Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
2
SENAC – SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL
ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO SENAC EM SANTA CATARINA
Presidente do Conse...
3
GESTÃO DO PROJETO
Daniella Regina Farinella Jora. Enfermeira. Mestre em Saúde e Gestão do Trabalho pela Univali de Itaja...
4
Ana Paula Mairesse. Enfermeira. Mestrando Profissionalizante em Terapia Intensiva. Especialiação ão em Auditoria
em sist...
5
Glauce Pereira. Pós Graduada em Pedagogia Empresarial com Ênfase em Gestão de Pessoas. Graduada em
Pedagogia com Habilit...
Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial
Curso Técnico em Enfermagem
Procedimento Operacional Padrão
6
LISTA DE SIGlAS
A...
7
pH - Potencial de Hidrogênio
POP - Procedimento Operacional Padrão
PPD - Derivado Protéico Purificado
PT - Perímetro Tor...
8
1. INTRODUÇÃO..............................................................................................................
9
5. POP´s ALIMENTAÇÃO E SONDAGENS...........................................................................................
10
10. POP´s CUIDADOS COM RECÉM-NASCIDOS E CRIANÇAS..........................................................................
11
1. INTRODUÇÃO
A equipe de enfermagem é um dos pilares para a diferenciação do atendimento prestado aos pacientes/client...
Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial
Curso Técnico em Enfermagem
Procedimento Operacional Padrão
12
1. DESCRIÇÃO E F...
13
5. Friccionar a palma das mãos entre si com os dedos entrelaçados
Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconi...
Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial
Curso Técnico em Enfermagem
Procedimento Operacional Padrão
14
1. DESCRIÇÃO E F...
15
3. Separar o material e remover o excesso de sujidade
Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado
4. Colo...
Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial
Curso Técnico em Enfermagem
Procedimento Operacional Padrão
16
POP N° 00003
Des...
17
3. Higienizar as mãos (Vide POP n.º 00004)
Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos
4. Abrir o pacote conte...
18
8. Deslizar a mão esquerda para dentro da luva
Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado
9. Pegar a luv...
19
12. Retirar a luva, pelo punho da luva de uma das mãos e puxá-la de modo que a luva fique totalmente dentro da
mão
Just...
Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial
Curso Técnico em Enfermagem
Procedimento Operacional Padrão
20
1. DESCRIÇÃO E F...
21
4. RISCOS:
Descamação, ressecamento, alergia e fissuras na pele das mãos.
5. MATERIAIS NECESSÁRIOS:
Água
Sabonete líqui...
22
11. Enxaguar as mãos, retirando os resíduos de sabonete. Evitar contato direto das mãos com a torneira
Justificativa: R...
Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial
Curso Técnico em Enfermagem
Procedimento Operacional Padrão
23
1. DESCRIÇÃO E F...
24
2. Reunir o material necessário e levar a roupa de cama na ordem de uso: cobertor, lençol de cima, lençol móvel,
imperm...
25
6. Proceder a vestimenta do leito: Esticar o lençol de baixo sobre o colchão; Prender a cabeceira e os pés da cama
faze...
26
7. Encaminhar o hamper com os lençóis usados até o local de armazenamento de roupa suja
Justificativa: Mantém o ambient...
Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial
Curso Técnico em Enfermagem
Procedimento Operacional Padrão
27
1. DESCRIÇÃO E F...
28
Ação de Enfermagem e Justificativa
1. Reunir o material necessário e levar para próximo do paciente/cliente
Justificati...
29
8. Dobrar a coberta ou cobertor, caso pretenda reutilizá-los, e colocar sobre uma superfície limpa e seca, caso
contrár...
30
10. Enrolar os lençóis inferiores sujos o mais próximo possível ao paciente/cliente e prender as roupas de cama sob
as ...
31
12. Fazer o paciente/cliente rolar lentamente na sua direção sobre as camadas de roupa de cama. Levantar a grade
latera...
32
15. Esticar o lençol limpo, desenrolando-o e esticando-o a partir da lateral do colchão da cabeceira para os pés da
cam...
33
17. Prender as pontas do lençol dobrando-as sobre os quatro lados do colchão, de modo que o lençol de baixo esteja
esti...
34
19. Colocar o lençol superior, o cobertor ou coberta (se houver) e a colcha
Justificativa: Realiza o procedimento técni...
35
22. Encaminhar o hamper ao expurgo
Justificativa: Mantém o ambiente em ordem e reduz transmissão de microrganismos
23. ...
Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial
Curso Técnico em Enfermagem
Procedimento Operacional Padrão
36
1. DESCRIÇÃO E F...
37
2. Reunir o material necessário e levar a roupa de cama na ordem de uso: cobertor, lençol de cima, lençol móvel,
imperm...
Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial
Curso Técnico em Enfermagem
Procedimento Operacional Padrão
38
1. DESCRIÇÃO E F...
39
6. DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO:
Profissionais: Enfermeiro e Técnico em Enfermagem	
Ação de Enfermagem e Justificativa	
1....
40
8. Retire as vestes do paciente/cliente
Justificativa: Realiza procedimento preconizado
9. Colocar o paciente/cliente c...
41
18. Retirar roupa de cama anterior e descartar em hamper, realizar desinfecção com álcool a 70% em colchão e
travesseir...
Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial
Curso Técnico em Enfermagem
Procedimento Operacional Padrão
42
1. DESCRIÇÃO E F...
43
Caneta
Papel e/ou caderneta
6. DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO:
Profissionais: Enfermeiro e Técnico em Enfermagem
Ação de Enf...
44
6. Calçar as luvas de procedimento
Justificativa: Promove barreira física entre as mãos e fluidos corporais do paciente...
45
15. Enxugar com toalha de rosto
Justificativa: Evita a umidade da pele, causadora da proliferação de microrganismos e a...
46
19. Lavar o tórax e o abdome com movimentos circulares. Enxaguar e enxugar
Justificativa: Realiza procedimento preconiz...
47
22. Repetir o procedimento no outro membro inferior
Justificativa: Realiza procedimento preconizado
23. Aproximar dos p...
48
26. Higienizar e enxugar as costas e nádegas do paciente/cliente
Justificativa: Realiza procedimento preconizado
27. Re...
49
32. Vestir o paciente/cliente
Justificativa: Realiza procedimento preconizado
33. Explicar a importância da higiene pes...
50
8. CUIDADOS DE ENFERMAGEM: 9. JUSTIFICATIVA:
Orientar paciente/cliente/acompanhante a manter os
lençóis esticados
Orien...
Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial
Curso Técnico em Enfermagem
Procedimento Operacional Padrão
51
1. DESCRIÇÃO E F...
52
AÇÃO DE ENFERMAGEM E JUSTIFICATIVA
1. Reunir o material necessário
Justificativa: Promove a organização e o controle ef...
53
9. Colocar a bacia sob a cabeça do paciente/cliente
Justificativa: Promove a privacidade do paciente/cliente
10. Derram...
54
12. Derramar a água morna no couro cabeludo e nos cabelos para enxaguar
Justificativa: Realiza procedimento preconizado...
55
17. Secar os cabelos com toalha, penteando-os a seguir
Justificativa: Realiza procedimento preconizado e diminui a umid...
