São tomé e príncipe

2,715 views

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,715
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
67
Actions
Shares
0
Downloads
42
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

São tomé e príncipe

  1. 1. Trabalho de Língua Portuguesa São Tomé e Príncipe
  2. 2. Hino de São Tomé e Príncipe  Independência total, Glorioso canto do povo, Independência total, Hino sagrado de combate. Dinamismo Na luta nacional, Juramento eterno No país soberano de São Tomé e Príncipe.  Guerrilheiro da guerra sem armas na mão, Chama viva na alma do povo, Congregando os filhos das ilhas Em redor da Pátria Imortal. Independência total, total e completa, Costruíndo, no progresso e na paz, A nação ditosa da Terra, Com os braços heroicos do povo.  Independência total, Glorioso canto do povo, Independência total, Hino sagrado de combate. Trabalhando, lutando, presente em vencendo, Caminhamos a passos gigantes Na cruzada dos povos africanos, Hasteando a bandeira nacional. Voz do povo, presente, presente em conjunto, Vibra rijo no coro da esperança Ser herói no hora do perigo, Ser herói no ressurgir do País.  Independência total, Glorioso canto do povo, Independência total, Hino sagrado de combate. Dinamismo Na luta nacional, Juramento eterno No país soberano de São Tomé e Príncipe.
  3. 3. História de São Tomé e Príncipe.  São Tomé e Príncipe foi descoberto e colonizado por Portugal no final do século XV . O Português começou com o uso de trabalho escravo para produzir açúcar nas ilhas e em meados da década de 1500 a África foi o maior exportador de açúcar. No setor do açúcar do século 19 , foi substituído por plantações de café e cacau nas (roças) detidas por grandes empresas Portuguesas .Em 1908 São Tomé e Príncipe tornou- se o maior produtor mundial de cacau, que ainda é a cultura mais importante do país. Mesmo que Portugal oficialmente aboliu a escravidão em 1876, o sistema de roças continuou no século 20. Isso levou a um surto de rebeliões em 1953 o "Massacre de Batepa", onde muitos trabalhadores foram mortos em confronto com os seus governantes Portugueses. Quando o ditador Português Marcelo Caetano foi derrubado na Revolução dos Cravos em 1974, Portugal comprometeu-se a dissolver as suas colónias ultramarinas, em São Tomé e Príncipe, o partido MLSTP (Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe) negociou com a autoridade de Português e elaborou um acordo para a transferência de soberania. São Tomé e Príncipe conseguiu a independência em 12 de Julho de 1975. Com a implantação do sistema multipartidário em 1991,realizou-se em São Tomé e Príncipe a primeira eleição justa e democrática.
  4. 4. Culturas  A riqueza cultural de São Tomé e Príncipe tem origem na miscigenação entre portugueses e nativos oriundos da costa do Golfo da Guiné, Angola, Cabo Verde e Moçambique.  A riqueza arquitetônica é reconhecida, são disso exemplo a fortaleza de São Sebastião, a catedral de São Sebastião ou a catedral da Santa Sé (Igreja da Sé. As manifestações religiosas, com origem na Igreja Católica, e as manifestações pagãs animam ruas e pessoas. Os contributos culturais vêm também da pintura, escultura e artesanato e também da dança - Socopé (só com o pé), a Ússua, Puita, Danço- Congo, Bligá, Stleva, entre outras -, e encenações - o Tchiloli, Auto de Floripes.
  5. 5. Religião  As manifestações religiosas são imensamente complexas. Elas têm origem nos mais variados credos, pois se atendermos a gama de indivíduos de varias origens, vindos para São Tomé e Príncipe, facilmente se encontra a explicação deste fato. Religião Aproximadamente % Católicos   70% Evangéli cos   3% Outras (Cristãs)   4% Outras (não- Cristãs)   3% Não religiosos   19%
