O FAZER PSICOPEDAGÓGICO NA ESCOLA PÚBLICA                      Suzana Claudete Amorin de Souza  Graduada em Pedagogia pela...
semelhante à Sala de Atendimento Multidisciplinar SAM - implantada em 11 deagosto de 2004 no Colégio Estadual de Aplicação...
apresentem indicadores de algumas disfunções, como Dislexia, Disortografia,Discalculia, TDA e TDAH, que necessitam um diag...
RESULTADO E DISCUSSÃOQuadro de resultado diagnósticoATENDIMENTO Nº1Idade: 19 anosSérie: 1º do ensino médioTurno: vespertin...
Psicodiagnóstico (levantamento de hipótese): Distúrbio de Déficit de Atenção –Possível DislexiaIntervenção: Atendimento ne...
Católica de ciências Econômicas da Bahia um novo caminhar Psicopedagógico naEscola Pública.     O Procedimento Psicodiagnó...
importante é que os trabalhos continuaram com aqueles que estavaminteressados em receber ajuda profissional.     É percebi...
terapêutica, alcançando dimensões preventivas operacionalizadas no âmbitoinstitucional.      Apesar do número de atendimen...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Artigo[1]

1,689 views

Published on

O FAZER PSICOPEDAGÓGICO NA ESCOLA PÚBLICA
UM NOVO OLHAR PARA AS DIFICULDADES DE ORDEM COGNITIVA - AFETIVA E SOCIL.

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,689
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Artigo[1]

  1. 1. O FAZER PSICOPEDAGÓGICO NA ESCOLA PÚBLICA Suzana Claudete Amorin de Souza Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual da Bahia comespecialização em Psicopedagogia pela Universidade Católica de Salvador,docente do Colégio Estadual de Aplicação Anísio Teixeira, mediadora doPrograma de Enriquecimento Instrumenta – PEI (nível I e II) e professoraCoordenadora do Núcleo de Psicopedagogia, no projeto SAM. E-mail: suclaudete@yahoo.com.brRESUMOO presente trabalho traz o relato da experiência do fazer psicopedagógico naescola pública, assumindo caráter interdisciplinar, que lhe é próprio, a partir daimplantação do projeto da Serviço de Atendimento Multidisciplinar, sendo umespaço onde alunos e pais poderão receber atendimentos necessários àresolução de problemas existentes no âmbito escolar, seja de ordem pedagógicaou psicossocial. Atende em diversas modalidades educativas e profissionais,sendo que, esses profissionais irão se relacionar de forma interacionista, numaexperiência transdisciplinar - o que permite o diálogo, entrosamento ereconhecimento da interdependência entre vários aspectos da realidade do alunoaprendente.Unitermos: Sala de Atendimento Multidisciplinar - Escola Pública -PsicopedagogiaINTRODUÇÃO Os alunos que apresentam dificuldades de aprendizagem nas instituiçõespúblicas são, até hoje, encaminhados a clínicas vinculadas a departamentos desaúde-escolar da educação pública, para serem atendidos por profissionais daárea de saúde-educação. Dispor de um espaço alternativo dentro da escola, 1
  2. 2. semelhante à Sala de Atendimento Multidisciplinar SAM - implantada em 11 deagosto de 2004 no Colégio Estadual de Aplicação Anísio Teixeira com o apoio daSecretaria de Educação do Estado da Bahia e Instituto Anísio Teixeira beneficia atoda a comunidade escolar no atendimento para inclusão efetiva do educando. 1 O projeto SAM incentiva parcerias com faculdades, universidades públicas,particulares e Associações. Profissionais de diversas áreas poderão está atuandode forma interdisciplinar, criando espaço para troca de experiências, estudos eprodução do conhecimento. A Sala de Atendimento Multidisciplinar possui vários Núcleos Mediadores:Núcleo Gestão que tem como objetivo envolver a comunidade escolar para efetivaparticipação do desenvolvimento de ações concretas para melhoria dacomunicação, relações interpessoais e do processo ensino-aprendizagem; NúcleoInterprofissional, onde