56
7. RECOMENDAÇÕES:
Ensaboar a cabeça com cuidado, para evitar escorrer espuma nos olhos.
Se o cabelo estiver embaraçado,...
Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial
Curso Técnico em Enfermagem
Procedimento Operacional Padrão
57
1. DESCRIÇÃO E F...
58
AÇÃO DE ENFERMAGEM E JUSTIFICATIVA
1. Conferir a prescrição médica, reunir todo material na bandeja e levar para próxim...
59
14. Colocar a pasta de resina sintética (se necessário), preenchendo os espaços vazios na região periestoma
Justificati...
60
8. CUIDADOS DE ENFERMAGEM: 9. JUSTIFICATIVA:
Atentar para a escolha correta do dispositivo
Verificar se a pele está bem...
Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial
Curso Técnico em Enfermagem
Procedimento Operacional Padrão
61
1. DESCRIÇÃO E F...
62
6. DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO:
Profissionais: Enfermeiro e Técnico em Enfermagem
AÇÃO DE ENFERMAGEM E JUSTIFICATIVA
1. R...
63
10. Colocar o forro e a comadre sob a paciente/cliente
Justificativa: Realiza procedimento preconizado
11. Se houver ma...
64
14. Com a compressa, ensaboar a região pubiana, a vulva e o períneo, sempre no sentido ântero-posterior
Justificativa: ...
65
15. Enxaguar e enxugar delicadamente a região perineal e perianal com uma toalha
Justificativa: Realiza procedimento pr...
66
19. Erguer o pênis do paciente/cliente e derramar pequena quantidade de água na região genital
Justificativa: Realiza p...
67
21. Retrair o prepúcio e ensaboar, com compressa, a glande e o meato uretral, utilizando movimentos circulares de
dentr...
68
23. Enxugar delicadamente o pênis, a bolsa escrotal e a região perianal com uma toalha
Justificativa: Realiza procedime...
69
REFERÊNCIAS:
1. NETTINA, Sandra M.. Prática de Enfermagem. 9. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.
2. POTTER, Pa...
Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial
Curso Técnico em Enfermagem
Procedimento Operacional Padrão
70
1. DESCRIÇÃO E F...
71
2. Realizar acolhimento e solicitar permissão para realização do procedimento
Justificativa: Reduz ansiedade do pacient...
72
11. Oferecer um copo com água para o paciente/cliente fazer bochechos e, eliminar esses resíduos numa cuba rim
colocada...
Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial
Curso Técnico em Enfermagem
Procedimento Operacional Padrão
73
1. DESCRIÇÃO E F...
74
1. Reunir todo material e levar para próximo ao paciente/cliente
Justificativa: Promove a organização e o controle efic...
75
11. Posicionar membros superiores sobre tórax e cruzar a perna mais distante sobre a mais próxima
Justificativa: Realiz...
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Po ps enfermagem dr.pdf 1
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Po ps enfermagem dr.pdf 1

13,515 views

Published on

Estudo Senac

Published in: Technology
  • D0WNL0AD FULL ▶ ▶ ▶ ▶ http://1lite.top/Iwkwv ◀ ◀ ◀ ◀
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here

Po ps enfermagem dr.pdf 1

  1. 1. 2 SENAC – SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO SENAC EM SANTA CATARINA Presidente do Conselho Regional Bruno Breithaupt Diretor Regional Rudney Raulino Diretor da Divisão de Educação Profissional Ivan Luiz Ecco Coordenadora do Setor de Educação Inicial e Técnica Daiane Cristina de Borba Analista Estadual de Eixo Educacional Daniella Regina Farinella Jora Analistas Pedagógicas Leila di Pietro Glauce Pereira Projeto Gráfico e Diagramação Heber Coimbra Fotos Gilson Guzzo Cardoso Catalogação na Fonte Bibliotecária/Responsável Noeli Viapiana CRB14/1013 Rua Felipe Schmidt, 785 – 6º e 7º andares – Centro 88010-002 – Florianópolis – Santa Catarina Tel.: (0XX48) 3251-0500 / FAX.: (0XX48) 3251-0515 Home Page: www.sc.senac.br CDD 610.730793 P963 SENAC. DR.SC Procedimentos Operacionais Padrão em Enfermagem. 1. ed. Daniella Regina Farinella Jora. Florianópolis.Senac.SC,2014. 443 p. 1. Enfermagem-pratica. 2. Procedimento. 3. Cursos Técnicos Saúde.
  2. 2. 3 GESTÃO DO PROJETO Daniella Regina Farinella Jora. Enfermeira. Mestre em Saúde e Gestão do Trabalho pela Univali de Itajaí. Especialista em Saúde Pública pelo IBEPEX, Especialista em Saúde Mental Coletiva pelo ICPG-SC, Especialista em Gestão Educacional pelo Senac/DN e Especialista em Docência para Educação profissional pelo Senac/DN. Atualmente coordenadora Estadual do Eixo Tecnologico Ambiente e Saúde do Senac/SC. Experiência como docente em Educação Profissional, Graduação e Pós-Graduação no segmento de saúde. EQUIPE TÉCNICA DE ELABORAÇÃO Sabino Scipiecz. Enfermeiro. Graduação em Enfermagem - Universidade do Vale do Itajaí (2003), Mestrado em Saúde e Gestão do Trabalho - Universidade do Vale do Itajaí (2008), Orientador de Curso na Faculdade Senac de Blumenau. Kellin Danielski. Enfermeira (UNIVALI), especialista em UTI (FURB), MBA em Gestão Hospitalar(FURB), Especialista em Interdisciplinaridade na Prática Pedagógica (FURB), Especialista em Gestão Pedagógica nas Escolas Técnicas do SUS (UFMG), Especializanda em Processos Educacionais (IEP Sírio Libanês), Mestrado em Educação (FURB), Doutoranda em Enfermagem (UFSC). Docente do curso Técnico em Enfermagem SENAC, Docente e Coordenadora Técnica Pedagógica ETSUS, Coordenadora  do curso de graduação em Enfermagem UNIASSELVI, Coordenadora Comitê de Ética em Pesquisa - CEP FAMEBLU. Ana Paula Kühl Caldonazo. Enfermeira com Licenciatura Plena, Especialização em Unidade de Terapia Intensiva, Especialização em Educação Profissional na Área da Saúde: Enfermagem Mestre em Saúde e Gestão do Trabalho. Coordenadora do Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança – Faculdade SENAC em Blumenau. Docente da Graduação em Enfermagem do Centro Universitário Leonardo Da Vinci, das disciplinas: Enfermagem em Terapia Intensiva, Enfermagem em Saúde Mental, Enfermagem na Saúde  da Criança e do Adolescente, Educação em Saúde e Primeiros Socorros. Docente da Pós graduação do Centro Universitário Leonardo Da Vinci, nos cursos: Enfermagem em Urgência e Emergência, Enfermagem em Unidade de Terapia intensiva. Elizabeth Machado Paulo Enfermeira (UFSC) Licenciatura Plena (Univali) Especialista em Gerontologia (UFSC) Especialista em Saúde da Família e Comunidade (Hospital Italiano de Buenos Aires) Especialista em Gestão da Saúde e Promoção da Saúde (Fundação Unimed) Mestranda em Gestão do Trabalho e Saúde da Família (UNIVALI) Orientadora do Senac, nos curso técnico de enfermagem e Pronatec Orientadora do IFSC/UAB, no curso de pós graduação em gestão pública. Vera Lucia Oliveira Domingues. Enfermeira. Especislista em em Estratégia  Saúde da Família. Atualmente Coordenadora do Eixo Ambiente e Saúde – Unidade Senac Saúde Beleza em Florianópolis – SC