  6. 6. Danças...  Tal como em todo o continente africano, a dança é parte integrante da cultura são- tomense. Ao longo do ano, as danças animam as festas, os rituais e as manifestações. Os costumes, os cantos, as saudações marcam a originalidade de cada dança.  Ússua:Nasceu no início do século XX, sendo uma dança praticada pelos "filhos da terra" de inspiração europeia: pas-des-lanciers, pas-de-quatre e minuete orquestra era composta a base de instrumentos europeus (acordeões) e africanos (tambores). É uma dança de salão das "roças" que foi ensinada às crianças nas escolas até à década de ‘60. No entanto, ela continua a ser dançada em diversas ocasiões para apresentações públicas.
  7. 7.  Socopé: É uma dança de origem africana ritmo síncope, sensualidade, os textos criticam os acontecimentos nas comunidades. Etimologicamente, é uma dança que se dança "só com os pés". É mundana, nascida sem dúvida no Brasil no fim do século XVII e trazida a Portugal pela Corte que estava refugiada no Rio de Janeiro.Tivera sido introduzida em São Tomé e Príncipe no início do século XIX. Reúne todas as camadas sociais e todos os grupos étnicos. A orquestra é mais africana  Puita  A puita e o semba designam a mesma dança. O semba foi introduzido pelos angolanos, deriva do caduque que era dançado em Luanda. A diferença é que o semba não venera os mortos como o caduque. O seu nome provém de um instrumento de música, uma flauta em bambú, denominada puita. Dança proibida na época colonial pelo seu caráter erótico, ela venera os defuntos.  A tradição diz que no trigésimo dia depois da morte do defunto, uma festa seja organizada em sua honra pela sua saúde no outro mundo: come-se, bebe- se, dança-se. Ao amanhecer uma missa em honra do defunto põe fim festa.
  8. 8.  "Dança-Congo"  É a dança mais popular e a mais africana. Ela é praticada pelos Angolanos que ficaram muito tempo fechados às influências europeias. É uma dança violenta, muito ritmada que mobiliza todo o corpo. Foi também proibida na época colonial e pouco apreciada pelos "filhos da terra". Encena uns trinta dançarinos sob a orientação de um capitão acompanhado do "logoso do anso mole" (anjo da guarda da roça que morre), de dois "anso canta" (anjos cantores), de dois "pé-pau" (dançarinos em andas), de quatro doidos, de um feiticeiro, de um "zugozugo" (ajudante feiticeiro), de um "djabo" (diabo), de quatro tocadores de tambor, o resto dança tocando cansas. Os trajos são muito coloridos, sarapintados, o feiticeiro, o seu ajudante e o diabo usam disfarces terrificantes, outros usam grandes chapéus. O tema do cenário é a herança de uma roça onde a estupidez e a fragilidade caracterizam os proprietários brancos das roças enquanto que a força, a bravura caracterizam os Angolanos.
  9. 9. Música São Tomé e Príncipe é um país insular da costa da África.Culturalmente, as pessoas são Africanos, mas foram altamente influenciados pelos portugueses governantes das ilhas. Kizomba é um dos gêneros mais populares de dança e música originária de Angola. É um derivado do tradicional angolano semba , com uma mistura de zouk estilos do Caribe francês e cabo-verdiano ilhas, e cantada geralmente em Português. É música com um fluxo romântico. Foi o Kimbundu nome para uma dança em Angola, já em 1894. O estilo de dança Kizomba também é conhecido por ser muito sensual. Música Popular Os padrinhos da música popular de São Tomé e Príncipe foi a banda Leoninos, que foi fundada em 1959 por Quintero Aguiar. O grupo era conhecido como porta-vozes do povo de São Tomé e Príncipe, e foram campeões de sua cultura. A banda Leoninos foi proibida pela estação de rádio Português depois que ele lançou "Ngandu", que criticou os colonialistas portugueses.
