Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Algas agar agar87

2,449 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Algas agar agar87

  1. 1. AGAR-AGAR AGAR OU AGAR-AGAR, O MAIS ANTIGO FICOCOLÓIDE O agar-agar é um hidrocolóide extraído de algas marinhas largamente utilizado na indústria alimentícia. Entre as suas principais propriedades destacam-se seu alto poder geleificante, elevada força de gel a baixas concentrações, baixa viscosidade em solução, alta ADITIVOS & INGREDIENTES transparência, gel termo-reversível e temperaturas de fusão/gelificação© Lein De Leon - Dreamstime.com bem definidas. O agar-agar é também utilizado em diversas aplicações em outros setores industriais. 31
  2. 2. AGAR-AGAR HISTÓRIA DO AGAR mais água, obtinha-se novamente assim que um nome malaio acabou uma geléia, até mais clara que a sendo usado para um produto de Os registros históricos apontam original. O método de fabricação origem genuinamente japonesa. que o agar é o ficocolóide de utili- do agar tinha sido assim acidental- O agar ainda era muito pouco zação mais antiga, sendo que foi o mente descoberto. conhecido quando Robert Koch primeiro a ser usado na indústria (1834-1910) o utilizou pela primeira alimentícia na forma de géis e em di- vez como meio de cultura. Em 1881, versas outras aplicações industriais, como aditivo em alimentos. OS FICOCOLÓIDES o médico alemão Walther Hesse A indústria de ficocolóides é um mer- (1846-1911) passou a trabalhar no De acordo com uma legenda cado crescente que movimenta anualmente laboratório de Koch para estudar japonesa, o método original de milhões de dólares no mundo. São subs- questões relacionadas à saúde pú- produção do agar foi descoberto em tâncias mucilaginosas extraídas de algas, blica e ao metabolismo bacteriano, meados do século dezessete, presu- compostas por polissacarídeos coloidais tendo como assistente sua esposa midamente em 1658. No inverno que, quando em meio aquoso, formam Fanny Angelina Eilshemius Hesse. A deste ano, o Imperador japonês e substâncias viscosas, incluindo géis, que gelatina então utilizada para geleifi- sua escolta imperial perderam-se podem se solidificar com o decréscimo car meios de cultura ou era consu- nas montanhas durante uma tem- da temperatura. São classificados em: al- mida pelos próprios microrganismos pestade de neve e refugiaram-se ginatos, agar e carragenanas. O uso destas ou derretia-se em dias quentes, em uma pequena hospedaria. No substâncias nos mais variados tipos de prejudicando os experimentos que jantar, o dono do estabelecimento, indústrias vem crescendo à medida que requeriam meios de cultura sólidos. Minoya Tarozaemon, ofereceu ceri- novas e diferentes propriedades destes Angelina contou a seu marido que moniosamente um prato tradicional ficocolóides são desenvolvidas. Assim, usava uma gelatina chamada de agar- à base de geléia, elaborada a partir são utilizados na indústria de alimentos, agar para conservar seus doces só- de algas marinhas; era preparado farmacêutica, cosmética, papel, têxtil, lidos em dias quentes. Hesse testou cozinhando a alga vermelha Geli- petrolífera e na biotecnologia. o produto com sucesso e informou dium sp. com água. Após o jantar, Koch dos resultados positivos. Em o resto de geléia foi jogado fora e, 1882, Robert Koch anunciou o uso durante a noite, congelou. De dia, O agar, como gelatina adoçada e de agar-agar como meio de cultura derreteu e secou ao calor do sol, aromatizada, é conhecido no Oriente em seus famosos experimentos sobre transformando-se, após alguns dias, há muito tempo. É conhecido no Ja- a bactéria da tuberculose. em uma substância branca, seca e pão como Kanten, significando água Desde essa época, o agar-agar porosa. Tarozaemon encontrou a fria, e na China como