SlideShare a Scribd company logo
1 of 29
A REPÚBLICA DOS
GENERAIS
1964 1985
GOLPE CÍVICO-
MILITAR
• É erro considerar o Golpe de 1964 como uma
ação das Forças Armadas somente. Havia
apoio de parcelas consideráveis da população
civil, o correto, então, é chamá-lo de cívico ou
civil militar.
• Já os militares que apoiaram o Golpe se
dividiam entre o Grupo da Sorbonne
(Castelistas), ligado à ESG (Escola Superior
de Guerra) e a Linha Dura.
• Com o tempo, o segundo grupo se impôs o
primeiro.
227/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes
GOLPE CÍVICO-
MILITAR
• Uma característica importante da Ditadura
Militar no Brasil é que ela não foi
personalista. No entanto, como o executivo
sempre esteve nas mãos do Exército, ela está
associada a esta instituição. 327/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes
GOVERNO CASTELO BRANCO
(1964-1967)
 AI-1→ Cassação de mandatos,
demissões de funcionários públicos
civis e militares → Suspensão por 6
meses da Constituição de 1946.
 Criação SNI (Serviço Nacional de
Informações) → 1964 → General
Golbery.
 1965 → os partidos de oposição
elegem os governadores no Rio de
Janeiro e Minas Gerais.
 Eleições para presidente adiadas →
mandato de Castelo Branco
estendido até 1967.
MARECHAL CASTELO
BRANCO
GOVERNO CASTELO BRANCO
(1964-1967)
 Repressão →
Sindicatos sofrem
intervenção, Ligas
Camponesas são
postas na
ilegalidade,
estudantes excluídos
das decisões nas
universidades.
 Acordos MEC-USAID
→ Reforma da
educação → 1966.
A Universidade de Direito da
UFRJ sofreu varias
intervenções a partir de 1964.
GOVERNO CASTELO BRANCO
(1964-1967)
 AI-2 → Bipartidarismo →
ARENA (Aliança
Renovadora Nacional) e
MDB (Movimento
Democrático Brasileiro).
 AI-3 → governadores,
prefeitos de capitais e
cidades de segurança
nacional seriam eleitos
por voto indireto, Estado
de Sítio sem a aprovação
prévia do Congresso
Nacional.
Chargista do Correio
da Manhã faz humor
com o AI2 → Mesmo
em um regime de
exceção, ainda havia
espaço para o riso.
• Programa de Ação Econômica do Governo
(PAEG):
 acelerar o desenvolvimento econômico.
 conter a inflação;
 atenuar os desequilíbrios regionais;
 aumentar o investimento;
 gerar empregos;
• Maior Intervenção do Estado na Economia.
• Revogação da Lei que restringia a remessa de
lucros das Empresas Estrangeiras para o
Exterior.
A ORDEM
ECONÔMICA:MODERNIZAÇÃO E
DESENVOLVIMENTO
• Ajuda do Governo dos EUA e do
FMI → Resolvido o problema
imediato da dívida externa.
• Restrição ao crédito, aumento dos
juros e arrocho salarial.
• Contenção do déficit público.
• Criação → Banco Central, Sistema
Nacional de Habitação (SNH) e
Banco Nacional de Habitação
(BNH) → 1964.
• Criação do FGTS → fim da
estabilidade decenal → 1966.
ECONÔMICA:MODERNIZAÇÃO E
DESENVOLVIMENTO
• Reforma Monetária → 1967 → Cruzeiro Novo
→ corte de três zeros → desvalorização da
moeda.
 As reformas não conseguiram fazer a inflação
cair → Aumentam as críticas ao governo.
ECONÔMICA:MODERNIZAÇÃO E
DESENVOLVIMENTO
GOVERNO CASTELO BRANCO
(1964-1967)
 AI-4 → “outorga” da Constituição de 1967 →
elaborada por juristas de confiança do governo:
• Concentra no Executivo a maior parte do poder
de decisão, que passa a ter o poder de legislar
em matéria de segurança e orçamento;
• Estabelece eleições indiretas para presidente,
com mandato de cinco anos;
• Pena de morte para crimes de segurança
nacional;
• Restringe ao trabalhador o direito de greve;
• Amplia a justiça Militar;
• Abre espaço para a decretação posterior de
leis de censura e banimento.
 A linha dura chega ao poder.
 Organizada da Frente Ampla
→ Juscelino, Jânio e Lacerda.
 Guerrilha Urbana é muito
ativa no período →
seqüestros de diplomatas,
roubos de bancos e outras
ações contra o regime.
 Favoreceu os trabalhadores
especializados de classe
média → crédito fácil e
consumo.
11
MARECHAL COSTA E
SILVA
27/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes
GOVERNO COSTA E SILVA (1967-
1969)
 Muitos grupos de extrema esquerda que
optaram pela guerrilha, dentre eles
destacamos: Ação Libertadora Nacional (ALN),
o Movimento Revolucionário 8 de Outubro (MR-
8) e a Ação Popular Marxista Leninista (APML).
 Já o governo tinha seus órgãos de inteligência
e repressão: Centro de Informações do Exército
(CIEX), o Centro de Informações da Aeronáutica
(CISA), o Centro de Informações da Marinha
(CENIMAR) e o Destacamento de Operações de
Informações - Centro de Operações de Defesa
Interna (DOI-CODI).
1227/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes
GOVERNO COSTA E SILVA (1967-
1969)
 Em 1968, ocorreram as
greves de Contagem e
Osasco.
 As perdas salariais de até
30%.
 As greves mobilizaram
milhares de trabalhadores,
mas a repressão do governo
foi pesada.
 O AI-5 vai cassar o mandato
de vários líderes sindicais.
1327/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes
GOVERNO COSTA E SILVA (1967-
1969)
Metalúrgicos
grevistas da
COBRASMA são
presos em julho de
1968.
PASSEATA DOS 100
MIL → 26/06/1968
1427/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes
GOVERNO COSTA E SILVA (1967-
1969)
 AI5 → reação ao discurso do
deputado Márcio Moreira Alves
em 02/09/1968.
 O Presidente, ouvido o Conselho
de Segurança Nacional, podia
suspender os direitos políticos de
qualquer cidadão por 10 anos e
cassar mandatos eletivos; o
