Planejamento empresarial p1

3,301 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
3,301
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
125
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Planejamento empresarial p1

  1. 1. Planejamento Empresarial Prof. Sílvio Carlos Valentini
  2. 2. Aula 1 Definições
  3. 3. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO • O QUE É ? Planejamento Estratégico é um processo gerencial estruturado a partir de um método que privilegia a visão sistêmica da empresa inserida em ambientes (incluindo o seu próprio ambiente interno), bem como a participatividade de suas lideranças no seu desenvolvimento.
  4. 4. PARA QUE SERVE? • Visa orientar ou reorientar os negócios e produtos da empresa de modo que gere lucros e crescimento satisfatórios, através do desenvolvimento e manutenção de uma adequação razoável entre objetivos e recursos da empresa e mudanças de oportunidades de mercado ("marketingoriented").
  5. 5. Não confundir planejamento com : • Previsão : Corresponde ao esforço para verificar quais serão os eventos que poderão ocorrer, com base no registro de uma série de probabilidades. • Projeção : Corresponde à situação tende a ser igual ao passado, em sua estrutura básica. • Predição : Corresponde à situação em que o futuro tende a ser diferente do passado, mas a empresa não tem nenhum controle sobre o seu processo e desenvolvimento. • Resolução de problemas : Corresponde a aspectos imediatos que procuram tão somente a correção de certas descontinuidades sobre o seu processo e desenvolvimento. • Plano : corresponde a um documento formal que se constitui na consolidação das informações e atividades desenvolvidas no • Processo de planejamento: é o limite da formalização do planejamento; é uma visão estática do planejamento; é uma decisão em que a relação custo-benefício deve ser observada.
  6. 6. Planejamento • Definição : Ferramenta administrativa para tomada decisão, que através do processo de coleta, seleção, organização e análise de dados e informações, transforma, dados em informações indicativas de tomada de decisão, possibilitando assim a diminuição dos riscos e a melhoraria do desempenho nos processos decisórios.
  7. 7. Princípios do planejamento • O princípio da contribuição aos objetivos, o planejamento deve sempre visar aos objetivos máximos da empresa. • O principio da precedência do planejamento, corresponde a uma função administrativa que vem antes das outras ( organização, direção e controle). • O princípio da maior penetração e abrangência, pois o planejamento pode provocar uma série de modificações nas características da organização.
  8. 8. Algumas modificações provocadas pelo planejamento Planejamento Provoca modificações em Pessoas Tecnologia Sistemas
  9. 9. Aula 2 A Visão Sistêmica e os princípios do Planejamento Estratégico
  10. 10. VISÃO SISTÊMICA • Empresa: sistema sócio-técnico aberto que interage com o meio-ambiente • Sistema sócio-técnico: reunião de pessoas em torno de . determinadas tecnologias
  11. 11. O todo é mais que a soma das partes “O todo é mais do que a soma das partes", ou seja, as organizações são analisadas como "sistemas abertos", mantendo um contínuo intercâmbio com o ambiente. Na realidade, sistema é um todo organizado ou complexo; um conjunto ou combinação de coisas ou partes, formando um todo complexo ou unitário. A partir da definição de sistema, na qual as unidades estão reciprocamente relacionadas, decorrem duas características básicas: Propósito ou objetivo: todo o sistema tem um propósito. Os elementos do sistema definem uma combinação que visa um objetivo à alcançar; Globalismo ou totalidade: qualquer estimulação em qualquer unidade do sistema afetará todas as demais unidades. Há uma relação de causa e efeito entre as diferentes partes do sistema.
  12. 12. Os sistemas e os parâmetros Os sistemas abertos são compostos por seus elementos (partes) e as relações entre eles, ou seja, as relações são os laços que ligam os elementos entre si. A caracterização dos sistemas dá-se pelos parâmetros: Entrada ou insumo – é a força de arranque de um sistema, permite a operação do sistema; Processamento ou transformador – é o fenômeno que produz mudança, converte entradas em saídas; Saída ou resultado – é a finalidade para qual se reuniram elementos e relações do sistema. Devem ser coerentes com a finalidade do sistema; Retroação ou retroalimentação - função que visa comparar a saída a determinados padrões estabelecidos. Visa manter ou aperfeiçoar o desempenho do processo; Ambiente – é o meio que envolve externamente o sistema.