Dongfen, o que passou a ser utilizado com sucesso substância e, com surpresa, des- significa, literalmente, pó congela- para fazer meios de cultura sólidos. cobriu que fervendo a mesma com do. A palavra agar é de origem ma- O agar-agar é indigerível, pelo menos laia, onde é usada na forma dobrada pela grande maioria dos microrganis- agar-agar, a qual se refere, original- mos, o que tornou universal seu uso mente, a gelatinas obtidas de certas em microbiologia para o crescimento algas, em particular a Eucheuma de microrganismos em meio sólido. muricatum (S.G. Gmelin) das Atualmente, o agar empregado em Índias Orientais. Segundo microbiologia é produzido pela in- a história, os imigrantes dústria especializada na manufatura chineses instalados nas de meios de cultura e disponível em Índias Orientais im- vários graus de pureza. É especial- portavam o Kanten mente útil por manter-se sólido (na japonês para seu verdade com densidade de um gel uso próprio, pas- firme) em temperaturas comumente sando a apelidá- empregadas para cultura de bactérias lo de agar-agar. (37ºC), temperatura ótima para seu Os europeus, desenvolvimento. As culturas emADITIVOS & INGREDIENTES basicamente os meio sólido são muito importantes, portugueses e os pois permitem a identificação e o iso- holandeses, das lamento de culturas puras (colônias, Índias Orientais originadas de um único microrganis- aprenderam a usar mo), o que não é viável em meios de o produto na prepara- cultura líquidos. ção de geléias de frutas No preparo de meios de cultu- e, subseqüentemente, o ra sólidos, o agar é, via de regra, introduziram na Europa. Foi adicionado na concentração de 15 32
  3. 3. AGAR-AGARgramas por litro de meio líquido. Ascaracterísticas gerais do agar são: QUADRO 1 - CLASSIFICAÇÃO TAXONÔMICA DAS AGARÓFITASnão-tóxico (para a maioria dos mi- Filo Rodophyta.crorganismos e humanos), derrete Classe Florideophyceae.somente a 100ºC, mas solidifica-se Ordem Gelidiales.a cerca de 45ºC (dependendo da Família Gelidiaceae.concentração), mantêm-se estável Gênero Gelidium.mesmo sob temperaturas de esteri- Espécie G. sesquipedale*,lização (120ºC) e é fisiologicamen- G. amansii*,te inerte (muito poucas bactérias G. robustum*,expressam enzimas capazes de G. pristoides,digeri-lo). G. canariense, A produção de agar por técnicas G. rex, G. chilense, etc. Gênero Gelidiella.de congelamento modernas iniciou- Espécie G. acerosa.se em 1921, na Califórnia, Estados Gênero Pterocladia.Unidos, por um japonês chamado Espécie P. capillacea*,Chokichi Matsuoka, que depositou P. lucida*patente em 1923. No decorrer da Ordem Gracilariales.Segunda Guerra Mundial, o agar-agar Família Gracilariaceae.também passou a ser produzido na Gênero Gracilaria.Espanha e em Portugal. Mesmo nas Espécie G. chilense*, G. gigas,modernas plantas de produção de G. edulis, G. gracilis,hoje, o princípio fundamental de G. tenuistipitata*,extração e purificação do agar-agar Gênero Gracilariopsispor congelamento/derretimento Espécie G. lamaneiformis,continua bastante similar aquele des- G. sjostedtii Ordem Ahnfeltiales.coberto por Minoya Tarozaemon, há Família Ahnfeltiaceae.trezentos e cinqüenta anos atrás. Gênero Ahnfeltia. Espécie A. plycata.MATéRIA-pRIMADO AGAR-AGAR a Gelidium amansii, propiciam uma vários países e regiões. As Pterocla- O agar-agar, também conhecido melhor qualidade de agar, porém dia e Ahnfeltia crescem somente emsimplesmente como agar ou aga- são de cultivo mais difícil e menos algumas poucas regiões e são usadasrose, é um hidrocolóide extraído abundantes como recursos naturais somente na Rússia e Nova Zelândiade diversos gêneros e espécies de do que as Gracilária, as quais são (veja Quadro 2).algas marinhas vermelhas, da clas- cultivadas em escala comercial em A espécie