SlideShare a Scribd company logo
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ATENÇÃO À
CRIANÇA
ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA:
PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA:
PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS
As ações e os serviços para a Atenção Integral à Saúde da
Criança são coordenados pela Atenção Básica, a partir da
avaliação do risco individual e coletivo.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA:
PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS
Objetivo dessa apresentação:
• Descrever aspectos da organização da atenção à criança propostos na
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC).
POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À
SAÚDE DA CRIANÇA (PNAISC)
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA:
PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS
Articulação da Atenção à Saúde da Criança com as Redes de Atenção à Saúde RAS
A imagem diagonal em azul indica que a
atenção integral à saúde da criança perpassa
todos os eixos da PNAISC e todas as redes,
com o objetivo de atender às necessidades
em saúde das crianças.
A Atenção Básica assume o desafio de conter
ações e serviços específicos a serem ofertados
mas também de ordenar todo o cuidado
dentro das Redes de Atenção.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA:
PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS
Atenção Básica e Saúde da Criança
Caracteriza-se como um conjunto de ações de saúde, nos âmbitos individual e coletivo, que
abrange a promoção e a proteção da saúde, a prevenção de agravos, o diagnóstico, o
tratamento, a reabilitação, a redução de danos e a manutenção da saúde, com o objetivo
de desenvolver uma atenção integral, contínua e organizada, que impacte na situação de
saúde e autonomia das pessoas e nos determinantes e condicionantes de saúde das
coletividades.
Portaria nº 1.130 de 05 de agosto de 2015.
Mas o que é a Atenção Básica?
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA:
PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS
Saúde da Criança na Atenção Básica
• Estudos têm apontado que os novos desafios epidemiológicos da modernidade, a exemplo do
perfil de morbimortalidade da criança do século XXI, demandam uma Atenção Básica com
equipes de profissionais com olhar biopsicossocial do indivíduo, da família e da comunidade.
• O trabalho em equipe e em intensa articulação intersetorial é imperativo, sob pena de não
impactarem na saúde infantil (ALMEIDA; ZANOLLI, 2011).
• Na composição da integralidade da atenção à saúde da criança na atenção básica, com as
ações de atenção à demanda espontânea e programática, também as ações de prevenção e
promoção de saúde e vigilância em saúde no território constituem importante espaço de
atuação.
Portaria nº 1.130 de 05 de agosto de 2015.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA:
PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS
Saúde da Criança na Atenção Básica
Oferta das ações programáticas tradicionais, como:
Portaria nº 1.130 de 05 de agosto de 2015.
Acompanhamento do pré-natal
Acompanhamento do crescimento e
desenvolvimento da criança
Acompanhamento de outros grupos de
maior risco/vulnerabilidade
Grupos de maior risco/vulnerabilidade devem
ser identificados para acompanhamento mais
próximo e singularizado, em atendimentos
individuais/em grupo e domiciliar.
Crianças com agravos sociais, nutricionais
(obesidade/desnutrição), psicossociais
(crianças com dificuldades escolares, famílias
com dificuldades relacionais afetando a
criança), crianças em situação de violência,
agravos clínicos (asma e outros problemas
crônicos) e agravos de importância
epidemiológica local.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA:
PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS
O que torna a Atenção Básica ordenadora do cuidado à criança?
Portaria nº 1.130 de 05 de agosto de 2015.
• Com foco na família, em seu contexto social;
• Em um território delimitado que permite conhecer as características da população adscrita,
assim como equipamentos sociais e de saúde que possam ser complementares;
• Como ordenadora dos cuidados dentro das Redes de Atenção à Saúde (RAS), ou seja, o
usuário pode estar em qualquer outro serviço ou ponto da rede, mas sempre estará em
contato com a Atenção Básica, que o apoia e organiza sua circulação pela RAS.
A Atenção Básica atua:
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA:
PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS
• Conhecimento da realidade epidemiológica da população de crianças da área de
cobertura, para planejar intervenções coletivas em seus determinantes de saúde;
• Coordenação do cuidado, tanto internamente (entre a equipe) quanto em rede;
• Planejamento, programação e implementação de ações setoriais e intersetoriais com
impacto na situação de saúde da criança, desde a gestação.
Portaria nº 1.130 de 05 de agosto de 2015.
A Atenção Básica traz para a Atenção à Criança:
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA:
PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS
Portaria nº 1.130 de 05 de agosto de 2015.
Pontos chave para o desenvolvimento da Atenção à Saúde da Criança
na Atenção Básica:
• Integralidade no olhar à criança
• Atuação em equipe multiprofissional
• Oportunizar os momentos de cuidado
• Visão integral dos demais pontos de atenção que podem ser acessados, visando garantir
continuidade do cuidado
• Bom fluxo de comunicação com a rede
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA:
PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS
Atenção Básica e Saúde da Criança
• A Atenção Integral à Saúde da Criança depende do trabalho intersetorial, articulando a Unidade Básica de
Saúde (UBS) com os demais equipamentos das políticas públicas sociais envolvidas com aquele território,
em especial a educação e a assistência social, mas se possível também das políticas de cultura e de
esportes, considerando a importância do brincar e das atividades físicas para a criança (ALMEIDA, 2013).
• Na rede de saúde a articulação entre os pontos de atenção é fundamental, desde o pré-natal, com a
vinculação da gestante com a maternidade de referência para atenção ao parto. Após o nascimento, essa
