Camada de Transporte Redes Tanenbaum

3,978 views

Published on

Apresentação da camada de Transporte baseado no livro de Redes do Tanenbaum

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,978
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
189
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Camada de Transporte Redes Tanenbaum

  1. 1. Redes de Computadores Camada de Transporte
  2. 2. Camada de transporte• Ela é o núcleo de toda a hierarquia de protocolos;• Sua função é promover uma transferência de dados confiável e econômica;
  3. 3. Serviço oferecido
  4. 4. Primitivas do serviço de transportePara permitir que os usuários tenham acesso ao serviço de transporte, a camada de transporte deve oferecer algumas operações a programas aplicativos.O que é uma primitiva?
  5. 5. Primitivas do serviço de transporte
  6. 6. TPDU (Transport Protocol Data Unit)
  7. 7. Soquetes de Berkeley (no UNIX)
  8. 8. Elementos de protocolos de transporteEmbora pareça que a camada de transporte implementa as mesmas interfaces da camada de enlace, isso fica só na aparência.Na camada de enlace de dados, dois roteadores se comunicam diretamente através de um canal físico, enquanto na camada de transporte esse canal físico é substituído pela sub-rede inteira.
  9. 9. Elementos de protocolos de transporte
  10. 10. Endereçamento
  11. 11. Protocolo de conexão inicial
  12. 12. Estabelecimento de conexõesEstabelecer uma conexão parece uma tarefa fácil mas, na verdade, trata-se de um procedimento complicado.O problema é que a rede pode perder, armazenar e duplicar pacotes de início de conexão.
  13. 13. Estabelecimento de conexõesO ponto crucial do problema é a existência de duplicatas atrasadas.• Uma alternativa possível é usar endereços de transporte descartáveis;• Outra possibilidade é atribuir a cada conexão um identificador de conexão;• O método descrito a seguir foi proposto por Tomlinson (1975);
  14. 14. Solução de TomlinsonTomlinson propôs que cada host fosse equipado com um relógio;Cada relógio assume a forma de um contador binário incrementado em intervalos regulares;
  15. 15. Problema
  16. 16. Problema
  17. 17. Encerramento de conexões• Encerrar uma conexão é mais fácil do que estabelecê-la.• No entanto, nesse procedimento há mais armadilhas do que se poderia esperar.
  18. 18. Encerramento de conexões
  19. 19. Controle de fluxo e uso de buffersDepois de examinar o estabelecimento e o encerramento de conexões;O controle de fluxo é semelhante a da camada de enlace com algumas características próprias da camada de transporte.
  20. 20. (a) Buffers de tamanho fixo encadeados. (b) Buffers de tamanho variável encadeados. (c) Um grande buffer circular por conexão.
  21. 21. Multiplexação
  22. 22. Recuperação de desastresSe os hosts e roteadores estiverem sujeitos a interrupções em seu funcionamento, a recuperação dessas panes se tornará uma questão muito importante.
  23. 23. Os protocolos de transporte da Internet: UDPO conjunto de protocolos da Internet ad mite um protocolo de transporte sem conexões, o UDP (User Datagram Protocol).O UDP oferece um meio para as aplicações enviarem datagramas IP encapsulados sem que seja necessário estabelecer uma conexão.
  24. 24. Os protocolos de transporte da Internet: UDP
  25. 25. Chamada de procedimentos remotosEssa técnica é conhecida como RPC (chamada de procedimento remoto) e se tornou a base para muitas aplicações de redes.Tradicionalmente, o procedimento chamador é conhecido como cliente, e o procedimento chamado é conhecido como servidor; também usaremos esses nomes aqui.
  26. 26. Chamada de procedimentos remotosA idéia por trás da RPC é tornar uma chamada de procedimento remoto o mais semelhante possível a uma chamada local.
  27. 27. Chamada de procedimentos remotos
  28. 28. RTP (Real-time Transport Protocol)A posição do RTP na pilha de protocolos é um pouco estranha. Decidiu-se que ele deveria ser inserido no espaço do usuário e, desse modo, ser (normalmente) executado sobre o UDP.
  29. 29. RTP (Real-time Transport Protocol)
  30. 30. Os protocolos de transporte da Internet: TCPO TCP (Transmission Control Protocol) foi projetado especificamente para oferecer um fluxo de bytes fim a fim confiável em uma inter-rede não confiável.
  31. 31. O modelo de serviço do TCPO serviço TCP é obtido quando tanto o transmissor quanto o receptor criam pontos extremos chamados soquetes.
  32. 32. O modelo de serviço do TCP
  33. 33. O modelo de serviço do TCP
  34. 34. O protocolo TCP
  35. 35. O estabelecimento de conexões TCPAs conexões são estabelecidas no TCP por meio do handshake de três vias.Para estabelecer uma conexão, um lado servidor aguarda passivamente por uma conexão de entrada, executando as primitivas LISTEN e ACCEPT através da especificação de uma determinada origem ou de ninguém em particular.
  36. 36. O estabelecimento de conexões TCPO outro lado — digamos, o cliente — executa uma primitiva CONNECT, especificando o endereço IP e a porta à qual deseja se conectar.
  37. 37. O estabelecimento de conexões TCP
  38. 38. Modelagem do gerenciamento de conexões do TCPOs estados usados na máquina de estados finitos para o gerenciamento de uma conexão TCP.
  39. 39. Controle de congestionamento do TCPO primeiro passo para gerenciar o congestionamento é detectá-lo;Hoje em dia, a perda de pacotes devido a erros de transmissão é relativamente rara, porque a maioria dos troncos de longa distância é de fibra.
  40. 40. Referência• Referência

×