  13. 13. Homeostasia e Adaptabilidade A organização, sendo um sistema aberto, precisa conciliar dois processos opostos, ambos imprescindíveis para sua sobrevivência: Homeostasia – tendência do sistema em permanecer estático ou em equilíbrio, mantendo seu status quo interno; Adaptabilidade – a mudança na organização do sistema para conseguir um novo e diferente estado de equilíbrio com o ambiente externo. Ae
  14. 14. Adaptação Ambiente Entradas Processamento Saídas A viabilidade de um sistema depende da sua capacidade de adaptar-se, mudar e responder às exigências e demandas do ambiente externo.
  15. 15. Mudanças O sistema organizacional tem a capacidade de modificar suas estruturas básicas. Sua constituição pode ser alterado através de processos no qual seus membros comparam os resultados esperados com aqueles obtidos e passam a detectar os erros que devem ser corrigidos.
  16. 16. O principio da maior eficiência, eficácia e efetividade • Eficiência é : – – – – – Fazer as coisas de maneira adequada; Resolver problemas; Salvaguardar os recursos aplicados; Cumprir o seu dever; e Reduzir os custos. – – – – – Fazer as coisas certas; Produzir alternativas criativas; Maximizar a utilização de recursos; Obter resultados; e Aumentar o lucro. • Eficácia é: • Efetividade é: – Manter-se no ambiente; e – Apresentar resultados globais positivos ao longo do tempo (permanentemente).
  17. 17. 4 fundamentos específicos do planejamento • Planejamento participativo : o principal beneficio não é seu produto, ou seja, o plano mas o processo envolvido. A participatividade do grupo. • Planejamento coordenado : todos os aspectos envolvidos devem ser projetados de forma que atuem interdependentemente, pois nenhuma parte ou aspecto de uma empresa pode ser planejado eficientemente se for de maneira independente de qualquer outra parte ou aspecto. • Planejamento integrado: Os vários escalões de uma empresa (M/G) devem ter seus planejamentos integrados. Nas empresas voltadas para o ambiente, nas quais os objetivos empresariais dominam os de seus membros, são escolhidos de “baixo para cima”, e a execução de “cima para baixo”. • Planejamento permanente: o ambiente é dinâmico e exige mudanças no planejamento.
  18. 18. Filosofias de Planejamento • Satisfação : atingir mínimo de satisfação, mas não necessariamente excedê-lo. Para Ackoff (1974), satisfação é fazer “suficientemente bem” mas não necessariamente “tão bem quanto possível”. • • • • Atingir nível de satisfação viável. Aderentes ( pouca resistência). Viabilidade financeira. Tendem a ser conservadores. • Otimização: fazer o tão bem quanto possível, utilizando técnicas matemática, estatísticas e modelos de simulação: • Objetivos quantitativos – relacionados a medidas monetárias ( Dolar, frango, etc...) • Necessita de sistemas de TI. • Automatização do processo decisório (Boa para processos operacionais). • Adaptação (homesostase): • Resposta e Equilíbrio Externo/Interno • Tipos de Adaptação (passiva e preventiva) • Vantagem focalizar os recursos humanos, desvantagem dificuldade de abandonar o enfoque tradicional.
  19. 19. Aula 3 Os tipos de decisões, os tipos de planejamento, evolução e importância
  20. 20. PREMISSA METODOLÓGICA: PARTICIPATIVIDADE • Nada se realiza em uma empresa a não ser através de pessoas. Assim sendo, a formulação do planejamento estratégico: • Não pode ser um "pacote"pré-fabricado (imposição) • *Deve ser desenvolvido de forma integrada (natureza multidisciplinar) com as próprias lideranças do sistema empresarial (adesão e compromisso) . Deve respeitar, em princípio, a cultura organizacional e educacionalmente renová-la (pressupõe mudanças na atitude gerencial).
  21. 21. Tipos de Decisões • Estratégicas – Votadas a empresa e o ambiente. • Gerenciais – Forma e estrutura da empresa. • Operacionais – Operacionais associadas processos de transformação.