articulação se expressa na alta responsável pela maternidade, utilizando a Caderneta de Saúde da Criança e
já com agendamento do “5º Dia de Saúde Integral” da mãe e bebê.
Portaria nº 1.130 de 05 de agosto de 2015.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA:
PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS
Cuidado compartilhado da Atenção Básica com outros pontos de atenção
Os serviços de atenção à criança no ambiente hospitalar e ambulatorial especializado, entre
outros de maior complexidade e densidade tecnológica, serão referenciados pelas portas de
entrada das redes:
• Atenção Básica;
• Atenção à Urgência e Emergência;
• Atenção Psicossocial; e
• Redes especiais de acesso aberto.
Outra necessidade é a integração com a Atenção Hospitalar para a vigilância da saúde da
criança que necessitou de internação, em qualquer momento da vida, para continuidade de
assistência e o cuidado após a alta, prevenindo-se internações evitáveis (Internações por
Condições Sensíveis à Atenção Primária – ICSAP).
Portaria nº 1.130 de 05 de agosto de 2015.
A continuidade da assistência
é indispensável na qualidade
do cuidado à criança!
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA:
PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS
Saúde da Criança na Atenção Básica: ações específicas
• As ações de vacinação são coordenadas pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI),
com o objetivo de erradicar, eliminar e controlar as doenças imunopreveníveis no
território brasileiro.
• Os registros, na Caderneta de Saúde da Criança, das vacinas do Calendário Nacional de
Vacinação recebidas pela criança, devem ser sempre observados pelos profissionais da
Atenção Básica e mesmo de outros serviços de saúde que venham a ter contato com ela,
com o objetivo de que esteja sempre com a vacinação atualizada (BRASIL, 2014).
Portaria nº 1.130 de 05 de agosto de 2015.
Programa Nacional de Imunização – PNI
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA:
PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS
Saúde da Criança na Atenção Básica: ações específicas
• A nova concepção em saúde na escola foi incorporada nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) em
1997, consagrando o tema da saúde como transversal às disciplinas e às ações no contexto escolar, nas
dimensões da promoção da saúde, de prevenção de doenças e agravos e de atenção e cuidados à saúde
de crianças e adolescentes.
• O Programa Saúde na Escola (PSE) tem como principais desafios o uso de estratégias pedagógicas
coerentes com a produção de educação e saúde integral, fundamental para produzir autocuidado,
autonomia e participação dos escolares de acordo com a idade que se encontram.
Programa Saúde na Escola – PSE
Portaria nº 1.130 de 05 de agosto de 2015.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA:
PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS
Saúde da Criança na Atenção Básica: ações específicas
• São inúmeras as possibilidades de atuação: desenvolvimento de atividades lúdicas de promoção da saúde,
identificação precoce e oportuna de problemas de saúde, desenvolvimento e aprendizagem, na
construção de estratégias que evitem a medicalização das dificuldades escolares, qualificação dos
profissionais, familiares e responsáveis, ampliando a capacidade de produzir diálogo e vínculos entre as
partes envolvidas.
Programa Saúde na Escola – PSE
Portaria nº 1.130 de 05 de agosto de 2015.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA:
PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS
Saúde da Criança na Atenção Básica: ações específicas
• A Política Nacional de Saúde Bucal, intitulada Brasil Sorridente, pauta-se nos princípios e nas
diretrizes do SUS. Na Atenção Integral à Saúde da Criança essa política se insere de forma
transversal, integral e intersetorial nas linhas de cuidado direcionadas à mulher e à criança, com
o objetivo de promover a qualidade de vida desse público, por meio das ações de promoção,
prevenção, cuidado, qualificação e vigilância em saúde (BRASIL, 2004).
• O acesso à saúde bucal deve ter início no pré-natal e será incorporado no acompanhamento do
crescimento e no desenvolvimento da criança.
Portaria nº 1.130 de 05 de agosto de 2015.
Atenção à Saúde Bucal
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA:
PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS
A Atenção Básica é responsável pelo cuidado longitudinal de todas as
crianças, deve se articular em perspectiva intersetorial e tem papel
fundamental no ordenamento do cuidado em relação aos outros pontos
de atenção.
Qualquer local do sistema de saúde tem responsabilidade no
acolhimento e no cuidado integral à criança e deve viabilizar a
continuidade da atenção.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA:
PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS
• Brasil. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria nº 1.130, de 5 de Agosto de 2015. Institui a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde
da Criança (PNAISC) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).
• Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política Nacional de Atenção Integral
à Saúde da Criança : orientações para implementação / Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas
Estratégicas. – Brasília : Ministério da Saúde, 2018. 180 p. : il. ISBN 978-85-334-2596-5
• ALMEIDA, PVB. Apresentação. In: PENELLO, L. M.; LUGARINHO, L. P. (Org.). Estratégia Brasileirinhas e Brasileirinhos Saudáveis: a contribuição da
estratégia Brasileirinhas e Brasileirinhos Saudáveis à construção de uma política de Atenção Integral à Saúde da Criança. Rio de Janeiro: Instituto
Fernandes Figueira, 2013.
• Almeida, Paulo Vicente Bonilha, & Zanolli, Maria de Lurdes. (2011). O papel do pediatra no PSF-Paidéia de Campinas (SP). Ciência & Saúde Coletiva,
16(Suppl. 1), 1479-1488. https://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232011000700083
Referências
ATENÇÃO À
CRIANÇA
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
Material de 26 de agosto de 2019
Disponível em: portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
Eixo: Atenção à Criança
Aprofunde seus conhecimentos acessando artigos disponíveis na biblioteca do Portal.
ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA:
PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS

More Related Content

What's hot

História da saúde da família e princípios da mfc
História da saúde da família e princípios da mfcHistória da saúde da família e princípios da mfc
História da saúde da família e princípios da mfc
Ricardo Alexandre
 
Aleitamento Materno e Alimentação Complementar Saudável: Eixo Estratégico II ...
Aleitamento Materno e Alimentação Complementar Saudável: Eixo Estratégico II ...Aleitamento Materno e Alimentação Complementar Saudável: Eixo Estratégico II ...
Aleitamento Materno e Alimentação Complementar Saudável: Eixo Estratégico II ...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Vigilância em saúde
Vigilância em saúdeVigilância em saúde
Vigilância em saúde
Anderson da Silva
 
Politica Nacional de Urgencias
Politica Nacional de UrgenciasPolitica Nacional de Urgencias
Politica Nacional de Urgencias
Valderi Ferreira
 
Estratégia saúde da família
Estratégia saúde da famíliaEstratégia saúde da família
Estratégia saúde da família
Ruth Milhomem
 
Atenção à Saúde de Crianças com Deficiência ou em Situações Específicas e de ...
Atenção à Saúde de Crianças com Deficiência ou em Situações Específicas e de ...Atenção à Saúde de Crianças com Deficiência ou em Situações Específicas e de ...
Atenção à Saúde de Crianças com Deficiência ou em Situações Específicas e de ...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Atenção Integral a Crianças com Agravos Prevalentes na Infância e com Doenças...
Atenção Integral a Crianças com Agravos Prevalentes na Infância e com Doenças...Atenção Integral a Crianças com Agravos Prevalentes na Infância e com Doenças...
Atenção Integral a Crianças com Agravos Prevalentes na Infância e com Doenças...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Luis Dantas
 
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
SAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEM
SAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEMSAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEM
SAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEM
Centro Universitário Ages
 
Paisc
PaiscPaisc
Rede cegonha 24022011
Rede cegonha 24022011Rede cegonha 24022011
Rede cegonha 24022011
jorge luiz dos santos de souza
 
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no primeiro período
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no primeiro períodoCuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no primeiro período
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no primeiro período
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Puericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de ConsultaPuericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de Consulta
blogped1
 
Consulta de enfermagem na puericultura
Consulta de enfermagem na puericulturaConsulta de enfermagem na puericultura
Consulta de enfermagem na puericultura
Amanda Thaysa
 
Pnab -programa nacional da Atenção básica
Pnab -programa nacional da Atenção básicaPnab -programa nacional da Atenção básica
Pnab -programa nacional da Atenção básica
Jarquineide Silva
 
PNAISC - Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança: implementa...
PNAISC - Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança: implementa...PNAISC - Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança: implementa...
PNAISC - Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança: implementa...
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Aula nasf
Aula nasfAula nasf
Aula nasf
enfgabi
 
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópiaAula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópia
Karla Toledo
 
Apresentacao politicanacional atencaoprimaria
Apresentacao politicanacional atencaoprimariaApresentacao politicanacional atencaoprimaria
Apresentacao politicanacional atencaoprimaria
Marcos Nery
 

What's hot (20)

História da saúde da família e princípios da mfc
História da saúde da família e princípios da mfcHistória da saúde da família e princípios da mfc
História da saúde da família e princípios da mfc
 
Aleitamento Materno e Alimentação Complementar Saudável: Eixo Estratégico II ...
Aleitamento Materno e Alimentação Complementar Saudável: Eixo Estratégico II ...Aleitamento Materno e Alimentação Complementar Saudável: Eixo Estratégico II ...
Aleitamento Materno e Alimentação Complementar Saudável: Eixo Estratégico II ...
 