  3. 3. 4 Ana Paula Mairesse. Enfermeira. Mestrando Profissionalizante em Terapia Intensiva. Especialiação ão em Auditoria em sistemas de Saúde. Enfermeira da Emergência Instituto de Cardiologia-São José Enfermeira da UTI Casa de Saúde São Sebastião. Coordenadora de Pesquisa Clínica Novartis Orientadora dos cursos Técnicos de Enfermagem Senac Saúde Beleza em Florianópolis – SC. Gabriela Rocha de Moura Ferro. Enfermeira. Especilização em Medicina Tradicional Chinesa. Orientadora dos cursos Técnicos de Enfermagem Senac Saúde Beleza em Florianópolis – SC. Joice Iahn. Enfermeira. Especialista em Emergência e UTI e Especialista em Docência em Ensino Profissionalizante. Orientadora dos cursos Técnicos de Enfermagem Senac Saúde Beleza em Florianópolis – SC. Suzelaine Pereira de Araujo. Enfermeira. Possui experiência profissional em área hospitalar na internação clínica- cirúrgica,materno-infantil,prontoatendimento,saúdepúblicaedocência.Habilitadacomcursosdeaperfeiçoamento em inserção e manutenção de cateter central, serviços de hemoterapia, cuidados com feridas, gerenciamento em PCR (suporte básico), auditoria interna (ISO 9001). No momento atua como orientadora dos cursos de Enfermagem do SENAC Joinville, e no Centro Hospitalar Unimed – CHU como enfermeira da medicina preventiva. Tatiane do Santos Reinert. Enfermeira. Atuou durante 6 anos como Supervisora Geral de Enfermagem no Hospital Hans Dieter Schmidt e desde 2006 atua como Enfermeira da Unidade de Pronto Socorro desta mesma unidade hospitalar. Orientadora dos cursos Técnico de Enfermagem no Senac de Joinville desde de 2006. Amália Cristina de Barcelos. Enfermeira. Especialização em Saúde da Família, Especialista em Gestão de Unidades de Saúde e Acupuntura. Atualmente Analista Educacional do Eixo Ambiente e Saúde do Senac Palhoça – SC e Enfermeira do Alojamento Conjunto da Maternidade do Hospital Regional de São José – SC. Letícia Demarche Frutuoso. Enfermeira. Mestre em Enfermagem – Filosofia, Saúde e Sociedade. Atualmente Enfermeira do Centro Obstétrico da Maternidade do Hospital Regional de São José – SC. Orientadora dos curso de saúde do Senac Palhoça – SC. LucianedeÁvila.Enfermeira.EspecialistaemObstetrícia.AtualmenteEnfermeiraResponsávelpeloCentroObstétrico da Maternidade do Hospital Regional de São José – SC e Orientadora dos curso de saúde do Senac Palhoça – SC. Leila Oliveira Di Pietro. Possui graduação em Pedagogia – Séries Iniciais e Supervisão Escolar (2003). Foi pesquisadora no grupo de análise e desenvolvimento de Software Educativo e transposições didáticas (2001- 2004). Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (2008). Atuou como docente em Cursos Técnicos no Senac Tecnologias da Informação (2005-2006). Realiza palestras e oficinas sobre Metodologias Ativas, Avaliação, Educação Profissional e currículo por competências tanto no Estado no projeto Conexão Educacional Senac como nos Departamentos Regionais do Senac no Brasil. Atua na DEP/DR/SC no suporte didático-pedagógico e verificação educacional das Unidades do Senac e colabora na elaboração das diretrizes educacionais do Senac/ SC (desde 2008) especificamente na Formação Inicial e Continuada e Educação Técnica de Nível Médio. Atua no alinhamento pedagógico nacional dos Planos de Curso do Senac (desde 2013) de cursos de Formação Inicial e Continuada e Educação Técnica de Nível Médio.
  4. 4. 5 Glauce Pereira. Pós Graduada em Pedagogia Empresarial com Ênfase em Gestão de Pessoas. Graduada em Pedagogia com Habilitação em Administração Escolar e Orientação Educacional. Atuou por nove anos como coordenadora pedagógica atendendo diretamente alunos, pais, professores e demais membros da comunidade escolar. Atualmente é responsável pelo suporte didático pedagógico em unidades educacionais de Santa Catarina, pelo processo de Execução das Ações Educacionais e pelo auxílio à produção de cursos de Educação Técnica de Nível Médio e Formação Inicial e Continuada. Camila Braga Bittencourt. Bacharel e Formação em Psicologia pela Universidade Estadual Paulista – UNESP. Especilista em Gestão de Projetos Sociais e Políticas Públicas pela Faculdade Paulista de Serviço Social- FAPSS. Atuação na área social e educacional por 9 anos, na coordenação de Projetos Sociais de atendimento a pessoas em vulnerabilidade social, dificuldade de aprendizagem, jovens internos da Fundação CASA e internos de penitenciária. Elaboração de Projetos e formação de educadores. Atualmente minha atuação está focada nas ações de Educação Inclusiva do Senac SC. COLABORADORES Gilson Guzzo Cardoso. Mestre em Literatura (dramaturgia) pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atualmente é doutorando em Teatro pelo Programa de Pós-Graduação em Teatro (PPGT) da UDESC (Universidade do Estado de Santa Catarina). É formado em Comunicação Social pela PUC Campinas e pela Escola de Arte Dramática (EAD) da Universidade de São Paulo (USP). É fundador e diretor artístico do Teatro do Desequilíbrio - Núcleo de Pesquisa e Produção Teatral Contemporânea. Atualmente é responsável pelo Eixo Tecnológico Produção Cultural e Design do Senac Santa Catarina. Heber Coimbra. Tecnólogo em Multimídias Digitais - Unisul, Palhoça, SC. Técnico em Desenho Industrial – ETFPel (Atual IF-SUL)/Pelotas/RS. Mais de 20 anos de experiência na área de artes gráficas e de comunicação. Orientador de curso do Senac TI, desde 2005 (ano), além de experiência como diretor de arte em diversas agências de Santa Catarina. Também atua na produção de cursos do Senac EAD.
