Successfully reported this slideshow.
A I G R E J A D E J E S U S C R I S T O D O S S A N T O S D O S Ú LT I M O S D I A S • M A R Ç O D E 2 0 11Ele Pode CurarT...
Segurar a Barra de Ferro, de Louise Parker   Ao pintar uma mulher que segura fir-          E vi também um caminho estreito...
A Liahona, Março de 2011                                                                                                  ...
JOVENS ADULTOS                                 JOVENS                             CRIANÇAS                                ...
Mais na InternetMARÇO DE 2011 VOL. 64 Nº 3A LIAHONA 09683 059Revista Oficial em Português de A Igreja deJesus Cristo dos S...
MARÇO DE 2011 VOL. 64 Nº 3                A LIAHONA 09683 059                Revista Oficial em Português de A Igreja de  ...
MENSAGEM DA PRIMEIR A PRESIDÊNCIA                                                                                         ...
ENSINAR USANDO ESTA MENSAGEM                                                                          “Você talvez ache qu...
JOVENS    O Lado Bom de uma Mordida de Cachorro    Tara Stringham    N    o meio do ano de 2009, fui mordida no rosto por ...
M E N S AG E M DA S P R O F E S S O R A S V I S I TA N T E S                                        Sob o Sacerdócio e Seg...
Coisas Pequenas e Simples    “É por meio de coisas pequenas e simples que as     grandes são realizadas” (Alma 37:6).     ...
Até que Ponto Você ConheceNossos Líderes da Igreja?A    conferência geral ocorrerá no pró-     ximo mês, e entre os muitos...
NOSSA CRENÇA   DEUS REVELA A VERDADE A SEUS  PROFETAS  E A NÓS   U           m profeta é uma testemu-                     ...
Onde podemos ler ensi-                                                                                                    ...
C L Á SS I CO S D O E VA N G EL H O          Não Sejam          Enganados                     Joseph Fielding Smith, o déc...
de hoje. Caso façam isso, caso                                                                                            ...
Separados por  uma Enchente,  Unidos pela Oração   Confinados em quartos, bloqueados por móveis e agarrados a galhos de ár...
Março de 2011   15
era impossível alguém lá dentro sobreviver.      ressalta que eles   Preocupadas com a família e sentindo frio e      “sen...
FA L A M O S D E C R I S TO                            PARA CURAR OS                            CONTRITOS DE CORAÇÃO      ...
OO Salvador pode curar coraçõesmagoados, a incompreensão eo ódio, caso nos voltemos paraSua palavra e para a Expiação.E   ...
Élder                                                                                 Yoshihiko Kikuchi                   ...
e quase todos na congregação choraram.         durante muito tempo alimentei ódio no                                  Eu l...
atividades, matei muitos soldados japoneses.Eu acreditava ter servido fielmente ao meupaís, mas por muitos anos, sempre qu...
Cuidarei do irmão que sofre,                                            Em seguida, disse uma coisa um tanto presun-      ...
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
A Liahona 2011 março
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

A Liahona 2011 março

2,173 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

A Liahona 2011 março

  1. 1. A I G R E J A D E J E S U S C R I S T O D O S S A N T O S D O S Ú LT I M O S D I A S • M A R Ç O D E 2 0 11Ele Pode CurarTodos Nós, p. 18O Élder e a Irmã HollandFalam sobre a Sociedadede Socorro, p. 28Escolher o Caminho dosEscolhidos, p. 54Rosa Encontra uma Amiga, p. 66
  2. 2. Segurar a Barra de Ferro, de Louise Parker Ao pintar uma mulher que segura fir- E vi também um caminho estreito e aper-memente a barra de ferro, esta artista da tado, que acompanhava a barra de ferro atéÁfrica do Sul nos lembra que fazemos parte a árvore onde eu estava; (…)de uma Igreja mundial unida por muitas E aconteceu que vi outros avançando comcoisas, inclusive nossa crença no Livro de esforço; e chegaram e conseguiram segurar aMórmon. extremidade da barra de ferro; e empurraram-se “E vi uma barra de ferro que se estendia através da névoa de escuridão, apegados à barrapela barranca do rio e ia até a árvore onde de ferro, até que chegaram e comeram do frutoeu estava. da árvore” (1 Néfi 8:19–20, 24).
  3. 3. A Liahona, Março de 2011 8MENSAGENS 24 Uma Grande Comunidade 17 Falamos de Cristo: 4 Mensagem da Primeira de Santos Onde quer que morem os Para Curar os Contritos de Coração Presidência: Procurar o que É Bom membros da Igreja, o evangelho Georges A. Bonnet Presidente Dieter F. Uchtdorf lhes dá forças para enfrentar os desafios da vida. 32 Nosso Lar, Nossa Família: 7 Mensagem das Professoras Ensinar a Doutrina da Visitantes: Sob o Sacerdócio 28 “A Caridade Nunca Falha”: Família Julie B. Beck e Segundo o Padrão Uma Conversa a Respeito do Sacerdócio da Sociedade de Socorro Élder Jeffrey R. Holland e 38 Vozes da IgrejaARTIGOS Patricia T. Holland 74 Notícias da Igreja14 Separados por uma Enchente, O Élder e a irmã Holland fazem reflexões sobre o papel divino da 80 Até Voltarmos a Nos Unidos pela Oração Encontrar: Em Segurança Sociedade de Socorro. Melissa Merrill na Família da Ala Como a família Torres, da Costa Caroline Kingsley Rica, enfrentou uma tragédia SEÇÕES com fé. 8 Coisas Pequenas e Simples18 O Poder de Cura 10 Nossa Crença: Deus Revela a Élder Yoshihiko Kikuchi Verdade a Seus Profetas e a NA CAPA Primeira capa: Cristo, o Consolador, O Salvador pode curar feridas Nós de Carl Heinrich Bloch © IRI. Ao fundo: emocionais e desfazer o ódio se 12 Clássicos do Evangelho: ilustração fotográfica de David Stoker. confiarmos em Sua Expiação e deixarmos o Espírito Santo nos Não Sejam Enganados enternecer o coração. Presidente Joseph Fielding Smith Março de 2011 1
  4. 4. JOVENS ADULTOS JOVENS CRIANÇAS 46 Direto ao Ponto 42 48 Pôster: Super! 49 Devo Ir ou Ficar? Rodolfo Giannini Quando chegou a época de eu ir para a missão, meu pai e minha 59 mãe foram hospitalizados. Eu não sabia se poderia deixá-los naquele estado. 50 Em Defesa da Fé Richard M. Romney 42 Mestres Familiares e Celva atua na defesa tanto nos 59 Testemunha Especial: Professoras Visitantes: campos de futebol como fora Como o Evangelho Me Um Trabalho de Ministração deles. Ajuda a Ser Feliz? Começando agora no ensino Élder David A. Bednar familiar ou no programa de 52 O que É a Tolerância? professoras visitantes? Estas Élder Russell M. Nelson 60 A Operação de Elias nove sugestões podem Haveria limites para o amor Jane McBride Choate ajudar. e a tolerância? Elias estava prestes a ser operado e precisava sentir paz. 54 O Caminho dos Escolhidos Élder Koichi Aoyagi 62 Conta as Bênçãos O batismo é apenas o início Presidente Henry B. Eyring de nossa jornada rumo à vida Podemos recordar nossas bên- Veja se conse- eterna. çãos seguindo estes conselhos. gue encontrar a Liahona 58 A Menina do Lindo Sorriso 64 Dar Vida à Primária: O Pai Michelle Glauser Celestial Nos Fala por Meio oculta nesta de Seus Profetas Eu não podia contro- edição. JoAnn Child e Cristina Franco lar minha situação, Dica: sob o arco-íris. mas podia controlar minha atitude. 66 A Resposta no Dia de Atividade Rebecca Barnum Eu ainda não tinha amigos em meu novo bairro e não que- ria ir ao dia de atividade da Primária. 68 Nossa Página 69 Pôster das Escrituras: Moisés 70 Para as Criancinhas 542 A Liahona