Vigilância em saúde
Vigilância em saúdeVigilância em saúde
Vigilância em saúde
 
Politica Nacional de Urgencias
Politica Nacional de UrgenciasPolitica Nacional de Urgencias
Politica Nacional de Urgencias
 
Estratégia saúde da família
Estratégia saúde da famíliaEstratégia saúde da família
Estratégia saúde da família
 
Atenção à Saúde de Crianças com Deficiência ou em Situações Específicas e de ...
Atenção à Saúde de Crianças com Deficiência ou em Situações Específicas e de ...Atenção à Saúde de Crianças com Deficiência ou em Situações Específicas e de ...
Atenção à Saúde de Crianças com Deficiência ou em Situações Específicas e de ...
 
Atenção Integral a Crianças com Agravos Prevalentes na Infância e com Doenças...
Atenção Integral a Crianças com Agravos Prevalentes na Infância e com Doenças...Atenção Integral a Crianças com Agravos Prevalentes na Infância e com Doenças...
Atenção Integral a Crianças com Agravos Prevalentes na Infância e com Doenças...
 
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
 
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)
 
SAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEM
SAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEMSAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEM
SAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEM
 
Paisc
PaiscPaisc
Paisc
 
Rede cegonha 24022011
Rede cegonha 24022011Rede cegonha 24022011
Rede cegonha 24022011
 
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no primeiro período
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no primeiro períodoCuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no primeiro período
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no primeiro período
 
Puericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de ConsultaPuericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de Consulta
 
Consulta de enfermagem na puericultura
Consulta de enfermagem na puericulturaConsulta de enfermagem na puericultura
Consulta de enfermagem na puericultura
 
Pnab -programa nacional da Atenção básica
Pnab -programa nacional da Atenção básicaPnab -programa nacional da Atenção básica
Pnab -programa nacional da Atenção básica
 
PNAISC - Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança: implementa...
PNAISC - Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança: implementa...PNAISC - Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança: implementa...
PNAISC - Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança: implementa...
 
Aula nasf
Aula nasfAula nasf
Aula nasf
 
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópiaAula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópia
 
Apresentacao politicanacional atencaoprimaria
Apresentacao politicanacional atencaoprimariaApresentacao politicanacional atencaoprimaria
Apresentacao politicanacional atencaoprimaria
 

Similar to Organização da Atenção à Saúde da Criança: PNAISC como orientadora das práticas

Aula - Linhas de cuidado na saúde da criança.pptx
Aula - Linhas de cuidado na saúde da criança.pptxAula - Linhas de cuidado na saúde da criança.pptx
Aula - Linhas de cuidado na saúde da criança.pptx
Márcio Cristiano de Melo
 
pnaiscgeral-190714221230 (2).pdf
pnaiscgeral-190714221230 (2).pdfpnaiscgeral-190714221230 (2).pdf
pnaiscgeral-190714221230 (2).pdf
TaisdeJesusSantos
 
pnaiscgeral-190714221230 (2) (1).pptx
pnaiscgeral-190714221230 (2) (1).pptxpnaiscgeral-190714221230 (2) (1).pptx
pnaiscgeral-190714221230 (2) (1).pptx
TaisdeJesusSantos
 
O Papel do Profissional da Atenção Primária na Promoção do Desenvolvimento In...
O Papel do Profissional da Atenção Primária na Promoção do Desenvolvimento In...O Papel do Profissional da Atenção Primária na Promoção do Desenvolvimento In...
O Papel do Profissional da Atenção Primária na Promoção do Desenvolvimento In...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Saúde da Criança para o Brasil do Futuro: diagnóstico e propostas
Saúde da Criança para o Brasil do Futuro: diagnóstico e propostas Saúde da Criança para o Brasil do Futuro: diagnóstico e propostas
Saúde da Criança para o Brasil do Futuro: diagnóstico e propostas
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Ciclo ii 02
Ciclo ii 02Ciclo ii 02
Ciclo ii 02
Rodrigo Abreu
 
0769-L - Normas de atenção à saúde integral do adolescente - Vol. III
0769-L - Normas de atenção à saúde integral do adolescente - Vol. III0769-L - Normas de atenção à saúde integral do adolescente - Vol. III
0769-L - Normas de atenção à saúde integral do adolescente - Vol. III
bibliotecasaude
 
cad-6-PPT 1 - abordando o desenvolvimento infantil.pptx
cad-6-PPT 1 - abordando o desenvolvimento infantil.pptxcad-6-PPT 1 - abordando o desenvolvimento infantil.pptx
cad-6-PPT 1 - abordando o desenvolvimento infantil.pptx
MiltonFernandes41
 
Serviços
ServiçosServiços
Aula Enfermagem pediatrica competencias.pptx
Aula Enfermagem pediatrica competencias.pptxAula Enfermagem pediatrica competencias.pptx
Aula Enfermagem pediatrica competencias.pptx
pamelacastro71
 
