Universidade do Algarve – Instituto Superior de Engenharia<br />Mestrado em Engenharia Civil<br />Ordenamento e Gestão do ...
MUNICÍPIO DE ALCOUTIM<br /><ul><li>Vila portuguesa, distrito de Faro, e região e sub-região do Algarve
Até à divisão administrativa, em 1832, pertencia à província do Alentejo.
Município com 576,57 km² de área e 3 272 habitantes (2006) subdividido em 5 freguesias. </li></ul>O município é limitado:<...
A leste pela Espanha
 A sueste por Castro Marim,
Asudoeste por Tavira
Oeste por Loulé  e Almodôvar.</li></ul>2<br />Enquadramento Regional e Nacional<br />
3<br />
4<br />
5<br />
6<br />Actividades e Estimativas de População<br />
7<br />Actividades e Estimativas de População<br />
8<br />Actividades e Estimativas de População<br />
Evolução Populacional no País, na Região e no Concelho<br />9<br />Actividades e Estimativas de População<br />
População, Povoamento e Sistema Urbano<br /><ul><li>População com mais de 65 anos entre 215-240 %0
Densidade populacional entre 6-20hab/km2
Povoamento e eixos interiores com área crítica
Baixa população residente</li></ul>10<br />Organização , Tendências e Desempenho<br />
11<br />
12<br />
13<br />
Recursos Naturais e Sustentabilidade Ambiental<br />Conservação da Natureza e Valorização Ambiental<br /><ul><li>Rede Natu...
NUTS </li></ul>Recursos Hídricos e Política da Água<br /><ul><li>Plano da Bacia Hidrográfica do Guadiana</li></ul>Protecçã...
15<br />
16<br />
17<br />
18<br />
19<br />
20<br />
21<br />
22<br />
23<br />
24<br />
25<br />
26<br />
27<br />
28<br />
29<br />
30<br />
31<br />
32<br />
33<br />
34<br />
35<br />
36<br />
37<br />
38<br />
39<br />
40<br />
41<br />
42<br />
43<br />
44<br />
45<br />
Uso do Solo e Ordenamento Agrícola e Florestal<br />Evolução da ocupação e uso do solo<br /><ul><li>Áreas agrícolas
Povoamentos florestais
Outros espaços florestais e semi-naturais</li></ul>Agricultura e ordenamento dos espaços rurais<br /><ul><li>Território so...
47<br />
48<br />
49<br />
50<br />
51<br />
52<br />
Economia, Emprego e Competitividade dos Territórios<br /><ul><li>PIB a preços de mercado per capita entre 5862-8500
População activa e empregada no sector terciário >70%
Sem dormidas em estabelecimentos hoteleiros</li></ul>53<br />Organização , Tendências e Desempenho<br />
Infra-Estruturas e Equipamentos Colectivos<br />Abastecimento de água, saneamento básico e tratamento de resíduos e efluen...
Estrada Regional
Estrada Municipal
Alojamentos com ligação à rede por cabo entre 50-75%</li></ul>54<br />Organização , Tendências e Desempenho<br />
Infra-Estruturas e Equipamentos Colectivos<br />Redes de Educação pré-escolar e do ensino básico, secundário e superior<br...
56<br />
57<br />
58<br />
59<br />
60<br />
61<br />
62<br />
63<br />
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Apresentação Alcoutim 31 de Maio de 2010

764 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
764
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
10
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apresentação Alcoutim 31 de Maio de 2010

  1. 1. Universidade do Algarve – Instituto Superior de Engenharia<br />Mestrado em Engenharia Civil<br />Ordenamento e Gestão do Território <br />2.º Ciclo – 1.º Ano - 2.º Semestre – 2009/2010<br />Avaliação de um Plano Director Municipal<br /><ul><li>Enquadramento Regional e Nacional –</li></ul>Município de Alcoutim<br />Discentes:<br />Ana Jesus n.º 6693<br />Bruno Pires n.º 6983<br />Nuno Pontes n.º 7029<br />Soraia Fernandes Farinha n.º 6648<br />31 de Maio de 2010<br />1<br />
  2. 2. MUNICÍPIO DE ALCOUTIM<br /><ul><li>Vila portuguesa, distrito de Faro, e região e sub-região do Algarve
  3. 3. Até à divisão administrativa, em 1832, pertencia à província do Alentejo.