  5. 5. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Curso Técnico em Enfermagem Procedimento Operacional Padrão 6 LISTA DE SIGlAS AHA - American Heart Association – Associação Americana do Coração BCF - Batimentos Cardiofetais BCG - Bacillus Calmette-Guérin - Vacina Contra Tuberculose bpm - Batimentos por Minuto Ca - Cálcio CCIH - Comissão de Controle de Infecção Hospitalar CFM - Conselho Federal de Medicina cm - Centímetros CME - Central de Materiais e Esterilização CO2 - Dióxido de Carbono DO - Declaração de Óbito DPOC - Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica ECG - Eletrocardiograma EPI - Equipamento de Proteção Individual FC - Frequência Cardíaca FiO2 - Fração Inspirada de Oxigênio h - Hora H2O - Água HIV - Vírus da Imunodeficiência Humana IV - Intravenosa J/k - Jaules por kilo K - Potássio Kg - Kilos mg/dL - Miligramas por Decilitro mL - Mililitros mmHg - Milímetros de Mercúrio mpm - Movimentos por Minuto Na - Sódio NE - Nutrição Enteral NPP - Nutrição Parenteral Periférica NPT - Nutrição Parenteral Total O2 - Oxigênio OMS - Organização Mundial da Saúde PA - Pressão Arterial PCR - Parada Cardiorrespiratória PEEP - Positive end-expiratory pressure - Pressão Expiratória Final Positiva
  6. 6. 7 pH - Potencial de Hidrogênio POP - Procedimento Operacional Padrão PPD - Derivado Protéico Purificado PT - Perímetro Torácico PVC - Pressão Venosa Central RCP - Reanimação Cardiorrespiratória RN - Recém-Nascido SARA - Síndrome da Angústia Respiratória Aguda SF - Soro Fisiológico SN - Se Necessário SNE - Sonda Nasoentérica SNG - Sonda Nasogástrica Sp02 - Saturação Periférica da Hemoglobina TB - Tuberculose TCE - Trauma Crânio-Encefálico TGI - Trato Gastrointestinal TRM - Trauma Raquemedular
  7. 7. 8 1. INTRODUÇÃO......................................................................................................................................................... 11 2. POPs CONTROLE DE INFECÇÕES............................................................................................................................. 12 2.1 ANTISSEPSIA DAS MÃOS ................................................................................................................................... 12 2.2 ENCAMINHAMENTO DE MATERIAIS PARA CME................................................................................................ 14 2.3 ENLUVAMENTO ESTÉRIL.................................................................................................................................... 16 2.4 HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS................................................................................................................................. 20 3. POP´s HIGIENE E CONFORTO.................................................................................................................................. 23 3.1 ARRUMAÇÃO DE CAMA DESOCUPADA............................................................................................................. 23 3.2 ARRUMAÇÃO DO LEITO COM PACIENTE/CLIENTE ACAMADO........................................................................... 27 3.3 ARRUMAÇÃO DO LEITO PÓS OPERATÓRIO ....................................................................................................... 36 3.4 BANHO DE ASPERSÃO....................................................................................................................................... 38 3.5 BANHO NO LEITO.............................................................................................................................................. 42 3.6 HIGIENE DO CABELO E COURO CABELUDO....................................................................................................... 51 3.7 HIGIENE DO ESTOMA E PELE PERIESTOMA, ILEOSTOMIA, UROSTOMIA COLOCAÇÃO E TROCA DO SISTEMA COLETOR......................................................................................................... 57 3.8 HIGIENE ÍNTIMA................................................................................................................................................ 61 3.9 HIGIENE ORAL.................................................................................................................................................... 70 3.10 MUDANÇA DE DECÚBITO................................................................................................................................ 73 3.11 TRICOTOMIA.................................................................................................................................................... 78 4. POP´s ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAÇÕES E MANUTENÇÃO DE CATÉTER.............................................................. 82 4.1 ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAÇÃO VIA AURICULAR.......................................................................................... 82 4.2 ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAÇÃO VIA CUTÂNEA.............................................................................................. 85 4.3 ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAÇÃO VIA ENDOVENOSA...................................................................................... 88 4.4 ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAÇÃO VIA EPIDURAL............................................................................................. 94 4.5 ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAÇÃO VIA INTRADÉRMICA.................................................................................... 98 4.6 ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAÇÃO VIA INTRAMUSCULAR............................................................................... 101 4.7 ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAÇÃO VIA OCULAR.............................................................................................. 106 4.8 ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAÇÃO VIA ORAL.................................................................................................. 109 4.9 ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAÇÃO VIA RETAL................................................................................................. 112 4.10 ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAÇÃO VIA SUBCUTÂNEA................................................................................... 116 4.11 ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAÇÃO VIA SUBLINGUAL.................................................................................... 119 4.12 ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAÇÃO VIA VAGINAL........................................................................................... 122 4.13 INSTALAÇÃO DE DROGAS VASOATIVAS.......................................................................................................... 127 4.14 INSTALAÇÃO DE NUTRIÇÃO PARENTERAL..................................................................................................... 132 4.15 PERMEABILIZAÇÃO DO CATÉTER .................................................................................................................. 137 4.16 PREPARO DE FLUIDOTERAPIA E INSTALAÇÃO................................................................................................ 141 4.17 PREPARO DE MEDICAÇÃO PARENTERAL........................................................................................................ 147 4.18 PUNÇÃO POR PORTCATH............................................................................................................................... 153 SUMÁRIO
  8. 8. 9 5. POP´s ALIMENTAÇÃO E SONDAGENS................................................................................................................... 158 5.1 ALIMENTAÇÃO POR SONDA NASOENTERAL E GASTROSTOMIA...................................................................... 158 5.2 SONDAGEM ENTERAL...................................................................................................................................... 162 5.3 SONDAGEM GÁSTRICA.................................................................................................................................... 169 6. POP´s ELIMINAÇÕES, DRENOS E SONDAGENS..................................................................................................... 175 6.1 ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NA PARACENTESE......................................................................................... 175 6.2 SONDAGEM VESICAL DE ALÍVIO - INTERMITENTE........................................................................................... 178 6.4 COLETA DE AMOSTRA DE FEZES...................................................................................................................... 186 6.5 COLOCAÇÃO DE DISPOSITIVO URINÁRIO EXTERNO - MASCULINO................................................................. 190 6.6 CONTROLE DE DIURESE................................................................................................................................... 193 6.7 ESVAZIAMENTO DE COLETOR DE OSTOMIA.................................................................................................... 196 6.8 LAVAGEM GÁSTRICA........................................................................................................................................ 199 6.9 LAVAGEM INTESTINAL..................................................................................................................................... 206 6.10 MANUTENÇÃO DO DRENO DE PENROSE....................................................................................................... 212 6.11 MANUTENÇÃO DE DRENO TÓRAX................................................................................................................. 215 6.12 MANUTENÇÃO DE DRENO HEMOVAC........................................................................................................... 219 7. POP´s CURATIVOS E RETIRADA DE DISPOSITIVOS................................................................................................. 224 7.1 CURATIVO ....................................................................................................................................................... 224 7.2 CURATIVO DE CATÉTERES INTRAVASCULARES (PERIFÉRICO, PICC, CATETER CENTRAL DE CURTA PERMANÊNCIA E PERM-CATH)................................................ 