PNAISC.pdf
PNAISC.pdfPNAISC.pdf
PNAISC.pdf
ShesterDamaceno1
 
programa de saude escolar
programa de saude escolarprograma de saude escolar
programa de saude escolar
themis dovera
 
Calendário de Consultas da Criança: Acompanhando o Crescimento e o Desenvolvi...
Calendário de Consultas da Criança: Acompanhando o Crescimento e o Desenvolvi...Calendário de Consultas da Criança: Acompanhando o Crescimento e o Desenvolvi...
Calendário de Consultas da Criança: Acompanhando o Crescimento e o Desenvolvi...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Atenção Humanizada e Qualificada à Gestação, ao Parto, ao Nascimento e ao Rec...
Atenção Humanizada e Qualificada à Gestação, ao Parto, ao Nascimento e ao Rec...Atenção Humanizada e Qualificada à Gestação, ao Parto, ao Nascimento e ao Rec...
Atenção Humanizada e Qualificada à Gestação, ao Parto, ao Nascimento e ao Rec...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Nascimento Seguro: uma proposta para diminuir a mortalidade neonatal
Nascimento Seguro: uma proposta para diminuir a mortalidade neonatalNascimento Seguro: uma proposta para diminuir a mortalidade neonatal
Nascimento Seguro: uma proposta para diminuir a mortalidade neonatal
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
INTRODUCAO.docx
INTRODUCAO.docxINTRODUCAO.docx
PROJETO TERAPÊUTICO SINGULAR
PROJETO TERAPÊUTICO SINGULARPROJETO TERAPÊUTICO SINGULAR
PROJETO TERAPÊUTICO SINGULAR
Portal da Inovação em Saúde
 
Pse
PsePse
PSE
PSEPSE
Programa de Saúde nas Escolas para Criança e Adolescentes.pptx
Programa de Saúde nas Escolas para Criança e Adolescentes.pptxPrograma de Saúde nas Escolas para Criança e Adolescentes.pptx
Programa de Saúde nas Escolas para Criança e Adolescentes.pptx
Natiele Café
 

Similar to Organização da Atenção à Saúde da Criança: PNAISC como orientadora das práticas (20)

Aula - Linhas de cuidado na saúde da criança.pptx
Aula - Linhas de cuidado na saúde da criança.pptxAula - Linhas de cuidado na saúde da criança.pptx
Aula - Linhas de cuidado na saúde da criança.pptx
 
pnaiscgeral-190714221230 (2).pdf
pnaiscgeral-190714221230 (2).pdfpnaiscgeral-190714221230 (2).pdf
pnaiscgeral-190714221230 (2).pdf
 
pnaiscgeral-190714221230 (2) (1).pptx
pnaiscgeral-190714221230 (2) (1).pptxpnaiscgeral-190714221230 (2) (1).pptx
pnaiscgeral-190714221230 (2) (1).pptx
 
O Papel do Profissional da Atenção Primária na Promoção do Desenvolvimento In...
O Papel do Profissional da Atenção Primária na Promoção do Desenvolvimento In...O Papel do Profissional da Atenção Primária na Promoção do Desenvolvimento In...
O Papel do Profissional da Atenção Primária na Promoção do Desenvolvimento In...
 
Saúde da Criança para o Brasil do Futuro: diagnóstico e propostas
Saúde da Criança para o Brasil do Futuro: diagnóstico e propostas Saúde da Criança para o Brasil do Futuro: diagnóstico e propostas
Saúde da Criança para o Brasil do Futuro: diagnóstico e propostas
 
Ciclo ii 02
Ciclo ii 02Ciclo ii 02
Ciclo ii 02
 
0769-L - Normas de atenção à saúde integral do adolescente - Vol. III
0769-L - Normas de atenção à saúde integral do adolescente - Vol. III0769-L - Normas de atenção à saúde integral do adolescente - Vol. III
0769-L - Normas de atenção à saúde integral do adolescente - Vol. III
 
cad-6-PPT 1 - abordando o desenvolvimento infantil.pptx
cad-6-PPT 1 - abordando o desenvolvimento infantil.pptxcad-6-PPT 1 - abordando o desenvolvimento infantil.pptx
cad-6-PPT 1 - abordando o desenvolvimento infantil.pptx
 
Serviços
ServiçosServiços
Serviços
 
Aula Enfermagem pediatrica competencias.pptx
Aula Enfermagem pediatrica competencias.pptxAula Enfermagem pediatrica competencias.pptx
Aula Enfermagem pediatrica competencias.pptx
 
PNAISC.pdf
PNAISC.pdfPNAISC.pdf
PNAISC.pdf
 
programa de saude escolar
programa de saude escolarprograma de saude escolar
programa de saude escolar
 
Calendário de Consultas da Criança: Acompanhando o Crescimento e o Desenvolvi...
Calendário de Consultas da Criança: Acompanhando o Crescimento e o Desenvolvi...Calendário de Consultas da Criança: Acompanhando o Crescimento e o Desenvolvi...
Calendário de Consultas da Criança: Acompanhando o Crescimento e o Desenvolvi...
 