Congresso Nacional foi fechado
por quase um ano, censura prévia
aos meios de comunicação.
1527/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes
GOVERNO COSTA E SILVA (1967-
1969)
1627/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes
GOVERNO COSTA E SILVA (1967-
1969)
AI-5 →13 de dezembro de 1968
 Maio de 1969 → Costa e Silva
convoca uma comissão
de juristas para elaborar uma
reforma política →
uma emenda constitucional →
extinção do AI-5 →
restaurando a vigência plena
da Constituição de 1967
 Doença e Morte de Costa e
Silva.
 Aumentam as manifestações
populares contra o governo
militar.
1727/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes
GOVERNO COSTA E SILVA (1967-
1969)
 Impediu a Posse do Vice-
presidente Pedro Aleixo
→ governou de agosto a
outubro de 1969.
 Reforma da Constituição
de 1967.
 Nova lei de Segurança
Nacional.
 Atos institucionais 12 ao
17 → pena de morte e a
prisão perpétua para os
casos de guerra
revolucionária e
subversiva.
 Congresso fechado →
Eleição indireta do
General Médici.
18
General Lira Tavares
Almirante Augusto
Rademarck
Brigadeiro Márcio De
Sousa Melo
27/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes
A JUNTA MILITAR DE 1969
19
13 dos 15 Militantes trocados pelo embaixador norte
americano no 7 de setembro de 1969. Ao todo, 115 presos
foram libertados em troca de diplomatas sequestrados.
27/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes
• 1970-73 → grupos de
esquerda realizam ação
armada contra o regime →
guerrilha urbana e guerrilha
rural → seqüestros e
assaltos aos bancos.
• Autonomização dos grupos
de repressão → Esquadrões
da Morte, ação de grupos
Paramilitares de direita.
• Operação Condor →
Colaboração entre as
ditaduras Latino americanas.
• OBAN → Operação
Bandeirantes.
20
General Médici
27/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes
GOVERNO MÉDICI (1969-1974)
2127/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes
GOVERNO MÉDICI (1969-1974)
2227/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes
GOVERNO MÉDICI (1969-1974)
Houve intenso uso político do futebol → O Brasil
foi tricampeão de futebol em 1970.
2327/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes
GOVERNO MÉDICI (1969-1974)
Região onde
aconteceram os
enfrentamentos.
• Seguindo os princípios
do Maoísmo → o PC do B
decidiu iniciar uma
guerrilha rural.
• Militantes brasileiros
fizeram treinamento na
China e em Cuba.
• Guerrilha → 1967-74 → a
repressão do Exército a
partir de 1972 → cerca
de 50 desaparecidos.
“O período 1968-1973 é conhecido como
"milagre" econômico brasileiro, em função das
extraordinárias taxas de crescimento do Produto
Interno Bruto (PIB) então verificadas, de 11,1%
ao ano (a.a.). Uma característica notável do
"milagre" é que o rápido crescimento veio
acompanhado de inflação declinante e
relativamente baixa para os padrões brasileiros,
além de superávits no balanço de pagamentos.”
(Fonte: Determinantes do "milagre" econômico brasileiro (1968-
1973): uma análise empírica)
2427/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes
MILAGRE ECONÔMICO
BRASILEIRO
• Quais as suas origens?
 A importância da política econômica do período, com
destaque para as políticas monetária e creditícia
expansionistas e os incentivos às exportações.
 O ambiente externo favorável, devido à grande expansão
da economia internacional, melhoria dos termos de troca
e crédito externo farto e barato.
 As reformas institucionais do Programa de Ação
Econômica do Governo (PAEG) do Governo Castello
Branco (19641967), em particular às reformas
fiscais/tributárias e financeira, que teriam criado as
condições para a aceleração subseqüente do
crescimento.
2527/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes
MILAGRE ECONÔMICO
BRASILEIRO
• Euforia frente o rápido
crescimento econômico.
• Classes médias têm acesso
aos bens de consumo duráveis
e a promessa da casa própria.
• Construção civil e a indústria
puxam o “milagre”.
• “Fazer o bolo crescer, depois
dividi-lo” → Delfim Netto →
Cresce a concentração de
renda.
• 1968-73 → PND I e II (Plano
Nacional de Desenvolvimento).
26
Aumento da
concentração de
renda.
27/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes
GOVERNO MÉDICI (1969-1974)
• 1970 → Criação do Plano de
Integração Nacional.
• 1972 → Inauguração da
Transamazônica.
• 1973 → Acordo com o
Paraguai para a Construção
da Hidrelétrica de Itaipu.
• Houve a construção de
outras Estradas e Usinas
Hidrelétricas.
• Crise do Petróleo →
iniciada em 1973 →
esfriamento nas atividades
econômicas.
27
Usina Hidrelétrica de Itaipu
(1975-82) 27/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes
GOVERNO MÉDICI (1969-1974)
“Sinto-me feliz, todas as noites, quando ligo a
televisão para assistir ao jornal. Enquanto as
notícias dão conta de greves, agitações, atentados
e conflitos em várias partes do mundo. O Brasil
marcha em paz, rumo ao desenvolvimento. É como
se eu tomasse um tranqüilizante após um dia de
trabalho.”
General Médici
→ A censura garantia essa sensação de
tranqüilidade e concórdia propagandeada pelo
Governo.
2827/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes
GOVERNO MÉDICI (1969-1974)
MÚSICA E CINEMA
• Cinema Novo.
• Pornochanchada.
• Música: Tropicália
e Jovem Guarda.
2927/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes

More Related Content

What's hot

A crise econômica de Nova York (1929)
A crise econômica de Nova York (1929)A crise econômica de Nova York (1929)
A crise econômica de Nova York (1929)Matheus Augusto
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialAlan
 
Perestroika e Glasnost - Prof. Altair Aguilar
Perestroika e Glasnost - Prof. Altair AguilarPerestroika e Glasnost - Prof. Altair Aguilar
Perestroika e Glasnost - Prof. Altair AguilarAltair Moisés Aguilar
 
A grande depressão, o fascismo e o nazismo
A grande depressão, o fascismo e o nazismoA grande depressão, o fascismo e o nazismo
A grande depressão, o fascismo e o nazismoRodolpho Martins
 
PPT - Crise de 29
PPT - Crise de 29PPT - Crise de 29
PPT - Crise de 29josafaslima
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado NovoFrei Ofm
 
A construção do modelo soviético
A construção do modelo soviéticoA construção do modelo soviético
A construção do modelo soviéticoCarlos Vieira
 
Teorias sociais do século xix
Teorias  sociais do século xixTeorias  sociais do século xix
Teorias sociais do século xixEducador Lamarão
 
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulãoA Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulãoRodrigo Luiz
 
Revoluções Liberais Séc XIX
Revoluções Liberais Séc XIXRevoluções Liberais Séc XIX
Revoluções Liberais Séc XIXdmflores21
 
O Renascimento - 7º Ano (2017)
O Renascimento - 7º Ano (2017)O Renascimento - 7º Ano (2017)
O Renascimento - 7º Ano (2017)Nefer19
 
A Era Estalinista
A Era EstalinistaA Era Estalinista
A Era EstalinistaRainha Maga
 

What's hot (20)