229 7.3 CURATIVO PERINEAL........................................................................................................................................ 232 7.4 CURATIVO SUPRAPÚBICA................................................................................................................................ 235 7.5 RETIRADA DE CATÉTER EPIDURAL................................................................................................................... 238 7.6 RETIRADA DE CATÉTER VENOSO CENTRAL...................................................................................................... 241 7.7 RETIRADA DE PONTOS..................................................................................................................................... 246 8. POP´s OXIGENIOTERAPIA...................................................................................................................................... 255 8.1 ASPIRAÇÃO DE VIAS AÉREAS........................................................................................................................... 255 8.2 ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NA INTUBAÇÃO............................................................................................ 263 8.3 NEBULIZAÇÃO.................................................................................................................................................. 271 8.4 OXIGENIOTERAPIA POR CATETER NASAL......................................................................................................... 276 8.5 OXIGENIOTERAPIA POR CATETER TIPO ÓCULOS.............................................................................................. 279 8.6 OXIGENIOTERAPIA POR MÁSCARA DE VENTURI............................................................................................. 282 9. POP´s SINAIS VITAIS, MEDIDAS ANTROPOMÉTRICAS E MONITORIZAÇÕES.......................................................... 288 9.1 GLICEMIA CAPILAR.......................................................................................................................................... 288 9.2 INSTALAÇÃO DE OXIMETRIA............................................................................................................................ 293 9.3 MENSURAÇÃO DE PRESSÃO VENOSA CENTRAL.............................................................................................. 296 9.4 MENSURAÇÃO DO PESO E ALTURA................................................................................................................. 303 9.5 MONITORIZAÇÃO DO BALANÇO HÍDRICO....................................................................................................... 307 9.6 REALIZAÇÃO DE ECG........................................................................................................................................ 310 9.7 VERIFICAÇÃO DE SINAIS VITAIS....................................................................................................................... 314
  9. 9. 10 10. POP´s CUIDADOS COM RECÉM-NASCIDOS E CRIANÇAS..................................................................................... 324 10.1 ALIMENTAÇÃO POR MAMADEIRA................................................................................................................. 324 10.2 AMAMENTAÇÃO............................................................................................................................................ 327 10.3 BANHO DE BANHEIRA................................................................................................................................... 329 10.4 COLETA DE URINA EM CRIANÇAS.................................................................................................................. 337 10.5 CREDEIZAÇÃO NO RECÉM-NASCIDO............................................................................................................. 342 10.6 CURATIVO DE COTO UMBILICAL.................................................................................................................... 344 10.7 FOTOTERAPIA EM RECÉM-NASCIDO.............................................................................................................. 346 10.8 LIMPEZA E DESINFECÇÃO DO BERÇO............................................................................................................ 349 10.9 MEDIDA DO PERÍMETRO CEFÁLICO............................................................................................................... 353 10.10 MEDIDA DO PERÍMETRO TORÁCICO............................................................................................................ 356 10.11 MENSURAÇÃO DA ALTURA DO RN E CRIANÇA............................................................................................ 359 10.12 MÉTODO CANGURU.................................................................................................................................... 362 10.13 PESAGEM DO RECÉM-NASCIDO.................................................................................................................. 364 10.14 TROCA E PESAGEM DA FRALDA................................................................................................................... 368 11. POP´s CUIDADOS COM GESTANTE E PUÉRPERA................................................................................................. 372 11.1 INVOLUÇÃO UTERINA.................................................................................................................................... 372 11.2 OBSERVAÇÃO DOS LÓQUIOS......................................................................................................................... 374 11.3 ORDENHA MANUAL....................................................................................................................................... 376 11.4 VERIFICAÇÃO DE BATIMENTOS CARDIOFETAIS.............................................................................................. 379 12. POP´s TRANSPORTE DE PACIENTE/CLIENTE........................................................................................................ 382 12.1 TRANSFERÊNCIA PARA CADEIRA................................................................................................................... 382 12.2 TRANSFERÊNCIA PARA MACA........................................................................................................................ 387 13. POP´s APLICAÇÃO DE CALOR/FRIO..................................................................................................................... 391 13.1 APLICAÇÃO DE BOLSA DE ÁGUA QUENTE..................................................................................................... 391 13.2 APLICAÇÃO DE BOLSA DE GELO..................................................................................................................... 395 13.3 APLICAÇÃO DE COMPRESSAS FRIAS.............................................................................................................. 399 14. POP´s PRÉ E PÓS-OPERATÓRIO........................................................................................................................... 403 14.1 ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO PRÉ-OPERATÓRIO................................................................................. 403 14.2 ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO PÓS-OPERATÓRIO................................................................................ 407 15. POP´s COMUNS A TODAS AS UNIDADES............................................................................................................ 410 15.1 CONFERÊNCIA DO CARRO DE EMERGÊNCIA................................................................................................. 410 15.2 CUIDADOS COM O CORPO APÓS A MORTE................................................................................................... 413 15.3 GUARDA DE PRÓTESE DENTÁRIA................................................................................................................... 420 15.4 MONTAGEM E FECHAMENTO DE CAIXA PÉRFUROCORTANTE...................................................................... 424 15.5 REANIMAÇÃO CARDIOPULMONAR............................................................................................................... 429
  10. 10. 11 1. INTRODUÇÃO A equipe de enfermagem é um dos pilares para a diferenciação do atendimento prestado aos pacientes/clientes dos serviços de saúde, e para tanto se faz necessário a busca contínua pela excelência técnica que permita uma prática consistente e segura para o profissional e paciente/cliente. Na atualidade o suporte científico, técnico e tecnológico dos cuidados é considerável sendo que os conceitos transformaram-se e as teorias de enfermagem desenvolveram-se. E há provas de mudanças mais estruturadas, a considerar o destinatário dos cuidados como parceiro na decisão e a envolver a família nos cuidados. Podemos mesmo afirmar que a saúde assumiu posição de realce enquanto estratégia de otimização da qualidade de vida dos cidadãos. Em perfeita consonância estratégica, o exercício profissional da enfermagem centra-se, justamente, no relacionamento interpessoal entre um profissional de enfermagem e uma pessoa ou um grupo de pessoas (família ou comunidades), que se desenvolve através de atitudes humanizadas; já que, cuidar é comprometer-se a manter a dignidade e integridade da pessoa que é cuidada. O objetivo dos Procedimentos Operacionais Padrão (POPs) em Enfermagem é padronizar as técnicas e os procedimentos realizados pelos Orientadores e Alunos de Enfermagem de todas as unidades do SENAC/SC, fornecendo conteúdos teóricos necessários e imagens, como: descrição e finalidade, indicação e contraindicação, riscos, materiais necessários, descrição do procedimento, recomendações, cuidados de enfermagem e referências. Este material didático-instrucional visa ser um instrumento que permitirá, ao profissional, organizar suas ações com mais competência, segurança e de forma sistematizada. A iniciativa de construção deste material partiu do Departamento Regional do SENAC/SC, do Eixo Tecnológico Ambiente e Saúde e contou com a colaboração de Analistas de Formação Profissional e Orientadores de Cursos da área, utilizando como base suas experiências profissionais e referencial teórico bibliográfico de publicações atuais. As imagens foram realizadas, em sua maior parte, no Laboratório de Saúde e Segurança no Trabalho da Faculdade SENAC de Blumenau.
