Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Capítulo 5 do CCNA

Apresentação capítulo 5 do módulo básico CCNA

Related Books

Free with a 30 day trial from Scribd

See all
  • Login to see the comments

  • Be the first to like this

Capítulo 5 do CCNA

  1. 1. Redes de Computadores CCNA 3.1 CISCO Teoria de Redes: Capítulo 05: Cabeando Redes Locais e WANs
  2. 2. Camada física de rede local
  3. 3. Camada física de rede local • desvantagens estão relacionadas a: • Comprimento do cabo. • Custo. • Facilidade de instalação. • Suscetibilidade à interferência.
  4. 4. Camada física de rede local
  5. 5. Ethernet • A Ethernet é a tecnologia mais usada em redes locais. • redes locais Ethernet, que foi usada como base para a especificação 802.3 IEEE (1980)
  6. 6. Meios Ethernet e requisitos
  7. 7. Meios de conexão
  8. 8. Implementação de UTP • Os padrões EIA/TIA especificam o uso de um conector RJ-45 para cabos UTP. • Um conector transparente RJ-45 mostra oito fios coloridos. • Quatro desses fios transportam a voltagem e são denominados "TIP" (T1 a T4). • Os outros quatro fios são aterrados e são conhecidos como "RING" (R1 a R4).
  9. 9. Implementação de UTP
  10. 10. Implementação de UTP
  11. 11. Implementação de UTP: Direto
  12. 12. Implementação de UTP: Cruzado
  13. 13. Quando usar Cabo Direto? • Use cabos diretos para o seguinte cabeamento: • Comutador ao roteador. • Comutador para o PC ou servidor. • Hub para PC ou servidor.
  14. 14. Quando usar Cabo Cruzado? • Use cabos cruzados para os seguintes cabeamentos: • Comutador para comutador. • Comutador para hub. • Hub para hub. • Roteador para roteador. • PC para PC. • Roteador para PC.
  15. 15. Repetidores • Um repetidor recebe um sinal, restaura esse sinal e o passa adiante.
  16. 16. Hubs • Os hubs são na realidade repetidores multiporta.
  17. 17. Bridges • Às vezes é necessário dividir uma rede local grande em segmentos menores e mais fáceis de serem gerenciados.
  18. 18. Processo Decisão Bridge • Este processo de decisão ocorre da seguinte maneira: • Se o dispositivo de destino estiver no mesmo segmento que o quadro, a bridge impede que o quadro siga para outros segmentos; • Se o dispositivo de destino estiver em um segmento diferente, a bridge encaminhará o quadro ao segmento apropriado.
  19. 19. Processo Decisão Bridge • Se o endereço de destino for desconhecido para a bridge, a bridge encaminha o quadro a todos os segmentos com exceção daquele de onde foi recebido.
  20. 20. Comutadores • Como as bridges, os comutadores aprendem certas informações sobre os pacotes de dados que são recebidos de vários computadores na rede. • Um comutador escolhe a porta à qual o dispositivo de destino ou estação de trabalho será conectado.
  21. 21. Comutadores
  22. 22. Comutadores • Operações: • comutação de quadros de dados (frames) • manutenção das operações de comutação onde os comutadores criam e mantêm tabelas de comutação
  23. 23. Microsegmentação da Rede
  24. 24. Camada física de WAN
  25. 25. Conexões seriais de WAN • Para comunicações de longa distância, as WANs usam transmissões seriais. • As freqüências são medidas em termos de ciclos por segundo e expressas em Hertz (Hz).
  26. 26. Conexões seriais de WAN
  27. 27. Roteadores e Conexões Seriais • Os roteadores são responsáveis pelo roteamento de pacotes de dados desde a origem até o destino dentro da rede local e pelo fornecimento de conectividade à WAN. • Dentro de um ambiente de rede local o roteador bloqueia os broadcasts.
  28. 28. Roteadores e Conexões Seriais
  29. 29. Roteadores e Conexões Seriais
  30. 30. Referência • Cisco Systems, Programa Cisco Networking Academy (CCNA 3.1) - Módulo: Teoria de Redes.

×