  5. 5. Mais na InternetMARÇO DE 2011 VOL. 64 Nº 3A LIAHONA 09683 059Revista Oficial em Português de A Igreja deJesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias Liahona.LDS.orgA Primeira Presidência: Thomas S. Monson,Henry B. Eyring e Dieter F. UchtdorfQuórum dos Doze Apóstolos: Boyd K. Packer,L. Tom Perry, Russell M. Nelson, Dallin H. Oaks, PARA OS ADULTOSM. Russell Ballard, Richard G. Scott, Robert D. Hales,Jeffrey R. Holland, David A. Bednar, Quentin L. Cook, O Élder e a irmã Holland trocam ideias sobreD. Todd Christofferson e Neil L. Andersen como a Sociedade de Socorro pode fortale-Editor: Paul B. PieperConsultores: Stanley G. Ellis, Christoffel Golden Jr., cer as pessoas, as famílias, as alas e os ramosYoshihiko Kikuchi (ver a página 28). Para aprender mais, acesseDiretor Administrativo: David L. FrischknechtDiretor Editorial: Vincent A. Vaughn www.reliefsociety.LDS.org (em inglês).Diretor Gráfico: Allan R. LoyborgGerente Editorial: R. Val Johnson O Élder Kikuchi presta testemunho do poderGerentes Editoriais Assistentes: Jenifer L. Greenwood,Adam C. Olson do Salvador de curar até mesmoEditor Associado: Ryan Carr as pessoas com preconceitos arraigados (ver a páginaEditora Adjunta: Susan BarrettEquipe Editorial: David A. Edwards, Matthew D. Flitton, 18). Para aprender mais sobre a missão do Salvador,LaRene Porter Gaunt, Larry Hiller, Carrie Kasten, JenniferMaddy, Melissa Merrill, Michael R. Morris, Sally J. Odekirk, acesse www.JesusChrist.LDS.org (em inglês).Joshua J. Perkey, Chad E. Phares, Jan Pinborough,Richard M. Romney, Janet Thomas, Paul VanDenBerghe,Julie Wardell PARA OS JOVENSSecretária Sênior: Laurel TeuscherDiretor Administrativo de Arte: J. Scott Knudsen Encontre vídeos, testemunhos e artigos, emDiretor de Arte: Scott Van Kampen inglês, sobre o evangelho e outros recursos emGerente de Produção: Jane Ann PetersEquipe de Diagramação e Produção: Cali R. Arroyo, www.youth.LDS.org.Collette Nebeker Aune, Howard G. Brown, Julie Burdett,Thomas S. Child, Reginald J. Christensen, Kim Fenstermaker,Kathleen Howard, Eric P. Johnsen, Denise Kirby, Scott M. PARA AS CRIANÇASMooy, Ginny J. NilsonPré-Impressão: Jeff L. MartinDiretor de Impressão: Craig K. SedgwickDiretor de Distribuição: Evan LarsenTradução: Edson LopesPara assinaturas e preços fora dos Estados Unidos e doCanadá, consulte o centro de distribuição local em seupaís ou o líder da ala ou do ramo.Envie manuscritos e perguntas para Liahona,Room 2420, 50 E. North Temple St., Salt Lake City, UT84150-0024, USA; ou mande e-mail para:liahona@LDSchurch.org. Há muitas atividades, em inglês, para as criançasA Liahona, termo do Livro de Mórmon que significa no site www.liahona.LDS.org.“bússola” ou “guia”, é publicada em albanês, alemão,armênio, bislama, búlgaro, cambojano, cebuano, chinês,coreano, croata, dinamarquês, esloveno, espanhol,estoniano, fijiano, finlandês, francês, grego, húngaro, EM SEU IDIOMAholandês, indonésio, inglês, islandês, italiano, japonês,letão, lituano, malgaxe, marshalês, mongol, norueguês, A revista A Liahona e outros materiais da Igreja estão disponíveispolonês, português, quiribati, romeno, russo, samoano,sueco, tagalo, tailandês, taitiano, tcheco, tonganês, em muitos idiomas em www.languages.LDS.org.ucraniano, urdu e vietnamita. (A periodicidade varia de umidioma para outro.)© 2011 Intellectual Reserve, Inc. Todos os direitosreservados. Impresso nos Estados Unidos da América. TÓPICOS DESTA EDIÇÃOO texto e o material visual encontrados na revista A Liahona Os números representam a primeira página do artigo.podem ser copiados para uso eventual, na Igreja ou no lar,não para uso comercial. O material visual não poderá ser Adversidade, 14 Exemplo, 40, 70, 72 Perseverança, 54copiado se houver qualquer restrição indicada nos créditos Amizade, 66, 80 Expiação, 17, 18 Profetas, 10, 64, 69constantes da obra. As perguntas sobre direitos autoraisdevem ser encaminhadas para Intellectual Property Office, Amor, 18, 52, 80 Família, 28, 32, 49 Retenção, 8050 E. North Temple St., Salt Lake City, UT 84150, USA; Atitude, 4, 58 Fé, 39, 41, 50, 60, 66 Revelação, 10e-mail: cor-intellectualproperty@LDSchurch.org. Batismo, 54, 68 Gratidão, 62 Sacerdócio, 7, 60For Readers in the United States and Canada:March 2011 Vol. 64 No. 3. LIAHONA (USPS 311-480) Bênçãos, 62 Honestidade, 40 Sacrifício, 39Portuguese (ISSN 1044-3347) is published monthly by TheChurch of Jesus Christ of Latter-day Saints, 50 E. North Conversão, 38, 54 Jesus Cristo, 17 Serviço, 28Temple St., Salt Lake City, UT 84150. USA subscription price Cura, 18 Líderes da Igreja, 9, 47 Sociedade de Socorro,is $10.00 per year; Canada, $12.00 plus applicable taxes.Periodicals Postage Paid at Salt Lake City, Utah. Sixty days’ Doutrina, 32 Obediência, 50 7, 28notice required for change of address. Include address Ensino, 32 Obra missionária, 39, 40, Templos, 46label from a recent issue; old and new addresses must beincluded. Send USA and Canadian subscriptions to Salt Lake Escrituras, 10, 13, 73 47, 48 Testemunho, 24Distribution Center at address below. Subscription helpline: 1-800-537-5971. Credit card orders (Visa, MasterCard, Esperança, 17 Oração, 14, 41, 66, 70 Tolerância, 52American Express) may be taken by phone. (Canada Poste Exaltação, 32 Perdão, 18 União, 24Information: Publication Agreement #40017431)POSTMASTER: Send address changes to Salt LakeDistribution Center, Church Magazines, PO Box 26368,Salt Lake City, UT 84126-0368. Março de 2011 3
  6. 6. MARÇO DE 2011 VOL. 64 Nº 3 A LIAHONA 09683 059 Revista Oficial em Português de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias A Primeira Presidência: Thomas S. Monson, Henry B. Eyring e Dieter F. Uchtdorf Quórum dos Doze Apóstolos: Boyd K. Packer, L. Tom Perry, Russell M. Nelson, Dallin H. Oaks, M. Russell Ballard, Richard G. Scott, Robert D. Hales, Jeffrey R. Holland, David A. Bednar, Quentin L. Cook, D. Todd Christofferson e Neil L. Andersen Editor: Paul B. Pieper Consultores: Stanley G. Ellis, Christoffel Golden Jr., Yoshihiko Kikuchi Diretor Administrativo: David L. Frischknecht Diretor Editorial: Vincent A. Vaughn Diretor Gráfico: Allan R. Loyborg Gerente Editorial: R. Val Johnson Gerentes Editoriais Assistentes: Jenifer L. Greenwood, Adam C. Olson Editor Associado: Ryan Carr Editora Adjunta: Susan Barrett Equipe Editorial: David A. Edwards, Matthew D. Flitton, LaRene Porter Gaunt, Larry Hiller Carrie Kasten, Jennifer Maddy, Melissa Merrill, Michael R. Morris, Sally J. Odekirk, Joshua J. Perkey, Chad E. Phares, Jan Pinborough, Richard M. Romney, Janet Thomas, Paul VanDenBerghe, Julie Wardell Secretária Sênior: Laurel Teuscher Diretor Administrativo de Arte: J. Scott Knudsen Diretor de Arte: Scott Van Kampen Gerente de Produção: Jane Ann Peters Equipe de Diagramação e Produção: Cali R. Arroyo, Collette Nebeker Aune, Howard G. Brown, Julie Burdett, Thomas S. Child, Reginald J. Christensen, Kim Fenstermaker, Kathleen Howard, Eric P. Johnsen, Denise Kirby, Scott M. Mooy, Ginny J. Nilson Pré-Impressão: Jeff L. Martin Diretor de Impressão: Craig K. Sedgwick Diretor de Distribuição: Evan Larsen A Liahona: Diretor Responsável: André Buono Silveira Produção Gráfica: Eleonora Bahia Editor: Luiz Alberto A. Silva (Reg. 17.605) Tradução: Edson Lopes Assinaturas: Marco A. Vizaco © 2011 Intellectual Reserve, Inc. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. O texto e o material visual encontrado na revista A Liahona podem ser copiados para uso eventual, na Igreja ou no lar, não para uso comercial. O material visual não poderá ser copiado se houver qualquer restrição indicada nos créditos constantes da obra. As perguntas sobre direitos autorais devem ser encaminhadas para Intellectual Property Office, 50 East North Temple Street, Salt Lake City, UT 84150, USA; e-mail: cor-intellectualproperty@LDSchurch.org. REGISTRO: Está assentado no cadastro da DIVISÃO DE CENSURA DE DIVERSÕES PÚBLICAS, do D.P.F., sob nº 1151-P209/73, de acordo com as normas em vigor. “A Liahona”, © 1977 de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, acha-se registrada sob o número 93 do Livro B, nº 1, de Matrículas e Oficinas Impressoras de Jornais e Periódicos, conforme o Decreto nº 4857, de 9-11-1930. Impressa no Brasil por Prol — Editora Gráfica — Avenida Papaiz, 581 — Jardim das Nações — Diadema — CEP 09931-610 – SP. ASSINATURAS: A assinatura deverá ser feita pelo telefone 0800-130331 (ligação gratuita); pelo e-mail distribuicao@ LDSchurch.org; pelo fax 0800-161441 (ligação gratuita); ou correspondência para a Caixa Postal 26023, CEP 05599-970 — São Paulo — SP. Preço da assinatura anual para o Brasil: R$ 6,30. Preço do exemplar avulso em nossas lojas: R$ 0,90. Para Portugal — Centro de Distribuição Portugal, Rua Ferreira de Castro, 10 — Miratejo, 2855-238 Corroios. Assinatura Anual: € 3,75; para o exterior: exemplar avulso: US$ 1.50; assinatura: US$ 10.00. As mudanças de endereço devem ser comunicadas indicando-se o endereço antigo e o novo. NOTÍCIAS DO BRASIL: envie para NoticiasLocais@LDSchurch.org. Envie manuscritos e perguntas para: Liahona, Room 2420, 50 East North Temple Street, Salt Lake City, UT 84150-0024, USA; ou mande e-mail para: Liahona@LDSchurch.org. A “Liahona”, termo do Livro de Mórmon que significa “bússola” ou “guia”, é publicada em albanês, alemão, armênio, bislama, búlgaro, cambojano, cebuano, chinês, coreano, croata, dinamarquês, esloveno, espanhol, estoniano, fijiano, finlandês, francês, grego, húngaro, holandês, indonésio, inglês, islandês, italiano, japonês, letão, lituano, malgaxe, marshallês, mongol, norueguês, polonês, português, quiribati, romeno, russo, samoano, sueco, tagalo, tailandês, taitiano, tcheco, tonganês, ucraniano, urdu e vietnamita. (A periodicidade varia de um idioma para outro.)4 A Liahona
  7. 7. MENSAGEM DA PRIMEIR A PRESIDÊNCIA Presidente Dieter F. Uchtdorf Segundo Conselheiro na Primeira Presidência Procurar O QUE É BOM A o procurar uma nova casa, um jovem casal da na Igreja pessoas bondosas e compassivas — um povo Igreja conversou com vizinhos em potencial que ama o Senhor e deseja servi-Lo e abençoar a vida sobre o bairro e as escolas da região. de seus semelhantes. Mas também é verdade que quem Uma mulher com quem eles falaram disse o seguinte busca coisas ruins certamente encontrará coisas aquém sobre a escola que seus filhos frequentavam: “É uma do ideal. escola sensacional! O diretor é um bom homem, uma Infelizmente, às vezes, isso se dá até mesmo dentro pessoa maravilhosa; os professores são qualificados, gen- da Igreja. Não há limites para a criatividade, a engenho- tis e simpáticos. Estou muito feliz por meus filhos estuda- sidade e a tenacidade dos que buscam motivos para rem nessa excelente escola. Vocês vão adorar!” criticar. Eles parecem incapazes de vencer o rancor. Outra senhora fez a seguinte descrição da escola de Fazem mexericos e estão sempre à procura de defeitos seus filhos: “É um lugar horrível. O diretor é egocêntrico, nos outros. Alimentam mágoas durante décadas e não e os professores são despreparados, grosseiros e antipá- perdem a oportunidade de diminuir e desmerecer o pró- ticos. Se eu tivesse condições de me mudar para outro ximo. Isso não é do agrado do Senhor, “porque onde há bairro, não esperaria um segundo!” inveja e espírito faccioso aí há perturbação e toda a obra O interessante é que ambas se referiam ao mesmo perversa” (Tiago 3:16). diretor, aos mesmos professores e ao mesmo O Presidente George Q. Cannon (1827–1901) conhecia estabelecimento. bem o Presidente Brigham Young (1801–1877) e traba- Já notaram que as pessoas tendem a achar aquilo que lhou a seu lado durante muitos anos, como membro do FOTOGRAFIA: MATTHEW REIER procuram? Se prestarmos bem atenção, vamos enxergar Quórum dos Doze Apóstolos e como conselheiro na tanto coisas boas quanto ruins em praticamente qualquer Primeira Presidência. Após a morte do Presidente Young, pessoa ou coisa. As pessoas têm agido da mesma forma o Presidente Cannon escreveu em seu diário: “Nunca em relação à Igreja de Jesus dos Santos dos Últimos critiquei a conduta de [Brigham Young] nem apontei Dias desde o início. Quem procura o que é bom achará erros em seus conselhos ou ensinamentos, em momento4 A Liahona
  8. 8. ENSINAR USANDO ESTA MENSAGEM “Você talvez ache que não entende certo princípio que está preparando-se para ensi- nar”, observa o guia Ensino, Não Há Maior Chamado, 2009, p. 19. “Contudo, ao estu- dá-lo em espírito de oração, empenhar-se para vivê-lo e depois o transmitir às pessoas, seu próprio testemunho se fortalecerá e se aprofundará.” Ao procurar o que há de bom na vida e nas pessoas neste mês, você estará em melhores condições para ensinar esta mensagem e testi- ficar sua veracidade. Algumas pessoas olham para o copo e acham que está meio cheio. Já outras acham que está meio vazio. O modo que o vemos depende só de nós mesmos. do que eu, até podiam fazer muitas coisas sem sofrer as consequências adversas que prefiro não afrontar”.1 Esses conselhos incisivos do Presidente Cannon devem ser ponderados pelos membros da Igreja com todo o cuidado. A palavra de Deus exorta os seguidores de Cristo a serem de índole “pura, depois pacífica, mode- rada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade, e sem hipocrisia”. Para os que promovem a paz, “o fruto da justiça semeia-se na paz, para os quealgum, em meu coração, muito menos em minhas pala- exercitam a paz” (Tiago 3:17, 18).vras ou ações. Isso hoje me traz grande satisfação. O Temos escolha. Podemos procurar o que há de ruimpensamento que sempre me acompanhava era: Se eu nas pessoas ou promover a paz e empenhar-nos paracriticar, condenar ou julgar o irmão Brigham, até que oferecer aos outros a compreensão, a justiça e o per-ponto irei? Se eu começar, onde vou parar? Não confiava dão que tanto desejamos para nós mesmos. A escolha éem mim mesmo o bastante para enveredar por esse nossa; tudo o que buscarmos certamente acharemos. ◼caminho. Eu sabia que as pessoas que se entregavam a NOTAcríticas e julgamentos não raro caíam em apostasia. Já 1. George Q. Cannon, Diário, 17 de janeiro de 1878; ortografiaoutras, dotadas de mais força, sabedoria e experiência atualizada. Março de 2011 5
  9. 9. JOVENS O Lado Bom de uma Mordida de Cachorro Tara Stringham N o meio do ano de 2009, fui mordida no rosto por um cachorro que era do meu amigo. Infelizmente, a mordida abriu meus lábios, e tive que levar pontos. sentia feliz naquele momento de tristeza. Logo percebi que as pessoas, ao pensarem em meu acidente, exerciam compaixão. Isso ajudou a formar meu caráter, e aprendi a não me Depois daquele acidente, entreguei-me ao desânimo. Per- preocupar tanto com o que os outros pensavam a meu res- miti que a adversidade dominasse meus pensamentos e senti peito. Também fui abençoada porque o acidente me ajudou que minha vida inteira estava arruinada. Fiquei complexada a perceber que eu devia pensar menos em mim mesma e por causa dos lábios e não queria ser vista em público. Tinha começar a me preocupar mais com os outros. Meu espírito se a impressão de que, devido ao ocorrido, meus projetos para fortaleceu muito naquele período. o piano, o voleibol, a Igreja, a natação e a escola tinham Aprendi que a adversidade faz parte do plano do Pai todos ido por água abaixo. Celestial para nós. Se procurarmos o que é bom e não o que Mas sempre que eu orava, recebia bênçãos do sacerdó- é ruim, podemos superar as provações e tornar-nos pessoas cio, conversava com meus pais ou era visitada por familiares melhores, permitindo que essas experiências pessoais fortale- e amigos, era como se levasse uma injeção de ânimo, e me çam nosso testemunho. CRIANÇAS Procure o que É Bom a Sua Volta É possível ver coisas boas a sua volta se você aprender a procurá-las. Uma maneira de apren- der a reconhecer as bênçãos é criar o hábito de Veja este desenho. Quantas coisas boas consegue achar? Reserve algum tempo hoje à noite para contar a enumerar, todas as noites, as coisas boas vistas um membro da família as coisas boas que viu em sua durante o dia. própria vida hoje. ILUSTRAÇÃO: ADAM KOFORD6 A Liahona