Gracilária, a maisse Rodophyta, onde ocorre comocarboidrato estrutural na parededas células. Tais algas que contém QUADRO 2 - AGARÓFITAS EM DIFERENTES REGIÕES DO MUNDOo agar-agar são denominadas aga- Espécies Localizaçãorófitas. O teor de agar-agar nas Gelidiella acerosa Japão, Índia, Chinaagarófitas varia de acordo com ascondições do mar: concentração Gelidium amansii Japão, Chinade dióxido de carbono, tensão de Gelidium cartilagineum Estados Unidos, México, África do Suloxigênio, temperatura da água e Gelidium corneum África do Sul, Portugal, Espanha, Marrocosintensidade de radiação solar. O Gelidium liatulum JapãoQuadro 1 apresenta a classificaçãotaxonômica das agarófitas. Gelidium lingulatam Chile ADITIVOS & INGREDIENTES As principais espécies de valor Gelidium pacificum Japãocomercial são as agarófitas dos gê- Gelidium pristoides África do Sulneros Gracilária (Gracilariaceae), Gelidium sesquipedale Portugal, MarrocosGelidium (Gelidiaceae), Pterocladia Gracilária spp. África do Sul, Filipinas, Chile, China,Taiwan, Índia, Estados Unidos(Gelidiaceae) e Ahnfeltia (Phyllopho-raceae); existem outras, tais como a Pterocladia capilacea Egito, Japão, Nova ZelândiaAcanthopheltis japonica, Ceramium Pterocladia lucida Nova Zelândiahypnaeordes e C. boydenii, por exem- Ahnfeltia plicata Rússiaplo. As Gelidium, particularmente 33
  4. 4. AGAR-AGAR abundante para produção de agar, tose, que então ocupam o lugar de sua vez, aumenta muito a resistên- possui mais de 150 tipos diferentes, uma anidrogalactose na seqüencia cia dos géis de agar obtidos a partir distribuídos principalmente nas alternada. dela. Também, dependendo das zonas de clima temperado e subtro- Precisamente, as algas sintetizam espécies, alguns restos de galactose pical. Alguns deles são cultivados em o agar em forma sulfatada, produzin- possuem grupos metilo no carbono larga escala no Chile, Taiwan, Vietnã do a anidrogalactose na eliminação 6. A quantidade e qualidade do agar e Tailândia. Os principais países pro- enzimática do sulfato. Trata-se de acumulado dependem de diversos dutores de agar-agar são o Chile, a um detalhe muito importante, já fatores biológicos e ambientais, e é Espanha e o Japão. que o conteúdo de sulfato decresce diferente em distintas zonas da alga As algas são, em geral, coleta- com a maturidade da planta e, por (veja Figura 1). das manualmente por pescadores em zonas de baixa profundidade e maré baixa, ou também por m e rg u l h o, a t r a v é s d o u s o d e equipamentos adequados. Após a coleta, as algas são colocadas ao sol para secagem até atingirem um nível de umidade ideal para processamento. ESTRUTURA DO AGAR-AGAR Em seu estado natural, o agar- agar ocorre como carboidrato es- trutural da parede celular das algas agarófitas, existindo na forma de sais de cálcio ou uma mistura de sais de cálcio e magnésio. É uma mistura heterogênea de dois tipos de polissacarídeos: a agarose, um polímero neutro, e a agaropectina, um polímero com carga sulfatado. A agarose, fração geleificante, é uma molécula linear neutra, es- sencialmente livre de sulfatos, que consiste de cadeias repetidas de uni- dades alternadas b-1,3 D-galactose e a-1,4 3,6-anidro-L-galactose. A aga- ropectina, fração não-geleificante, é um polissacarídeo sulfatado (3% a 10% de sulfato) composto de agarose e porcentagens variadas de éster sulfato, ácido D-glucurônico e pequenas quantidades de ácido pirúvico. A proporção destes dois polímeros varia de acordo com a espécie da alga, sendo que a agarose é o componente principal, represen-ADITIVOS & INGREDIENTES tando cerca de 70% do total. De forma simplificada, pode-se dizer que a agarose e a agaropecti- na se diferenciam pela presença de restos de sulfato e piruvato, relativa- mente abundantes na agaropectina e escassos (idealmente, ausentes) na agarose. Os restos de sulfato aparecem sobre unidades de galac- 34
