Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Bacias hidrográficas

18,623 views

Published on

Published in: Technology
  • Be the first to comment

Bacias hidrográficas

  1. 1. Dinâmica de umaBACIA HIDROGRÁFICA<br />GEOGRAFIA – 7º ano<br />
  2. 2. Rio<br />Grande curso deágua doce que corre <br />por um leito em direcção ao mar.<br />Leito<br />Espaço ocupado pelas águas de um rio.<br />Caudal<br />Volume de água que passa<br />numa dada secção de um rio, medido em m³/ s.<br />Regime<br />Variação do caudal de um rio ao longo do ano.<br />
  3. 3. FasesdaErosão Fluvial<br />
  4. 4. AS TRÊS FASES DE EROSÃO DE UM RIO<br />Desgaste: desagregação das rochas;<br />Transporte: deslocação dos materiaisdesagregados da superfície, independentemente da suadimensão;<br />Acumulação de SedimentosouSedimentação: deposição dos materiaistransportadospelorio.<br />Estastrêsfasesmanifestam-se aolongo de todo o percurso do rio, emboracadaumadelassejapredominantenasváriassecções(oucursos).<br />Vistoo desgaste do leito do rio ser provocadopelocurso das águas , dá-se o nomedessaerosão – Erosão Fluvial.<br />
  5. 5. O Curso Superior<br />Os Cursos do Rio<br />O Curso Médio<br />O Curso Inferior<br />
  6. 6. 1 – NO CURSO SUPERIOR(troçodo riomaispróximodanascente)<br />No Curso Superior, domina a acção de desgaste, onde os rios corremgeralmenteentre montanhas, o declivedos terrenosé acentuadoe a força daságuas é muitosignificativaarrastandoàsmargens e aoleitomateriaisrochososque arrastaconsigo, contribuindopara escavarumvale mais ou menosestreitoe profundocom a forma de um« V » bastante fechado. <br />São frequentesos rápidos e as<br />cataratas (quedas de água).<br />
  7. 7. CURSO SUPERIOR VALE EM “V” FECHADO<br />
  8. 8. 2 – NO CURSO MÉDIO<br /> No Curso Médio, o decliveé mais suave, pelo que a velocidadedaságuas é menor, predominando a acção de transporte e o desgastelateral, ou seja, a erosãodasmargens. O valeapresentaum« V » cadavez mais aberto, devidoaorecuodasvertentes.<br />
  9. 9. CURSO MÉDIO - VALE EM “V” abertoouem “U”<br />
  10. 10. 3 – NO CURSO INFERIOR(sessãomaispróximada foz)<br />No CursoInferior, o decliveé, emregra, muitofraco, pelo que a velocidadedaságuasé bastante reduzida. O valeégeralmentelargo e as margenssãobaixas. Devidoaodomínio da acção de acumulação de sedimentos, éfrequente a formação de planiciesaluviais mais ou menosextensas. As fases terminais do rio Tejo e Sado sãoumbomexemplo de planíciesaluviais.<br /> CURSO INFERIOR<br />
  11. 11. CURSO INFERIOR –VALE de fundoplanooucaleiraaluvial<br />
  12. 12. PERFIS LONGITUDINAL E TRANSVERSAL DE UM RIO<br />Perfis transversais<br />- linha de intersecção de um plano<br /> vertical com o vale, perpndicularmente<br />aoleito.<br />- linhaqueuneospontosmais<br />baixos do leito do rio. <br />Perfis Longitudinal<br />
  13. 13. A REDE HIDROGRÁFICA E A BACIA HIDROGRÁFICA <br />
  14. 14. Montante<br />Sessão inicial do curso de água, corresponde à nascente.<br />Rio<br />Bacia Hidrográfica<br />Superfície de terreno drenada <br />por uma rede hidrográfica.<br />Afluente<br />Rede Hidrográfica<br />Jusante<br />Conjunto formado por um curso <br />de água principal e todos os <br />seus afluentes.<br />Sessão final do curso de água, correspondente à foz. <br />
  15. 15. BaciasHidrográficasLuso-Espanholas<br />
  16. 16. OS PRINCIPAIS RIOS DE PORTUGAL<br />
  17. 17. 1- Mississípi<br />2- Amazonas <br />4- Danúbio <br />5- Volga<br />6- Nilo<br />8- Congo<br />9- Indo<br />10- Ganges<br />11- Amarelo<br />12- Yang-Tsé (Iansequião)<br />13- Murray<br />
  18. 18.
  19. 19. TIPOS DE LEITOS DE UM RIO<br />
  20. 20. Canal do rioonde, normalmente, as águasescoam.<br />Correspondeàzonaocupadaporumaquantidademenor de água, comoacontece, porexemplo, no Verão.<br />O LEITO DE ESTIAGEM<br />O LEITO DE CHEIA OU DE INUNDAÇÃO<br />Canal do rioocupadopelaságuasemperíodos de cheia.<br />O LEITO NORMAL<br />LEITO DE ESTIAGEM<br />LEITO NORMAL<br />LEITO DE CHEIA OU DE INUNDAÇÃO<br />
  21. 21. CAUSAS DE CHEIAS<br /> Os valese, muitoemparticular, as margens do leito dos riossãoáreasmaisintensamenteocupadaspeloHomem. De facto, osvales sãoocupados com residências, fábricas, vias de comunicação, agricultura… umamistura de interessesque, frequentemente, entramemconflito com a Natureza.<br /><ul><li>muitascidades, áreasindustriaise camposagrícolaslocalizam-se no leito de cheia(ondeos solos sãomaisférteis e a construção de infra-estruturasfacilitadadevido à reduzida altitude e declive dos solos). </li></ul> a coberturavegetal existentejuntoaoleito dos rios é destruída (dificultando a infiltração das águas da chuva), para a construção de edifícios, estradas, (responsávelpelaimpermeabilizaçãodos solos).<br />
  22. 22. INUNDAÇÃO – RIO TEJOConcelho de V.F de Xira (01/12/2008)<br />
  23. 23. INUNDAÇÃO – RIO TEJOReguengodo Alviela (15/01/2009)<br />

×