  10. 10. M E N S AG E M DA S P R O F E S S O R A S V I S I TA N T E S Sob o Sacerdócio e Segundo Estude este material e, conforme julgar conveniente, discuta-o com as irmãs que você visitar. Use as pergun- o Padrão do Sacerdócio tas para ajudar no fortalecimento das irmãs e para fazer com que a Sociedade de Socorro seja parte ativa da vida delas. Fé • Família • Auxílio Q ueridas irmãs, como somos abençoadas! Somos membros não só da Igreja, mas também da Sociedade de Socorro — “a organização do Senhor O que Posso Fazer? De Nossa História Durante a construção do Templo de Nauvoo, um grupo de irmãs desejou organizar-se para para as mulheres”.1 A Sociedade de Socorro é uma 1. Como posso apoiar as obras. Eliza R. Snow elaborou estatu- ajudar as irmãs prova do amor de Deus por Suas filhas. tos para aquele novo grupo. Ao mostrá-los ao que visito a des- Não sentem o coração vibrar ao recordarem Profeta Joseph, ele respondeu: “Diga às irmãs frutar as bênçãos o fascinante início dessa sociedade? Em 17 de do trabalho que sua oferta foi aceita pelo Senhor e que Ele março de 1842, o Profeta Joseph Smith organizou sagrado da Socie- tem para elas algo melhor. (…) Organizarei as dade de Socorro? mulheres sob o sacerdócio, segundo o padrão as irmãs “sob o sacerdócio, segundo o padrão do do sacerdócio”.6 Pouco tempo depois, o Profeta sacerdócio”.2 2. O que farei disse à Sociedade de Socorro recém-organizada: O fato de serem organizadas “sob o sacerdó- este mês para “Agora, abro-lhes as portas em nome de Deus, e cio” proporcionou às irmãs autoridade e direção. aumentar minha capacidade de esta Sociedade se regozijará, e o conhecimento Eliza R. Snow, segunda presidente geral da Socie- e a inteligência aqui fluirão a partir de agora”.7 receber revelação dade de Socorro, ensinou que a Sociedade de pessoal? Esperava-se das irmãs que atingissem um novo Socorro “não pode existir sem o sacerdócio, pois patamar de santidade e se preparassem para as dele recebe toda a sua autoridade e influência”.3 O ordenanças do sacerdócio que logo seriam admi- Élder Dallin H. Oaks, do Quórum dos Doze Após- Das Escrituras nistradas no templo. tolos, explicou: “A autoridade a ser exercida pelas I Coríntios 11:11; NOTAS líderes e professoras da Sociedade de Socorro (…) Doutrina e 1. Spencer W. Kimball, “Relief Society—Its Promise and Potential”, Ensign, março de 1976, p. 4. era a autoridade decorrente de sua ligação institu- Convênios 25:3; 2. Joseph Smith, citado por Sarah Granger Kimball cional com A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos 121:36–46 em “Auto-biography”, Woman’s Exponent, 1º de setembro de 1883, p. 51. Últimos Dias e de sua designação individual pelas 3. Eliza R. Snow, “Female Relief Society”, Deseret News, mãos dos líderes do sacerdócio que as chamaram”.4 22 de abril de 1868, p. 81. O fato de estarem organizadas “segundo o 4. Dallin H. Oaks, “The Relief Society and the Church”, Ensign, maio de 1992, p. 36. padrão do sacerdócio” conferiu às irmãs responsa- 5. Julie B. Beck, “Sociedade de Socorro — Um Trabalho bilidades sagradas. Julie B. Beck, presidente geral Sagrado”, A Liahona, novembro de 2009, p. 110. 6. Joseph Smith, citado por Kimball em “Auto- da Sociedade de Socorro, ensinou: “Trabalhamos biography”, p. 51. à maneira do sacerdócio — isto é, buscamos e 7. Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith, 2007, p. 471. recebemos revelação e agimos sob inspiração; tomamos decisões em conselhos; e nos preocupa- Acesse www.reliefsociety.LDS.org para mais informações. mos com o cuidado das pessoas, individualmente. Temos o mesmo objetivo do sacerdócio: de nos preparar para as bênçãos da vida eterna, fazendo e cumprindo convênios. Portanto, assim como nossos irmãos portadores do sacerdócio, o nosso trabalho também é de salvação, de serviço e de santificação das pessoas”.5 Barbara Thompson, segunda conselheira na presidência geral da Sociedade de Socorro.ILUSTRAÇÃO FOTOGRÁFICA: BRANDON FLINT Março de 2011 7
  11. 11. Coisas Pequenas e Simples “É por meio de coisas pequenas e simples que as grandes são realizadas” (Alma 37:6). HISTÓRIA DA IGREJA NO MUNDO NO CALENDÁRIO Países Baixos Reunião Geral das Moças N este mês, há 50 anos, foi organizada em Haia a primeira atende a cinco estacas e um distrito nos Países Baixos, na Bélgica e em T odas as jovens de doze a dezoito anos, as respectivas mães e as líderes das Moças estão estaca dos Países Baixos, a Estaca parte da França. convidadas a participar da reu- Holanda. Foi a primeira estaca da nião geral das Moças no dia 26 de Igreja de língua não inglesa. Cem março. O evento incluirá discursos anos antes, em agosto de 1861, proferidos por um membro da Paul Augustus Schettler e A. Wie- Primeira Presidência e pela pre- gers van der Woude tinham sido os sidência geral das Moças. O tema primeiros missionários a pregar o da reunião deste ano é “Cremos” evangelho na Holanda. No decorrer (Regras de Fé 1:13). dos 100 anos seguintes, mais de Onde for possível, as moças, as 14.000 pessoas foram batizadas respectivas mães e as líderes são nos Países Baixos, muitas das quais incentivadas a reunirem-se nas emigraram para os Estados Unidos. capelas para assistir à transmissão Hoje, quase 9.000 membros da via satélite. Consulte seu líder Igreja vivem nos Países Baixos. do sacerdócio ou o site www Em 8 de setembro de 2002, o Templo de Haia Países Baixos .broadcast.LDS.org para obter mais FOTOGRAFIA DO TEMPLO DE HAIA PAÍSES BAIXOS: CHARLES BAIRD © IRI; MAPA: THOMAS S. CHILD; FOTOGRAFIA DE AVIÃO Presidente Gordon B. Hinckley informações sobre horários e locais (1910–2008) dedicou o Templo de transmissão. de Haia Países Baixos, que GENTILMENTE CEDIDA PELO PRESIDENTE BOYD K. PACKER; OUTRAS FOTOGRAFIAS © GETTY IMAGES S O I X A Amsterdã B A IGREJA NOS PAÍSES BAIXOS Haia E S Número de membros 8.909 Missões 1, partilhada Í S Roterdã com a Bélgica P A Estacas 3 Alas e Ramos 33 Templos 18 A Liahona