Atenção Humanizada e Qualificada à Gestação, ao Parto, ao Nascimento e ao Rec...
Atenção Humanizada e Qualificada à Gestação, ao Parto, ao Nascimento e ao Rec...Atenção Humanizada e Qualificada à Gestação, ao Parto, ao Nascimento e ao Rec...
Atenção Humanizada e Qualificada à Gestação, ao Parto, ao Nascimento e ao Rec...
 
Nascimento Seguro: uma proposta para diminuir a mortalidade neonatal
Nascimento Seguro: uma proposta para diminuir a mortalidade neonatalNascimento Seguro: uma proposta para diminuir a mortalidade neonatal
Nascimento Seguro: uma proposta para diminuir a mortalidade neonatal
 
INTRODUCAO.docx
INTRODUCAO.docxINTRODUCAO.docx
INTRODUCAO.docx
 
PROJETO TERAPÊUTICO SINGULAR
PROJETO TERAPÊUTICO SINGULARPROJETO TERAPÊUTICO SINGULAR
PROJETO TERAPÊUTICO SINGULAR
 
Pse
PsePse
Pse
 
PSE
PSEPSE
PSE
 
Programa de Saúde nas Escolas para Criança e Adolescentes.pptx
Programa de Saúde nas Escolas para Criança e Adolescentes.pptxPrograma de Saúde nas Escolas para Criança e Adolescentes.pptx
Programa de Saúde nas Escolas para Criança e Adolescentes.pptx
 

More from Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)

Disbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
Disbioses, Infecções Genitais e InfertilidadeDisbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em PediatriaPrevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Ansiedade e Depressão no Climatério
Ansiedade e Depressão no ClimatérioAnsiedade e Depressão no Climatério
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no BrasilDesospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
O Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
O Pré-natal e a Promoção do Parto NormalO Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadasDiabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Luto Perinatal
Luto PerinatalLuto Perinatal
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e ManejoAnafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e PuerpérioDiabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no BrasilRetomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Cuidados com a Saúde Bucal na Gestação
Cuidados com a Saúde Bucal na GestaçãoCuidados com a Saúde Bucal na Gestação
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Fibrose Cística: como diagnosticar?
Fibrose Cística: como diagnosticar?Fibrose Cística: como diagnosticar?
Osteogênese Imperfeita
Osteogênese ImperfeitaOsteogênese Imperfeita
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natalDiabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Desafios na Introdução Alimentar
Desafios na Introdução AlimentarDesafios na Introdução Alimentar

More from Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz) (20)

Disbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
Disbioses, Infecções Genitais e InfertilidadeDisbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
Disbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
 
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em PediatriaPrevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
 
Ansiedade e Depressão no Climatério
Ansiedade e Depressão no ClimatérioAnsiedade e Depressão no Climatério
Ansiedade e Depressão no Climatério
 
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
 
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
 
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no BrasilDesospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
 
O Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
O Pré-natal e a Promoção do Parto NormalO Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
O Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
 
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
 
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
 
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadasDiabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
 
Luto Perinatal
Luto PerinatalLuto Perinatal
Luto Perinatal
 
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e ManejoAnafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
 
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e PuerpérioDiabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
 
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no BrasilRetomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
 
Cuidados com a Saúde Bucal na Gestação
Cuidados com a Saúde Bucal na GestaçãoCuidados com a Saúde Bucal na Gestação
Cuidados com a Saúde Bucal na Gestação
 
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
 
Fibrose Cística: como diagnosticar?
Fibrose Cística: como diagnosticar?Fibrose Cística: como diagnosticar?
Fibrose Cística: como diagnosticar?
 
Osteogênese Imperfeita
Osteogênese ImperfeitaOsteogênese Imperfeita
Osteogênese Imperfeita
 
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natalDiabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
 
Desafios na Introdução Alimentar
Desafios na Introdução AlimentarDesafios na Introdução Alimentar
Desafios na Introdução Alimentar
 

