Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

O urbanismo e o pragmatismo de Roma Imperial

1,116 views

Published on

Material de apoio ao estudo

Published in: Education
  • Be the first to comment

O urbanismo e o pragmatismo de Roma Imperial

  1. 1. A padronização do urbanismo e a fixação dos modelos arquitetónicos e escultóricos em Roma
  2. 2. O sentido prático dos romanos evidenciou-se na utilização de um conjunto de regras para a organização e planificação das cidades (urbanismo), cuja origem se pensa estar ligada à fundação dos aquartelamentos militares. O modelo seguido em Roma (cardo/decumanos) tornou-se um padrão urbanístico que se repetia nas restantes cidades do Império. Esta padronização e o pragmatismo estendiam-se também à arquitetura, que permite identificar os elementos e espaços da cidade romana e associar- lhe uma função. http://jmnavarron.blogspot.pt/2013/05/arte-clasico-roma-urbanismo-romano.html
  3. 3. Reconstituição das Termas de Caracala (Roma) http://red.gnoss.com/comunidad/CClasica/recurso/termas-caracalla/b71e7c75-b349-4886-936f-edad141c71b9 Termas: locais públicos onde se podia tomar banho de água quente, tépida e fria, receber massagens, ler, conviver… Espaços de lazer Nas termas existia o: Apodyterium- Vestiário. Tepidarium- Ambiente morno. para descanso ou massagens. Caldarium- Câmara para banhos quentes. Frigidarium- Ambiente frio com banheiras ou tanques de água fria. Sudatorium- Câmara com vapores (espécie de sauna).
  4. 4. Ilustração artística da aparência das Temas de Caracala.
  5. 5. Apodyterium – termas de Herculano , Campânia (sul da Itália) https://sites.google.com/site/ad79eruption/herculaneum-1/insula-vi/central-thermae O apoditério (apodyterium) era, nas termas romanas, a entrada principal, constituída por um quarto comprido ou largo, dotado de compartimentos ou estantes, nos quais os cidadãos guardavam suas roupas e pertences, enquanto tomavam seu banho.
  6. 6. Apodyterium feminino – termas de Herculano, Campânia https://sites.google.com/site/ad79eruption/herculaneum-1/insula-vi/central-thermae
  7. 7. O tepidário (tepidarium) era, nas termas romanas, o local do banho morno (tépido). Ruínas do Tepidarium, Termas Estabianas em Pompeia. http://thearcheology.wordpress.com/2010/06/25/thermae-os-banhos-na-roma-antiga-parte-2/
  8. 8. Desconhece-se a temperatura exata do Caldarium, mas sabe-se que Romanos usavam sandálias de madeira com objetivo de resistir ao calor que se fazia sentir no chão. Ruínas da fonte decorativa no Caldarium, Termas Estabianas (Pompeia) Caldário ( caldarium), era um espaço quente e cheio de vapor. A água era aquecida no hipocausto (espaço subterrâneo). http://thearcheology.wordpress.com/
  9. 9. Ruínas de um dos tanques nas Termas Estabianas em Pompeia. O frigidário ( frigidarium) consistia, nas termas romanas, no local onde se tomava um banho frio. Depois de terem os poros abertos pelos banhos quentes, a imersão no tanque do Frigidarium servia para fechar os poros e finalizar o banho. Mulheres de Pompeia no Frigidarium (Pedro Weingartner 1897).
  10. 10. Latrinas masculinas- termas de Herculano , Campânia https://sites.google.com/site/ad79eruption/herculaneum-1/insula-vi/central-thermae A preocupação com a higiene passava igualmente pela construção de latrinas públicas que eram usadas ao mesmo tempo por várias pessoas. Aos pés dos utilizadores corria sempre água que ajudava a manter o espaço limpo.
  11. 11. As latrinas públicas http://devirnomadeviagem.blogspot.pt/2012/12/o-que-voce-nunca-quis-saber-sobre-os.html
  12. 12. Por baixo das latrinas públicas a água corrente transportava os dejetos.
  13. 13. Os romanos usavam uma esponja com cabo para se limpar após usarem a latrina . Instrumentos de Higiene