  5. 5. AGAR-AGARpROCESSO DE FIGURA 2 - DIAGRAMA DE PRODUÇÃO DE AGAR A PARTIR DE GELIDIUM SPP.pRODUçãO O agar-agar pode apresentar-se Algas de Gelidiumem diversas formas: pó, flocos, bar-ras e fios. Para aplicações indus-triais, o agar-agar em pó é o mais Descoramento pelo solutilizado. As formas de flocos,barras e fios são mais utilizadaspara fins culinários. A produção Extração a quentede agar-agar em pó e em flocospode ser realizada por dois méto-dos: gel-press ou precipitação em Filtraçãosolventes. No entanto, o métodode precipitação em solventes nãoé muito utilizado atualmente pelo Geleificaçãoseu alto custo e baixa eficiência.O agar-agar em forma de barras efios é produzido por um sistematradicional mais artesanal. Congelamento natural Lavagem (difusão) Dependendo da matéria-primautilizada pode haver pequenasalterações no processo produtivo. Descongelamento e secagem Pressão hidráulicaAs espécies Gelidium spp. contêmum agar de excelente qualidadecom gel de alta resistência e baixo Agar de tira Câmara de secagemconteúdo de sulfato, fazendo com Agar quadradoque não seja necessário, como no Moagemcaso das espécies Gracilária spp.,um pré-tratamento alcalino. Odiagrama de produção de agar a Agar polvilhadopartir de Gelidium spp. é mostradona Figura 2. A fabricação de agar à partirdas espécies Gracilária spp. é, de pROpRIEDADES Solubilidade - O agar-agar é O agar-agar é insolúvel em insolúvel em água fria, porémforma geral, similar, porém como água fria, porém expande-se con- expande-se consideravelmente eas Gracilária contêm uma quan- sideravelmente e absor ve uma absorve uma quantidade de águatidade considerável de galactanas quantidade de água de cerca de de cerca de até vinte vezes o seusulfatadas (o precursor da aga-rose), dependendo das espécies, vinte vezes o seu próprio peso, próprio peso. A dissolução emestação e localização, torna-se formando um gel não-absorvível, água quente é rápida e pode-se ob-extremamente importante aplicar não-fermentável e com importan- servar a formação de um gel firmeum tratamento alcalino para me- te característica de ser atóxico. a concentrações tão baixas quantolhorar a qualidade do produto. As- Possui em sua composição, prin- 0,5%. O agar-agar em pó seco ésim, após a fase de branqueamento cipalmente, fibras e também sais solúvel em água e outros solventese antes da extração a quente, são minerais (P, Fe, K, Cl, I), celulose, à temperaturas de 95ºC a 100ºC.introduzidas fases de tratamento anidrogalactose e uma pequena O agar-agar em pó umedecido por ADITIVOS & INGREDIENTESalcalino e subseqüente lavagem. quantidade de proteínas. imersão em etanol, 2-propanol, O agar-agar pode apresentar-se em diversas formas: pó, flocos, barras e fios. Para aplicações industriais, o agar-agar em pó é o mais utilizado. As formas de flocos, barras e fios são mais utilizadas para fins culinários. 35
  6. 6. AGAR-AGAR QUADRO 3 - TEMPERATURAS TíPICAS DE GELEIFICAÇÃO DE AGARS EXTRAíDAS DE DIVERSAS AGARÓFITAS Gênero Solução 1,5%, temperatura de geleificação Gelidiella 42-45°C Gracilaria 40-42°C Gracilariopis 38-39°C Gelidium 36-38°C Pterocladia 33-35°C acetona ou salinizado por altas variedade de usos em aplicações concentrações de eletrólito é solú- alimentícias. A força de gel do vel em uma variedade de solventes agar-agar é influenciada pelos à temperatura ambiente. fatores de concentração, tempo, Geleificação - A fração gelei- pH e conteúdo de açúcar. O pH ficante do agar-agar possui uma afeta notadamente a força de gel estrutura de dupla hélice. Esta do agar-agar: o decréscimo do pH estrutura agrega-se para formar diminui a força de gel. O conteúdo uma estrutura tridimensional que de açúcar