  10. 10.  A banda Leoninos se separaram em 1965, mas foram seguidos por Os Úntués , liderado por Leonel Aguiar , que acrescentou Americana, Argentina, Congo e cubana influências musicais, e introduziu a guitarra elétrica e outras inovações.  A música popular das ilhas começaram a se diversificar, como bandas como Quibanzas e África Negra.  Entre esses grupos era Mindelo, que fundiu os ritmos São Tomé e Príncipe com rebita, um estilo angolano, para formar puxa.  Na última parte do século 20, compositores como Zarco e Manjelegua encontrou um público doméstico, e São Tomé e Príncipe-portugueses músicos como Juka e Açoreano estabeleceu uma Lisboa cena baseada. Kizomba é um dos gêneros mais populares de dança e música originária de Angola.  É um derivado do tradicional angolano semba , com uma mistura de zouk estilos do Caribe francês e cabo- verdiano ilhas, e cantada geralmente em Português.  É música com um fluxo romântico. Foi o Kimbundu nome para uma dança em Angola, já em 1894. O estilo de dança Kizomba também é conhecido por ser muito sensual.
  11. 11. Pintura  A arte de São Tomé e Príncipe representa os usos e costumes das tribos africanas. O objeto de arte é funcional e expressam muita sensibilidade. Nas pinturas, assim como nas esculturas, a presença da figura humana identifica a preocupação com os valores étnicos, morais e religiosos.
  12. 12. Escultura  A escultura foi uma forma de arte muito utilizada pelos artistas usando- se o ouro, bronze e marfim como matéria prima. Representando um disfarce para a incorporação dos espíritos e a possibilidade de adquirir forças mágicas, as máscaras têm um significado místico e importante na arte sendo usadas nos rituais e funerais. As máscaras são confeccionadas em barro, marfim, metais, mas o material mais utilizado é a madeira. Para estabelecer a purificação e a ligação com a entidade sagrada, são modeladas em segredo na selva.
  13. 13. Culinária  Dispondo de vasta extensão marítima, é natural que o peixe seja um elemento proeminente na cozinha são-tomense. Os peixes são normalmente muito frescos o que os torna mais saborosos. Para os apreciadores de mariscos, a lagosta, a santola, o búzio, o polvo e o choco são muito apreciados.  Por outro lado, a existência de terras férteis e vegetais em abundância conferem um sabor especial a culinária são-tomense. A banana é confeccionada de várias formas, cozida, frita ou assada acompanhada de legumes com o peixe cozido ou grelhado. O calulú, prato tradicional muito apreciado por famílias são-tomenses que assemelha-se a uma sopa com peixe seco ou carne, serve-se acompanhado de puré de banana ou de arroz cozido. De uma forma geral, a cozinha são-tomense é rica e com elevado valor nutritivo em proteína animal e vegetal.  A herança cultural são-tomense também está patente na gastronomia, através de pratos com
  14. 14. Calulu  É um prato típico de Angola e de São Tomé e Príncipe.Pode ser confeccionado com peixe seco e fresco ou com carne seca.  Em Angola, o calulu de peixe é preparado numa panela, na qual se intercalam camadas de peixe seco e de peixe fresco, com os demais ingredientes. É cozido em lume médio e servido com funge e feijão com oléo de palma. Em São Tomé e Príncipe, o calulu de peixe pode ser preparado também com camarão.  O calulu de carne é preparado com carne seca previamente demolhada. É também cozido em lume médio e servido com funge e feijão com oléo de palma.
  15. 15. Demografia  São Tomé e Príncipe, oficialmente República Democrática de São Tomé e Príncipe, é um estado insular localizado no Golfo da Guiné, composto por duas ilhas principais e várias ilhotas, num total de 1001 km², com cerca de 160 mil habitantes. Capital São Tomé  Língua oficial: Português  Moeda : Dobra.  Governo: República semipresidencialista  - Presidente: Manuel Pinto da Costa  Área - Total: 1.001 km² (183.º)  População – (Censo 2012): 187.3561 hab.  - Urbana: 58 hab. (188.º)  - Densidade: 156,84 hab./km² (65.º)  PIB (base PPC) (Estimativa de 2006)  - Total: US$ 214 milhões (218.º)  - Per capita: US$ 1.266 (205.º)  IDH (2010): 0,5252 (144.º) – baixo
  16. 16. Estudantes: Agnes Lavínia, Cindiany e Eloisa Jesus.

×