  14. 14. Strigil – Instrumento para limpar o corpo. Antes de entrar no espaço mais quente das Termas os romanos untavam o corpo com azeite, depois, passando a parte curva do instrumento pelo corpo, removiam o azeite e sujidade.
  15. 15. Pinça para depilar o corpo
  16. 16. Instrumento para limpar as unhas
  17. 17. Instrumento para limpar a cera dos ouvidos
  18. 18. O Coliseu na atualidade O Coliseu no século II d. C. Anfiteatros: locais de duelo entre gladiadores e de lutas entre feras e homens; podiam também ser inundados para simular batalhas navais;
  19. 19. No Coliseu realizavam-se espetáculos de luta de gladiadores – lutavam entre si ou contra as feras. Gladiadores (mosaicos romanos do séc. II d. C.)
  20. 20. Circo Máximo Coliseu Aqueduto de Cláudio Termas de TrajanoFórum Romano Maqueta de Roma no séc. II d. C. Circos: estádios utilizados para as corridas de cavalos e de carros puxados por cavalos;
  21. 21. Reconstituição do Teatro de Marcelo Foram construídos teatros por todo o Império, como, por exemplo, (1) em Mérida, Espanha… (2) ou em Bosra, Síria (1)
  22. 22. Teatro Romano – Antalya, Turquia
  23. 23. Teatro de Mérida (Espanha)
  24. 24. Circo Máximo – 250 000 espectadores Volta de honra do vencedor de uma corrida de cavalos no Circo Máximo (mosaico do séc. IV d. C.)
  25. 25. Arco triunfal de Septímio Severo Foi erguido em 203 d. C. para comemorar o décimo aniversário da ascensão de Septímio Severo. Os painéis em relevo celebram as vitórias do imperador na Pária (Irão e Iraque) e na Arábia. A inscrição no topo do arco era para Septímio e seus filhos, Caracala e Geta. No entanto, após a sua morte, Caracala matou o irmão e retirou o seu nome.
  26. 26. Panteão, em Roma (templo dedicado a todos os deuses) O Panteão foi construído no tempo de Augusto (séc. I d. C.) Parcialmente destruído por um incêndio, foi reconstruído no tempo do imperador Adriano (séc. II d. C.)
  27. 27. Cúria (espaço destinado a reuniões do Senado, por ex.) A Cúria Hostília era a preferida do Senado Romano: inicialmente designada Cúria Hostillia, passou a designar-se Cúria Júlia ( em homenagem a Júlio César) a partir do séc. I a.C.
  28. 28. http://www.vitruvius.be/curjulia.htm
  29. 29. http://moleskinearquitectonico.blogspot.pt/2010/02/el-foro-romano-arquitectura.html Reconstituição da Basílica Júlia
  30. 30. Domus ( habitação particular dos cidadãos mais ricos)
  31. 31. Insulae (prédio com várias habitações)
  32. 32. As casas das pessoas mais abastadas tinham aquecimento, através de fornalhas situadas na cave. Muitas cidades romanas tinham água canalizada e esgotos. Esquema do sistema de esgotos e água canalizada numa rua de Pompeia Esgoto Canalização de chumbo, para a água Sarjeta Rua de Pompeia, séc. I d. C. Esgotos
  33. 33. Panteão romano
  34. 34. A cúpula deste templo grandioso constitui um elemento original da arquitetura romana. Reconstituição do séc. XVIII 44 metros
  35. 35. A cúpula do Panteão romano inspirou as cúpulas de… Santa Maria das Flores, Florença, Itália, séc. XV S. Pedro do Vaticano, Roma, séc. XVI Panteão Nacional, Paris, séc. XVIII Capitólio, Washington, séc. XIX … que, por sua vez, inspiraram…
  36. 36. A arquitetura romana inspirou edifícios de outras épocas Templo romano de Nîmes, França, séc. I d. C. e Igreja da Madalena, Paris, séc. XIX Arco do Triunfo de Tito, Roma, séc. IV d. C., e Arco do Triunfo de Napoleão Bonaparte, Paris, séc. XIX Coliseu, Roma, séc. I d. C.e Praça de Touros de Madrid, séc. XX
  37. 37. Para levar água às cidades, os Romanos construíram grandes aquedutos… que, muitos séculos depois, serviram de modelo a outros Aqueduto romano de Segóvia, Espanha, sécs. I e II d. C. Aqueduto das Águas Livres, Lisboa, séc. XVIII Ponte-aqueduto sobre o rio Gard, Nîmes, França, séc. II d. C. Aqueduto de Elvas, séc. XVI

×