A crise econômica de Nova York (1929)
A crise econômica de Nova York (1929)A crise econômica de Nova York (1929)
A crise econômica de Nova York (1929)
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
 
Perestroika e Glasnost - Prof. Altair Aguilar
Perestroika e Glasnost - Prof. Altair AguilarPerestroika e Glasnost - Prof. Altair Aguilar
Perestroika e Glasnost - Prof. Altair Aguilar
 
A Revolução Russa
A Revolução RussaA Revolução Russa
A Revolução Russa
 
A grande depressão, o fascismo e o nazismo
A grande depressão, o fascismo e o nazismoA grande depressão, o fascismo e o nazismo
A grande depressão, o fascismo e o nazismo
 
PPT - Crise de 29
PPT - Crise de 29PPT - Crise de 29
PPT - Crise de 29
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
 
Nazifascismo
NazifascismoNazifascismo
Nazifascismo
 
A construção do modelo soviético
A construção do modelo soviéticoA construção do modelo soviético
A construção do modelo soviético
 
RevoluçãO Russa
RevoluçãO RussaRevoluçãO Russa
RevoluçãO Russa
 
Teorias sociais do século xix
Teorias  sociais do século xixTeorias  sociais do século xix
Teorias sociais do século xix
 
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulãoA Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
Revoluções Liberais Séc XIX
Revoluções Liberais Séc XIXRevoluções Liberais Séc XIX
Revoluções Liberais Séc XIX
 
Cruzadas
CruzadasCruzadas
Cruzadas
 
O Renascimento - 7º Ano (2017)
O Renascimento - 7º Ano (2017)O Renascimento - 7º Ano (2017)
O Renascimento - 7º Ano (2017)
 
A Era Estalinista
A Era EstalinistaA Era Estalinista
A Era Estalinista
 
1° ano império romano - completo
1° ano    império romano - completo1° ano    império romano - completo
1° ano império romano - completo
 

Similar to República dos Generais - Parte 1

Academia enem república populista ditadura
Academia enem república populista ditaduraAcademia enem república populista ditadura
Academia enem república populista ditaduraMARIANO C7S
 
SLIDES República Militar.pptx
SLIDES República Militar.pptxSLIDES República Militar.pptx
SLIDES República Militar.pptxVanessaRibeiro228
 
República dos Generais - Parte 1
República dos Generais - Parte 1República dos Generais - Parte 1
República dos Generais - Parte 1Valéria Shoujofan
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e RedemocratizaçãoDaniel Alves Bronstrup
 
Governos Militares no Brasil.ppt
Governos Militares no Brasil.pptGovernos Militares no Brasil.ppt
Governos Militares no Brasil.pptOsBunitos
 
3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasilDaniel Alves Bronstrup
 
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.Daniel Alves Bronstrup
 
Slides webquest
Slides webquestSlides webquest
Slides webquestilzeh
 
3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx
3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx
3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptxRobsonAbreuProfessor
 
Ditadura militar e abertura politica
Ditadura militar e abertura politicaDitadura militar e abertura politica
Ditadura militar e abertura politicaÍris Ferreira
 
A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilFatima Freitas
 
Regime militar no brasil novo
Regime militar no brasil novoRegime militar no brasil novo
Regime militar no brasil novodavincipatos
 

Similar to República dos Generais - Parte 1 (20)

Academia enem república populista ditadura
Academia enem república populista ditaduraAcademia enem república populista ditadura
Academia enem república populista ditadura
 
SLIDES República Militar.pptx
SLIDES República Militar.pptxSLIDES República Militar.pptx
SLIDES República Militar.pptx
 
República dos Generais - Parte 1
República dos Generais - Parte 1República dos Generais - Parte 1
República dos Generais - Parte 1
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
 
Governos Militares no Brasil.ppt
Governos Militares no Brasil.pptGovernos Militares no Brasil.ppt
Governos Militares no Brasil.ppt
 
3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil
 
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
 
A terceira república
A terceira repúblicaA terceira república
A terceira república
 
A terceira república
A terceira repúblicaA terceira república
A terceira república
 
Recuperação semestral
Recuperação semestralRecuperação semestral
Recuperação semestral
 
Slides webquest
Slides webquestSlides webquest
Slides webquest
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx
3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx
3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx
 
Aula ditadura militar
Aula ditadura militarAula ditadura militar
Aula ditadura militar
 
Ditadura militar e abertura politica
Ditadura militar e abertura politicaDitadura militar e abertura politica
Ditadura militar e abertura politica
 
Populismo 1945 1964
Populismo 1945   1964Populismo 1945   1964
Populismo 1945 1964
 
