angola pelo aplicativo “zuela”. Notícias Angola, José Eduardo dos Santos, Presidente da República, direitos, presidente, processo, dados, MPLA, aplicativo, ferramenta, eleições RiodeJaneirorecebeFórum ItinerantedeCinemaNegro Divulgação de data e programação do festival de cinema negro na cidade do Rio de Janeiro. Cultura FINCINE, filmes, Rio de Janeiro, Itinerante de Cinema Negro, mulheres, cinema Nigéria:Relatóriodetalhaviolações contracriançaspromovidaspelo BokoHaram Relata os abusos e violências sofridos por crianças na Nigéria pelo Boko Haram. Direitos Humanos Boko Haram, relatório, grupo, período avaliado, suicidas, ataques, uso de crianças, violações, Nigéria, integrantes, escolas, ataques
  7. 7. BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. 1ª ed. 1ª reimp. São Paulo: Edições 70, 2011. CANCLINI, Nestor A. A Globalização Imaginada. 1ª reimp. São Paulo: Iluminuras, 2007. __________, Nestor A. Diferentes, desiguais e desconectados: mapas da interculturalidade. 3ª ed. 1ª reimp. Rio de Janeiro: UFRJ, 2015. FRAGOSO, Suely; RECUERO, Raquel; AMARAL, Adriana. Métodos de pesquisa para internet. Porto Alegre: Sulina, 2016. GIDDENS, Anthony. As consequências da Modernidade. São Paulo: Unesp, 1991. _________, Anthony. Mundo em Descontrole. Rio de Janeiro: Record, 2000. LÉVY, Pierre. Cibercultura. 3ª ed. São Paulo: 34, 2010. LORENZATTI, A. Sobek: uma ferramenta de Mineração de Textos. Trabalho de Conclusão de Curso. Caxias do Sul: departamento de Informática/UCS, 2007. MUNANGA, Kabengele. Origens africanas do Brasil contemporâneo. São Paulo: Global, 2009. SANTOS, Milton. Por uma outra Globalização – do pensamento único à consciência universal. 6ª ed. Rio de Janeiro: Record, 2001. Sobek Mining. Disponível em: < http://sobek.ufrgs.br/index.html> REFERÊNCIAS

×