  11. 11. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Curso Técnico em Enfermagem Procedimento Operacional Padrão 12 1. DESCRIÇÃO E FINALIDADE: Destruição de microrganismos nas camadas superficiais de pele das mãos com o uso de germicidas (antissépticos). 2. INDICAÇÃO: Antes e após o contato direto com o paciente/cliente, ou, antes e após o enluvamento das mãos. 3. CONTRAINDICAÇÃO: Não se aplica. 4. RISCOS: Descamação, ressecamento, alergia e fissuras na pele das mãos. 5. MATERIAIS NECESSÁRIOS: Álcool gel 6. DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: Profissionais: Enfermeiro e Técnico em Enfermagem Ação de Enfermagem e Justificativa 1. Retirar anéis, pulseiras e relógio Justificativa: Evita abrigo para os microrganismos 2. Aplicar na palma da mão quantidade suficiente do produto para cobrir todas as superfícies das mãos (seguir a quanti­dade recomendada pelo fabricante) Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 3. Friccionar as palmas das mãos entre si Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 4. Friccionar a palma da mão direita con­tra o dorso da mão esquerda entrela­çando os dedos e vice-versa Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 2. POPs CONTROLE DE INFECÇÕES 2.1 ANTISSEPSIA DAS MÃOS POP N° 00001 Desenvolvido em: 15/12/2013 Revisão: 15/12/2014
  12. 12. 13 5. Friccionar a palma das mãos entre si com os dedos entrelaçados Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 6. Friccionar o dorso dos dedos de uma mão com a palma da mão oposta, segurando os dedos e vice-versa Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 7. Friccionar o polegar esquerdo, com o auxílio da palma da mão direita, utilizando-se movimento circular e vice- versa Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 8. Friccionar as polpas digitais e unhas da mão direita contra a palma da mão esquerda, fazendo um movimento circular e vice-versa Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 9. Friccionar os punhos com movimentos circulares Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 10. Friccionar até secar Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 7. RECOMENDAÇÕES: Não utilizar papel toalha, deixar secar naturalmente. Esta prática não deve substituir a lavagem das mãos mais que duas seguidas e, preferencialmente, deve ser em procedimento em um mesmo paciente/cliente. 8. CUIDADOS DE ENFERMAGEM: 9. JUSTIFICATIVA: Retirar anéis e pulseiras antes de cuidar dos pacientes/ clientes Manter unhas curtas e limpas e não utilizar unhas artificiais Reduz o risco de disseminação de micro-organismos REFERÊNCIAS: 1. MURTA, Genilda Ferreira. Saberes e práticas: guia para ensino e aprendizagem de enfermagem. 14.ª ed. São Paulo: Difusa, 2010. 2. PIANUCCI, Ana. Saber cuidar: procedimentos básicos em enfermagem. São Paulo: Senac, 2010. 3. VOLPATO, Andrea Cristine Bressane. et al. Técnicas básicas de enfermagem. São Paulo: Martinari, 2014.
  13. 13. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Curso Técnico em Enfermagem Procedimento Operacional Padrão 14 1. DESCRIÇÃO E FINALIDADE: Consiste no encaminhamento de materiais para o centro de material e esterilização (CME). 2. INDICAÇÃO: Quando necessário a limpeza, preparo, desinfecção e/ou esterilização do material. 3. CONTRAINDICAÇÃO: Não se aplica. 4. RISCOS: Contaminação. 5. MATERIAIS NECESSÁRIOS: Luvas de procedimento Luvas de borracha Avental impermeável Óculos de proteção Máscara descartável Desincrustante Escova Carrinho e/ou recipiente fechado Livro de controle de matérias da Central de Materiais e Esterilização (CME) 6. DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: Profissionais: Enfermeiro e Técnico em Enfermagem AÇÃO DE ENFERMAGEM E JUSTIFICATIVA 1. Higienizar as mãos (Vide POP n.º 00004) Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos 2. Colocar os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) Justificativa: Proteger o profissional da saúde à exposição do material 2.2 ENCAMINHAMENTO DE MATERIAIS PARA CME POP N° 00002 Desenvolvido em: 15/12/2013 Revisão: 15/12/2014
  14. 14. 15 3. Separar o material e remover o excesso de sujidade Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 4. Colocar o material em carrinho ou recipiente fechado para transporte Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 5. Deixar o expurgo em ordem Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 6. Encaminhar o material para a CME Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 7. Fazer a entrega do material e conferência junto à equipe do CME Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 8. Retirar os EPI’s Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos 9. Higienizar as mãos (Vide POP n.º 00004) Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos 10. Guardar o caderno de controle dos materiais encaminhados para o CME Justificativa: Guarda registro da ação realizada, controla fluxo de materiais entregues no CME 7. RECOMENDAÇÕES: Fazer uso de sabão desincrustante indicado pela Comissão de Controle de Infecções da instituição. 8. CUIDADOS DE ENFERMAGEM: 9. JUSTIFICATIVA: Atentar para presença de materiais perfurocortantes Certificar para uso correto do desincrustante, conforme indicação do fabricante Evita acidentes Garante eficácia do procedimento REFERÊNCIAS: 1. BARTMANN, Mercilda. Enfermagem cirúrgica. Rio de Janeiro: Senac, 2012. 2. BRASIL. Ministério da Saúde. Processamento de artigos e superfícies em estabelecimentos de saúde. Brasília: Positiva, 2011. 3. SOBECC. Sociedade Brasileira de Enfermeiros de Centro Cirúrgico, Recuperação Anestésica e Centro de Material e Esterilização. Práticas Recomendadas Sobecc. 4ª Edição. São Paulo, 2007.
  15. 15. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Curso Técnico em Enfermagem Procedimento Operacional Padrão 16 POP N° 00003 Desenvolvido em: 15/12/2013 Revisão: 15/12/2014 1. DESCRIÇÃO E FINALIDADE: Método de colocação de luva estéril utilizado para procedimentos assépticos. 2. INDICAÇÃO: Evitar a contaminação em procedimentos assépticos. 3. CONTRAINDICAÇÃO: Não se aplica. 4. RISCOS: A técnica incorreta pode causar infecções. 5. MATERIAIS NECESSÁRIOS: Par de luvas estéreis 6. DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: Profissionais: Enfermeiro e Técnico em Enfermagem AÇÃO DE ENFERMAGEM E JUSTIFICATIVA 1. Retirar anéis, pulseiras e relógio Justificativa: Evita perfuração da luva 2. Verificar o prazo de validade do pacote e o número da luva Justificativa: Reduz risco de contaminação do procedimento e evita rasgo na luva 2.3 ENLUVAMENTO ESTÉRIL
  16. 16. 17 3. Higienizar as mãos (Vide POP n.º 00004) Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos 4. Abrir o pacote contendo o par de luvas Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 5. Retirar o envelope contendo as luvas do invólucro externo e colocá-lo sobre uma superfície seca e limpa Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 6. Abrir o envelope expondo o par de luvas Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 7. Pegar a luva esquerda com a mão direita (se for canhoto, proceder ao contrário) Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado
  17. 17. 18 8. Deslizar a mão esquerda para dentro da luva Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 9. Pegar a luva direita com a mão esquerda Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 10. Deslizar a mão direita para dentro da luva Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 11. Ajustar as luvas adequadamente Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado
  18. 18. 19 12. Retirar a luva, pelo punho da luva de uma das mãos e puxá-la de modo que a luva fique totalmente dentro da mão Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 13. Evitar que os dedos da mão enluvada toquem na mão desnuda Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 14. Introduzir os dedos indicador e médio da mão desnuda no punho da mão enluvada Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 15. Puxar a luva até retirá-la totalmente Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 16. Jogar as luvas no lixo contaminado Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos 17. Higienizar as mãos (Vide POP n.º 00004) Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos 7. RECOMENDAÇÕES: Abrir o pacote de luvas em cima de uma superfície plana. Nunca em cima do leito. As mãos enluvadas precisam ser mantidas acima do nível da cintura, quando não ocupadas. Se os dedos entrarem de forma errada, ao caçar uma luva, somente tentar corrigir após calçar a luva da outra mão. 8. CUIDADOS DE ENFERMAGEM: 9. JUSTIFICATIVA: Certificar-se do tamanho apropriado da luva manual Facilita o enluvamento, evita contaminação do procedimento e evita rasgo na luva REFERÊNCIAS: 1. BARTMANN, Mercilda. Enfermagem cirúrgica. Rio de Janeiro: Senac, 2012. 2. MURTA, Genilda Ferreira. Saberes e práticas: guia para ensino e aprendizagem de enfermagem. São Paulo: Difusa, 2010. 3. PIANUCCI, Ana. Saber cuidar: procedimentos básicos em enfermagem. 14.ª ed. São Paulo: Senac, 2010. 4. SILVA, Gilberto Tadeu Reis. et al. Manual do Técnico de Enfermagem. São Paulo: Martinari, 2014. 5. VOLPATO, Andrea Cristine Bressane. et al. Técnicas básicas de enfermagem. São Paulo: Martinari, 2014.