A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasil
 
Regime militar no brasil novo
Regime militar no brasil novoRegime militar no brasil novo
Regime militar no brasil novo
 
Governos militares
Governos militaresGovernos militares
Governos militares
 
Aula - Ditadura Militar
Aula - Ditadura MilitarAula - Ditadura Militar
Aula - Ditadura Militar
 

More from Valéria Shoujofan

Segundo Reinando: Escravidão e Imigração
Segundo Reinando: Escravidão e ImigraçãoSegundo Reinando: Escravidão e Imigração
Segundo Reinando: Escravidão e ImigraçãoValéria Shoujofan
 
Entre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptx
Entre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptxEntre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptx
Entre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptxValéria Shoujofan
 
Iluminismo e Déspotas Esclarecidos
Iluminismo e Déspotas EsclarecidosIluminismo e Déspotas Esclarecidos
Iluminismo e Déspotas EsclarecidosValéria Shoujofan
 
Primeira e Segunda Revolução Industrial
Primeira e Segunda Revolução IndustrialPrimeira e Segunda Revolução Industrial
Primeira e Segunda Revolução IndustrialValéria Shoujofan
 
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos ContratualistasAbsolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos ContratualistasValéria Shoujofan
 
Inglaterra: Revolução Científica e Revolução Agrícola
Inglaterra: Revolução Científica e Revolução AgrícolaInglaterra: Revolução Científica e Revolução Agrícola
Inglaterra: Revolução Científica e Revolução AgrícolaValéria Shoujofan
 
Revoluções Inglesas - século XVII
Revoluções Inglesas - século XVIIRevoluções Inglesas - século XVII
Revoluções Inglesas - século XVIIValéria Shoujofan
 
CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICA
CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICACONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICA
CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICAValéria Shoujofan
 
Conquista e Colonização das Américas (1º ano)
Conquista e Colonização das Américas (1º ano)Conquista e Colonização das Américas (1º ano)
Conquista e Colonização das Américas (1º ano)Valéria Shoujofan
 
Independência do Brasil e Primeiro Reinado
Independência do Brasil e Primeiro ReinadoIndependência do Brasil e Primeiro Reinado
Independência do Brasil e Primeiro ReinadoValéria Shoujofan
 
Renascimento Urbano e Comercial e Cruzadas
Renascimento Urbano e Comercial e CruzadasRenascimento Urbano e Comercial e Cruzadas
Renascimento Urbano e Comercial e CruzadasValéria Shoujofan
 
Sistema feudal - Igreja Católica - Parte 2
Sistema feudal - Igreja Católica - Parte 2Sistema feudal - Igreja Católica - Parte 2
Sistema feudal - Igreja Católica - Parte 2Valéria Shoujofan
 
Formação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Formação das Monarquias Nacionais e AbsolutismoFormação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Formação das Monarquias Nacionais e AbsolutismoValéria Shoujofan
 
Reformas religiosas do Século XVI
Reformas religiosas do Século XVIReformas religiosas do Século XVI
Reformas religiosas do Século XVIValéria Shoujofan
 

More from Valéria Shoujofan (20)

Segundo Reinando: Escravidão e Imigração
Segundo Reinando: Escravidão e ImigraçãoSegundo Reinando: Escravidão e Imigração
Segundo Reinando: Escravidão e Imigração
 
Entre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptx
Entre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptxEntre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptx
Entre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptx
 
Revolução Americana
Revolução AmericanaRevolução Americana
Revolução Americana
 
Iluminismo e Déspotas Esclarecidos
Iluminismo e Déspotas EsclarecidosIluminismo e Déspotas Esclarecidos
Iluminismo e Déspotas Esclarecidos
 
Primeira e Segunda Revolução Industrial
Primeira e Segunda Revolução IndustrialPrimeira e Segunda Revolução Industrial
Primeira e Segunda Revolução Industrial
 
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos ContratualistasAbsolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
 
Inglaterra: Revolução Científica e Revolução Agrícola
Inglaterra: Revolução Científica e Revolução AgrícolaInglaterra: Revolução Científica e Revolução Agrícola
Inglaterra: Revolução Científica e Revolução Agrícola
 
Reformas Religiosas (novo)
Reformas Religiosas (novo)Reformas Religiosas (novo)
Reformas Religiosas (novo)
 
Revoluções Inglesas - século XVII
Revoluções Inglesas - século XVIIRevoluções Inglesas - século XVII
Revoluções Inglesas - século XVII
 
CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICA
CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICACONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICA
CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICA
 
