Geo populaçao

3,936 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,936
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
573
Actions
Shares
0
Downloads
107
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Geo populaçao

  1. 1. Dinâmica Populacional "As disparidades não são pequenas, as mudanças foram grandes, e o mundo já não é mais o mesmo." Professora: Simone Hilgert Nalin Geografia
  2. 2. Xaxim 25.570 hab
  3. 3. Santa Catarina• Densidade demográfica de 64hab/quilômetro quadrado.• A população total do Estado éde 6.118.743 habitantes.• 40,63% das pessoas vivem nocampo e 59,37% habitam oscentros urbanos.•No ranking dos Estados maispopulosos, Santa Catarina ocupa11º lugar, correspondendo a 3,15%de toda população do país.
  4. 4. Santa Catarina• Município mais populoso• Joinville - 497.331 hab• Município menos populoso• Santiago do Sul 1.450 hab
  5. 5. Brasil = 191,5 milhões de hab
  6. 6. População Mundial- Até 1650: alta natalidade e mortalidade devido a fome,guerras e doenças;- Entre 1650 e 1850: Revolução Industrial provocoudiminuição da mortalidade nos países europeus;- Entre 1850 e 1950: diminuição da natalidade nos paísesdesenvolvidos (Europa);- A partir de 1950: explosão demográfica nos paísessubdesenvolvidos.
  7. 7. CRESCIMENTOPOPULACIONALAs estatísticas mostram que a populaçãomundial tem crescido de modo contínuo aolongo do tempo, porém com intensidades eproporções diferentes. De acordo comestimativas publicadas pelo IBGE, nesteano, a população mundial já ultrapassou os6,8 bilhões de habitantes.
  8. 8. Evolução Demográfica Mundial(1900-2025)Pode-se dizer que o crescimento populacional foi dividido em 3 fases. Essastrês fases, decorrem da chamada transição demográfica que explica atendência da população mundial a se equilibrar à medida que caem as taxas denatalidade e mortalidade.
  9. 9. Primeira Fase Segunda Fase Ou fase de Ou fase de crescimento lento crescimento rápido País Taxa de Taxa de Crescimento Natalidade Mortalidade Vegetativo (%o) (%o) (%o)Alemanha 39,0 27,2 1,1(1871)Inglaterra 35,0 21,4 1,3(1871)Butão 43,0 31,0 1,2(1965)Serra 48,0 33,0 1,5Leoa(1965)Embora, no início dos tempos até o final do Esta fase caracteriza-se por elevadasséculo XVIII, a taxa de natalidade tenha sido taxas de natalidade, baixas taxas deelevada , a taxa de mortalidade também era mortalidade e grande crescimentoelevada, justificando o baixo índice de populacional. É válido salientar, que tantoscrescimento demográfico do período. A nos países desenvolvidos quantos nosexpectativa de vida era baixa; e a a alta subdesenvolvidos, o crescimentomortalidade devia-se, primordialmente, às demográfico resultou, principalmente, daprecárias condições de higiene, às guerras e à redução da mortalidade.fome.
  10. 10. Segunda Fase Nos países Nos países desenvolvidos subdesenvolvidosOs países desenvolvidos iniciaram essa fase Por outro lado, os países subdesenvolvidos, quecom a Revolução Industrial; o advento das atualmente encontram-se ainda nessa fase,máquinas contribuiu para a melhoria das iniciaram essa etapa após a Segunda Guerracondições higiênico-sanitárias, o desempenho Mundial; a diminuição da mortalidade foi muitomédico-hospitalar e para o aumento da grande e rápida, pois já se conheciam asprodução de alimento de modo que a redução técnicas a ser utilizadas.da mortalidade se deu de forma gradativa e emum grande intervalo de tempo.
  11. 11. Terceira Fase Ou fase de baixíssimo crescimento ou estagnaçãoCaracterizada pelaocorrência de baixas taxasde natalidade, defecundidade (em torno de1,5 filho por mulher) e demortalidade, resultandoem níveis muito baixos eaté mesmo estagnação docrescimento demográfico.As causas são diversascomo: a urbanização, oaumento da escolarização ea incorporação da mulher Os países desenvolvidos já se encontram nessaao mercado de trabalho. fase com taxas de crescimento próximas deEsta fase caracteriza o zero, algumas sendo até negativas.fim da transiçãodemográfica.
  12. 12. Teorias DemográficasO crescimento demográfico foi, ao longo do tempo, explicado a partir de teorias.
  13. 13. Teoria de MalthusTeoria demográfica mais conhecida foi elaborada por Thomas RobertMalthus que a expôs em sua famosa obra Um ensaio sobre o princípio dapopulação.A teoria de Malthus se baseava nos seguintes princípios:1º) caso não seja detida por obstáculos (guerras ou epidemias), a populaçãotende a crescer segundo uma progressão geométrica (2,4,8,16,32...),duplicando a cada 25 anos.2º)os meios de subsistência (alimentos), na melhor das hipóteses, só podemaumentar segundo uma progressão aritmética (2,4,6,8,10...).Ele propunha a erradicação da pobreza e da fome por meio de uma políticaantinatalista, para evitar o caos mundial.