Organização da Atenção à Saúde da Criança: PNAISC como orientadora das práticas

  • 1. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br ATENÇÃO À CRIANÇA ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA: PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS
  • 2. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA: PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS As ações e os serviços para a Atenção Integral à Saúde da Criança são coordenados pela Atenção Básica, a partir da avaliação do risco individual e coletivo.
  • 3. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA: PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS Objetivo dessa apresentação: • Descrever aspectos da organização da atenção à criança propostos na Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC).
  • 4. POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DA CRIANÇA (PNAISC) portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
  • 5. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA: PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS Articulação da Atenção à Saúde da Criança com as Redes de Atenção à Saúde RAS A imagem diagonal em azul indica que a atenção integral à saúde da criança perpassa todos os eixos da PNAISC e todas as redes, com o objetivo de atender às necessidades em saúde das crianças. A Atenção Básica assume o desafio de conter ações e serviços específicos a serem ofertados mas também de ordenar todo o cuidado dentro das Redes de Atenção.
  • 6. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA: PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS Atenção Básica e Saúde da Criança Caracteriza-se como um conjunto de ações de saúde, nos âmbitos individual e coletivo, que abrange a promoção e a proteção da saúde, a prevenção de agravos, o diagnóstico, o tratamento, a reabilitação, a redução de danos e a manutenção da saúde, com o objetivo de desenvolver uma atenção integral, contínua e organizada, que impacte na situação de saúde e autonomia das pessoas e nos determinantes e condicionantes de saúde das coletividades. Portaria nº 1.130 de 05 de agosto de 2015. Mas o que é a Atenção Básica?
  • 7. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA: PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS Saúde da Criança na Atenção Básica • Estudos têm apontado que os novos desafios epidemiológicos da modernidade, a exemplo do perfil de morbimortalidade da criança do século XXI, demandam uma Atenção Básica com equipes de profissionais com olhar biopsicossocial do indivíduo, da família e da comunidade. • O trabalho em equipe e em intensa articulação intersetorial é imperativo, sob pena de não impactarem na saúde infantil (ALMEIDA; ZANOLLI, 2011). • Na composição da integralidade da atenção à saúde da criança na atenção básica, com as ações de atenção à demanda espontânea e programática, também as ações de prevenção e promoção de saúde e vigilância em saúde no território constituem importante espaço de atuação. Portaria nº 1.130 de 05 de agosto de 2015.
  • 8. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA: PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS Saúde da Criança na Atenção Básica Oferta das ações programáticas tradicionais, como: Portaria nº 1.130 de 05 de agosto de 2015. Acompanhamento do pré-natal Acompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criança Acompanhamento de outros grupos de maior risco/vulnerabilidade Grupos de maior risco/vulnerabilidade devem ser identificados para acompanhamento mais próximo e singularizado, em atendimentos individuais/em grupo e domiciliar. Crianças com agravos sociais, nutricionais (obesidade/desnutrição), psicossociais (crianças com dificuldades escolares, famílias com dificuldades relacionais afetando a criança), crianças em situação de violência, agravos clínicos (asma e outros problemas crônicos) e agravos de importância epidemiológica local.
  • 9. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA: PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS O que torna a Atenção Básica ordenadora do cuidado à criança? Portaria nº 1.130 de 05 de agosto de 2015. • Com foco na família, em seu contexto social; • Em um território delimitado que permite conhecer as características da população adscrita, assim como equipamentos sociais e de saúde que possam ser complementares; • Como ordenadora dos cuidados dentro das Redes de Atenção à Saúde (RAS), ou seja, o usuário pode estar em qualquer outro serviço ou ponto da rede, mas sempre estará em contato com a Atenção Básica, que o apoia e organiza sua circulação pela RAS. A Atenção Básica atua:
  • 10. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA: PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS • Conhecimento da realidade epidemiológica da população de crianças da área de cobertura, para planejar intervenções coletivas em seus determinantes de saúde; • Coordenação do cuidado, tanto internamente (entre a equipe) quanto em rede; • Planejamento, programação e implementação de ações setoriais e intersetoriais com impacto na situação de saúde da criança, desde a gestação. Portaria nº 1.130 de 05 de agosto de 2015. A Atenção Básica traz para a Atenção à Criança:
  • 11. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA: PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS Portaria nº 1.130 de 05 de agosto de 2015. Pontos chave para o desenvolvimento da Atenção à Saúde da Criança na Atenção Básica: • Integralidade no olhar à criança • Atuação em equipe multiprofissional • Oportunizar os momentos de cuidado • Visão integral dos demais pontos de atenção que podem ser acessados, visando garantir continuidade do cuidado • Bom fluxo de comunicação com a rede
  • 12. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA: PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS Atenção Básica e Saúde da Criança • A Atenção Integral à Saúde da Criança depende do trabalho intersetorial, articulando a Unidade Básica de Saúde (UBS) com os demais equipamentos das políticas públicas sociais envolvidas com aquele território, em especial a educação e a assistência social, mas se possível também das políticas de cultura e de esportes, considerando a importância do brincar e das atividades físicas para a criança (ALMEIDA, 2013). • Na rede de saúde a articulação entre os pontos de atenção é fundamental, desde o pré-natal, com a vinculação da gestante com a maternidade de referência para atenção ao parto. Após o nascimento, essa articulação se expressa na alta responsável pela maternidade, utilizando a Caderneta de Saúde da Criança e já com agendamento do “5º Dia de Saúde Integral” da mãe e bebê. Portaria nº 1.130 de 05 de agosto de 2015.