Conquista e Colonização das Américas (1º ano)
Conquista e Colonização das Américas (1º ano)Conquista e Colonização das Américas (1º ano)
Conquista e Colonização das Américas (1º ano)
 
Revoltas Emancipacionistas
Revoltas EmancipacionistasRevoltas Emancipacionistas
Revoltas Emancipacionistas
 
Período Joanino (1808-1821)
Período Joanino (1808-1821)Período Joanino (1808-1821)
Período Joanino (1808-1821)
 
Independência do Brasil e Primeiro Reinado
Independência do Brasil e Primeiro ReinadoIndependência do Brasil e Primeiro Reinado
Independência do Brasil e Primeiro Reinado
 
Renascimento Urbano e Comercial e Cruzadas
Renascimento Urbano e Comercial e CruzadasRenascimento Urbano e Comercial e Cruzadas
Renascimento Urbano e Comercial e Cruzadas
 
Sistema feudal - Igreja Católica - Parte 2
Sistema feudal - Igreja Católica - Parte 2Sistema feudal - Igreja Católica - Parte 2
Sistema feudal - Igreja Católica - Parte 2
 
Sociedade feudal - Parte 1
Sociedade feudal - Parte 1Sociedade feudal - Parte 1
Sociedade feudal - Parte 1
 
Formação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Formação das Monarquias Nacionais e AbsolutismoFormação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Formação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
 
Reformas religiosas do Século XVI
Reformas religiosas do Século XVIReformas religiosas do Século XVI
Reformas religiosas do Século XVI
 
Renascimento Cultural
Renascimento CulturalRenascimento Cultural
Renascimento Cultural
 

Recently uploaded

Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfMissa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfFbioFerreira207918
 
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºanoCATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºanomarla71199
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...WelitaDiaz1
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfprofesfrancleite
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMary Alvarenga
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaANNAPAULAAIRESDESOUZ
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024azulassessoria9
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
12_mch9_nervoso.pptx...........................
12_mch9_nervoso.pptx...........................12_mch9_nervoso.pptx...........................
12_mch9_nervoso.pptx...........................mariagrave
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de PlatãoQuestões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de PlatãoCelimaraTiski
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024azulassessoria9
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 

Recently uploaded (20)

Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfMissa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
 
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºanoCATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
 
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João EudesNovena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
12_mch9_nervoso.pptx...........................
12_mch9_nervoso.pptx...........................12_mch9_nervoso.pptx...........................
12_mch9_nervoso.pptx...........................
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de PlatãoQuestões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 