também tem um efeito retém as moléculas de água nos considerável sobre o gel de agar- seus interstícios, formando assim agar, pois seu aumento resulta em géis termo-reversíveis. A proprie- um gel com maior dureza, porém dade de geleificação do agar-agar é com menor coesão. devida aos três átomos de hidrogê- Viscosidade - A viscosidade nio equatorial nos resíduos de 3,6- de uma solução de agar-agar é in- anidro-L -galactose, que limitam a fluenciada e dependente da fonte molécula para formar uma hélice. da matéria-prima. A viscosidade à A interação das hélices causa a for- temperaturas acima do seu ponto mação do gel (veja Quadro 3). de geleificação é relativamente No que se refere ao poder de constante em pH de 4,5 a 9,0 e geleificação, o agar-agar é notável não é muito afetada por idade ou dentre os hidrocolóides. O gel força iônica dentro da gama de pH de agar-agar pode ser obtido em de 6,0 a 8,0. Entretanto, iniciada soluções muito diluídas contendo a geleificação, à temperatura uma fração de 0,5% a 1,0% de agar- constante, a viscosidade aumenta Soluções de agar-agar expostas a agar. O gel é rígido, possui formas com o tempo. altas temperaturas por períodos bem definidas e pontos de fusão e A viscosidade de uma solução prolongados podem se degradar, geleificação precisos (veja Figura de agar-agar a temperatura cons- resultando na diminuição da força 3). Ademais, demonstra claramen- tante e concentração igual é uma de gel após a diminuição da tem- te os interessantes fenômenos de função direta do peso molecular peratura e a formação deste. Este sinérese (exsudação espontânea médio. A viscosidade raramente efeito de diminuição da força de da água de um gel que está em excede 10–15cp, em concentração gel é intensificado com o decrés- repouso) e histerese (intervalo de 1% e 60°C a 90°C. Geralmente, cimo do pH. Portanto, deve-se de temperatura entre as tempe- a viscosidade é menor a medida evitar a exposição de soluções de raturas de fusão e gelificação). A que a força do gel aumenta. O agar-agar a altas temperaturas e geleificação ocorre à temperatu- peso molecular médio do agar- pH menores de 6,0 por períodosADITIVOS & INGREDIENTES ras muito abaixo da temperatura agar varia entre 8,000 até mais prolongados. O agar-agar na forma de fusão. Uma solução de 1,5% de 100,000. seca não está sujeito a contamina- de agar-agar forma um gel ao ser Estabilidade - Uma solução ção por microrganismos. Entre- resfriado para uma temperatura de agar-agar possui uma carga tanto, soluções e géis de agar-agar de 32ºC a 45ºC e a fusão de tal levemente negativa. A sua esta- são meios férteis de contaminação gel não ocorre à temperaturas bilidade depende de dois fatores: por bactérias e fungos e as devidas inferiores a 85ºC. Este intervalo hidratação e carga elétrica. A precauções devem ser tomadas de histerese é uma propriedade remoção de ambos os fatores re- para evitar o crescimento de mi- do agar-agar que encontra uma sulta na floculação do agar-agar. crorganismos (veja Quadro 4). 36
  7. 7. AGAR-AGAR O gel de agar-agar tem a interessante propriedade de inibir a liquefação característica que ocorre na ação enzimática de microrganismos.ApLICAçõES vinagres; panificação: cobertura o apetite saciado com este efeito, de bolos, recheio de tortas, massas tende a ingerir menor quantidadepARA O AGAR de pão. de outros alimentos. A ausência de Uma solução de agar-agar em O agar é normalmente vendido valor nutricional do kanten, assimágua forma um gel característi- sob a forma de pó ou como tiras como o fato de ser composto porco com temperatura de fusão de de algas secas. Tem um aspecto cerca de 80% de fibras, contribui85ºC a 95ºC e temperatura de esbranquiçado e semi-translúcido. para o controle do peso, tanto pelagelificação de 32ºC