Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
PERÍODO REGENCIAL  História do Brasil
PERÍODO REGENCIAL• Aclamação de D. Pedro II em 9 de abril de 1831 –  pintura de Jean-Baptiste Debret (1768–1848).   Prof.ª...
PERÍODO REGENCIAL• O Período Regencial se estendeu de 1931 até 1840.• Uma das marcas do período é a tensão causada  pelo c...
PERÍODO REGENCIAL• Em 1831, o exército participou de  motins no Rio de Janeiro exigindo  a exoneração dos funcionários  po...
PERÍODO REGENCIAL• Em 1832, foi criado o processo criminal que  reforçou o poder dos juízes de paz, eleitos no  município,...
PERÍODO REGENCIAL• O período foi  marcado por várias  revoltas de caráter  federalista e as  quatro mais  importantes estã...
PERÍODO REGENCIAL A Revolta dos Malês foi organizada por escravos de  origem muçulmana, e deflagrada na noite de 24 para ...
PERÍODO REGENCIAL Guarda Nacional reprime escravos revoltados.          A  Revolta dos Malês não foi a única do período, ...
PERÍODO REGENCIAL Os malês desejavam o fim do catolicismo – religião  que lhes era imposta –, confisco dos bens de todos ...
Prof.ª Valéria Fernandes   10/25/2012   10
PERÍODO REGENCIAL Os movimentos regenciais tiveram motivações  diferentes, mas todos foram movimentos federalistas. A fo...
PERÍODO REGENCIAL A Guerra dos Farrapos teve participação de  estrangeiros, como o famoso Garibaldi, e de outras  camadas...
PERÍODO REGENCIAL Travessia dos Lanchões e o Monumento à Anita  Garibaldi em Roma, Itália. Há outros no Brasil.Prof.ª Val...
PERÍODO REGENCIAL Figura de destaque na Guerra dos Farrapos, a  jovem Anita participou de várias batalhas e tornou-  se c...
PERÍODO REGENCIAL A incapacidade dos liberais de resolver as revoltas  federalistas levou os conservadores ao poder. Dur...
GOLPE DA MAIORIDADE Pela constituição de 1824, a  maioridade de D. Pedro deveria  ser aos 21 anos.                 O Ato ...
GOLPE DA MAIORIDADE Os conservadores perderam o poder e começou o  Segundo Império.  Prof.ª Valéria Fernandes            ...
GOLPE DA MAIORIDADE D. Pedro II assumiu como uma única forma de  manter o Brasil unido. Segundo os liberais e  alguns con...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Período Regencial

14,833 views

Published on

Aula de História do Brasil para o Terceiro ano do Colégio Militar de Brasília. Permitido o uso desde que citada a fonte.