República dos Generais - Parte 1

  • 2. GOLPE CÍVICO- MILITAR • É erro considerar o Golpe de 1964 como uma ação das Forças Armadas somente. Havia apoio de parcelas consideráveis da população civil, o correto, então, é chamá-lo de cívico ou civil militar. • Já os militares que apoiaram o Golpe se dividiam entre o Grupo da Sorbonne (Castelistas), ligado à ESG (Escola Superior de Guerra) e a Linha Dura. • Com o tempo, o segundo grupo se impôs o primeiro. 227/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes
  • 3. GOLPE CÍVICO- MILITAR • Uma característica importante da Ditadura Militar no Brasil é que ela não foi personalista. No entanto, como o executivo sempre esteve nas mãos do Exército, ela está associada a esta instituição. 327/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes
  • 4. GOVERNO CASTELO BRANCO (1964-1967)  AI-1→ Cassação de mandatos, demissões de funcionários públicos civis e militares → Suspensão por 6 meses da Constituição de 1946.  Criação SNI (Serviço Nacional de Informações) → 1964 → General Golbery.  1965 → os partidos de oposição elegem os governadores no Rio de Janeiro e Minas Gerais.  Eleições para presidente adiadas → mandato de Castelo Branco estendido até 1967. MARECHAL CASTELO BRANCO
  • 5. GOVERNO CASTELO BRANCO (1964-1967)  Repressão → Sindicatos sofrem intervenção, Ligas Camponesas são postas na ilegalidade, estudantes excluídos das decisões nas universidades.  Acordos MEC-USAID → Reforma da educação → 1966. A Universidade de Direito da UFRJ sofreu varias intervenções a partir de 1964.
  • 6. GOVERNO CASTELO BRANCO (1964-1967)  AI-2 → Bipartidarismo → ARENA (Aliança Renovadora Nacional) e MDB (Movimento Democrático Brasileiro).  AI-3 → governadores, prefeitos de capitais e cidades de segurança nacional seriam eleitos por voto indireto, Estado de Sítio sem a aprovação prévia do Congresso Nacional. Chargista do Correio da Manhã faz humor com o AI2 → Mesmo em um regime de exceção, ainda havia espaço para o riso.
  • 7. • Programa de Ação Econômica do Governo (PAEG):  acelerar o desenvolvimento econômico.  conter a inflação;  atenuar os desequilíbrios regionais;  aumentar o investimento;  gerar empregos; • Maior Intervenção do Estado na Economia. • Revogação da Lei que restringia a remessa de lucros das Empresas Estrangeiras para o Exterior. A ORDEM ECONÔMICA:MODERNIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO
  • 8. • Ajuda do Governo dos EUA e do FMI → Resolvido o problema imediato da dívida externa. • Restrição ao crédito, aumento dos juros e arrocho salarial. • Contenção do déficit público. • Criação → Banco Central, Sistema Nacional de Habitação (SNH) e Banco Nacional de Habitação (BNH) → 1964. • Criação do FGTS → fim da estabilidade decenal → 1966. ECONÔMICA:MODERNIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO
  • 9. • Reforma Monetária → 1967 → Cruzeiro Novo → corte de três zeros → desvalorização da moeda.  As reformas não conseguiram fazer a inflação cair → Aumentam as críticas ao governo. ECONÔMICA:MODERNIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO
  • 10. GOVERNO CASTELO BRANCO (1964-1967)  AI-4 → “outorga” da Constituição de 1967 → elaborada por juristas de confiança do governo: • Concentra no Executivo a maior parte do poder de decisão, que passa a ter o poder de legislar em matéria de segurança e orçamento; • Estabelece eleições indiretas para presidente, com mandato de cinco anos; • Pena de morte para crimes de segurança nacional; • Restringe ao trabalhador o direito de greve; • Amplia a justiça Militar; • Abre espaço para a decretação posterior de leis de censura e banimento.
  • 11.  A linha dura chega ao poder.  Organizada da Frente Ampla → Juscelino, Jânio e Lacerda.  Guerrilha Urbana é muito ativa no período → seqüestros de diplomatas, roubos de bancos e outras ações contra o regime.  Favoreceu os trabalhadores especializados de classe média → crédito fácil e consumo. 11 MARECHAL COSTA E SILVA 27/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes GOVERNO COSTA E SILVA (1967- 1969)
  • 12.  Muitos grupos de extrema esquerda que optaram pela guerrilha, dentre eles destacamos: Ação Libertadora Nacional (ALN), o Movimento Revolucionário 8 de Outubro (MR- 8) e a Ação Popular Marxista Leninista (APML).  Já o governo tinha seus órgãos de inteligência e repressão: Centro de Informações do Exército (CIEX), o Centro de Informações da Aeronáutica (CISA), o Centro de Informações da Marinha (CENIMAR) e o Destacamento de Operações de Informações - Centro de Operações de Defesa Interna (DOI-CODI). 1227/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes GOVERNO COSTA E SILVA (1967- 1969)
  • 13.  Em 1968, ocorreram as greves de Contagem e Osasco.  As perdas salariais de até 30%.  As greves mobilizaram milhares de trabalhadores, mas a repressão do governo foi pesada.  O AI-5 vai cassar o mandato de vários líderes sindicais. 1327/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes GOVERNO COSTA E SILVA (1967- 1969) Metalúrgicos grevistas da COBRASMA são presos em julho de 1968.
  • 14. PASSEATA DOS 100 MIL → 26/06/1968 1427/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes GOVERNO COSTA E SILVA (1967- 1969)
