Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Manifesto lassos uece

223 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Manifesto lassos uece

  1. 1. MANIFESTO DE APOIO À ASSISTENTE SOCIAL MARIA LÚCIA LOPES DASILVA, ELABORADO PELO COLEGIADO DO CURSO DE SERVIÇOSOCIAL E PELO LABORATÓRIO DE ESTUDOS E PESQUISAS DESEGURIDADE E SERVIÇO SOCIAL DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DOCEARÁ - UECE O Colegiado do Curso de Serviço Social da UECE e as professoras quecompõem o Laboratório de Estudos e Pesquisas de Seguridade e Serviço Social(LASSOS / UECE) vem manifestar sua solidariedade a servidora pública de carreira doINSS, Dra. Maria Lúcia Lopes da Silva que, por um equívoco de caráter político-administrativa, foi colocada à disposição do Setor de Recursos Humanos da DireçãoNacional daquela Instituição, pelo simples fato de ter expressado de forma ética epublicamente sua discordância em relação aos rumos que os gestores da PrevidênciaSocial estão querendo imprimir internamente ao Serviço Social. Atitudes institucionais como essas, deixam a impressão que estamos “de volta aopassado”, no qual prevalecia o autoritarismo que reprimia de forma imensurável a quemexpressasse divergência de pensamento. Não podemos nutrir atitudes que nos façamlembrar esse triste passado, ao contrário, precisamos sempre rever e flexibilizar nossasposições inflexíveis e construirmos diálogos, cruzar olhares e posições, respeitarmos apluralidade de idéias; só assim podemos avançar em nossas relações e sociabilidade. Diante desse contexto, questionamos: será que um servidor de carreira de altaqualificação não possui o direito de se manifestar em situações que lhe são afetas? Estáo INSS preparado para absorver uma mão-de-obra qualificada em cursos deespecializações, mestrados, doutorados? Afinal, temos conhecimento que a instituiçãotem incentivado esse caminho de qualificação para os seus servidores. Naturalmente,qualificações dessa natureza pressupõem o desenvolvimento do senso crítico darealidade, no sentido de reconstruí-la em melhores patamares. Sendo assim, é óbvio quenão seria o melhor caminho evitar que as pessoas desenvolvam seu senso crítico. Oideal a ser perseguido é que a instituição desenvolva-se, avance e absorva saberes epráticas incorporadas na formação dos técnicos especializados numa síntese deinteresses, que qualifique a gestão para um salto maior e, assim, possa ser reconhecida equalificada como uma “gestão estratégica e democrática” aberta a opiniões de seustécnicos, profissionais com habilidades especificas, sociedade civil organizada,
  2. 2. todos(as) com disposições e conhecimentos plurais para contribuir com os avançosnecessários. Temos conhecimento que, em anos não tão distantes, uma assistente social queocupava o cargo de Coordenadora Nacional dos Técnicos de Serviço Social do INSS foiexonerada por defender o projeto profissional comprometido com a garantia dos direitossociais dos beneficiários da Previdência Social e, para substituí-la a instituição escolheu,a seu gosto e perfil, a atual Coordenadora, para encaminhar as deliberações eimposições institucionais, sem questionamentos ao poder instituído, como o fezrecentemente em relação à sua colega de trabalho, Maria Lúcia Lopes da Silva. Comesse histórico a atual coordenadora, a nosso ver, se mostra frágil e incapaz de seposicionar, não construindo legitimidade de fato para o encaminhamento de questõesque envolvam a condução técnica, sobretudo, em situações em que, naturalmente numqualificado ambiente plural e democrático, haja opiniões divergentes. Apesar de nossa visível indignação, propomos-nos a colaborar com qualqueriniciativa para construirmos pactos consensuados diante do conflito que pareceinstaurado e que está visivelmente gerando mal-estar e sofrimento aos assistentessociais do INSS. Essa categoria profissional, ao longo da história, tem defendido aconsolidação da seguridade social, não medindo esforços para construir, no bojo dessesembates, uma previdência social brasileira pública, democrática, solidária e consolidaros princípios da universalidade e da participação social, estabelecidosconstitucionalmente. Tudo isso, na perspectiva de construção de uma sociedade justa,democrática e menos desigual. Laboratório de Seguridade Social / LASSOS Colegiado do Curso de Serviço Social/ UECE Fortaleza, 13 de setembro de 2011

×