a 45ºC. Esta Para o fabrico de gelatina, é fer- substituição do alimento, comopropriedade física torna-o conside- vido em água a concentrações de possivelmente também pelo efeitoravelmente útil como ingrediente 0,7% a 1% (p/v) até a dissolução laxativo deste produto. Existemaditivo em diversas aplicações na do sólido; após esta operação, são também alegações que o kantenindústria alimentícia, tais como: adicionados, por exemplo, agentes tenha alguma eficácia contra o - produtos lácteos: sorvetes, pu- adoçantes, corantes, aromas e diabetes.dins, flans, iogurtes, leite fermen- pedaços de frutas. A mistura ain- O gel de agar-agar tem a inte-tado, sorbets, leite gelificado; da líquida pode ser vertida para ressante propriedade de inibir a li- - doces e confeitaria: balas de dentro de fôrmas, onde arrefece, quefação característica que ocorregoma, marrom glacê, geléia de tomando a forma desejada. Pode na ação enzimática de microrga-mocotó, geléia fantasia, bananada, ainda ser parte de outras sobreme- nismos. Esta propriedade encontradoces em massa, confeitos, sobre- sas, por exemplo, como camada de uma variedade de aplicações nasmesa tipo gelatina, merengues; gelatina em semifrio. indústrias médica e farmacêuti- - produtos cárneos: patês, pro- Um tipo de dieta surgido na ca, onde o agar-agar é utilizadodutos enlatados de peixe, frango Ásia é a dieta Kanten. Este tipo de como substrato na preparação dee carne; agar triplica o seu volume quando meios de cultura bacteriana em - bebidas: clarificação e refina- ingerido, devido à absorção de microbiologia, como laxativo eção de sucos, cervejas, vinhos e água. Como o consumidor sente agente terapêutico no tratamento ADITIVOS & INGREDIENTES 37
  8. 8. AGAR-AGAR © Kitsen - Dreamstime.com QUADRO 4 - PROPRIEDADES FíSICO-QUíMICAS DO AGAR-AGAR de disfunções digestivas, como agente retardador e carregador na PROPRIEDADES FíSICO-QUíMICAS administração de remédios, anti- Aparência Pó amarelado bióticos e vitaminas, como agente de suspensão de sulfato de bário Gronulometria Mesh 100 em radiologia, como estabilizador Umidade Máx. 18% de soluções de colesterol e como Absorção de Água Máx. 75 c.c. agente de suspensão em diversos Cinzas Insolúveis em Ácido Máx. 0,5% tipos de emulsões. O agar-agar Cinzas Brutas Máx. 6,5% encontra ainda várias outras apli- cações industriais onde um agente Materiais Orgânicos Estranhos Máx. 1,0% gelificante se faz necessário, como Materiais Insolúveis Estranhos Máx. 1,0% em próteses dentárias, emulsões Gelatina Negativo fotográficas, diferenciação de pH 6,8 a 7,0 proteínas por eletroforese, croma- tografia por exclusão de tamanho, Força de Gel (sol 1,5% a 20°C) 700 a 1.000g/cm2 moldagem de materiais e meios de Viscosidade (sol 1,5% a 20°C) 10 a 100 cps cultura de tecido de plantas em Ponto de Fusão 85° - 95°C biotecnologia. Ponto de Gelificação 32° - 45°C Uso em biologia vegetal: o Solubilidade Água em ebulição agar, em uma forma pura para análise e suplementado com uma Arsênico Máx. 3 ppm mistura de nutrientes, é usado em Metais Pesados Máx.10 ppm biologia vegetal para auxiliar a Amido Passa o teste germinação de plantas em placasADITIVOS & INGREDIENTES Chumbo Máx. 10 ppm de Petri, sob condições estéreis. Estas misturas são bem controla- PROPRIEDADES MICROBIOlÓGlCAS das e mais ou menos constantes Contagem de Aeróbios Totais < 5.000 UFC/g para cada tipo de planta. A solidificação do agar em um E.Coli Ausente meio de cultura é dependente do Salmonella Ausente pH, com uma gama ótima de 5,4 a Contagem Coliformes Totais < 100 UFC/g 5,7. Por vezes é usado hidróxido de Análises efetuadas pelo método 3M Petrifilm potássio (KOH) para aumentar o 38
