PRINCÍPIO FUNDAMENTAL DA HIDROSTÁTICA COM RECURSO AO E-LAB            Gonçalo Ribeiro, João Santos, Pedro Leandro, Tomás L...
Figura 3 – Págua destilada vs Profundidade.               Figura 4 - Póleo vegetal vs Profundidade.Analisando os quatro gr...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Comunicação ticEDUCA júnior 2012 experiência e-lab "Princípio fundamental da Hidrostática"

285 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Comunicação ticEDUCA júnior 2012 experiência e-lab "Princípio fundamental da Hidrostática"

  1. 1. PRINCÍPIO FUNDAMENTAL DA HIDROSTÁTICA COM RECURSO AO E-LAB Gonçalo Ribeiro, João Santos, Pedro Leandro, Tomás Law e Sérgio Leal Escola Secundária Padre António Vieira a_4777@espav.edu.pt; a_7075@espav.edu.pt; a_6941@espav.edu.pt; a_6945@espav.edu.pt; sergio.leal@espav.edu.pt ResumoEste trabalho de projeto tem como objetivo promover a utilização de novas tecnologias didáticaspara permitir aos estudantes uma melhor aprendizagem. Foi utilizado o e-lab, que é uma inovaçãono mundo da educação, na qual é possível assistir e controlar experiências à distância, através daInternet, tendo sido abordada a experiência relativa ao Princípio Fundamental da Hidrostática.Palavras-chave: Inovação, tecnologia, hidrostática, princípio, física.INTRODUÇÃONeste projeto foi comprovado o Princípio Fundamental da Hidrostática ( ), demonstrando que a pressão em cada ponto não depende apenasda densidade do líquido no qual se encontra imerso, mas também da profundidade a que seencontra determinado objeto. Nesta atividade participaram quatro alunos do 12º ano.Qualquer corpo mergulhado em água sofre pressão, que aumenta com a profundidade.Quando um corpo se encontra parado na água, a resultante das forças exteriores tem queser nula. As forças de pressão exercidas horizontalmente anulam-se. No entanto, as forçasde pressão exercidas verticalmente não se anulam devido ao peso do corpoRESULTADOS E DISCUSSÃOEsta experiência e-lab consiste em mergulhar um mesmo corpo (ou corpos iguais) em quatrotubos com líquidos diferentes (água destilada, glicerina, óleo vegetal e água salgada). Osrespetivos líquidos têm diferentes densidades possibilitando assim estudar a relaçãopressão-profundidade. É assim possível observar como aumenta ou diminui a pressão àmedida que o corpo se afunda em cada um dos quatro tubos (figuras 1 a 4). Figura 1 – Pglicerina vs Profundidade. Figura 2 - Págua salgada vs Profundidade.
  2. 2. Figura 3 – Págua destilada vs Profundidade. Figura 4 - Póleo vegetal vs Profundidade.Analisando os quatro gráficos, é possível observar que todos eles apresentam umalinearidade nos resultados obtidos. Pode, então, concluir-se que a experiência obedece aoPrincípio Fundamental da Hidrostática, uma vez que a pressão aumenta com aprofundidade, de forma diretamente proporcional. Considerando a aceleração da gravidadena Terra 0,098mms-2 e dado que P(h) = Po + ρgh, é possível determinar a densidade dos 4líquidos, sem efetuar grandes cálculos. Isto porque, como os gráficos representam dados deprofundidade em função da profundidade, o declive é igual a ρg, logo ρ = (declive/g).Sendo assim temos: 1(glicerina)= 1.11kgdm-3; 2(água salgada)= 0.959 kgdm-3;3(água destilada)= 0.949 kgdm-3; 4(óleo vegetal)= 0.908 kgdm-3.CONCLUSÃOCom a realização deste projeto veio-se a comprovar, com o auxílio do e-lab, o PrincípioFundamental da Hidrostática. Pela análise dos gráficos e dos dados obtidos nos ensaiosefetuados, verificou-se que, de facto, a pressão em cada ponto não vai apenas depender dadensidade, mas também da profundidade que se vai atingindo ao longo do tempo(aumentando de forma proporcional).Também se pode concluir que o e-lab, ainda em desenvolvimento, é uma excelentealternativa, visto que proporciona uma extensa variedade de dados e tem a vantagem de sepoder realizar a experiência remotamente.REFERÊNCIASMaciel, N., Villate, J. E., Azevedo, C., & Barbosa, F. M. (2011). Eu e a Física 12 (1ª edição). Porto: Porto Editora.Elab – Princípio da Hidrostática (2012). Retirado de http://www.e- escola.pt/topico.asp?id=56, a 5 de março de 2012.

×