o aluno é atendido por vários profissionais: Psicologia,Fonoaudiologia e Serviço Social tendo como meta realizar intervenções no planoPsicossocial, orientando e encaminhando para o órgão de assistência e apoio aocidadão. Núcleo de Arte Cidadania e pesquisa que busca potencializar o processoensino-aprendizagem através de oficina de musica e artes visuais desenvolvendoos aspectos cognitivos-afetivos-sociais do aluno, e Núcleo Psicopedagógico quetem como objetivo diagnosticar os obstáculos que estão impedindo aaprendizagem do aluno, buscando intervenções interprofissionais. Pretendemos, ainda nestas experiências, ressaltar a importância do uso dapsicopedagogia na instituição escolar, oportunizando a inclusão escolar. AEducação Inclusiva é respaldada na Constituíção Brasileira em seu Artigo 205,Capítulo III, estendendo a todos oportunidade de acesso à Educação, configuradacomo opção social, eminentemente democrática e que é prevista na LDB - Lei deDiretrizes e Bases da Educação, (9394/96, art. 59, capt. 5). Estabelecendo odireito à educação diferenciada e a Lei das Diretrizes Nacionais para a EducaçãoEspecial dita as normas para o atendimento a essas pessoas. Ainda temosassegurado, como respaldo pedagógico, os PCNs – Parâmetros CurricularesNacionais que sugerem possibilidades de flexibilidade curricular e ainterdisciplinaridade. Além de está realizando uma investigação para casos que 2
  3. 3. apresentem indicadores de algumas disfunções, como Dislexia, Disortografia,Discalculia, TDA e TDAH, que necessitam um diagnóstico diferencial dequestões de ordem pedagógica ou sócio-emocionais.METODOLOGIA Em 06 de abril de 2005, na primeira reunião do ano, o grupo de voluntáriosdecide que os trabalhos sejam desenvolvidos em três etapas, sendo duaspreliminares, que possibilitam às ações-interdisciplinares ou não. A primeira etapaconstará da triagem inicial nos conselhos identificando e encaminhando os alunosque apresentam dificuldades de aprendizagem. O responsável pelo pedido deajuda preencherá o primeiro formulário sinalizando e informando a situaçãoproblema. A segunda etapa será realizada pelo Núcleo psicopedagógico. O processo Psicodiagnóstico compunha-se de um conjunto de sessões,podendo sofrer alterações de acordo com a necessidade de cada caso, quepodem ficar assim dispostos: 1ª Sessão – realizada com a família e o aluno, que autorizam a intervençãoatravés de um documento. Nesse momento fica acordado dia e hora dasatividades a serem desenvolvidas. 2ª Sessão – O aluno é atendido sozinho e, através de técnicas projetivaspsicopedagógicas é levantado a forma de vinculação (negativa – positiva) com asaprendizagens: formal e informal e os aspectos emocionais latentes.ViscaTécnacas projetivas Brender , bleger 3ª Sessão – Busca conhecer o nível do pensamento operatório deorganização cognitiva (método clínico piagetiano). Dolle para comprender piaget 4ª Sessão – Anamnese - Entrevista construída a partir das hipóteseslevantadas durante todo o processo de avaliação.weiss A terceira etapa consta das intervenções pedagógicas, psicopedagógicas e,caso seja necessário, é encaminhado pela assistência social para outroprofissional na área de educação-saúde. 3
  4. 4. RESULTADO E DISCUSSÃOQuadro de resultado diagnósticoATENDIMENTO Nº1Idade: 19 anosSérie: 1º do ensino médioTurno: vespertinoSintomas: Problemas de comunicação e dificuldade de socialização (tri-repetente)Psicodiagnóstico (levantamento de hipótese) transtorno emocionalInterveção: Neurológica, psicológica, pedagógico e psicopedagógicoATENDIMENTO Nº2Idade: 16 anosSérie: Segmento B Regularização do FluxoTurno: vespertinoSintomas: Falta de atenção, de concentração e inquietudePsicodiagnóstico (levantamento de hipótese): Conflitos de identidade/bloqueioafetivo Inadequação pedagógicaIntervenção: Terapia familiar, terapia individual, psicodrama e pedagógicoATENDIMENTO Nº3Idade: 12 anosSérie: 5ª série do ensino fundamentalTurno: MatutinoSintomas: Dificuldade em desenvolver as atividades escolaresPsicodiagnóstico (levantamento de hipótese): Nível de pensamento operatórionão adequado para a sua idade/dificuldade na fala.Intervenção: Acompanhamento pedagógico, psicopedagógico e FonoaudiólogicoATENDIMENTO Nº4Idade: 14 anosSérie: Seguimento A Programa FluxoSintomas: Dificuldade em matemática 4