  22. 22. Os tipos de planejamento • Estratégico : processo gerencial que possibilita ao executivo estabelecer o rumo a ser seguido pela empresa com vistas a obter o nível de otimização na relação empresa e ambiente. • Planejamento tático: o planejamento tático tem como objetivo otimizar determinada área e não a empresa como um todo. • Planejamento operacional: pode ser considerado como a formalização, principalmente através de documentos escritos, das metodologias de desenvolvimento e implantação estabelecida.
  23. 23. Desenvolvimento de planejamento tático Planejamento Tático Mercadológico Financeiro Planejamento Estratégico Planejamentos Operacionais RH Produção Organizacional Retroalimentação e Avaliação Resultados Resultados Esperados Apresentados Pelas Pelas Unid. Org. Unid. Org.
  24. 24. Diferenças básicas Estratégico, tático, operacional Estratégico 1. Prazo Longo 2. Amplitude Ampla 3. Risco Maiores 4. Atividades – fins e meios 5. Flexibilidad e - Menor Tático 1. Mais curto 2. Mais restrita 3. Menores 4. Meios 5. Maior Operacional 1. Mais curto 2. Mais restrita 3. Menores 4. Meios 5. Maior
  25. 25. Evolução do planejamento
  26. 26. A IMPORTÂNCIA - PORQUE O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO É TÃO IMPORTANTE? A complexidade das organizações e do ambiente faz com que haja a necessidade de um planejamento mais complexo que o tradicional.
  27. 27. A IMPORTÂNCIA • Com o crescimento do tamanho da empresa, também cresce a complexidade de seus processos, o que exige um maior número de decisões de longo-prazo e de longo alcance (investimento) • A escassez de recursos: opções e renúncias; a melhor relação custo-benefïcio dos investimentos empresariais • Crescimento da competição; renovação do "espírito empreendedor" dos primeiros dias da empresa, uma vez que a guerra competitiva foi declarada!
  28. 28. Aula 4 Metodologia de elaboração e a implementação
  29. 29. O que a empresa espera conhecer: • Pontos fortes: são os diferenciais da empresa (variáveis controláveis) que proporcionam vantagens competitivas. • Pontos fracos: são situações inadequadas (variáveis controláveis) que proporcionam desvantagem operacional. • Oportunidades: são as forças ambientais incontroláveis favoráveis a empresa. • Ameaças: são as forças ambientais incontroláveis desfavoráveis a empresa.
  30. 30. O que a empresa espera obter com o Planejamento Estratégico • As questões básicas necessárias para o processo. • A visão de expectativas futuras. • Os possíveis caminhos a serem seguidos pela organização. • Um plano de ação definido para os caminhos. • Como e onde alocar recursos.
  31. 31. E com o resultado • Direcionamento dos esforços; • Consolidação do entendimento por todos da empresa da visão, missão, objetivo, desafios, metas, políticas, etc... • O estabelecimento de uma agenda de trabalho por um período de tempo que permita a empresa trabalhar levando em conta as prioridades estabelecidas e as exceções justificadas.
  32. 32. Qual é o nosso negócio? – Para onde caminhamos, isto é, no que vamos transformar-nos se as coisas continuarem como estão? – O que gostaríamos de vir a ser? – E o que fazer para que o sejamos efetivamente? Peter Drucker
  33. 33. Fases do planejamento Estratégico 1. Fase I – Diagnóstico Estratégico 2. Fase II – Missão da empresa 3. Fase III – Instrumentos prescritivos quantitativos 4. Fase IV – Controle e avaliação
  34. 34. FASE I – Diagnóstico Estratégico • Auditoria de posição, procura determinar “como a empresa está” • Etapas do diagnóstico: – Identificação da visão : as expectativas e os desejos da empresa (acionistas, conselheiros, diretoria e de cada elemento da alta administração), como eles vêem a empresa a longo prazo. – Análise externa : verificar as ameaças e oportunidades e as melhores maneiras de evitar ou usufruir de situações. A análise pode ser efetuada a empresa como um todo.
  35. 35. Fase I –Diagnóstico – Etapa: Análise Externa • Tópicos a serem destacados: – – – – – – – – – – Mercado regional, nacional e internacional Ambiente tecnológico Fornecedores Aspectos econômicos e financeiros Aspectos socioeconômicos e culturais Aspectos políticos Entidades de classe Órgãos governamentais Mercado de mão de obra, e Concorrentes.
