Lições bíblicas do 3° 2014 lição de 5 à 9 estudo da ebd caruaru

954 views

Published on

Estudo de Professores da EBD - Templo Sede Filial Caruaru
Assembleia de Deus em Pernambuco
Pastor Presidente: Aílton José Alves
Pastor Loca: Samuel de Oliveira
Supervisão Local EBD: Ev.Hamilton Pereira e Pb.Fernando Filho
Secretários: Dc.Rinaldo e Aux.José Arthur

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
954
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
14
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Autor: Servo do Rei Jesus!
  • Lições bíblicas do 3° 2014 lição de 5 à 9 estudo da ebd caruaru

    1. 1. Estudo para Professores SUPERINTENDÊNCIA DAS ESCOLAS BÍBLICAS DOMINICAIS - 2014 PR. AILTON JOSÉ ALVES PASTOR PRESIDENTE PR. SAMUEL DE OLIVEIRA GESTOR: FILIAL CARUARU
    2. 2. VERDADE PRÁTICA As nossas palavras podem, ou não, evidenciar a sabedoria de Deus. HINOS SUGERIDOS 101, 185, 376 “[...] Mas todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para fala, tardio para irar” (Tg 1.19). TEXTO ÁUREO O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA 3 de Agosto de 2014 Lição 5 Lição 5 O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA I – PRONTO PARA OUVIR E TARDIO PARA FALAR (Tg 1.19,20) 1. PRONTO PARA OUVIR. 2. TARDIO PARA FALAR. 3. CONTROLE A SUA IRA. II – PRATICANTE E NÃO APENAS OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25) 1. ENXERTAI-VOS DA PALAVRA (21). 2. PRATICAI A PALAVRA (22-24). 3. PERSEVERE OUVINDO E AGINDO (v.25). III – A RELIGIÃO PURA E VERDADEIRA (Tg 1.26,27) 1. A FALSA RELIGIOSIDADE. 2. A VERDADEIRA RELIGIÃO (v.27). 3. GUARDANDO-SE DA CORRUPÇÃO (v.27). Lição 5 O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA Aprender sobre estar “pronto para ouvir” e “tardio para falar”. Compreender a importância de ser praticante, e não só ouvir. Saber qual é a religião pura e verdadeira.
    3. 3. VERDADE PRÁTICA Não podemos fazer acepção de pessoas, pois o Senhor não faz conosco. HINOS SUGERIDOS 11, 17, 23 “Todavia, se cumprirdes, conforme a Escritura, a lei real: Amarás a teu próximo como a ti mesmo, bem fazeis. Mas, se fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado e sois redarguidos pela lei como transgressores” (Tg 2.8,9). TEXTO ÁUREO Lição 12 A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS 10 de Agosto de 2014 Lição 6 Lição 6 A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS I – A FÉ NÃO PODE FAZER ACEPÇÃO DE PESSOAS (Tg 2.1-4) 1. EM CRISTO A FÉ É IMPARCIAL. 2. O AMOR DE DEUS TEM DE SER MANIFESTO NA IGREJA LOCAL. 3. NÃO SEJAMOS PERVERSOS (v.4). II – DEUS ESCOLHEUS OS POBRES AOS OLHOS DO MUNDO (Tg 2.5-7) 1. A SOBERANA ESCOLHA DE DEUS. 2. A PRINCIPAL RAZÃO PARA NÃO DESONRAR O POBRE (v.6). 3. DESONRARAM O SENHOR. III – A LEI REAL, A LEI MOSAICA E A LEI DA LIBERDADE (Tg 2.8- 13) 1. A LEI REAL. 2. A LEI MOSAICA. 3. A LEI DA LIBERDADE. Lição 6 A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS Destacar o ensino de Tiago de que a fé não faz acepção. Apontar a escolha de Deus pelos pobres aos olhos do mundo. Distinguir a Lei Mosaica das Leis Real e da Liberdade.