  4. 4. Município com 576,57 km² de área e 3 272 habitantes (2006) subdividido em 5 freguesias. </li></ul>O município é limitado:<br /><ul><li>A norte pelo município de Mértola
  5. 5. A leste pela Espanha
  6. 6. A sueste por Castro Marim,
  7. 7. Asudoeste por Tavira
  8. 8. Oeste por Loulé e Almodôvar.</li></ul>2<br />Enquadramento Regional e Nacional<br />
  9. 9. 3<br />
  10. 10. 4<br />
  11. 11. 5<br />
  12. 12. 6<br />Actividades e Estimativas de População<br />
  13. 13. 7<br />Actividades e Estimativas de População<br />
  14. 14. 8<br />Actividades e Estimativas de População<br />
  15. 15. Evolução Populacional no País, na Região e no Concelho<br />9<br />Actividades e Estimativas de População<br />
  16. 16. População, Povoamento e Sistema Urbano<br /><ul><li>População com mais de 65 anos entre 215-240 %0
  17. 17. Densidade populacional entre 6-20hab/km2
  18. 18. Povoamento e eixos interiores com área crítica
  19. 19. Baixa população residente</li></ul>10<br />Organização , Tendências e Desempenho<br />
  20. 20. 11<br />
  21. 21. 12<br />
  22. 22. 13<br />
  23. 23. Recursos Naturais e Sustentabilidade Ambiental<br />Conservação da Natureza e Valorização Ambiental<br /><ul><li>Rede Natura 2000 e Rede Nacional de Áreas Protegidas
  24. 24. NUTS </li></ul>Recursos Hídricos e Política da Água<br /><ul><li>Plano da Bacia Hidrográfica do Guadiana</li></ul>Protecção e Valorização da Zona Costeira<br />Energia e Alterações Climáticas<br /><ul><li>Baixo consumo total de electricidade</li></ul>Recursos Geológicos<br /><ul><li>Escassos e não renováveis</li></ul>14<br />Organização , Tendências e Desempenho<br />
  25. 25. 15<br />
  26. 26. 16<br />
  27. 27. 17<br />
  28. 28. 18<br />
  29. 29. 19<br />
  30. 30. 20<br />
  31. 31. 21<br />
  32. 32. 22<br />
  33. 33. 23<br />
  34. 34. 24<br />
  35. 35. 25<br />
  36. 36. 26<br />
  37. 37. 27<br />
  38. 38. 28<br />
  39. 39. 29<br />
  40. 40. 30<br />
  41. 41. 31<br />
  42. 42. 32<br />
  43. 43. 33<br />
  44. 44. 34<br />
  45. 45. 35<br />
  46. 46. 36<br />
  47. 47. 37<br />
  48. 48. 38<br />
  49. 49. 39<br />
  50. 50. 40<br />
  51. 51. 41<br />
  52. 52. 42<br />
  53. 53. 43<br />
  54. 54. 44<br />
  55. 55. 45<br />
  56. 56. Uso do Solo e Ordenamento Agrícola e Florestal<br />Evolução da ocupação e uso do solo<br /><ul><li>Áreas agrícolas
  57. 57. Povoamentos florestais
  58. 58. Outros espaços florestais e semi-naturais</li></ul>Agricultura e ordenamento dos espaços rurais<br /><ul><li>Território socialmente fragilizado e com predomínio de espaços florestais </li></ul>46<br />Organização , Tendências e Desempenho<br />
  59. 59. 47<br />
  60. 60. 48<br />
  61. 61. 49<br />
  62. 62. 50<br />
  63. 63. 51<br />
  64. 64. 52<br />
  65. 65. Economia, Emprego e Competitividade dos Territórios<br /><ul><li>PIB a preços de mercado per capita entre 5862-8500
  66. 66. População activa e empregada no sector terciário >70%
  67. 67. Sem dormidas em estabelecimentos hoteleiros</li></ul>53<br />Organização , Tendências e Desempenho<br />
  68. 68. Infra-Estruturas e Equipamentos Colectivos<br />Abastecimento de água, saneamento básico e tratamento de resíduos e efluentes<br /><ul><li>População servida pelo sistema de recolha de resíduos 98-100%</li></ul>Redes de transporte e logística<br /><ul><li>Itinerário Complementar
  69. 69. Estrada Regional
  70. 70. Estrada Municipal
  71. 71. Alojamentos com ligação à rede por cabo entre 50-75%</li></ul>54<br />Organização , Tendências e Desempenho<br />
  72. 72. Infra-Estruturas e Equipamentos Colectivos<br />Redes de Educação pré-escolar e do ensino básico, secundário e superior<br /><ul><li>Taxa de analfabetismo >13%</li></ul>Redes de Educação pré-escolar e do ensino básico, secundário e superior<br /><ul><li>10-19 Propostas de ofertas de equipamentos de apoio à população idosa</li></ul>Equipamentos Desportivos<br /><ul><li>5,5-11,5m2/hab. De cobertura da área desportiva</li></ul>55<br />Organização , Tendências e Desempenho<br />
  73. 73. 56<br />
  74. 74. 57<br />
  75. 75. 58<br />
  76. 76. 59<br />
  77. 77. 60<br />
  78. 78. 61<br />
  79. 79. 62<br />
  80. 80. 63<br />
  81. 81. 64<br />
  82. 82. 65<br />
  83. 83. 66<br />
  84. 84. Paisagem, património cultural e arquitectura<br />Paisagem<br /><ul><li>Tendência de abandono e mau ordenamento dos espaços agrícolas e florestais</li></ul>Património Cultural<br /><ul><li>Baixo n.º de elementos de património cultural</li></ul>67<br />Organização , Tendências e Desempenho<br />