  36. 36. Aspectos a serem considerados na Análise Externa A ORGANIZAÇÃO INTERNO
  37. 37. Fase I – Diagnóstico Análise Interna • Verificar os pontos fortes, fracos e neutros da empresa. • Ponto neutro – sem avaliação o parâmetro para avaliação. – Exemplo : • Ponto forte – flexibilidade para o desenvolvimento do produto. • Ponto fraco – questões relacionadas a tecnologia utilizada. • Ponto neutro – não emprego de metodologia certificada para desenvolvimento.
  38. 38. Fase II - MISSÃO • Estabelecimento da razão de ser da empresa, bem como seu posicionamento estratégico. 1. 2. 3. 4. 5. Estabelecimento da Missão – “onde a empresa quer ir”. Estabelecimento dos propósitos – dentro da missão a análise dos propósitos em cada setor de atuação da empresa. Estruturação e debate de cenários – critérios para a preparação do futuro da empresa. Estabelecimento da postura estratégica – maneira adequada para alcançar seus propósitos dentro da missão respeitando sua situação. Estabelecimento das macroestratégias (grandes ações e caminhos) e macropoliticas (grandes orientações).
  39. 39. FASE III – INSTRUMENTOS PRESCRITIVOS E QUALITATIVOS • Instrumentos prescritivos : Explicação do que deve ser feito pela empresa para que se direcione e alcance os propósitos estabelecidos: A - Estabelecimento de objetivos, desafios e metas • • • • Objetivo – alvo Objetivo funcional – objetivo intermediário. Desafio – realização continuamente perseguida. Meta – passos ou etapas quantificados com prazos para alcançar desafios e objetivos.
  40. 40. FASE III – Instrumentos Prescritivos B – Estabelecimento de estratégias, políticas funcionais e diretrizes. a) Estratégia : ação ou caminho mais adequado para alcançar o objetivo, desafio, ou meta. b) Política : definição dos níveis de delegação, faixas de valores, quantidades limites, parâmetros ou orientações. c) Diretrizes: conjunto estruturado e interativos dos objetivo, estratégias e políticas. C – Estabelecimento de projetos e plano de ação a) Projetos: trabalhos a serem feitos. b) Programas : conjuntos de projetos homogêneos. c) Planos de ação : conjunto das partes comuns dos diversos projetos quanto ao assunto tratado.
  41. 41. Fase III - Instrumentos Quantitativos • Projeções econômico-financeira do planejamento orçamentário, devidamente associadas à estrutura organizacional. – O planejamento orçamentário –consolida os aspectos da realização quanto a receitas, despesas e investimentos, mostra o dia a dia dada empresa.
  42. 42. Fase IV – Controle e avaliação • Mostra como a empresa esta reagindo ou indo. • Envolve processos de: – – – – – Avaliação de desempenho Comparação do real com o esperado Análise dos desvios Tomadas de ações corretivas. Acompanhamento para avaliação da eficiência das ações corretivas. – Adição de informações para o desenvolvimento do processo de planejamento.
  43. 43. MODELO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
  44. 44. Aula 5 Os ambientes que envolvem a empresa
  45. 45. Ambientes da organização O ambiente de uma organização é geralmente dividido em três níveis: geral, operacional e interno. A organização, os níveis de seu ambiente e os componentes desses níveis.
  46. 46. Os ambientes Geral • Componentes: econômico, social, político, legal e tecnológico Operacional • Componentes: cliente, concorrência, mão-deobra, fornecedor, internacional Interno • É o nível de ambiente da organização. Estão mais facilmente perceptíveis e controláveis.