  12. 12. Até que Ponto Você ConheceNossos Líderes da Igreja?A conferência geral ocorrerá no pró- ximo mês, e entre os muitos oradoresestarão membros da Primeira Presidência consegue fazer a correspondência entre eles e certos acontecimentos ou outros detalhes da vida deles.e do Quórum dos Doze Apóstolos. Veja seA. Quando jovem, gostava de jogar vanbol, H. Jogava damas com o filho mais novo 1. Presidente Thomas S. Monson uma versão modificada de voleibol. quase todas as noites. Seu filho recorda:B. Este líder tem o mesmo nome que o “Ele jogava três partidas de damas. Deixa- pai e é conhecido entre os familiares e 2. Presidente Henry B. Eyring va-me ganhar uma, depois me derrotava amigos mais próximos como Hal. na seguinte e em seguida disputávamosC. Quando este apóstolo era diácono, seu 3. Presidente Dieter F. Uchtdorf uma partida para valer, em que qualquer pai, que era artista, levou-o ao Bosque um poderia vencer”. Sagrado. Ao voltarem para casa, o pai I. Serviu seu país como piloto na Segunda pintou um quadro do Bosque Sagrado 4. Presidente Boyd K. Packer Guerra Mundial com pouco mais de vinte para ele. Desde aquela época, este após- anos de idade. tolo mantém esse quadro pendurado em 5. Élder L. Tom Perry J. Para ganhar dinheiro para a sua sala como lem- faculdade, trabalhou num barco de brança daquela visita pescadores de ostras. Os colegas 6. Élder Russell M. Nelson especial. o ridicularizavam por se recusar aD. Quando ele tinha ingerir bebidas alcoólicas, até o dia cinco anos, sua 7. Élder Dallin H. Oaks em que um homem caiu no mar; família mudou-se este apóstolo, devido a seu compro- para uma fazenda 8. Élder M. Russell Ballard misso de abstinência, estava sóbrio que produzia laticínios e foi escolhido para resgatar o em Pocatello, Idaho, EUA. Lá cuidava de homem em apuros. coelhos, andava a cavalo e brincava nos 9. Élder Richard G. Scott K. Quando era estudante universitá- campos com os irmãos. rio, trabalhava como locutor de rádio.E. É o único membro da Primeira Presidên- 10. Élder Robert D. Hales L. Antes de ser chamado para o Quórum dos cia ou do Quórum dos Doze Apóstolos Doze Apóstolos, foi reitor da Faculdade que nasceu fora dos Estados Unidos. Ricks e ajudou a instituição na transição 11. Élder Jeffrey R. HollandF. Na escola secundária, foi presidente de para a Universidade Brigham Young– classe no último ano e gostava de partici- Idaho. par de debates. 12. Élder David A. Bednar M. Fez uma cirurgia de coração aberto noG. Atleta nato, destacou-se na escola no Presidente Spencer W. Kimball (1895– futebol americano, no basquetebol, 13. Élder Quentin L. Cook 1985) pouco tempo antes de o Presidente na corrida e no beisebol, Kimball tornar-se presidente da Igreja. sendo integrante de equi- N. O Élder Scott foi o presidente de missão pes de futebol ameri- 14. Élder D. Todd Christofferson deste apóstolo na Argentina. cano e basquetebol O. Antes de ser chamado como Autoridade em campeonatos 15. Élder Neil L. Andersen Geral, tal como seu pai, ele trabalhava no estaduais. ramo automobilístico. Para mais informações biográficas sobre K. 7; L. 12; M. 6; N. 14; O. 8 os líderes da Igreja, ver www.newsroom E. 3; F. 13; G. 11; H. 1; I. 4; J. 9; .LDS.org. Respostas: A. 5; B. 2; C. 10; D. 15; Março de 2011 9
  13. 13. NOSSA CRENÇA DEUS REVELA A VERDADE A SEUS PROFETAS E A NÓS U m profeta é uma testemu- na Terra hoje. Os dois conselheiros nha especial de Jesus Cristo do Presidente Monson, o Presidente e presta testemunho de Sua Henry B. Eyring e o Presidente Die- divindade. Deus chama um profeta ter F. Uchtdorf, também são profetas. para ser Seu representante na Terra. Outros doze homens — o Quórum Um profeta ensina a verdade, inter- dos Doze Apóstolos — também são preta a palavra de Deus e segue todas chamados profetas. as orientações Dele para abençoar Como filhos de um Pai Celestial nossa vida. Quando um profeta fala amoroso, também podemos em nome de Deus, é como se Ele receber revelações Dele para estivesse falando (ver D&C 1:38). Há nossa vida pessoal. Embora profetas na Terra atualmente assim a revelação às vezes possa como havia no passado. vir por meio de visões, As revelações para toda a Igreja sonhos ou visitas de anjos, o são concedidas por meio do Presi- modo mais comum de Deus dente da Igreja de Jesus Cristo dos comunicar-Se conosco é Santos dos Últimos Dias, Thomas S. por meio dos sussurros do Monson. Ele é um profeta de Deus. Espírito Santo. Por meio da Quando os membros da Igreja falam revelação pessoal podemos do “profeta”, referem-se ao Presidente receber força e respostas da Igreja. Contudo, há outros profetas para nossas orações. Cde fato abertos, por estar na estarem “ omo somos gratos pelos céusTerra hoje o evangelho de Jesus Cristo e por estar a Igreja alicerçada sobre a rocha da revelação! Somos um povo abençoado com apóstolos e profetas na Terra hoje em dia.” Presidente Thomas S. Monson, “Comentários Finais”, A Liahona, novembro de 2009, pp. 109–110.10 A L i a h o n a
  14. 14. Onde podemos ler ensi- 4. Todos os membros da namentos inspirados dos Primeira Presidência e do profetas modernos? 2. Uma mensagem do 3. “A Família: Proclamação Quórum dos Doze Após- 1. Doutrina e Convênios Presidente da Igreja ou de ao Mundo” e “O Cristo Vivo: tolos discursam a cada seis é um conjunto de reve- um de seus conselheiros é O Testemunho dos Apósto- meses na conferência geral lações concedidas aos publicada mensalmente na los” são declarações profé- da Igreja. Leia o texto ou profetas modernos. Pode revista A Liahona (disponí- ticas de verdades sobre a assista ao vídeo de seus ser encontrado on-line em vel em alguns idiomas em família e o Salvador. Ambas pronunciamentos em www www.scriptures.LDS.org. LDS.org). estão em LDS.org. .conference.LDS.org. 1. Jejue, pondere e ore 2. Leia as escrituras. Elas são 3. Vá à Igreja todos os 4. Guarde os mandamentos para receber orientação. um meio pelo qual o Pai domingos e, se possível, a fim de ser digno de rece- Celestial pode responder a frequente o templo. ber inspiração do Espírito nossas orações e dar-nos Santo. ◼ Como podemos orientação à medida que o receber revelação Espírito Santo nos ajuda a pessoal? compreender o que lemos. “Eis que eu te falarei em tua mente Para mais informações, ver Dallin H. Oaks, “Duas Linhas de Comunicação”, A Liahona, e em teu coração, pelo Espírito Santo novembro de 2010, p. 83; Princípios do que virá sobre ti e que habitará emILUSTRAÇÕES FOTOGRÁFICAS: DAVID STOKER Evangelho, 2009, “Os Profetas de Deus”, pp. 39–44; e Sempre Fiéis, 2004, “Revelação”, teu coração. pp. 155–159. (…) Ora, eis que este é o espírito de revelação” (D&C 8:2–3). Março de 2011 11
  15. 15. C L Á SS I CO S D O E VA N G EL H O Não Sejam Enganados Joseph Fielding Smith, o décimo presidente da Igreja, nasceu em 19 de julho de 1876. Foi ordenado apóstolo em 7 de abril de 1910 e apoiado como presidente da Igreja em 23 de janeiro de 1970. Neste discurso, proferido em 1953, o Presidente Smith ensinou aos jovens como não serem ludibriados pelas teorias falsas do mundo. Presidente Joseph Fielding Smith (1876–1972) V ivemos num mundo para adequá-las a essas teorias muito conturbado, e e ideias que, em sua essência, Enquanto falarei de modo bem estão desprovidas de Deus. algumas pes- direto: Vivemos num mundo Não podemos nos permitir soas estão que descartou Deus ou cami- essas coisas. (…) passagem. Usem-na como tema nha a passos largos para isso. “A luz brilha nas trevas e as — não há outro melhor — mas modificando Vivemos num mundo em que trevas não a compreendem; leiam a revelação inteira. Ou seus padrões ministros cristãos de várias contudo, dia virá em que com- melhor! Leiam o livro inteiro. para seguir denominações se deixaram preendereis até o próprio Deus, O Senhor ordenou na primeira os modismos influenciar pelas filosofias sendo vivificados nele e por ele. seção de Doutrina e Convê- do mundo, dos homens e, assim, por não Então sabereis que me vistes, nios, que constitui o prefácio precisamos terem o Espírito do Senhor, que eu sou e que sou a verda- desse livro, o prefácio do permanecer tentam modificar as escrituras, deira luz que está em vós e que Senhor: firmes nas ou o significado delas, a fim vós estais em mim; caso con- “Examinai estes mandamen- escrituras e de harmonizá-las com as fal- trário, não poderíeis prosperar” tos, porque são verdadeiros e nas verdades sas doutrinas tão difundidas (D&C 88:49–50). fiéis; e as profecias e as pro- reveladas do no mundo atual. Essas teorias Essa revelação é maravi- messas neles contidas serão estão em total conflito com a lhosa. Trata de inúmeras coisas todas cumpridas” (D&C 1:37). evangelho. revelação divina, mas pessoas de vital importância para todos “Examinai estes mandamentos.” atemorizadas e dominadas pela os membros da Igreja. Quantos Quão grande é nosso amor influência de falsas filosofias, de nós já leram a seção 88? pelo Senhor? Qual é o maior tentam modificar as doutrinas Não se contentem em ler essa de todos os mandamentos? O12 A L i a h o n a
