Importância do estudo

5,595 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
5,595
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
72
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Importância do estudo

  1. 1. QUARTA PARTE: ESTUDO“Aprender é a única coisa de que amente nunca se cansa, nunca tem medoe nunca se arrepende.”“Do mesmo modo que o metalenferruja com a ociosidade e a águaparada perde sua pureza, assim a inérciaesgota a energia da mente.”Leonardo da Vinci
  2. 2. QUARTA PARTE: ESTUDO Habilidades de Leonardo da Vinci: Cientista, matemático, engenheiro, inventor,anatomista, pintor, escultor, arquiteto,botânico, fisiólogo, cartógrafo, geógrafo,mecânico, escritor, poeta e músico. Qual relação pode-se dar, através desseexemplo, ao falarmos sobre a importância doestudo?
  3. 3. QUARTA PARTE: ESTUDO4.1 – REFLETINDO SOBRE A IMPORTÂNCIADO ESTUDO Espíritas! amai-vos, este o primeiroensinamento; instruí-vos, este o segundo. Homens fracos, que compreendeis as trevasdas vossas inteligências, não afasteis o fachoque a clemência divina vos coloca nas mãospara vos clarear o caminho e reconduzir-vos,filhos perdidos, ao regaço de vosso Pai.O Evangelho Segundo o Espiritismo – cap. VI – item 5.
  4. 4. QUARTA PARTE: ESTUDO O exemplo de Albert Schweitzer. Em 1905, iniciou o curso de medicina, e seis anosmais tarde, já formado, casou-se e decidiu partirpara Lambaréné, no Gabão, onde uma missãonecessitava de médicos. Ao deparar-se com a faltade recursos iniciais, improvisou um consultório numantigo galinheiro e atendeu seus pacientesenfrentando obstáculos como o clima hostil, a faltade higiene, o idioma que não entendia, a carência deremédios e instrumental insuficiente. Tratava de maisde 40 doentes por dia e paralelamente ao serviçomédico, ensinava o Evangelho com uma linguagemapropriada, dando exemplos tirados da naturezasobre a necessidade de agirem em benefício dopróximo.
  5. 5. O amor o inspirou dizendo-lhe: “Dá-me, Albert,instrumentos para que Eu possa agir...”Joanna de Ângelis no livro Novos Rumos para oCentro Espírita, diz que o estudo correspondeao Qualificar que, juntamente com o Espiritizare o Humanizar formam um triângulo equiláterodefinidor de responsabilidades para o CentroEspírita. Viabilizar-se o estudo, principiarcondições básicas para que ele se realize éresponsabilidade do Centro Espírita; realizá-lo étarefa do espírita.QUARTA PARTE: ESTUDO
  6. 6. QUARTA PARTE: ESTUDO QUALIFICAR Visa a realização das ações operacionais, noscampos administrativo e doutrinário, com eficiência eeficácia com a finalidade de se obter a maiorqualidade possível, de modo a se conseguir oobjetivo principal da Doutrina Espírita.Eficiência - é fazer de forma certa as coisas, dandoo melhor que se pode para que as atividades sejambem feitas.Eficácia – é fazer as coisas que façam sentido parao objetivo essencial da organização. Que dá bomresultado.
  7. 7. QUARTA PARTE: ESTUDO ESPIRITIZAR Realizar ações para se aprofundar nas BasesKardequianas da Doutrina Espírita,aproximando cada vez mais o Movimento daDoutrina, de modo a criar uma consciênciaespírita para que a finalidade maior da Doutrinaseja cumprida, restaurando o cristianismoprimitivo, e para que vivenciemos plenamente osentido do Espiritismo em nossas vidas, tendoJesus como Modelo e Guia e Kardec como onorteador para chegarmos ao Modelo.
  8. 8. QUARTA PARTE: ESTUDO HUMANIZARRealizar ações para se conhecer, refletir, sentire vivenciar o Evangelho de Jesus, redivivo pelaDoutrina Espírita, em nossas vidas, de modoque possamos conhecer as Leis Divinasnaturais para amá-las e vivenciá-las em nossodia a dia.(...) O auto conhecimento requer um constanteexercício, no reino do pensamento reflexivo,sobre as sensações externas e internas. Viveruma vida sem reflexão é como escutar umamúsica sem melodia.” – Hammed - Os Prazeresda Alma.
  9. 9. QUARTA PARTE: ESTUDO Nesse sentido, estudar não é, apenas,proposta para absorção de valores externos,de informações, mas, um convitefavorecedor do autodescobrimento atravésda reflexão atenta de todos os estímulos querecebemos, inclusive dos conteúdospsíquicos que emergem de nossoinconsciente(...) Justifica-se, assim, ochamamento de Joanna aos médiuns e atodos nós: Estuda a Doutrina Espírita eestuda-te.
  10. 10. QUARTA PARTE: ESTUDO Na introdução de O Livro dos Espíritos, item VIIIKardec deixou expresso o seguinte:Sede, além do mais, laboriosos e perseverantesnos vossos estudos, sem o que os Espíritossuperiores vos abandonarão, como faz umprofessor com os discípulos desatentos.“Considero esse curso - (ESDE) - como denatureza a exercer capital influência sobre ofuturo do Espiritismo e sobre suasconsequências.” Allan Kardec (ObrasPóstumas, Projeto, 1868)