  47. 47. Quais são as etapas? – Realização da Análise do Ambiente – Estabelecimento da diretriz da organização – Formulação da estratégia – Implementação da estratégia organizacional – Exercício do controle estratégico
  48. 48. Administração Estratégica Análise do Ambiente Interno Externo Estabelecimento de Diretrizes Operacional Missão Objetivos Formulação da Estratégia Implementação da Estratégia Controle Estratégico feedback
  49. 49. Processo Contínuo • O processo de administração estratégica seja contínuo, ou seja: – ela nunca termina e não deve ser para dentro da organização • O processo de administração estratégica é iterativo: – inicia pela primeira etapa vai até a última e reinicia novamente (é cíclico)
  50. 50. Aula 6 ANALISE DO AMBIENTE EXTERNO
  51. 51. Relembrando Administração Estratégica “É o Processo Contínuo e Iterativo que visa manter uma organização, como um conjunto, apropriadamente integrada a seu ambiente”
  52. 52. Diretrizes para a execução de uma análise do ambiente • Determinar a relevância dos níveis ambientais e das questões estratégicas • Utilização de técnicas de análise do ambiente - Exame do ambiente - Análise de oportunidades e riscos - Previsão ambiental
  53. 53. Análise Externa macro-ambiente Tendências Ambiente Econômico ANÁLISE DO MACRO-AMBIENTE Ambiente Tecnológico Tendências Ambiente Demográfico e Sócio-cultural Ambientes Político e Legal
  54. 54. Análise Externa micro-ambiente Potenciais Concorrentes Fornecedores Industria Empresa Clientes Produtos substitutos
  55. 55. Análise do Macro-Ambiente • As empresas, seus concorrentes, fornecedores, clientes e intermediários operam dentro de um Macro-Ambiente que influencia com forças e megatendências criam oportunidades a ameaças para estes. • As forças ambientais são incontroláveis devendo as empresas monitorar e responder as estas. • A análise consiste na seleção das tendências macroambientais que possam a vir impactar os mercados e a visão da empresa, no horizonte de tempo de planejamento.
  56. 56. OPORTUNIDADE • Percepção de uma situação futura favorável a empresa que deve ser analisada para a tomada da decisão. • A oportunidade deverá ser analisada quanto a contribuição que ela trará para a VISÃO.
  57. 57. AMEAÇA • Percepção de situação futura que coloca em risco (AMEAÇA) a organização ou contribui de forma negativa para com o objetivo futuro da organização, colocando-a mais longe de sua VISÃO) • Deverá ser analisada e se necessário deverão ser evitadas para que a empresa não corra futuros riscos.
  58. 58. AMBIENE ECONÔMICO • Exemplo de variáveis: – – – – – Crescimento do PIB Classes de renda Nível de consumo e poupança Inflação Padrões de gasto do consumidor • Análise das tendências das variáveis econômicas que afetam a demanda e a oferta de produtos e serviços no mercado em que a empresa atua.
  59. 59. AMBIENTE POLÍTICOLEGAL • EXEMPLO DE VARIÁVES: – Crescimento de grupos de interesse público (correntes ideológicas emergentes) – Projetos de lei em andamento – Regulamentações do governo • Análise de tendências relativas ao leis, códigos, correntes ideológicas, políticas que possam afetar a empresa.
  60. 60. AMBIENTE TECNOLÓGICO • EXEMPLO DE VARIÁVEIS: – Velocidade das mudanças tecnológicas – Informatização – Engenharia genética • Análise de tendências relativas ao desenvolvimento tecnológico e a evolução do conhecimento humano, e como esse influencia nas entradas, processamento, ou saídas da empresa.
  61. 61. AMBIENTE DEMOGRÁFICO • EXEMPLO DE VARIÁVEIS: – – – – – – – Taxa de natalidade Faixas etárias Crescimento populacional Número de residências Movimentos migratórios Etnias Escolaridade • Análise relativas as características de populações que possam influir nas atividades futuras da empresa.
  62. 62. AMBIENTE SÓCIOCULTURAL • EXEMPLO DE VARIÁVEIS: – Mudanças nas crenças valores e normas sociais • Relação das pessoas consigo mesmas, com os outros com as instituições, com a sociedade. • Relação das pessoas com a natureza, com o universo. • A análise de tendências relativas a crenças básicas, valores, normas e costumes sociais nas sociedades com as quais a empresa interage, de forma a perceber situações situações que possam afetar o desenvolvimento futuro da empresa.
  63. 63. TENDÊNCIAS DE AMBIENTE SÓCIO-CULTURAL • OUT – Os ícones são os melhores modelos – Herança e Colher os frutos na velhice • Estilo Machão – Feminismo • IN – Os bons são os pequenos – Colher os frutos agora – Estilo apenas homem – Mulher Cada tendência esta sujeita a exceções O vai e vem das forças futuras, modelo pendular ao invés de única direção.