  85. 85. 68<br />
  86. 86. 69<br />
  87. 87. 70<br />
  88. 88. <ul><li>O Algarve aspira a situar-se em 2030 entre as regiões mais desenvolvidas da Europa, isto é acima da média da União Europeia em termos de PIB per capita
  89. 89. A diversificação e qualificação dos produtos turísticos, estreitamente associada à valorização dos recursos ambientais e patrimoniais
  90. 90. A recuperação do papel exportador da agricultura, pescas e indústria e a integração destes sectores na cadeia de fornecimentos à procura turística
  91. 91. Os padrões de desenvolvimento a atingir deverão garantir a sustentabilidade dos recursos naturais da região</li></ul>71<br />Visões<br />
  92. 92. <ul><li>Aprofundar a cooperação transfronteiriça para a valorização do Guadiana e a estruturação do sistema urbano da fronteira;
  93. 93. Valorizar as relações com o Alentejo, explorando complementaridades e sinergias
  94. 94. Garantir níveis elevados de protecção dos valores ambientais e paisagísticos e preservar os factores naturais e territoriais;
  95. 95. Proteger e valorizar o património cultural e estruturar uma rede regional de equipamentos tendo em vista o desenvolvimento de uma base relevante de actividades culturais;
  96. 96. Reforçar a coesão territorial e a valorização integrada de todos os territórios;
  97. 97. Proteger os espaços agrícolas, incluindo as culturas tradicionais, as áreas beneficiadas por aproveitamentos hidroagrícolas e de emparcelamento rural;
  98. 98. Aproveitar de forma sustentável os recursos hídricos da região e garantir a qualidade da água;</li></ul>72<br />Opções Estratégicas<br />
  99. 99. <ul><li>Aprofundar a cooperação transfronteiriça para a valorização do Guadiana e a estruturação do sistema urbano da fronteira;
  100. 100. Valorizar as relações com o Alentejo, explorando complementaridades e sinergias
  101. 101. Garantir níveis elevados de protecção dos valores ambientais e paisagísticos e preservar os factores naturais e territoriais;
  102. 102. Proteger e valorizar o património cultural e estruturar uma rede regional de equipamentos tendo em vista o desenvolvimento de uma base relevante de actividades culturais;
  103. 103. Reforçar a coesão territorial e a valorização integrada de todos os territórios;
  104. 104. Proteger os espaços agrícolas, incluindo as culturas tradicionais, as áreas beneficiadas por aproveitamentos hidroagrícolas e de emparcelamento rural;
  105. 105. Aproveitar de forma sustentável os recursos hídricos da região e garantir a qualidade da água;</li></ul>73<br />Medidas Prioritárias<br />
  106. 106. 74<br />Medidas Prioritárias<br />
  107. 107. <ul><li>Valorização do eixo de articulação designado “Eixo Transversal Serrano”, nomeadamente respeitante a acessibilidades, equipamentos colectivos e serviços de apoio à população e às empresas
  108. 108. Plano Estratégico da Rota das Ribeiras
  109. 109. Programa de requalificação, valorização e dinamização da rede de Aldeias do Algarve e centros urbanos das unidades territoriais da Serra, Guadiana e Costa Vicentina
  110. 110. Criação da rede de parques empresariais e de logísticas municipais
  111. 111. Estabelecimento de relações frutuosas com os espaços rurais
  112. 112. Definição de novos modelos de edificabilidade adequados aos territórios do interior</li></ul>75<br />Propostas de rede urbana e de infraestrutras com reflexo directo ou indirecto no concelho<br />
  113. 113. Critérios ou directrizes para a organização de espaços ou ocorrências naturais<br /><ul><li>Promover a interligação das várias áreas classificadas, através de corredores ecológicos
  114. 114. Criar áreas protegidas de carácter regional e local, da iniciativa das autarquias locais, onde sejam salvaguardados os valores naturais com especificidade regional
  115. 115. Articular objectivos de conservação da natureza com as políticas de desenvolvimento rural
  116. 116. Criar e fomentar mecanismos para a gestão da floresta
  117. 117. Conservação e Valorização dos recursos naturais e respectivo aproveitamento económico </li></ul>76<br />
  118. 118. Critérios ou directrizes para a organização de recursos hidrícos<br /><ul><li>Protecção e valorização da rede hidrográfica e das zonas ribeirinhas
  119. 119. Promoção e qualidade das massas de água
  120. 120. Salvaguarda e protecção de aquíferos
  121. 121. Garantia de origens de água fiáveis</li></ul>77<br />
  122. 122. 78<br />
  123. 123. 79<br />
  124. 124. 80<br />

×