Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Hepatite b atualizacao terapeutica residencia infectologia unesp 2017

407 views

Published on

Hepatite b atualizacao terapeutica residencia infectologia unesp 2017

Published in: Health & Medicine
  • Be the first to comment

Hepatite b atualizacao terapeutica residencia infectologia unesp 2017

  1. 1. Alexandre Naime Barbosa MD, PhD Professor Doutor - Infectologia Preceptoria Residência Infectologia UNESP - Faculdade de Medicina Jan/2017 - Botucatu - SP - Brasil
  2. 2. O material que se segue faz parte do projeto didático do Prof. Dr. Alexandre Naime Barbosa Objetivos 1. Ensino: Treinamento de Estudantes e Profissionais da Área de Saúde; 2. Extensão: Facilitar o Contato da População em Geral com Conceitos Científicos; 3. Científico: Fomentar a Discussão Científica e Compartilhar Material Didático. Autoria e Cessão 1. Conteúdo: Os dados contidos estão referenciados, em respeito ao autor original; 2. Uso: Está permitido o uso do material, desde que citada a fonte; 3. Contato: fale com o autor e conheça o seu projeto didático em:
  3. 3. Passo 1: Identificar a infecção crônica pelo VHB - AgHBs (+) > 6 meses (5 a 10%, acima do 2º ano de vida) - Anti-HBc: marcador de exposição, contato - Anti-HBs: marcador de imunidade, resolução CDC, 2003 Resolução Espontânea Cronificação
  4. 4. Passo 2: Monitorar marcadores inflamatórios e de replicação - ALT e HVB-DNA (Carga viral - VHB)
  5. 5. Passo 2: Monitorar marcadores inflamatórios e de replicação - ALT e HVB-DNA (Carga viral - VHB)
  6. 6. Passo 2: Monitorar marcadores inflamatórios e de replicação - ALT e HVB-DNA (Carga viral - VHB)
  7. 7. Passo 2: Monitorar marcadores inflamatórios e de replicação - ALT e HVB-DNA (Carga viral - VHB)
  8. 8. Interpretação AgHBs AgHBe AntiHBc AntiHBc IgM AntiHBe AntiHBs ALT DNA-VHB (UI/ml) Infecção Aguda (+) (+) (+) (+) (-) (-) ↑↑↑↑↑ ↑↑↑↑↑ HVB Pregressa (-) (-) (+) (-) (+) (+) nl Negativo Vacinação (-) (-) (-) (-) (-) (+) nl Negativo Anti-HBc Isolado/ Infecção Oculta (-) (-) (+) (-) (-) (-) nl Negativo ou Muito Baixo Imunotolerante (+) (+) (+) (-) (+) (-) nl ↑↑↑↑↑ Imunorreativos (+) (+) (+) (-) (-) (-) ↑/nl ↑↑ Portador Crônico Inativo (+) (-) (+) (-) (+) (-) nl < 200 (baixa) Mutantes Pré-Core ou Core Promoter (+) (-) (+) (-) (+/-) (-) ↑ > 2.000 Passo 1: Identificar a infecção crônica pelo VHB Passo 2: Monitorar marcadores inflamatórios e de replicação (ALT e CV VHB)
  9. 9. Passo 3: Seguimento de ALT, CV VHB e Estadiamento de Fibrose nos Perfis Abaixo - Monitorar: Portadores Inativos, Imunotolerantes e Infecção Oculta à cada 6 meses - Tratar: Imunorreativos e Mutantes Pré-Core Interpretação AgHBs AgHBe AntiHBc AntiHBc IgM AntiHBe AntiHBs ALT DNA-VHB (UI/ml) Anti-HBc Isolado/ Infecção Oculta (-) (-) (+) (-) (-) (-) nl Negativo ou Muito Baixo Imunotolerante (+) (+) (+) (-) (+) (-) nl ↑↑↑↑↑ Imunorreativos (+) (+) (+) (-) (-) (-) ↑/nl ↑↑ Portador Crônico Inativo (+) (-) (+) (-) (+) (-) nl < 200 (baixa) Mutantes Pré-Core ou Core Promoter (+) (-) (+) (-) (+/-) (-) ↑ > 2.000
  10. 10. Passo 4: Tratar - AgHBe + com ALT > 2x LSN ou Idade > 30 anos - AgHBe - com ALT > 2x LSN e CV VHB > 2.000 UI/ml - Cirrose ou Insuficiência Hepática - Biópsia hepática* METAVIR ≥ A2F2 ou Elastografia Hepática* > 7,0 kPa *quando disponível , sempre que possível (AgHBe -, CV VHB 200 - 2.000) - Coinfecção HVB/HIV ou HVB/HVC - História familiar de CHC - Manifestações extra-hepáticas - Hepatite aguda grave (coagulopatias ou icterícia por mais de 14 dias) - Reativação de infecção prévia imunologicamente resolvida - Prevenção de reativação viral em pacientes de IMSS ou QT
  11. 11. Objetivos Ideal: AgHBs => Anti-HBs: raro (7%) AgHBe (+) → (-): difícil (32%) Pragmático: Diminuir a progressão do dano hepático - supressão da replicação viral - ALT: normalizar - CV DNA VHB: supressão sustentada
  12. 12.  Todos VHB+ são candidatos ao tratamento -> Quando não tratar?  Lembrar: viremia, inflamação, fibrose e fatores prognósticos  Lembrar: MEH, coinfecções, imunossupressão, fase aguda  TDF e ETV: alta eficácia, mas longa duração  INF-Peg: curta duração, mas baixa eficácia  Reduzir CV VHB e ALT: fundamental  Imunossupressão: testar para VHB  CV VHB ↑: Transmissão vertical ↑
  13. 13. Obrigado pela Atenção! SAE de Infectologia HC UNESP Botucatu Faculdade de Medicina UNESP

×