  5. 5. Psicodiagnóstico (levantamento de hipótese): Distúrbio de Déficit de Atenção –Possível DislexiaIntervenção: Atendimento neurológico, psicológico, psicopedagógico, pedagógicoe fonoaudiólogico.ATENDIMENTO Nº5Idade: 15 anosSérie: Seguimento BB Regularização do FluxoTurno: matutinoSintomas: Não freqüenta algumas aulas.Psicodiagnóstico (levantamento de hipótese): Transtorno psicosocial ( família eescola) Transferência.Intervenção: Assistência social, psicólogico, terapeuta familiarr, psicopedagógico epedagógico..ATENDIMENTO PSICOPEDAGÓGICO “Hoje a psicopedagogia está se constituindo como área que estuda aaprendizagem e que pode atuar tanto de forma terapêutica, quanto preventiva,preocupando-se principalmente com a totalidade do ser humano e com a malha derelações que o mesmo estabelece durante o seu aprender” 1. Para Visca (1987) aconstrução de aprendizagem e das dificuldades que possam existir no ato deaprender surge da integração que o autor faz, por assimilação recíproca, dascontribuições das escolas psicanalíticas, piagetiana e da psicologia social deEnrrique Pichòn Rrivieri. Esta Escola chamada Epistemologia Convergentedefendida por Jorge Visca possibilita perceber o sujeito que aprende, como um serinteiro e a rede de relações e interações que acontecem durante o processo deaprendizagem. O “Sintoma de Aprendizagem” de um sujeito é o epifenômeno, ouseja, é o emergente da interação do sujeito com o sintoma social e seusmediadores. De acordo com esse enfoque foi desenvolvido no Núcleo Psicopedagógicocom a colaboração de voluntários e estagiários em psicopedagogia daUniversidade Católica de Salvador, Universidade Salgado de Oliveira, Faculdade 5
  6. 6. Católica de ciências Econômicas da Bahia um novo caminhar Psicopedagógico naEscola Pública. O Procedimento Psicodiagnóstico constará de instrumentos específicos parafins educacionais de re-planejamento pedagógico, adequando-o para a inclusão eintegração dos alunos com necessidades especiais, bem como a implantação deprogramas direcionados aos envolvidos na aprendizagem do educando a família ea comunidade escolar a qual pertence. O importante é que o aluno que está ematendimento permanecerá no colégio no turno oposto da educação formal. A partir da análise das avaliações psicopedagógica a equipe SAM constatoua necessidade de se trabalhar com a unidade escolar com uma visãotransdisciplinar focando as partes que compõe o todo aprendente. De que formaessas intervenções acontecerão? Acolhendo voluntários das áreas de educação-saúde que já desenvolvem propostas de trabalho na instituição através de clínica-educacional/clínica-escola desenvolvida pelos fonoaudiólogos, psicólogos,psicanalistas, cardologistas que tendo com objetivo a orientação e apotencialização de todos envolvidos no processo de ensino-aprendizagemcapacitando-os para lidar e ajudar os alunos que se encontram com dificuldade deaprendizagem. O atendimento terapêutico Psicopedagógico na SAM poderá serindividual ou em grupo, dependendo do número de alunos, das causas enecessidades dos alunos investigados. ”O grupo possibilita a reprodução dasrelações sociais que o indivíduo viveu adequadamente ou inadequadamente, 1permitindo a construção ou regressão para re-elaboração de vínculos” . Éimportante, também refletir sobre os atendimentos não concluídos. Os motivosapresentados pelos responsáveis são vários: falta de dinheiro, não tem quem leveo aluno e vá buscá-lo, fica muito distante, o aluno tem outra atividade nessehorário, enfim, quase sempre a intervenção é interrompida. Quais foram os motivos? Pode-se listar alguns: “meu filho começou atrabalhar”, “ele já está sendo atendido pelo convênio”, “o aluno se recusa apermanecer na escola”, e muitos evadiram da instituição (gravidez e etc ). O 6