  19. 19. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Curso Técnico em Enfermagem Procedimento Operacional Padrão 20 1. DESCRIÇÃO E FINALIDADE: A higienização das mãos corresponde à retirada de sujidade, microrganismos e outras substâncias das mãos, antes e após qualquer procedimento. É a medida individual mais simples e menos dispendiosa para prevenir a propagação das infecções relacionadas à assistência à saúde. 2. INDICAÇÃO: Antes e após cada procedimento ou manipulação do paciente/cliente. 3. CONTRAINDICAÇÃO: Não se aplica. 2.4 HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS POP N° 00004 Desenvolvido em: 15/12/2013 Revisão: 15/12/2014 Fonte: ANVISA, 2007
  20. 20. 21 4. RISCOS: Descamação, ressecamento, alergia e fissuras na pele das mãos. 5. MATERIAIS NECESSÁRIOS: Água Sabonete líquido Papel toalha 6. DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: Profissionais: Enfermeiro e Técnico em Enfermagem AÇÃO DE ENFERMAGEM E JUSTIFICATIVA 1. Retirar anéis, pulseiras e relógio Justificativa: Evita abrigo para os microrganismos 2. Abrir a torneira sem encostar-se a pia Justificativa: Evita a transferência de microrganismos e realiza o procedimento técnico preconizado 3. Aplicar na palma da mão quantidade suficiente de sabonete líquido para cobrir todas as superfícies das mãos Justificativa: Reduz a aderência, soltando os microrganismos e realiza o procedimento técnico preconizado 4. Ensaboar as palmas das mãos, friccionando-as entre si Justificativa: Remove os microrganismos adequadamente e realiza o procedimento técnico preconizado 5. Esfregar a palma da mão direita contra o dorso da mão esquerda (vice-versa) entrelaçando os dedos Justificativa: Remove os microrganismos adequadamente e realiza o procedimento técnico preconizado 6. Entrelaçar os dedos e friccionar os espaços interdigitais Justificativa: Remove os microrganismos adequadamente e realiza o procedimento técnico preconizado 7. Esfregar o dorso dos dedos de uma mão com a palma da mão oposta (vice-versa), segurando os dedos, com movimento de vai-e-vem Justificativa: Remove os microrganismos adequadamente e realiza o procedimento técnico preconizado 8. Esfregar o polegar direito, com o auxílio da mão esquerda (vice-versa), utilizando movimento circular Justificativa: Remove os microrganismos adequadamente e realiza o procedimento técnico preconizado 9. Friccionar as polpas digitais e unhas da mão esquerda contra a palma da mão direita, fechada em concha (vice- versa), fazendo movimento circular Justificativa: Remove os microrganismos adequadamente e realiza o procedimento técnico preconizado 10. Esfregar o punho esquerdo, com o auxilio da palma direita (vice-versa), utilizando movimento circular Justificativa: Remove os microrganismos adequadamente e realiza o procedimento técnico preconizado
  21. 21. 22 11. Enxaguar as mãos, retirando os resíduos de sabonete. Evitar contato direto das mãos com a torneira Justificativa: Remove os microrganismos adequadamente e realiza o procedimento técnico preconizado 12. Secar as mãos com papel toalha descartável, iniciando pelas mãos e seguindo pelos punhos Justificativa: Previne contaminação cruzada e realiza o procedimento técnico preconizado 7. RECOMENDAÇÕES: As mãos devem ser higienizadas: antes de iniciar qualquer procedimento com o paciente/cliente e após o mesmo; quando for manusear medicamento e alimentos; após assoar o nariz; após o contato com materiais ou superfícies contaminadas; antes e após uso do banheiro e sempre que terminar o trabalho. Em áreas críticas, seguir a recomendação da Comissão de Controle de Infecções com relação ao uso de sabão ou antisséptico e uso de álcool glicerinado ou álcool gel após a higienização das mãos. 8. CUIDADOS DE ENFERMAGEM: 9. JUSTIFICATIVA: Retirar anéis e pulseiras antes de cuidar dos pacientes/ clientes Manter unhas curtas e limpas e não utilizar unhas artificiais Utilizar papel toalha para fechar torneiras com contato manual Evitar espirrar água em si próprio ou no piso Reduz o risco de disseminação de microrganismos REFERÊNCIAS: 1. ANVISA. Higienização das mãos em serviços de saúde. Brasília: ANVISA, 2007. 2. ARCHER, Elizabeth et al. Procedimentos e Protocolos, volume1 - Série Práxis, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005. 3. CARMAGNANI, M. I. S. et al. Procedimentos de enfermagem: guia prático. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2009. 4. POTTER, Patrícia Ann; PERRY, Anne Griffin. Fundamentos de Enfermagem. 7.ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012. 5. SILVA, Gilberto Tadeu Reis. et al. Manual do Técnico de Enfermagem. São Paulo: Martinari, 2014. 6. SILVA, S. C.; SIQUEIRA, I. L. C. P.; SANTOS, A. E. Procedimentos básicos. São Paulo: Atheneu, 2009. (Série boas práticas de enfermagem em adultos). 7. SMELTZER, Suzanne C.; HINKLE, Janice L.; BARE, Brenda G.; CHEEVER, Kerry H.. Brunner e Suddarth: Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgica. 12.ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2012. 8. TAYLOR, Carol. Fundamentos de enfermagem. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007. 9. TIMBY, Bárbara K.. Conceitos e habilidades fundamentais no atendimento de enfermagem. 8.ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2007. 10. VOLPATO, Andrea Cristine Bressane. et al. Técnicas básicas de enfermagem. São Paulo: Martinari, 2014.