  14. 14. Teoria de NeomalthusianaA explosão demográfica após a Segunda Guerra Mundial ressuscitou as idéias de Malthus.Os neomalthusianos ou alarmistas aprimoraram a teoria adotando novas posturas:* Atribuíam a culpa pela situação de miséria dos países subdesenvolvidos ao aceleradocrescimento populacional;* Concordavam que a agricultura era capaz de produzir alimentos suficientes para todos;* Defendiam programas rígidos e oficiais de controle de natalidade.Concordando com os alarmistas, alguns países como a Índia, o Egito e o México passaram ainvestir mais em políticas demográficas do que em políticas econômicas para resolver oproblema da pobreza e da desigualdade, entretanto não obtiveram os resultadosesperados.
  15. 15. Teoria ReformistaOs reformistas ou marxistas, em oposição aosneomalthusianos, consideram a própria misériacausa do acelerado crescimento demográfico.Eles propõem uma melhor distribuição de renda Karl Marxe de alimentos, o aumento da escolaridade queocasionariam num planejamento familiarespontâneo e conseqüente queda da natalidade edo crescimento populacional.
  16. 16. Transição DemográficaA idéia principal desta teoria do ano de 1929 é que todo país em algummomento de sua história chegaria ao equilíbrio populacional, pois haveriaredução das taxas de natalidade e de mortalidade da sua população.
  17. 17. O conceito de transição demográficaA transição demográfica foi proposta pelo americano Warren Thompson em 1929com o termo original “Demographic Transition Model”que pode ser traduzidolivremente como a forma de estudar as modificações que acontecem naspopulações humanas desde o período das “altas taxas de nascimento (natalidade)e altas taxas de mortalidade” para o período das “baixas taxas de nascimento(natalidade) e baixas taxas de mortalidade”. Thompson já parte do princípio deque as taxas de nascimento e de mortalidade nunca foram constantes no tempo eque há leis ou regras gerais que se aplicam a todas as populações, que seriam asfases da transição demográfica. O demógrafo americano estipulou quatro fases: apré-moderna, a moderna, a industrial madura e a pós-industrial.
  18. 18. A fase I ou pré-moderna acontece em sociedades rurais com taxas de natalidade e mortalidade altas. Há oscilação rápida da população dependendo de eventos naturais como, por exemplo, uma seca prolongada e doenças. Como conseqüência há uma grande população jovem. No Brasil essa fase já foi ultrapassada, mas ainda é a fase de vários países da África.Na fase II ou moderna estão as sociedades onde houve melhora nas técnicasagrícolas, maior acesso à tecnologia e educação. Nesse momento, as taxas demortalidade caem rapidamente devido à maior oferta de alimentos e de condiçõessanitárias. Como conseqüência há aumento da sobrevida e redução das doençasinfecto-parasitárias. Por outro lado há aumento da taxa de nascimento comaumento da população. Essa fase também já foi praticamente ultrapassada noBrasil, e somente em algumas áreas do país se observa aumento da natalidade.Um exemplo de país da fase II é a China: a mortalidade caiu, mas a natalidadeainda não.
  19. 19. A fase III ou industrial madura é caracterizada pela urbanização, acesso a contracepção, melhora da renda, redução da agricultura de subsistência, melhora da posição feminina na sociedade e queda da taxa de nascimentos. Em conseqüência há um número inicial grande de crianças, cuja proporção cai rapidamente porque há aumento na proporção de jovens concentrados em cidades, com o decorrente aumento da violência juvenil. O saldo desse período é a tendência à estabilização da população. O Brasil está no ciclo final dessa fase, já próximo do seguinte.A fase IV ou pós-industrial é o momento de taxas baixas de natalidade emortalidade e com taxas de fecundidade que ficam abaixo do taxa de reposiçãopopulacional. Há três conseqüências: aumento da proporção de idosos;encolhimento da população e necessidade de imigrantes para trabalhar nosempregos de mais baixo salário. É uma situação bastante comum em países daEuropa como Itália e Portugal. No Brasil, a cidade de São Paulo é o exemplo típicodessa situação,

×