  • 13. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA: PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS Cuidado compartilhado da Atenção Básica com outros pontos de atenção Os serviços de atenção à criança no ambiente hospitalar e ambulatorial especializado, entre outros de maior complexidade e densidade tecnológica, serão referenciados pelas portas de entrada das redes: • Atenção Básica; • Atenção à Urgência e Emergência; • Atenção Psicossocial; e • Redes especiais de acesso aberto. Outra necessidade é a integração com a Atenção Hospitalar para a vigilância da saúde da criança que necessitou de internação, em qualquer momento da vida, para continuidade de assistência e o cuidado após a alta, prevenindo-se internações evitáveis (Internações por Condições Sensíveis à Atenção Primária – ICSAP). Portaria nº 1.130 de 05 de agosto de 2015. A continuidade da assistência é indispensável na qualidade do cuidado à criança!
  • 14. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA: PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS Saúde da Criança na Atenção Básica: ações específicas • As ações de vacinação são coordenadas pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), com o objetivo de erradicar, eliminar e controlar as doenças imunopreveníveis no território brasileiro. • Os registros, na Caderneta de Saúde da Criança, das vacinas do Calendário Nacional de Vacinação recebidas pela criança, devem ser sempre observados pelos profissionais da Atenção Básica e mesmo de outros serviços de saúde que venham a ter contato com ela, com o objetivo de que esteja sempre com a vacinação atualizada (BRASIL, 2014). Portaria nº 1.130 de 05 de agosto de 2015. Programa Nacional de Imunização – PNI
  • 15. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA: PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS Saúde da Criança na Atenção Básica: ações específicas • A nova concepção em saúde na escola foi incorporada nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) em 1997, consagrando o tema da saúde como transversal às disciplinas e às ações no contexto escolar, nas dimensões da promoção da saúde, de prevenção de doenças e agravos e de atenção e cuidados à saúde de crianças e adolescentes. • O Programa Saúde na Escola (PSE) tem como principais desafios o uso de estratégias pedagógicas coerentes com a produção de educação e saúde integral, fundamental para produzir autocuidado, autonomia e participação dos escolares de acordo com a idade que se encontram. Programa Saúde na Escola – PSE Portaria nº 1.130 de 05 de agosto de 2015.
  • 16. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA: PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS Saúde da Criança na Atenção Básica: ações específicas • São inúmeras as possibilidades de atuação: desenvolvimento de atividades lúdicas de promoção da saúde, identificação precoce e oportuna de problemas de saúde, desenvolvimento e aprendizagem, na construção de estratégias que evitem a medicalização das dificuldades escolares, qualificação dos profissionais, familiares e responsáveis, ampliando a capacidade de produzir diálogo e vínculos entre as partes envolvidas. Programa Saúde na Escola – PSE Portaria nº 1.130 de 05 de agosto de 2015.
  • 17. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA: PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS Saúde da Criança na Atenção Básica: ações específicas • A Política Nacional de Saúde Bucal, intitulada Brasil Sorridente, pauta-se nos princípios e nas diretrizes do SUS. Na Atenção Integral à Saúde da Criança essa política se insere de forma transversal, integral e intersetorial nas linhas de cuidado direcionadas à mulher e à criança, com o objetivo de promover a qualidade de vida desse público, por meio das ações de promoção, prevenção, cuidado, qualificação e vigilância em saúde (BRASIL, 2004). • O acesso à saúde bucal deve ter início no pré-natal e será incorporado no acompanhamento do crescimento e no desenvolvimento da criança. Portaria nº 1.130 de 05 de agosto de 2015. Atenção à Saúde Bucal
  • 18. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA: PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS A Atenção Básica é responsável pelo cuidado longitudinal de todas as crianças, deve se articular em perspectiva intersetorial e tem papel fundamental no ordenamento do cuidado em relação aos outros pontos de atenção. Qualquer local do sistema de saúde tem responsabilidade no acolhimento e no cuidado integral à criança e deve viabilizar a continuidade da atenção.
  • 19. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA: PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS • Brasil. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria nº 1.130, de 5 de Agosto de 2015. Institui a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). • Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança : orientações para implementação / Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – Brasília : Ministério da Saúde, 2018. 180 p. : il. ISBN 978-85-334-2596-5 • ALMEIDA, PVB. Apresentação. In: PENELLO, L. M.; LUGARINHO, L. P. (Org.). Estratégia Brasileirinhas e Brasileirinhos Saudáveis: a contribuição da estratégia Brasileirinhas e Brasileirinhos Saudáveis à construção de uma política de Atenção Integral à Saúde da Criança. Rio de Janeiro: Instituto Fernandes Figueira, 2013. • Almeida, Paulo Vicente Bonilha, & Zanolli, Maria de Lurdes. (2011). O papel do pediatra no PSF-Paidéia de Campinas (SP). Ciência & Saúde Coletiva, 16(Suppl. 1), 1479-1488. https://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232011000700083 Referências
  • 20. ATENÇÃO À CRIANÇA portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Material de 26 de agosto de 2019 Disponível em: portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Eixo: Atenção à Criança Aprofunde seus conhecimentos acessando artigos disponíveis na biblioteca do Portal. ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA: PNAISC COMO ORIENTADORA DAS PRÁTICAS