  11. 11.  O Livro dos Médiuns ou Guia dos Médiuns eEvocadoresTodos os dias a experiência nos traz aconfirmação de que as dificuldades e osdesenganos, com que muitos topam na práticado Espiritismo, se originam da ignorância dosprincípios desta ciência e feliz nos sentimos dehaver podido comprovar que o nosso trabalho,feito com o objetivo de precaver os adeptoscontra os escolhos de um noviciado, produziufrutos e que à leitura desta obra devem muitoso terem logrado evitá-los.IntroduçãoQUARTA PARTE: ESTUDO
  12. 12. E no final do livro citado, na última página eúltimo parágrafo, o professor deixa mais umaadvertência com relação no cuidado da açãodos Espíritos embusteiros: “...Estudai antes depraticardes, porquanto é esse o único meio denão adquirirdes experiência à vossa própriacusta”.Tendo com referências essas orientações, aFederação Espírita Brasileira (FEB)disponibilizou ao Movimento Espírita, a partir demarço de 1998, o Programa de Estudo ePrática da Mediunidade, organizado em doisníveis de estudo: Programas I e II.QUARTA PARTE: ESTUDO
  13. 13.  Na questão 227 de O Livro dos Espíritos, quedescreve sobre a Influência Oculta dosEspíritos em Nossos Pensamentos e Atos,Kardec pergunta: De que modo se instruem osEspíritos errantes? Certo não o fazem domesmo modo que nós outros?“Estudam e procuram meios de elevar-se.Veem, observam o que ocorre nos lugaresaonde vão; ouvem os discursos dos homensdoutos e os conselhos dos Espíritos maiselevados e tudo isso lhes incute ideias queantes não tinham.”QUARTA PARTE: ESTUDO
  14. 14. Emmanuel no livro Pensamento e Vida,descreve que “(...) duas asas conduzirão oespírito humano à presença de Deus – Amor eSabedoria”.Ainda nas instruções do Benfeitor espiritual:“(...) estudar e servir são rotas inevitáveis naobra da elevação(...) Por esse dínamo deenergia criadora, encontramos os maisadiantados serviços de telementação,porquanto, a imensas distâncias, no espaço eno tempo, incorporamos as idéias dos espíritossuperiores que passaram por nós, há Séculos.”QUARTA PARTE: ESTUDO
  15. 15. 4.2 – O ESTUDO NA CODIFICAÇÃOQuais as razões para se estudar a DoutrinaEspírita e quais os requisitos que devempossuir aqueles que ao estudo pretendemdedicar-se?Em resumo, a Doutrina não é um conhecimentosuperficial capaz de ser assimilado com umavista de olhos. Não há como assimilar talmonumento de conhecimento com leiturasbreves e uma postura não ativa. Kardec fazuma resalva no item VIII nos aconselhando: Oque caracteriza um estudo sério é acontinuidade que se lhe dá. (Acrescentando aQUARTA PARTE: ESTUDO
  16. 16. Ao admitir que a Doutrina Espírita não é fácil, Kardecestá propondo que ela somente é acessível aos doutos esábios?Não, tanto que há homens de notória capacidade quenão a compreendem, ao passo que inteligênciasvulgares, moços mesmo, apenas saídos da adolescência,lhes apreendem, com admirável precisão, os maisdelicados matizes. Provém isso de que a parte por assimdizer material da ciência somente requer olhos queobservem, enquanto a parte essencial exige um certograu de sensibilidade, a que se pode chamar maturidadedo senso moral, maturidade que independe da idade e dograu de instrução, porque é peculiar ao desenvolvimento,em sentido especial, do Espírito encarnado.O Evangelho Segundo o Espiritismo – cap. XVII – item 4QUARTA PARTE: ESTUDO
  17. 17.  Qual a importância do estudo para oprogresso da Doutrina Espírita? Sem estudo, não há Doutrina Espírita. “(...)cabe-nos o dever de mergulhar opensamento nas fontes lustrais doconhecimento, a fim de entendermos osquesitos preciosos da existência,simultaneamente as leis preponderantes dacausalidade (...)” – Joanna de ÂngelisQUARTA PARTE: ESTUDO
  18. 18. 4.4 – O ESTUDO NA PRÁTICA MEDIÚNICACom relação à prática mediúnica, houve umcuidado do mestre lionês em sinalizar asvantagens do estudo?(...) admite-se que muito enganado encontra-seaquele que admitisse que para se tornar peritoem Espiritismo bastaria colocar os dedos sobreuma mesa e fazê-la movimentar-se. (...) comoas demais ciências, não se pode aprender oEspiritismo brincando. (...) deve-se proceder aoestudo da teoria antes de praticar.QUARTA PARTE: ESTUDO
  19. 19. O estudo poderá ser realizado na reuniãomediúnica, na fase preparatória queantecede à do intercâmbio mediúnico?Não nos parece apropriado para o momento.As pessoas que chegam precisam dequietude, de estarem em silêncio, orando emeditando. O estudo, é atividade que,naturalmente, excita a mente, principalmentese realizado em grupo(...).QUARTA PARTE: ESTUDO
  20. 20.  Estudar, pois, é atitude essencial à vida .Estudar de todas as formas ao alcance:lendo, ouvindo, refletindo, meditando einteragindo com as pessoas, com aNatureza, consigo mesmo, aproveitandoessa maravilhosa viagem da evolução,minuto a minuto, com a consciênciaatenta para reter o que Deus tem paranos ofertar.QUARTA PARTE: ESTUDO
  21. 21.  Já diz um provérbio chinês:Há três tipos depessoas no mundo: Osque não sabem e nãoperguntam, os quesabem e não ensinam e

×