  7. 7. importante é que os trabalhos continuaram com aqueles que estavaminteressados em receber ajuda profissional. É percebido a importância de atendimento do Assistente Social para mediara as possíveis causas do não comparecimento do aluno, pois cabe a ele oacompanhamento mais determinado para o seu fim, com atendimento de visita afamília, pois a intenção é que esse núcleo o Serviço Social trabalhe com os alunoscom as famílias desses alunos e com a comunidade, procurando favorecercondições dignas de vida, na defesa e no exercício de direitos do cidadão.Trabalhar com o binômio necessidade-possibilidade, estando presente nasociedade para denunciar injustiças, ao mesmo tempo contribui, propondo eintervindo com as formas e alternativas que as comunidades constroem pararesistir às pressões que a realidade social lhes coloca. Porém tivemos dificuldadede apresentação desses profissionais, apenas alguns iniciaram e depoisabandonaram, por motivo de falta de disponibilidade, o que pretendemos superarno ano de 2006. Algumas resoluções internas foram tomadas para facilitar o atendimento. Avice-direção sempre deliberava uma merenda equivalente a um almoço nos diasde atendimento. Algumas estagiárias colaboravam com a passagem do aluno.Para o ano de 2006 buscaremos parcerias com empresas que estão no entornodo colégio para viabilizarmos melhor a permanência do aluno, estagiário evoluntários na Sala de Atendimento Multidisciplinar. Segue abaixo algunsexemplos de atendimento. CONSIDERAÇÕES FINAIS A Psicopedagogia é uma área em expansão e construção, viabilizando novasdescoberta na compreensão dos processos de aprendizagem. A experiência aquirelatada vem confirmar essa possibilidade. O Fazer Psicopedagógico na EscolaPública é mais uma forma de atuação que possibilita não só a explicação dasdificuldades, ou seja, o psicodiagnóstico, mas a intervenção interdisciplinar e 7
  8. 8. terapêutica, alcançando dimensões preventivas operacionalizadas no âmbitoinstitucional. Apesar do número de atendimentos concluídos terem sido relativamentepequeno os resultados obtidos são satisfatórios. Isso porque os alunos atendidosapresentam mudanças relativas ao comportamento psicosocial e aprovação noano letivo corrente. Em decorrência desse resultado, foi construído um plano deação que está sendo colocado em prática desde 17 de fevereiro de 2006. Sempre é possível trilhar novos caminhos tendo como referência outros quedesbravaram as infinitas possibilidades de conhecer o processo de aprendizageme seus obstáculos.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS1. SCOZ, Beatriz J. L. Psicopedagogia – O caráter interdisciplinar na formação e atuação profissional. Porto Alegre, Artes Médicas; 1990.2.3. BRASIL. Constituição Federal Brasileira, Brasília, 1988. Disponível em: http://www.mec.gov.br. Acesso em: 15 mar. 20064. BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Brasilia, 1996. Disponível em: http://www.mec.gov.br. Acesso em: 15 mar. 20065. MAMEDE, Maria Apparecida. Org. O fracasso escolar e a busca de soluções alternativas – A experiência do NOAP. Petropolis, Vozes; 1993.6. VISCA, Jorge. Clínica psicopedagogica-epistemologia convergente. Porto Alegre, Artes médicas, 1987. 8

×