  • 15.  AI5 → reação ao discurso do deputado Márcio Moreira Alves em 02/09/1968.  O Presidente, ouvido o Conselho de Segurança Nacional, podia suspender os direitos políticos de qualquer cidadão por 10 anos e cassar mandatos eletivos; o Congresso Nacional foi fechado por quase um ano, censura prévia aos meios de comunicação. 1527/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes GOVERNO COSTA E SILVA (1967- 1969)
  • 16. 1627/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes GOVERNO COSTA E SILVA (1967- 1969) AI-5 →13 de dezembro de 1968
  • 17.  Maio de 1969 → Costa e Silva convoca uma comissão de juristas para elaborar uma reforma política → uma emenda constitucional → extinção do AI-5 → restaurando a vigência plena da Constituição de 1967  Doença e Morte de Costa e Silva.  Aumentam as manifestações populares contra o governo militar. 1727/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes GOVERNO COSTA E SILVA (1967- 1969)
  • 18.  Impediu a Posse do Vice- presidente Pedro Aleixo → governou de agosto a outubro de 1969.  Reforma da Constituição de 1967.  Nova lei de Segurança Nacional.  Atos institucionais 12 ao 17 → pena de morte e a prisão perpétua para os casos de guerra revolucionária e subversiva.  Congresso fechado → Eleição indireta do General Médici. 18 General Lira Tavares Almirante Augusto Rademarck Brigadeiro Márcio De Sousa Melo 27/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes A JUNTA MILITAR DE 1969
  • 19. 19 13 dos 15 Militantes trocados pelo embaixador norte americano no 7 de setembro de 1969. Ao todo, 115 presos foram libertados em troca de diplomatas sequestrados. 27/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes
  • 20. • 1970-73 → grupos de esquerda realizam ação armada contra o regime → guerrilha urbana e guerrilha rural → seqüestros e assaltos aos bancos. • Autonomização dos grupos de repressão → Esquadrões da Morte, ação de grupos Paramilitares de direita. • Operação Condor → Colaboração entre as ditaduras Latino americanas. • OBAN → Operação Bandeirantes. 20 General Médici 27/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes GOVERNO MÉDICI (1969-1974)
  • 22. 2227/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes GOVERNO MÉDICI (1969-1974) Houve intenso uso político do futebol → O Brasil foi tricampeão de futebol em 1970.
  • 23. 2327/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes GOVERNO MÉDICI (1969-1974) Região onde aconteceram os enfrentamentos. • Seguindo os princípios do Maoísmo → o PC do B decidiu iniciar uma guerrilha rural. • Militantes brasileiros fizeram treinamento na China e em Cuba. • Guerrilha → 1967-74 → a repressão do Exército a partir de 1972 → cerca de 50 desaparecidos.
  • 24. “O período 1968-1973 é conhecido como "milagre" econômico brasileiro, em função das extraordinárias taxas de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) então verificadas, de 11,1% ao ano (a.a.). Uma característica notável do "milagre" é que o rápido crescimento veio acompanhado de inflação declinante e relativamente baixa para os padrões brasileiros, além de superávits no balanço de pagamentos.” (Fonte: Determinantes do "milagre" econômico brasileiro (1968- 1973): uma análise empírica) 2427/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes MILAGRE ECONÔMICO BRASILEIRO
  • 25. • Quais as suas origens?  A importância da política econômica do período, com destaque para as políticas monetária e creditícia expansionistas e os incentivos às exportações.  O ambiente externo favorável, devido à grande expansão da economia internacional, melhoria dos termos de troca e crédito externo farto e barato.  As reformas institucionais do Programa de Ação Econômica do Governo (PAEG) do Governo Castello Branco (19641967), em particular às reformas fiscais/tributárias e financeira, que teriam criado as condições para a aceleração subseqüente do crescimento. 2527/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes MILAGRE ECONÔMICO BRASILEIRO
  • 26. • Euforia frente o rápido crescimento econômico. • Classes médias têm acesso aos bens de consumo duráveis e a promessa da casa própria. • Construção civil e a indústria puxam o “milagre”. • “Fazer o bolo crescer, depois dividi-lo” → Delfim Netto → Cresce a concentração de renda. • 1968-73 → PND I e II (Plano Nacional de Desenvolvimento). 26 Aumento da concentração de renda. 27/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes GOVERNO MÉDICI (1969-1974)
  • 27. • 1970 → Criação do Plano de Integração Nacional. • 1972 → Inauguração da Transamazônica. • 1973 → Acordo com o Paraguai para a Construção da Hidrelétrica de Itaipu. • Houve a construção de outras Estradas e Usinas Hidrelétricas. • Crise do Petróleo → iniciada em 1973 → esfriamento nas atividades econômicas. 27 Usina Hidrelétrica de Itaipu (1975-82) 27/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes GOVERNO MÉDICI (1969-1974)
  • 28. “Sinto-me feliz, todas as noites, quando ligo a televisão para assistir ao jornal. Enquanto as notícias dão conta de greves, agitações, atentados e conflitos em várias partes do mundo. O Brasil marcha em paz, rumo ao desenvolvimento. É como se eu tomasse um tranqüilizante após um dia de trabalho.” General Médici → A censura garantia essa sensação de tranqüilidade e concórdia propagandeada pelo Governo. 2827/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes GOVERNO MÉDICI (1969-1974)
  • 29. MÚSICA E CINEMA • Cinema Novo. • Pornochanchada. • Música: Tropicália e Jovem Guarda. 2927/09/2015Prof.ª Valéria Fernandes