Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Plano assistencial, prescrições, evolução e prognóstico

152,224 views

Published on

Plano assistencial, prescrições, evolução e prognóstico

  1. 1. PLANO ASSISTENCIAL,PRESCRIÇÕES, EVOLUÇÃO EPROGNÓSTICO DE ENFERMAGEM SEGUNDO WANDA AGUIAR HORTA
  2. 2. PLANO ASSISTENCIAL É a determinação global da assistência de enfermagem de acordo com os diagnósticos de enfermagem;  Desta forma, analisa-se os problemas de enfermagem identificados e, então, lista-se as futuras ações assistenciais;  Deve-se subdividir tais ações em 4 subgrupos:
  3. 3. PLANO ASSISTENCIAL  Fazer e ajudar;  Orientação;  Supervisão;  Encaminhamento.
  4. 4. EXEMPLIFICAÇÃO DO PA.  Paciente pós-AVC hemorrágico, acamado e totalmente dependente dos cuidados de enfermagem.  PLANO ASSISTENCIAL - Fazer e ajudar: Banho no leito, sinais vitais, mudança de decúbito, exercícios respiratórios, elevação de cabeceira a 30º.
  5. 5. EXEMPLIFICAÇÃO DO PA. - Orientação: Acerca da patologia e tratamento, quanto a necessidade de movimentação ativa no leito, rotina de visitação familiar. - Supervisão: Observar frequência e padrão das eliminações vesico-intestinais, padrão de sono, sinais de infecção, sensação álgica.
  6. 6. EXEMPLIFICAÇÃO DO PA. -Encaminhamento: Psicóloga, assistente social e nutricionista.
  7. 7. PRESCRIÇÕES DE ENFERMAGEM Configuram o roteiro diário (aprazado) que coordena as ações da equipe de enfermagem junto aos clientes; Corresponde à dinamização do plano assistencial; Deve-se enumerar as ações, utilizar o verbo no infinitivo e haver o aprazamento;
  8. 8. PRESCRIÇÕES DE ENFERMAGEM Devem existir numa folha exclusiva ou usa-se a própria folha de prescrição médica da instituição; Traduzem a ação correspondente ao nível de dependência de enfermagem; Desta forma, utiliza-se alguns verbos de acordo com as ações de ajudar e fazer; orientação; supervisão; e encaminhamento;
  9. 9. PRESCRIÇÕES DE ENFERMAGEM Fazer: aplicar, banhar, executar, administrar, executar, lubrificar, pesar, mudar; Ajuda: acompanhar, auxiliar, facilitar, fornecer, permitir, ajudar; Supervisão: observar, controlar, avaliar, inspecionar, supervisionar; Encaminhamento: encaminhar, levar, conduzir, dirigir.
  10. 10. PRESCRIÇÕES DE ENFERMAGEMA prescrição deve ser concisa, clara e específica; Sempre checada quando realizada; Anota-se observações dos cuidados prestados e não prestados.
  11. 11. EXEMPLIFICAÇÃO DEPRESCRIÇÕES DE ENFERMAGEM 1. Aferir sinais vitais 6/6h – 12 18 24 06. Avaliação: 12h- Tax- 37,1ºC, FC- 72bpm, FR- 16irpm, PA- 130x70 mmHg; 2. Orientar quanto à necessidade de movimentação ativa no leito – Nas 24 horas. Avaliação: 11h- Paciente relatou que sente muita dor quando realiza a extensão de MMII;
  12. 12. EXEMPLIFICAÇÃO DEPRESCRIÇÕES DE ENFERMAGEM 3. Supervisionar as eliminações vesico- intestinais quanto a quantidade e aspecto - Nas 24 horas. Avaliação: 20h evacuou fezes com sangue tipo “borra de café” (melena). 4. Elevar a cabeceira a 30º- Nas 24 horas. Avaliação: 09:30h melhorou o padrão respiratório.
  13. 13. EVOLUÇÃO DE ENFERMAGEM É o relato diário ou periódico das mudanças sucessivas que ocorrem no paciente;  É uma avaliação global do plano de cuidados;  A redação deve ser clara e sucinta, utilizando terminologias semiológicas;  Da evolução poderão advir mudanças;
  14. 14. EVOLUÇÃO DE ENFERMAGEM  Estas mudanças visam melhorar a assistência de enfermagem prestada ao cliente;  Exerce, portanto, um verdadeiro controle sobre a qualidade e quantidade das assistências de enfermagem.
  15. 15. EXEMPLIFICAÇÃO DE EVOLUÇÃOSinais vitais: Tax- 36,8ºC; FC- 75 bpm; FR- 18 irpm; PA- 160x90 mmHg. Paciente torporoso, confuso, acianótico, anictérico, pálido e hipohidratado. Apresenta lesão descamativa em couro cabeludo, mucosas oculares hipocoradas, cavidade bucal com secreção esbranquiçada em língua, linfoadenomegalia em região submandibular, à ausculta cardíaca BNF em 2t, à ausculta pulmonar MUVA com roncos difusos bilateralmente. Abdome tenso, peristalse diminuída (2 ruídos em 1 minuto), doloroso à palpação superficial, genitália sem anormalidades, MMII edemaciados com formação de cacifo em maléolos tibiais D e E, pulsos femoral, poplíteo e pedioso presentes.
  16. 16. PROGNÓSTICO DE ENFERMAGEMÉ a estimativa da capacidade do ser humano em atender às suas necessidades básicas; O prognóstico indicará as condições que o cliente atingiu na alta hospitalar; Ele chegou à total dependência? Está dependente no quê?
  17. 17. PROGNÓSTICO DE ENFERMAGEM Um bom prognóstico é aquele que leva ao autocuidado; Um prognóstico sombrio é aquele que se dirige para a dependência total.
  18. 18. EXEMPLIFICAÇÃO Paciente apresenta dependência para higienização corporal, mobilização e nutrição. Prognóstico de efermagem ruim.

×