  9. 9. AGAR-AGAR pH, sendo o meio posteriormente Após solidificação do meio, este esterilizado por autoclave. encontra-se apto a albergar o Este tipo de meio é particu- crescimento de microrganis- larmente útil na aplicação de mos. Diferentes microrga- concentrações específicas de, por nismos possuem diferentes exemplo, fito-hormonas, de modo necessidades nutricionais, a induzir determinados padrões por isso o meio de cultura de crescimento. Isto é alcançado é adaptado para satisfazer adicionando a hormona ao meio de essas necessidades. Por cultura, sendo este posteriormen- exemplo, um tipo de meio te autoclavado. Esta mistura pode, é o blood agar (literalmen- então, ser espalhada na superfície te, agar de sangue), que das placas de Petri em que germi- possui como suplemento nam as sementes. sangue de cavalo e é usado Uso em microbiologia: O agar para detectar a presença de or- é muito usado em meios de cultura ganismos hemorrágicos, como a sólidos para bactérias e fungos, Escherichia coli. A detecção é feita mas não para vírus. Alguns vírus através da digestão do sangue, que podem, no entanto, ser cultivados torna a placa mais clara. em bactérias que, por sua vez, Uso em biologia molecular: a crescem em agar. Menos de 1% agarose é muito usada em biologia amostras podem ser aplicadas nos de todas as bactérias conhecidas molecular como matriz na eletro- poços entretanto formados. O gel podem ser cultivadas nestes tipos forese em gel. Géis de agarose com é colocado em uma tina contendo de meios, mas a formulação bási- concentrações tipicamente entre o mesmo tipo de solução tampão ca do meio de cultura com agar 0,5% e 2,5% (p/v) são usados para usada no gel e sujeita a uma di- é adequado para a maioria. Este separação de moléculas de ácidos ferença de potencial que pode tipo de meio de cultura é feito nucleicos de diferentes tamanhos. chegar até 150 volts. Os ácidos adicionando agar (normalmente Os géis de agarose são feitos nucleicos migram do pólo negativo 1,5% a 2% (p/v)) e componentes dissolvendo a quantidade desejada (cátodo) para o pólo positivo (âno- de meio de cultura específicos de agarose em solução tampão do), separando-se segundo o seu para cada tipo de microrganismo a adequada aquecida (normalmente, tamanho: as moléculas menores água destilada. Esta mistura, após Tris-borato-EDTA ou Tris-acetato- encontram menos resistência a esterilizada, é vertida, enquanto EDTA), sendo esta despejada em passagem através do gel, migrando líquida, para placas de Petri ou um molde retangular. Enquanto a mais rapidamente em direção ao tubos. Por vezes é adicionado um mistura não solidifica, é inserido pólo positivo. suplemento após a esterilização um pente específico para que exis- A eletroforese em gel de aga- como, por exemplo, antibióticos tam pequenos poços no gel. Este rose é uma das ferramentas mais (o calor da esterilização destrói processo é possível porque a agarose utilizadas para verificação da qua- determinados suplementos, não apresenta histerese, ou seja, solidifi- lidade (pureza e quantidade) de permitindo a sua adição anterior). ca a uma temperatura (32ºC - 40ºC) DNA ou RNA de uma amostra (por diferente da temperatura de fusão exemplo, para verificar a presença (85ºC). de produtos desejados de PCR), Após a completa solidi- assim como para a purificação de ficação da agarose, o ácidos nucleicos. Nesta, o DNA de pente é retirado e as interesse é separado dos demais contaminantes (outras moléculas de DNA de diferentes tamanhos), posteriormente excisado e separa- do da agarose. ADITIVOS & INGREDIENTES A indústria de ficocolóides é um mercado crescente que movimenta anualmente milhões de dólares no mundo. O interesse econômico© Jarrod1 - Dreamstime.com pelos ficocolóides explica-se pelo fato de apresentarem propriedades gelatinizantes e espessantes, o que lhes agrega considerável valor comercial. q 39

×