    4. 4. VERDADE PRÁTICA Uma vez salvos em Cristo, o amor, materializado por meio das boas obras, torna-se a nossa identidade cristã. HINOS SUGERIDOS 17, 75, 79 “Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está nos céus” (Mt 5.16). TEXTO ÁUREO Lição 12 A FÉ SE MANIFESTA EM OBRAS 17 de Agosto de 2014 Lição 7 Lição 7 A FÉ SE MANIFESTA EM OBRAS I – DIANTE DO NECESSITADO, A NOSSA FÉ SEM OBRAS É MORTA (Tg 2.14-17) 1. FÉ E OBRAS. 2. O CRISTÃO E A CARIDADE. 3. A “MORTE” DA FÉ. II – EXEMPLO VETEROTESTAMENTÁRIOS DE FÉ COM OBRAS (Tg 2.18-25) 1. NÃO BASTA “CRER”. 2. ABRAÃO. 3. RAABE. III – A METÁFORA DO CORPO SEM O ESPÍRITO PARA EXEMPLIFICAR A FÉ SEM OBRAS (Tg 2.26) 1. UMA ANALOGIA DO CORPO SEM ESPÍRITO. 2. DA MESMA MENEIRA: FÉ SEM OBRAS É MORTA. Lição 7 A FÉ SE MANIFESTA EM OBRAS Destacar que a fé e as obras são relacionais. Apontar os exemplos de fé com obras no Antigo Testamento. Compreender a metáfora do corpo sem espírito proposta por Tiago.
    5. 5. VERDADE PRÁTICA A nossa língua pode destruir vidas, portanto, sejamos cuidadosos com o que falamos. HINOS SUGERIDOS 77, 224, 302 “Porque todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça em palavras, o tal varão é perfeito e poderoso para também refrear todo corpo” (Tg 3.2). TEXTO ÁUREO Lição 12 O CUIDADO COM A LÍNGUA 24 de Agosto de 2014 Lição 8 Lição 8 O CUIDADO COM A LÍNGUA I – A SERIEDADE DOS MESTRES (Tg 3.1,2) 1. O RIGOR COM OS MESTRES. 2. A SERIEDADE COM OS MESTRES NA IGREJA (v.1). 3. PERFEIÇÃO QUE DOMINA O CORPO (v.2). II – A CAPACIDADE DA LÍNGUA (Tg 3.3-9) 1. AS PEQUENAS COISAS NO GOVERNO DE TODO (vv.3-5). 2. “A LÍNGUA TAMBÉM É UM FOGO” (vv.6,7). 3. PARA DOMINAR A LÍNGUA. III – NÃO PODEMOS AGIR DE DUPLA MANEIRA (Tg 3.10-12) 1. BÊNÇÃO E MALDIÇÃO (v.10). 2. EXEMPLOS DA NATUREZA (vv.11,12). 3. UMA ÚNICA FONTE. Lição 8 O CUIDADO COM A LÍNGUA Analisar a responsabilidade dos mestre na igreja. Conscientizar-se a respeito da capacidade da nossa língua. Rejeitar a possibilidade de alguém utilizar a língua de modo ambíguo.
    6. 6. VERDADE PRÁTICA A verdadeira sabedoria não se manifesta na vida do crente através do discurso, mas das obras. HINOS SUGERIDOS 165, 225, 499 “Quem dentre vós é sábio e inteligente? Mostre, pelo seu bom trato, as suas obras em mansidão de sabedoria” (Tg 3.13). TEXTO ÁUREO Lição 12 A VERDADEIRA SABEDORIA SE MANIFESTA NA PRÁTICA 31 de Agosto de 2014 Lição 9 Lição 9 A VERDADEIRA SABEDORIA SE MANIFESTA NA PRÁTICA I – A CONDUTA PESSOAL DEMONSTRA SE A NOSSA SABEDORIA É DIVINA OU DEMONÍACA (Tg 3.13-15) 1. SABEDORIA NÃO SE MOSTRA COM DISCURSO (v.13). 2. INVEJA E FACÇÃO (v.14). 3. SABEDORIA DO ALTO E A SABEDORIA DIABÓLICA (v.15). II – ONDE PREVALECEM A INVEJA E SENTIMENTO FACCIOSO, PREVALECE TAMBÉM O MAL (Tg 3.16) 1. A MALDADE DO CORAÇÃO HUMANO. 2. A INVEJA E A FACÇÃO INSTAURAM A DESORDEM. 3. OBRAS PERVERSAS. III – AS QUALIDADES DA VERDADEIRA SABEDORIA (Tg 3.17,18) 1. CARACTERÍSTICAS DA VERDADEIRA SABEDORIA. 2. MAIS SETE CARACTERÍSTICAS. 3. O FRUTO DA JUSTIÇA (v.18). Lição 9 A VERDADEIRA SABEDORIA SE MANIFESTA NA PRÁTICA Conscientizar-se de que a nossa conduta pessoal demonstra se a nossa sabedoria é humilde ou demoníaca. Mostrar que onde prevalecem a inveja e sentimento faccioso, prevalece também o mal. Analisar as qualidades da verdadeira sabedoria.

    ×