Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Técnicas de registo áudio

1,545 views

Published on

Técnicas de registo áudio

Published in: Education
  • Be the first to comment

Técnicas de registo áudio

  1. 1. TÉCNICAS DE REGISTO ÁUDIO Bruno Ferreira Catarina Loureiro Itelvina Semedo
  2. 2. ESTÚDIO Um estúdio de gravação é uma instalação física destinada à gravação de som. Idealmente, o espaço é projectado de forma a obter as propriedades acústicas desejadas — difusão sonora, baixo nível de reflexões, reverberação adequada, etc. *Reverberação é um efeito físico gerado pelo som, é a reflexão múltipla de uma frequência.
  3. 3. ESTÚDIO Diferentes tipos de estúdios que se adequam a gravações de bandas e artistas, dobragens e sons para filmes, até mesmo a gravação de uma orquestra. Um estúdio de gravação típico consiste em uma sala, o "estúdio" propriamente dito, onde os instrumentistas e vocalistas fazem as suas execuções; e a "sala de controle", onde estão os equipamentos de gravação e manipulação do som.
  4. 4. ESTÚDIO Geralmente existem salas menores chamadas "cabines de isolamento", que acolhem os instrumentos altos como uma bateria ou amplificadores de guitarra, de modo a isolá-los da captação dos microfones que capturam o som dos outros instrumentos ou vocalistas
  5. 5. EXTERIOR No Homem, a associação entre som e imagem é, desde muito cedo, estabelecida a partir do contacto com o meio exterior e «naturalizada» pela aprendizagem. Quando a técnica somente permite reproduzir a ilusão do movimento visual, como na época do cinema mudo, nem por isso a componente acústica deixa de estar presente nas salas de projecção.
  6. 6. EXTERIOR A matéria sonora é de tal modo expressiva, variada, plástica, que transforma qualitativamente a experiência sensorial e cognitiva dos espectadores. Na era dos multimédia, o estudo dos modos artificiais de organização de imagem e de som adquire grande importância, mobilizando a atenção de diversificadas áreas científicas, artísticas e profissionais.
  7. 7. EXTERIOR O método Exterior engloba diferentes subsistemas e códigos, que se harmonizam mediante a transformação técnico-retórica. Após a identificação dos subsistemas constituintes, a nossa atenção recai, naturalmente, sobre vários aspectos relacionados com o subsistema sonoro: percepção auditiva e mecanismos de escuta, destacando o papel da aprendizagem no reconhecimento das formas acústicas.
  8. 8. EXTERIOR Funcionalidade dos componentes - palavra, música, sons - e manipulação técnico-retórica; relações contraídas pelos subsistemas expressivos. Como conclusão, reafirma-se o conceito de sistema audiovisual como superação qualitativa dos seus componentes.
  9. 9. VOZ-OFF A locução em voz off deverá ser efectuada em simultâneo com a gravação vídeo, caso contrário seremos confrontados com outro tipo de problemas que o equipamento amador muito dificilmente conseguirá resolver. Um aspecto a observar é o de que nunca se deve cortar um discurso a meio, mesmo que se pretenda continuá-lo posteriormente. Torna pouco perceptível a lógica da mensagem e pode provocar um desagradável efeito no espectador.
  10. 10. SINCRONISMO ÁUDIO/VÍDEO Áudio para sincronização de vídeo refere-se à relação tempo de áudio (som) e vídeo (imagem) peças durante a criação, produção, pós (mistura), transmissão , recepção e processamento de play-back. Quando o som do vídeo têm um timing relacionados causa e efeito , AV-sync pode ser um problema em televisão , videoconferência , ou filme .
  11. 11. SINCRONISMO ÁUDIO/VÍDEO Digital ou analógica de áudio e vídeo ou arquivos de vídeo geralmente contém algum tipo de sincronismo AV, sincronização explícita, quer sob a forma de vídeo entrelaçado e dados de áudio ou explícito em relação ao tempo de tratamento de dados.
  12. 12. SONOPLASTIA Sonoplastia é todo tipo de ruído ambiente, tiros, tombos, animais e até gritos, existem até CDs só de sonoplastia. O registo em vídeo é interessante à medida que libera o pesquisador da conquista contínua dos dados, que são, inevitavelmente, incompletos, e permitem a mistura entre os comportamentos verbais, posturais e outros.
  13. 13. SONOPLASTIA Os registos em vídeo permitem recuperar inúmeras informações interessantes nos processos de validação dos dados pelos operadores. Essa técnica, entretanto, está relacionada a uma etapa importante de tratamento de dados, assim como de toda preparação inicial para a contribuição de dados (ambientação dos operadores), e uma filtragem dos períodos observáveis e dos operadores que participarão dos registos. Alguns indicadores podem ser observados para melhor estudo da situação de trabalho (postura, exploração visual, deslocamentos etc).

×