Published in: Education
  • Be the first to comment

Período Regencial

  1. 1. PERÍODO REGENCIAL História do Brasil
  2. 2. PERÍODO REGENCIAL• Aclamação de D. Pedro II em 9 de abril de 1831 – pintura de Jean-Baptiste Debret (1768–1848). Prof.ª Valéria Fernandes 10/25/2012 2
  3. 3. PERÍODO REGENCIAL• O Período Regencial se estendeu de 1931 até 1840.• Uma das marcas do período é a tensão causada pelo conflito entre a pressão federalista e separatista e o esforço por manter a integridade territorial.• As Regências são divididas em:  Trina Provisória (1831).  Trina Permanente (1831-1835).  Regência Una (1835-1840) → Diogo Antônio Feijó (liberal) e Araújo Lima (conservador).• O Ato Adicional de 1834 criou a regência una. O regente não tinha o Poder Moderador. Prof.ª Valéria Fernandes 10/25/2012 3
  4. 4. PERÍODO REGENCIAL• Em 1831, o exército participou de motins no Rio de Janeiro exigindo a exoneração dos funcionários portugueses.• O então ministro da Justiça, Diogo Antônio Feijó, diminuiu o número de soldados do exército de 30 mil para 10 mil homens.• Criou-se a Guarda Nacional, que reforçou o poder dos grandes fazendeiros e durou até 1922. Prof.ª Valéria Fernandes 10/25/2012 4
  5. 5. PERÍODO REGENCIAL• Em 1832, foi criado o processo criminal que reforçou o poder dos juízes de paz, eleitos no município, estabeleceu o júri e o habeas corpus.• Além de criar a regência una, o Ato Adicional de 1834: reforçou o federalismo, criou as assembléias legislativas das províncias, estabeleceu eleições para regente, aboliu o Conselho de Estado, criou o município neutro da Corte.• Havia três “partidos” políticos: liberais moderados (maioria), liberais exaltados (alguns eram republicanos) e restauradores (conservadores). Prof.ª Valéria Fernandes 10/25/2012 5
  6. 6. PERÍODO REGENCIAL• O período foi marcado por várias revoltas de caráter federalista e as quatro mais importantes estão marcadas no mapa ao lado.• Também cabe ressaltar a revolta escrava dos Malês. Prof.ª Valéria Fernandes 10/25/2012 6
  7. 7. PERÍODO REGENCIAL A Revolta dos Malês foi organizada por escravos de origem muçulmana, e deflagrada na noite de 24 para 25 de janeiro de 1835 na cidade de Salvador. Cerca de 50% da população de Salvador era escrava. Foi uma sublevação de caráter social, de escravos africanos das etnias hauçá, igbomina e Picapó. Cerca de 1500 participaram do movimento. Os revoltosos eram alfabetizados em árabe. Mensagens e literatura nessa língua foram encontrados em posse dos revoltosos. A revolta fez com que os escravos baianos tivessem “má fama” durante o Segundo Império.Prof.ª Valéria Fernandes 10/25/2012 7
  8. 8. PERÍODO REGENCIAL Guarda Nacional reprime escravos revoltados. A Revolta dos Malês não foi a única do período, mas foi a mais organizada. O plano foi traído por uma escrava que se apiedou de seus senhores. Prof.ª Valéria Fernandes 10/25/2012 8
  9. 9. PERÍODO REGENCIAL Os malês desejavam o fim do catolicismo – religião que lhes era imposta –, confisco dos bens de todos os brancos e mulatos, a libertação dos escravos muçulmanos e a implantação de uma monarquia islâmica, escravidão dos não muçulmanos (brancos, mulatos e negros). Foram duramente reprimidos, no conflito morreram 7 soldados e 70 revoltosos. Os senhores intercederam por seus escravos para evitar o prejuízo. 5 foram fuzilados e cerca de 150 degredados para a África, outros escravos receberam castigos menores.Prof.ª Valéria Fernandes 10/25/2012 9
  10. 10. Prof.ª Valéria Fernandes 10/25/2012 10
  11. 11. PERÍODO REGENCIAL Os movimentos regenciais tiveram motivações diferentes, mas todos foram movimentos federalistas. A formação social variava, a Cabanagem e a Balaiada eram movimentos populares; a Sabinada tinha sua força nas camadas médias urbanas; os Farrapos eram liderados pelos ricos estancieiros. A Sabinada proclamou uma república que permaneceria até a maioridade de D. Pedro II. A rigor, eram fiéis monarquistas. A extrema pobreza moveu cabanos e balaios, tensões motivadas por impostos, racismos e falta de meios de subsistência.Prof.ª Valéria Fernandes 10/25/2012 11
  12. 12. PERÍODO REGENCIAL A Guerra dos Farrapos teve participação de estrangeiros, como o famoso Garibaldi, e de outras camadas da população, como os lanceiros negros. Um dos compromissos dos líderes farroupilhas era a abolição da escravatura. Acredita-se que os lanceiros negros foram massacrados em Porongos (13-14/11/1844) graças a um acordo entre o General David Canabarro e o Barão de Caxias. Temia-se que os negros se negassem a desarmar, já que a escravidão seria mantida. O General Netto, que prometera a abolição, foi para o exílio em protesto. Prof.ª Valéria Fernandes 10/25/2012 12
  13. 13. PERÍODO REGENCIAL Travessia dos Lanchões e o Monumento à Anita Garibaldi em Roma, Itália. Há outros no Brasil.Prof.ª Valéria Fernandes 10/25/2012 13
  14. 14. PERÍODO REGENCIAL Figura de destaque na Guerra dos Farrapos, a jovem Anita participou de várias batalhas e tornou- se companheira de Garibaldi. Ela o acompanhou até a Itália e participou das lutas de unificação. É chamada de “a heroína de dois mundos”. A Cabanagem se espalhou por parte da Amazônia e foi o primeiro movimento popular a tomar o poder. A repressão foi pesada e até hoje não se sabe quantos foram os mortos. Há estimativa de mais de 12 mil. Outras falam que entre 20 e 40% da população de 100 mil pessoas morreu no conflito. Prof.ª Valéria Fernandes 10/25/2012 14
  15. 15. PERÍODO REGENCIAL A incapacidade dos liberais de resolver as revoltas federalistas levou os conservadores ao poder. Durante a regência de Araújo Lima (1837-40), foi baixado a Lei Interpretativa do Ato Adicional, que revogava alguns dos aspectos mais federalistas do Ato, como a questão administrativa e jurídica das províncias; remodelava a Guarda Nacional tornando- a mais submissa ao Estado. O confisco de autonomia das províncias gerou grande insatisfação e esteve na base das revoltas que surgiram de 1840 a 1848, como a Revolução Liberal de 1842 e a Revolta Praieira. Prof.ª Valéria Fernandes 10/25/2012 15
  16. 16. GOLPE DA MAIORIDADE Pela constituição de 1824, a maioridade de D. Pedro deveria ser aos 21 anos. O Ato Adicional reduziu a idade para 18 anos. Os Liberais, alijados do poder, atiçaram a opinião pública e pressionaram o senado: só o imperador poderia unir a nação. Não há certeza se D. Pedro foi conivente, mas sua maioridade Prof.ª Valéria Fernandes 10/25/2012 16 foi decretada aos 14 anos.
  17. 17. GOLPE DA MAIORIDADE Os conservadores perderam o poder e começou o Segundo Império. Prof.ª Valéria Fernandes 10/25/2012 17
  18. 18. GOLPE DA MAIORIDADE D. Pedro II assumiu como uma única forma de manter o Brasil unido. Segundo os liberais e alguns conservadores, só o imperador e um poder central forte impediria a fragmentação. O fato é que a estabilização política efetivamente se processou. Novos arranjos políticos foram feitos e as elites regionais aplacadas. Estava garantido um modelo centralizado de governo com uma restrita autonomia provincial que se mantém até hoje na forma como nosso país é administrado. Prof.ª Valéria Fernandes 10/25/2012 18

×