  16. 16. de hoje. Caso façam isso, caso Examinem tenham no coração a orienta- as escritu- ção do Espírito do Senhor que ras a fim de todo membro da Igreja tem não serem o direito de ter, a companhia enganados do Espírito Santo, vocês não pelas falsas serão desencaminhados pelas teorias e teorias dos homens, pois o práticas Espírito do Senhor lhes dirá tão genera- que são falsas, e vocês terão o espírito de discernimento para lizadas no compreenderem. (…) mundo de Caso entendam o evangelho hoje. de Jesus Cristo, ele os libertará. Se sua prática de softbol, volei- Senhor nos deu a resposta na e servi-Lo em nome de Jesus bol, basquetebol, corrida, dança seção 59 de Doutrina e Convê- Cristo. Ele ordenou que tomás- e outras formas de diversão nios, no tocante aos membros semos conhecimento dessas for desprovida do Espírito do da Igreja de Jesus Cristo dos verdades que nos foram revela- Senhor, não terá valor algum Santos dos Últimos Dias nesta das na dispensação da plenitude para vocês. Que tudo seja feito dispensação da plenitude dos dos tempos. em espírito de oração e fé. Acho tempos: Quantos de nós já fizeram que já é o caso — talvez então “Portanto dou-lhes [aos isso? Digo a vocês e, aliás, a eu nem precise dizê-lo — mas membros da Igreja] um manda- todos os membros da Igreja, que assim seja. Façam tudo com mento que diz assim: Amarás o que não permitam que seu os olhos fitos na glória de Deus Senhor teu Deus de todo o teu entendimento se baseie num e ensinemos de modo a edificarILUSTRAÇÃO FOTOGRÁFICA: FRANK HELMRICH coração, de todo o teu poder, único versículo [D&C 88:86, o e fortalecer a nós mesmos e A mente e força; e em nome de tema da Mutual deste ano], que Igreja de Jesus Cristo dos Santos Jesus Cristo servi-lo-ás” (D&C é um tema deveras excelente, dos Últimos Dias. ◼ 59:5). (…) mas examinem as escrituras a Extraído de “Entangle Not Yourselves in Assim, o primeiro de todos fim de não serem enganados Sin”, Improvement Era, setembro de 1953, pp. 646–647, 671–672, 674, 676–678; o os mandamentos é amar a pelas falsas teorias e práticas uso de iniciais maiúsculas e da pontuação Deus com toda a nossa alma tão generalizadas no mundo foi atualizado. Março de 2011 13
  17. 17. Separados por uma Enchente, Unidos pela Oração Confinados em quartos, bloqueados por móveis e agarrados a galhos de árvores, os membros da família Torres fizeram a única coisa que poderia salvá-los. Melissa Merrill segundos, a água entrou pelas jane- de novo na casa. Achou Erick de pé ILUSTRAÇÕES: BJORN THORKELSON O Revistas da Igreja las. (A família soube depois que um sobre uma pilha de entulho: uma dia 25 de setembro de 2005 deslizamento de terra provocara a parede caída, alguns móveis, lixo começou como um domingo enchente repentina.) Aos gritos, o e vários galhos que a água tinha calmo e sossegado para irmão Torres orientou a família a empurrado contra uma porta fechada. Victor Manuel Torres Quiros, sua correr para o quintal, onde havia Juntos, foram até a cozinha, onde o mulher, Yamileth Monge Ureña, e a algumas árvores, e o terreno era mais irmão Torres colocou Erick num local família. Tinham voltado da Igreja e elevado. As três filhas adolescentes, alto e seguro. O irmão Torres desco- estavam descansando, lendo e desfru- Sofia, Korina e Monica, saíram de casa briu então que a água tinha enrolado tando uma tarde serena e chuvosa em imediatamente. um fio de náilon em suas pernas, casa, nas montanhas da Costa Rica. Mas a irmã Torres não conseguiu. o que dificultava seus movi- Vinha chovendo a maior parte do Assim, ela correu com Elizabeth, mentos. Mesmo assim, con- fim de semana, o que não era nada uma criança pequena que estava seguiu deslocar a geladeira e incomum para a região e a estação do aos cuidados da família naquele fim alguns móveis, o que impediu ano. Por volta das 17 horas, o irmão de semana, para o quarto. Rapida- que a porta se fechasse e o Torres observou que o nível do rio mente pularam na cama, que, por deixasse isolado com o filho. que passava perto da propriedade da incrível que pareça, estava boiando. Da cozinha, Erick e o irmão família tinha subido mais que o nor- Nenhuma delas tinha a menor ideia Torres conseguiam ver as meninas mal e estava chegando cada vez mais do paradeiro ou do estado dos no quintal, mas não sabiam como perto da casa. Com calma, alertou a outros. A pequena Elizabeth reconfor- estavam a irmã Torres e Elizabeth. família e, como precaução, começou tou a irmã Torres: “Não chore. Lembre O irmão Torres sugeriu que juntos com o filho Erick, de onze anos, a que nosso Deus nos ama”. Então pedissem ajuda ao Pai Celestial. colocar cobertores nas portas para começaram a orar. Enquanto isso, lá fora, no alto de impedir a entrada da água. O irmão Torres seguira suas filhas uma goiabeira, as meninas também Momentos depois, o rio trans- até o lado de fora quando percebeu estavam orando. Sofia, Korina e bordou a ponto de cobrir um metro que não sabia onde estava Erick. Monica viam a água invadir a casa. e meio da casa. Dentro de poucos Lutando contra a corrente, entrou Tudo indicava que14 A L i a h o n a
  18. 18. Março de 2011 15
  19. 19. era impossível alguém lá dentro sobreviver. ressalta que eles Preocupadas com a família e sentindo frio e “sentiam gratidão por medo, as meninas cantaram hinos e oraram terem visto as janelas juntas. do céu se abrirem” para “Pedimos ao Pai Celestial que fizesse a eles, tanto pelo fato de sua vida ter sido água baixar”, conta Sofia. “Sabíamos que preservada como em virtude das bênçãos precisávamos ter fé; caso contrário, o milagre que vieram depois. seria impossível. O momento mais feliz foi Muitas delas por causa da generosidade quando abrimos os olhos e vimos que o nível dos membros da Igreja de toda a Costa Rica. Já na quinta-feira a família estava recebendo Olhando do da água de fato baixara.” E continuou a baixar. Pouco depois, o pai camas e outros móveis, alimentos, roupas e quintal, onde saiu da casa para perguntar se elas estavam outros artigos de primeira necessidade envia- estavam as bem. Já tinha escurecido, por isso entramos dos por membros de várias estacas da região filhas da famí- em casa, achamos uma vela e, usando gaso- de San José. Quatro dias depois, a família lia Torres, pare- lina, fizemos uma tocha para mostrar aos achou outro lugar para morar. cia impossível vizinhos que estávamos lá. “Aprendemos que Deus mostra Seu amor que alguém Um vizinho viu a tocha e foi socorrê-los. por nós por intermédio de outras pessoas”, Ajudou as meninas a desceram das árvores conta a irmã Torres. “Foram muitas pessoas, dentro da casa e, com o irmão Torres, deslocou objetos que muitos irmãos que nos ajudaram naquele estivesse vivo. estavam obstruindo a porta do quarto onde momento. Sentimos muito amor. Não senti- Preocupadas e estavam a irmã Torres e Elizabeth. Naquela mos necessidade de perguntar: ‘Por que isso com medo, as noite, a família foi hospedada por um aconteceu justamente conosco?’ meninas can- parente. Foi um milagre termos todos sobrevivido”, taram hinos e Como estava escuro quando eles saíram, a declara o irmão Torres. “Certamente, a fé família Torres não tinha ideia do grau de des- que nossa família tem aumentou. Sei sem a oraram juntas. truição da casa. Segunda-feira pela manhã, menor dúvida que Deus vive e nos ama.” voltaram e constataram que tinham perdido A irmã Torres acrescenta: “Faz tempo que tudo. temos um lema na família: ‘Deus está até Contudo, não se queixaram. “Sabemos que nos mínimos detalhes de nossa vida’. Depois o Senhor dá e o Senhor tira”, disse o irmão do que nos aconteceu, temos plena certeza Torres (ver Jó 1:21). Embora a casa e os per- disso. O Pai Celestial nos conhece. Ele res- tences tivessem sido destruídos, a irmã Torres ponde a nossas orações.” ◼16 A L i a h o n a
