DETERMINAÇÃO DA LEI DE BOYLE-MARIOTTE COM RECURSO AO E-LAB               João Malhão, Luísa Ferreira, Raquel Tomé, Ricardo...
RESULTADOSA figura 1 apresenta os resultados obtidos num ensaio realizado.       Figura 1- a) Gráfico da Lei de Boyle-Mari...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Comunicação ticEDUCA júnior 2012 experiência e-lab "Lei de Boyle-Mariotte"

288 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
288
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
85
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Comunicação ticEDUCA júnior 2012 experiência e-lab "Lei de Boyle-Mariotte"

  1. 1. DETERMINAÇÃO DA LEI DE BOYLE-MARIOTTE COM RECURSO AO E-LAB João Malhão, Luísa Ferreira, Raquel Tomé, Ricardo Cardoso Escola Secundária Padre António Vieiraa_5081@espav.edu.pt; a_7183@espav.edu.pt; a_7043@espav.edu.pt; a_6977@espav.edu.pt ResumoNeste trabalho de projeto pretende-se determinar a Lei de Boyle-Mariotte com recurso a umlaboratório virtual, intitulado e-lab. Esta inovação tecnológica permite controlar remotamenteum laboratório a partir de uma página da web, que foi criada pelo Instituto Superior Técnico,em Lisboa.Os objetivos desta atividade são: obter a relação entre a pressão e volume de um gás ideal, auma temperatura constante; e descrever a experiência realizada por Boyle-Mariotte para adeterminação da relação entre a pressão e o volume de um gás ideal.INTRODUÇÃOA expressão matemática que traduz a relação entre o volume e a pressão de umadeterminada quantidade de gás a uma temperatura constante foi descoberta noséculo XVII pelo químico e físico irlandês Robert Boyle (1627 - 1691) e pelo físicofrancês Edme Mariotte (1620 - 1684) e encontra-se desenvolvida no procedimentoexperimental.Na experiência de Boyle e Mariotte introduziram uma certa quantidade de mercúrionum tubo em U, fechado numa das extremidades. O nível de mercúrio é o mesmo emambos os ramos do tubo e a pressão do ar contido no ramo fechado é igual à pressãoatmosférica.Quando se adiciona mais mercúrio, a pressão sobre o ar encerrado aumenta,observando-se uma diminuição de volume do mesmo.Logo, conclui-se que existe uma proporcionalidade inversa entre a pressão exercidasobre um gás e o volume por ele ocupado ou o produto da pressão pelo volume de umgás é uma constante, como se comprova na lei de Boyle-Mariotte.Lei de Boyle-MariotteP x V = constante  V = constante/P (a temperatura constante)
  2. 2. RESULTADOSA figura 1 apresenta os resultados obtidos num ensaio realizado. Figura 1- a) Gráfico da Lei de Boyle-Mariotte (pV = k); b) Gráfico pressão Vs 1/volume.O gráfico da lei de Boyle-Mariotte tem a forma de uma hipérbole, porque esteprocesso ocorre a uma temperatura constante, essa linha é denominada isotérmica.O erro médio da constante de pV é relativamente baixo (desvio padrão =141.17).CONCLUSÃODe acordo com Lei de Boyle-Mariotte pode-se concluir que a experiência realizada foibem-sucedida, pois os resultados obtidos são aproximadamente constantes (pV = k).Através do gráfico da pressão Vs volume verifica-se que a pressão e o volume sãoinversamente proporcionais. Quanto ao gráfico da pressão Vs 1/V obteve-se umaproporcionalidade directa entre o volume e a pressão. Pode-se ainda verificar pelosgráficos que o valor de R² é aproximadamente 1 o que é um valor bastante razoável.A partir dos resultados obtidos pode concluir-se que o e-lab é uma boa ferramentapara ser utilizada dentro e fora da sala de aula com intuito de provar a Lei de Boyle-Mariotte.REFERÊNCIASCosta, Alexandre; Ferreira, Ana Margarida; Costa, Ana Maria (2011). Química 12º Ano – Volume 2. 3º Edição, Lisboa: Plâtano.E-escola, Instituto Superior Técnico. Retirado de http://www.e- escola.pt/topico.asp?id=540 e http://www.e-escola.pt/topico.asp?id=568, a 22 de Fevereiro de 2012.

×