Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

O país rural e senhorial

3,358 views

Published on

Concluída a Reconquista e fortalecidas as fronteiras, os monarcas passam a centrar a sua atenção no desenvolvimento interno do reino. A defesa e a fixação de novos povoadores cristãos são, então, áreas prioritárias.

Published in: Education
  • Be the first to comment

O país rural e senhorial

  1. 1. O PAÍS RURAL E SENHORIAL
  2. 2. Concluída a Reconquista e fortalecidas as fronteiras, os monarcas passam a centrar a sua atenção no desenvolvimento interno do reino. A defesa e a fixação de novos povoadores cristãos são, então, áreas prioritárias. Entre os sécs. XII-XIII podemos encontrar um Portugal país rural, estruturado pelos senhorios, e um Portugal país urbano dinamizado pelos concelhos.
  3. 3. A nobreza combatia ao lado do rei e ganhava a sua confiança. O clero apoiava o rei e as ordens religiosas contribuíam para a conquista ou reconquista de territórios. Durante a Reconquista Cristã perante a ameaça muçulmana e os conflitos entre os reinos cristãos, os reis procuraram organizar a sua defesa. Estabelecendo laços com a nobreza e clero, com os seguintes propósitos: - Organização defensiva; - Estabelecimento de quadros administrativos; - Repovoamento das regiões; Como? O país rural e senhorial
  4. 4. O rei recompensava com terras (senhorios) os que o ajudavam na guerra e na administração dos territórios. Tipo de senhorios Honras (identificavam-se pela presença de um castelo, torre ou solar que ilustram o poder do senhor); Reguengos (poucos restaram após a Reconquista) Coutos (identificavam-se pela presença de um mosteiro, de uma Sé Catedral ou de um castelo) Origem dos senhorios • direito de presúria • doações régias • doações de nobres
  5. 5. Privilégios - posse de terra (poder fundiário) - posse de armas e comando militar (poder militar) - poder fiscal e judicial - imunidade Dentro dos seus domínios, os senhores tinham: Poder de ban/ poder senhorial
  6. 6. A posse de terra e o exercício dos direitos senhoriais sobre as populações conferiam aos senhorios um estatuto privilegiado, muitas vezes confrontando o poder do próprio rei. Como é que um senhor se tornava dono de um castelo ou feudo? Através dos laços de vassalagem Senhor mais poderoso As relações feudo-vassálicas Relações de vassalagem entre dois senhores Suserano Senhor menos poderoso Vassalo Contrato de vassalagem Jura-lhe fidelidade e promete servi-lo com homens e armas 2º- Juramento de fidelidade O vassalo encomenda- -se ao suserano 1º- Homenagem Em troca, o suserano concede-lhe um benefício ou feudo 3º- Investidura
  7. 7. Deveres do suserano Proteção Concessão do feudo Deveres do Vassalo Auxílio militar ou monetário Fidelidade e conselho
  8. 8. Contratos (estabelecidos entre senhores e camponeses) Temporários (duas ou três gerações) Vitalícios (ou enfitêuticos) Domínio senhorial • Reserva, Quintã (nobreza) ou Granja (clero) – propriedade explorada diretamente pelo senhor; • Casais ou Mansos– propriedades arrendadas aos camponeses Domínio senhorial (reconstituição)
  9. 9. Laços de dependência entre os senhores (laicos e eclesiásticos) e as comunidades rurais Herdadores homens livres que possuíam alódios (propriedades herdadas dos seus antepassados); que, com D. Afonso II, passam a estar sujeitos às obrigações senhoriais; Colonos (foreiros, malados, vilãos) homens livres que arrendavam as terras e ficavam sujeitos aos direitos senhoriais e dominiais; Servos antigos escravos libertos a quem o senhor dava casais para exploração agrícola e por isso sujeitos a prestações como jeiras, rendas. Não podiam abandonar as terras do senhorio, nem ser expulsos das mesmas. Assalariados tinham trabalho temporário e por isso não possuíam habitação própria. O seu trabalho era intenso no Verão e escasseava no Inverno. Escravos maioritária- mente muçulmanos ligados a trabalhos domésticos e artesanais. Domínios senhoriais Direitos dominiais (provinham da exploração económica do solo) Direitos senhoriais (resultavam do poder político)
  10. 10. Como se estruturava a sociedade feudal? Quais as ordens sociais? Quais as suas funções? Labor do Clero é orar a Deus E fazer justiça o do cavaleiro; O pão arranjam-lhe os trabalhadores. Um alimenta, outro reza, o terceiro defende, No campo, na cidade, no mosteiro; Ajudam-se em seus mesteres, Os três, para boa ordem. Poema do século XII Povo Nobrez a Clero
  11. 11. Quem dominava a sociedade feudal? O mosteiroO castelo Rei (suserano dos suseranos) Os grandes senhores (nobres e alto clero) Os pequenos vassalos (cavaleiros)
  12. 12. O castelo
  13. 13. O mosteiro
  14. 14. A partir da segunda metade do séc. XIII, os reis portugueses encetaram um processo de reforço da sua autoridade, procurando diminuir a autonomia dos senhores e centralizar o poder na pessoa do rei.

×