  20. 20. FA L A M O S D E C R I S TO PARA CURAR OS CONTRITOS DE CORAÇÃO Georges A. Bonnet N a década de 1990, meu emprego da Igreja levou nossa família para a África, onde recebi a designação de ajudar em projetos humanitários no Burundi, em Ruanda e na Somália. Isso aconteceu Todos nós pode- muitas vezes quando nos aproximávamos de um durante um período devastador de fome, mos ter a espe- barraco, os moradores nos pediam: “Podem orar brutalidade e guerra, e o sofrimento era rança segura conosco?” As pessoas pareciam achar felicidade e avassalador. paz ao dirigirem súplicas ao Senhor. de que, por Havia milhares de pessoas em campos de É claro que não devemos procurar os efeitos refugiados. Centenas de crianças órfãs viviam meio da Expia- da Expiação somente nesta vida. Eles também se em abrigos improvisados que elas mesmas ção de Cristo, manifestam na vindoura. Sei que há redenção para tinham construído. A cólera, a febre tifoide e nosso coração os mortos e ressurreição para todos por causa do a subnutrição estavam sempre presentes. O pode ser curado Salvador. A dor que sentimos nesta vida — por fétido odor da desolação e da morte aumenta- e ficar são. maior que seja — será removida e curada por vam o desespero. meio da Expiação. Senti-me compelido a oferecer toda a ajuda Mórmon e Morôni, que viveram em épocas de que pude dar. A Igreja trabalhava com o grande carnificina e morte, escreveram sobre a Comitê Internacional da Cruz Vermelha e outras organiza- importância de ancorarmos a esperança num Deus amo- ções, mas às vezes eu me perguntava se nosso empenho roso cuja misericórdia e justiça transcendem todo enten- estava fazendo qualquer diferença diante de tamanha dimento (ver, por exemplo, Morôni 7:41–42). O estudo atrocidade e tragédia. Era difícil não se deixar levar pelo dessas declarações proféticas reforçou minha própria desespero e o desânimo, e muitas vezes eu chorava ao me fé. Quando eu me questionava se nosso trabalho estava recolher à noite. tendo alguma repercussão, tive a certeza de que a graça Foi naquela época desalentadora que uma escritura do Salvador é o poder redentor supremo. Mesmo que conhecida assumiu uma dimensão ainda mais profunda demos o melhor de nós, nossos esforços são limitados, para mim. Citando Isaías, ela nos diz que o Salvador foi mas os Dele são infinitos e eternos. “ungido para curar os contritos de coração, proclamar Sem dúvidas, as condições do mundo podem criar mui- liberdade aos cativos e a abertura da prisão aos presos” tas formas de desespero, mas nenhuma foge ao alcanceÓ MEU PAI, DE SIMON DEWEY (D&C 138:42). da cura do Redentor. Todos nós podemos ter a esperança Eu vira muitas pessoas que estavam “contritas” da pior segura de que, por meio da Expiação de Cristo, nosso maneira possível e conversara com elas. Tinham perdido coração pode ser curado e ficar são. Com esse conheci- entes queridos, a casa e uma vida tranquila. Mas muitas mento, pude dar continuidade a meu trabalho, ciente de delas davam sinais de terem sido “curadas”. Por exemplo, que os esforços Dele sempre têm êxito. ◼ Março de 2011 17
  21. 21. OO Salvador pode curar coraçõesmagoados, a incompreensão eo ódio, caso nos voltemos paraSua palavra e para a Expiação.E m agosto de 1978, recebi a designação de assistir a uma conferência de estaca emSeul, Coreia do Sul. Após a reuniãode liderança do sacerdócio, eu estavano corredor quando uma irmã decerca de 60 anos de idade sussurrou emjaponês em meu ouvido: “Não gosto dejaponeses”. Fiquei chocado e surpreso. Virei-mee respondi em japonês: “Lamento que asenhora sinta isso”. Fiquei curioso parasaber o que ela poderia ter passado navida para ter aqueles sentimentos. Quemal meu povo fizera ao dela? Em meu discurso na sessãonoturna da conferência daestaca, falei da Expiação doSalvador e de Seu grandesacrifício. Contei aosmembros daestaca a his-tória de Néfi
  22. 22. Élder Yoshihiko Kikuchi Dos SetentaPoder de Cura e de como o Espírito do Senhor o Eles nos visitavam e meus irmãos e conduzira a uma montanha ele- eu também íamos à casa deles. Eu vada. Lá ele viu a árvore da vida, comia pratos da culinária coreana que seu pai, Leí, tinha visto, e viu e aprendi músicas coreanas. Minha também o menino Jesus (ver 1 Néfi tia casou-se com um maravilhoso 11:1–20). Então um anjo lhe per- homem coreano. Eles criaram os guntou se ele sabia o significado filhos no Japão, na mesma cidade da árvore que seu pai tinha visto. onde me criei. Néfi respondeu: “Sim, é o amor No meio de meu discurso, pedi de Deus, que se derrama no coração dos a alguém que tocasse piano enquanto eu filhos dos homens; é, portanto, a mais dese- cantava uma canção folclórica coreana com jável de todas as coisas”. O anjo acrescentou: o Presidente Ho Nam Rhee, o primeiro presi- “Sim, e a maior alegria para a alma” (1 Néfi dente de estaca da Coreia do Sul. Em seguida, 11:22–23). pedi ao Presidente Rhee que me ajudasse a O amor de Deus pode nos ajudar a superar cantar o hino nacional coreano, embora eu todo preconceito e incompreensão. Somos não o tivesse cantado desde a infância. Fazia verdadeiramente filhos de Deus e podemos muito tempo que eu aprendera o hino com levar Seu amor em nossa alma se assim o meu tio coreano, mas a letra me voltou à desejarmos. memória. Então pedi à congregação que can- Salvador, eu quero amar-te, tasse comigo. Todos se levantaram e cantaram Em tua senda quero andar, seu belo hino nacional. Muitos choraram, e Socorrer o irmão aflito, foi difícil para mim cantar. Reinou um espírito Minha força em ti buscar.1 doce e maravilhoso. Eu disse aos membros da estaca que, assim Não Me Entrego a Julgamentos como eu amava meus primos coreanos, tam- Sem ter planejado, comecei a falar de bém os amava, porque somos todos filhos de minha ligação com o povo coreano. Deus, porque somos todos irmãos no evange- Contei à congregação que eu fora lho, e por causa do amor de Deus (ver 1 Néfi criado com nove primos coreanos. 11:22, 25). Todos sentimos esse amor eterno, CRISTO, O CONSOLADOR, DE CARL HEINRICH BLOCH; CRISTO CURANDO UM CEGO, DE SAM LAWLOR Março de 2011 19