  64. 64. Exercícios • Leituras de cenários – Leitura de artigos que influenciam de forma positiva ou negativa no crescimento das organizações da região de campinas.
  65. 65. Exercício 1 : Quais dos fatores nascem no ambiente geral. a) Concorrência acirrada busca por novas tecnologias b) Empresa lança novo produto para atender demanda do mercado c) Empresa faz reestruturação para atender as novas exigências globais. d) Tecnologia para economia de energia é oportunidade para melhoria na produção.
  66. 66. 2) Quais fatores não estão ligados ao ambiente geral a) Mão de obra busca qualificação técnica b) Legislação ambiental impõe mudança no processo produtivo c) Tecnologia para economia de energia é oportunidade para melhoria mercadológica. d) Concorrência torna-se mais acirrada
  67. 67. 3) São exemplos de variáveis do ambiente geral relacionadas a fatores econômicos a) b) c) d) Empresa fatura 1.000.000/ mês Empresa demite 200 funcionários Queda na taxa de juros favorece a pequena empresa Alta do dólar desfavorece importação.
  68. 68. 4) São exemplos de fatores do ambiente operacional A) queda de energia impede processo produtivo. B) chuvas intensas prejudicam o plantio do feijão C) lavradores da cana de açúcar fazem greve. D) credito imobiliário crescente mostra ser uma importante opção de crescimento para industria de construção civil.
  69. 69. 5) Para um pequena empresa um dos fatores abaixo é de baixa relevância indique o fator A) melhoria no processo produtivo da empresa. B) empresa cria política interna para combater custos. C) Cresce o uso de tecnologia de comunicação através de infra vermelho. D) cresce o numero de pessoas qualificadas no mercado de trabalho.
  70. 70. 6) Após analisar o ambiente e coletar informações sobre a concorrência. A empresa decidiu não entrar no mercado global, pois: A) identificou que o ambiente global tinha uma oportunidade diferenciada. B) identificou que a concorrência era pouco atuante C) identificou que a tecnologia usada era de alto custo apesar de ter capacidade financeira e técnica para utiliza-la. D) o componente global mostrava concorrência crescente em nível exorbitante.
  71. 71. 7) O propósito da administração estratégica é assegurar que a empresa integre-se apropriadamente a seu ambiente porque _________. a) O ambiente interno da empresa geralmente é constante. b) Os ambientes estão mudando constantemente e afetando as metas organizacionais. c) As metas organizacionais não levam em conta as oportunidades ambientais. d) Os ambientes são fáceis de prever.
  72. 72. 8) O planejamento estratégico deve ____________ a) Contar com apoio da diretoria. b) Contar com apoio da diretoria e gerencia. c) Ser voltado apenas a questões financeiras. d) Contar com a participatividade de todos da empresa.
  73. 73. 9) Um processo bem-sucedido de administração estratégica envolve a participação de __________. a) Muitos níveis da organização. b) Alguns poucos membros da organização. d) Alguns diretores-chave. e)Diversos níveis da organização e Concorrentes.
  74. 74. 10) O ambiente geral se torna mais relevante para a organização à medida que ela cresce porque ___________. a) O ambiente específico se torna menos importante para o sucesso. b) Uma organização tem mais chance de ter uma fatia maior dos negócios internacionais à medida que ela cresce. c) Os níveis operacional e interno convergem para o nível geral à medida que a organização cresce. d) O ambiente dita o comportamento de todas as empresas do setor.
  75. 75. Bibliografia • Planejamento Estratégico - Djalma Oliveira • Estratégia Competitiva – Michael Porter • Administração Estratégica – Peter & Certo • Projetos & Negócios – Sílvio Carlos Valentini
  76. 76. Mini-currículo • Sílvio Carlos Valentini silviocvalentini@gmail.com • Autor dos livros : – O Espetáculo das Vendas – 4ª Edição – Projetos e Negócios – Guia para o desenvolvimento de projetos produtos e serviços. – Técnicas de vendas – uma abordagem de atacado a varejo. • 23 anos em gestão de negócios em empresas de serviços, consultoria, projetos e tecnologia da informação : • Professor da graduação e pós-graduação desde 2003. • Palestrante em eventos empresariais e educacionais. – Contato para palestras, consultorias e treinamentos: silviocvalentini@gmail.com 77

×