  23. 23. e quase todos na congregação choraram. durante muito tempo alimentei ódio no Eu lhes disse: “Amo vocês como irmãos no coração”. Em seguida, ela disse: “Você evangelho”. nos contou que seu pai também foi morto Após o fim da sessão noturna, os mem- durante a guerra, mas depois você aceitou o bros da estaca fizeram uma longa fila para evangelho, o que mudou sua vida. E agora me cumprimentar. A última pessoa da fila era nos diz que nos ama. Estou com vergonha aquela irmã coreana de 60 anos, que veio de mim mesma. Embora eu tenha nascido falar comigo com lágrimas nos olhos e pediu na Igreja, senti ódio por seu povo até SER VERDADEIROS perdão. O Espírito do Senhor estava forte. hoje. Mas sua mensagem mudou DISCÍPULOS As asas curadoras do Salvador transportaram meu modo de pensar”. “Foi-me dito que todos nós, e o espírito da paz falou à con- Tive diversas experiên- às vezes se ouvem gregação. Senti-me como um deles. cias parecidas e conheci comentários e insul- muitas pessoas; e, graças ao tos racistas em nosso Não me entrego a julgamentos, meio. Lembro a vocês evangelho, podemos amar Imperfeito sou também que nenhuma pessoa e compreender uns aos Nos recônditos da alma, que faça comentários outros. Dores há que não se veem. depreciativos a res- peito de outras raças Sua Mensagem Mudou Todo o Meu Sentimento de Culpa Se Foi pode considerar-se um Meu Modo de Pensar Alguns anos depois, num serão realizado verdadeiro discípulo de Fui chamado membro dos Setenta em após uma visita a Adão-ondi-Amã, o super- Cristo; nem tampouco 1977. Desde aquela época, tive o privilégio visor dos missionários de serviço da área pode achar que está de visitar centenas de estacas. Ao fim de pediu-me que relatasse a história de minha agindo de acordo com uma reunião de liderança do sacerdócio conversão. Atendi ao pedido e agradeci os ensinamentos da em Taylorsville, Utah, um homem corpu- aos casais presentes por terem preparado Igreja de Cristo. (…) lento aproximou-se de mim e sussurrou que os filhos para servir missão e, Somos membros da seu irmão fora morto na Segunda Guerra por assim dizer, terem-nos Igreja de nosso Senhor. Mundial e que por isso ele odiava o povo enviado à minha porta. Temos uma obrigação japonês. Contudo, depois da conferência, o Ao apertar a mão dos para com Ele assim mesmo homem me procurou com lágrimas irmãos e preparar-me como para com nós mesmos e para com os nos olhos. Chorando de alegria, deu-me um para ir embora, o supervi- outros.” abraço, porque contei a história de minha sor pronunciou-se. “Antes de conversão e declarei meu amor pela América, encerrarmos esta reunião”, disse Presidente Gordon B. Hinckley (1910–2008), “A Necessidade e isso o emocionou. ele, “tenho uma confissão pes- de Mais Bondade”, A Liahona, maio de 2006, p. 58. Em outra ocasião, numa conferência de soal a fazer”. Não me lembro estaca em Geórgia, EUA, uma irmã veio das palavras exatas, mas ele contar-me que perdera o pai na Segunda disse, em essência: Guerra Mundial. Mas depois da reunião, “Como sabem, servi meu país ela me disse: “Preciso pedir-lhe desculpas. como fuzileiro naval dos Estados Como meu pai foi morto por japoneses, Unidos quando jovem. Em minhas20 A L i a h o n a DETALHE DE MOISÉS E A SERPENTE DE METAL, DE SÉBASTIEN BOURDON; ILUSTRAÇÃO FOTOGRÁFICA DE DAVID STOKER
  24. 24. atividades, matei muitos soldados japoneses.Eu acreditava ter servido fielmente ao meupaís, mas por muitos anos, sempre que viaorientais, particularmente japoneses, sen-tia-me profundamente deprimido. Às vezesnem conseguia realizar as atividades cotidia-nas. Conversei com autoridades da Igreja efalei de meus sentimentos com terapeutasprofissionais. “Hoje, quando vi o Élder e a irmã Kikuchie o filho deles, algumas lembranças vieramà tona. Mas depois ouvi o Élder Kikuchi Ele nos cura exata-prestar testemunho, contar a história de sua mente como curou osconversão e falar de seu amor pelo Senhor, israelitas das mordi-pelo evangelho e por todos nós. Ele contou das de serpente. É aque antes odiava os americanos e os solda- “agradável palavrados americanos, mas o evangelho transfor- de Deus, (…) quemara sua vida por meio do poder de cura cura a alma ferida”do Senhor. Ao ouvir isso, parecia que eu e é “pelas suas pisa-escutava também a voz do Senhor dizendo: duras [que] fomos‘Acabou. Tudo está bem’.” sarados”. Ele estendeu as mãos, ergueu-as e disse,com lágrimas nos olhos: “Todo o meusentimento de culpa se foi. Meu fardo foiretirado!” Ele foi até onde eu estava e me abraçou.Em seguida, minha mulher e a dele se apro-ximaram e todos nos abraçamos e choramos. Aprendi que o Salvador pode curar cora-ções magoados, a incompreensão e o ódio, caso nos voltemos para Sua palavra e para a Expiação. Ele nos cura exatamente como curou os israelitas das mordidas de serpente (ver Números 21:8–9;1 Néfi 17:41; Alma 33:19–21). É a “agradá-vel palavra de Deus, (…) que cura a almaferida” ( Jacó 2:8), e é “pelas suas pisaduras[que] fomos sarados” (Isaías 53:5; ver tam-bém Mosias 14:5). Março de 2011 21
  25. 25. Cuidarei do irmão que sofre, Em seguida, disse uma coisa um tanto presun- Sua dor consolarei çosa: “Se eu for curado, quero retribuir-Lhe”. E ao fraco e ferido Na época em que eu morava na casa de Meu auxílio estenderei. meu tio, dois estrangeiros bateram à porta certa noite. Eram missionários da Igreja de Vou Dar-lhes Dez Minutos Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Um Nasci numa pequena comunidade na ilha deles, o Élder Law, que era o missionário de Hokkaido, no norte do Japão. Quando eu sênior, tinha sido criado numa fazenda em St. AMAI-VOS UNS tinha cinco anos de idade, meu pai foi morto Anthony, Idaho, EUA; o outro, o Élder Porter, AOS OUTROS por um ataque de um submarino americano. vinha de Salt Lake City. Fazia frio, chovia e já “Madre Tereza, a Quando criança, sentia rancor contra os ame- quase havia anoitecido, e eles estavam prestes freira católica que tra- ricanos. Cresci assim, sem saber exatamente o a ir para casa. Mas por algum motivo persisti- balhou a maior parte que provocara a guerra. ram e continuaram fazendo contatos porta a da vida com os pobres na Índia, expressou Quando terminei o ensino fundamental, porta. esta profunda ver- minha família era pobre. Minha mãe não tinha Quando chegaram a minha casa, eu estava dade: ‘Se você julgar condições de mandar-me para o curso médio, sozinho. Abri a porta e disse logo: “Não, as pessoas, não terá por isso decidi trabalhar a fim de poder con- obrigado”. tempo de amá-las’. O tinuar a estudar. Não havia trabalho em nossa Os rapazes foram humildes e persisten- Salvador admoestou- cidadezinha, mas achei um emprego para tes, mas repeti: “Não, obrigado”. Em seguida, nos: ‘O meu manda- produzir tofu (queijo de soja) a nove horas de acrescentei: “Vocês mataram meu pai”. Eu mento é este: Que vos distância de casa, em Muroran, onde minha ainda guardava rancor. ameis uns aos outros, mãe se criara. Sem se deixar abater, o élder assim como eu vos Todos os dias em Muroran eu me levan- de Idaho perguntou minha idade. amei’. Pergunto-lhes: tava antes das 4h30, fazia tofu até o meio- Eu disse: “O que minha idade Podemos amar-nos dia e depois fazia entregas em várias lojas tem a ver com isso? Por favor, uns aos outros, como até as 18 horas. Depois do trabalho, tomava vão embora”. o Salvador determi- banho, trocava de roupa e corria para a Ele replicou: “Quero contar- nou, se julgarmos escola noturna. Voltava para casa por volta lhe a história de um menino uns aos outros? E das 22h30 e pulava na cama às 23 horas. Por de sua idade que viu seu Pai respondo — ecoando causa da rotina exaustiva, logo perdi toda a Celestial e seu Salvador, Jesus Madre Tereza: ‘Não, não podemos’.” energia e adoeci. Cristo. Queremos relatar essa Eu morava na casa de um comerciante de história”. Presidente Thomas S. Monson, “A Caridade Nunca tofu, mas pedi demissão e fui morar com meu Retruquei: “Vou dar-lhes Falha”, A Liahona, novembro de 2010, p. 122. tio para poder terminar meu primeiro ano do dez minutos”. curso médio. Mesmo tomando remédios, con- Aqueles dez minutos toca- tinuava doente. Não sabia mais o que fazer. ram profundamente meu Fiquei desesperado e achei que estava mor- coração e mudaram minha rendo. Orei com fervor, dizendo: “Se houver vida. A história contada um Deus, abençoa-me para eu me recuperar”. pelos missionários era22 A L i a h o n a DETALHE DE A CRUCIFICAÇÃO, DE CARL HEINRICH BLOCH, USADO COM PERMISSÃO DO MUSEU HISTÓRICO NACIONAL DO CASTELO DE FREDERIKSBORG, EM HILLERØD, DINAMARCA; ILUSTRAÇÃO FOTOGRÁFICA DE DAVID STOKER

×