  22. 22. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Curso Técnico em Enfermagem Procedimento Operacional Padrão 23 1. DESCRIÇÃO E FINALIDADE: É o preparo da cama que esta desocupada, aguardando a chegada do paciente/cliente. 2. INDICAÇÃO: É arrumada para aguardar o paciente/cliente. 3. CONTRAINDICAÇÃO: Não se aplica. 4. RISCOS: Não se aplica. 5. MATERIAIS NECESSÁRIOS: Luvas de procedimento 2 Lençóis 1 Lençol móvel 1 fronha 1 forro impermeável 1 cobertor Compressa limpa Álcool a 70% Hamper 6. DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: Profissionais: Enfermeiro e Técnico em Enfermagem Ação de Enfermagem e Justificativa 1. Higienizar as mãos (Vide POP n.º 00004) Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos 3. POP´s HIGIENE E CONFORTO 3.1 ARRUMAÇÃO DE CAMA DESOCUPADA POP N° 00005 Desenvolvido em: 15/12/2013 Revisão: 15/12/2014
  23. 23. 24 2. Reunir o material necessário e levar a roupa de cama na ordem de uso: cobertor, lençol de cima, lençol móvel, impermeável, lençol de baixo, fronha Justificativa: Facilita a organização e o controle eficiente do tempo 3. Calçar luvas de procedimento Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos 4. Retirar a roupa de cama usada e colocá-la no hamper Justificativa: Mantém o ambiente em ordem e reduz a transmissão de microrganismos 5. Passar a compressa limpa embebida em álcool 70% no colchão e leito Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos
  24. 24. 25 6. Proceder a vestimenta do leito: Esticar o lençol de baixo sobre o colchão; Prender a cabeceira e os pés da cama fazendo a prega nos cantos; Posicionar o impermeável e o lençol móvel e prende-los na lateral da cama; Posicionar o lençol móvel na parte superior da cama, fazendo pregas laterais; Estender o lençol de cima; Estender o cobertor; Pegar as pontas do lençol de cima, do cobertor, fazendo uma dobra das partes inferior e superior deles até o meio da cama, de modo que formem um envelope, para o lado cama oposto a porta de entrada do paciente/cliente; Enfronhar o travesseiro Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado
  25. 25. 26 7. Encaminhar o hamper com os lençóis usados até o local de armazenamento de roupa suja Justificativa: Mantém o ambiente em ordem e reduz transmissão de microrganismos 8. Retirar luvas e higienizar as mãos (Vide POP n.º 00004) Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos 7. RECOMENDAÇÕES: Observar o estado de conservação do leito, do colchão e travesseiro. 8. CUIDADOS DE ENFERMAGEM: 9. JUSTIFICATIVA: Manter o hamper em local apropriado Reduz a transmissão de microrganismos REFERÊNCIAS: 1. PIANUCCI, Ana. Saber cuidar: procedimentos básicos em enfermagem. 14.ª ed. São Paulo: Senac, 2010. 2. SMELTZER, Suzanne C.; HINKLE, Janice L.; BARE, Brenda G.; CHEEVER, Kerry H.. Brunner e Suddarth: Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgica. 12.ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2012.
  26. 26. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Curso Técnico em Enfermagem Procedimento Operacional Padrão 27 1. DESCRIÇÃO E FINALIDADE: Consiste na arrumação do leito ocupado pelo paciente/cliente. 2. INDICAÇÃO: Diária ou sempre que necessário. 3. CONTRAINDICAÇÃO: Evitar o procedimento em pacientes/clientes hemodinamicamente instáveis. 4. RISCOS: Abrasão de pele. Relativo aos profissionais: algias vertebrais devido manipulação errada. 5. MATERIAIS NECESSÁRIOS: Luvas de procedimento Hamper 2 lençóis 1 forro Impermeável 1 forro móvel 1 coberta ou cobertor 1 fronha 6. DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: Profissionais: Enfermeiro e Técnico em Enfermagem 3.2 ARRUMAÇÃO DO LEITO COM PACIENTE/CLIENTE ACAMADO POP N° 00006 Desenvolvido em: 15/12/2013 Revisão: 15/12/2014
  27. 27. 28 Ação de Enfermagem e Justificativa 1. Reunir o material necessário e levar para próximo do paciente/cliente Justificativa: Promove a organização e o controle eficiente do tempo - 2. Orientar paciente/cliente e /ou acompanhante de como será realizado o procedimento e solicitar sua colaboração Justificativa: Reduz ansiedade do paciente/cliente e propicia a colaboração 3. Higienizar as mãos (Vide POP n.º 00004) Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos 4. Fechar a porta do quarto ou colocar biombo Justificativa: Promove a privacidade do paciente/cliente 5. Colocar as roupas de cama limpas sobre uma superfície seca e limpa (mesa, cadeira ou carrinho) na ordem de uso: lençol do colchão, forro impermeável (SN), fronha, lençol comum, coberta ou cobertor Justificativa: Evita desperdício de energia e problemas posturais 6. Colocar a cama na posição horizontal Justificativa: Facilita a realização do procedimento 7. Calçar as luvas de procedimento Justificativa: Promove barreira física entre as mãos e fluidos corporais do paciente/cliente
  28. 28. 29 8. Dobrar a coberta ou cobertor, caso pretenda reutilizá-los, e colocar sobre uma superfície limpa e seca, caso contrário, colocar no hamper. Retirar o sobre-lençol Justificativa: Mantém o ambiente em ordem e reduz transmissão de microrganismos 9. Posicionar o paciente/cliente no lado oposto da cama, em decúbito lateral e de costas para você. Certificar-se de levantar a grade lateral em frente a ele Justificativa: Virar o paciente/cliente em decúbito lateral dá espaço para colocar a roupa de cama limpa. A grade lateral garante que o paciente/cliente não cairá da cama e o ajuda a mover-se
  29. 29. 30 10. Enrolar os lençóis inferiores sujos o mais próximo possível ao paciente/cliente e prender as roupas de cama sob as nádegas, costas e ombros do paciente/cliente. Se necessário, limpar o colchão com álcool 70% e secar antes de colocar os lençóis limpos Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 11. Colocar a roupa de cama limpa na metade exposta da cama desenrolando-os na direção do paciente, prender as bordas, que estão na direção em que você se encontra, em baixo do colchão e manter o lençol esticado Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado
  30. 30. 31 12. Fazer o paciente/cliente rolar lentamente na sua direção sobre as camadas de roupa de cama. Levantar a grade lateral (de frente para o paciente) e vá para o outro lado da cama Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado e mantém o paciente/cliente em segurança 13. Abaixar a grade lateral. Ajudar o paciente/cliente a se posicionar no outro lado, por cima dos lençóis Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 14. Remover os lençóis usados dobrando-os em uma trouxa ou em um quadrado, com a parte suja voltada para dentro e colocar no hamper Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado
  31. 31. 32 15. Esticar o lençol limpo, desenrolando-o e esticando-o a partir da lateral do colchão da cabeceira para os pés da cama e fixar sob o colchão Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 16. Esticar o protetor impermeável s/n, prendendo-os sob o colchão Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado
  32. 32. 33 17. Prender as pontas do lençol dobrando-as sobre os quatro lados do colchão, de modo que o lençol de baixo esteja esticado e sem pregas sobre a cama Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 18. Trocar a roupa do paciente/cliente e posiciona-lo na cama confortavelmente, conforme recomendado Justificativa: Demonstra preocupação com o seu bem-estar
  33. 33. 34 19. Colocar o lençol superior, o cobertor ou coberta (se houver) e a colcha Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 20. Arrumar o lençol de cobrir, coberta ou cobertor juntos. Fazer uma dobra virando a ponta do lençol de cobrir por cima da coberta e cobertor. Levantar a grade lateral Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado 21. Trocar a fronha Justificativa: Realiza o procedimento técnico preconizado
  34. 34. 35 22. Encaminhar o hamper ao expurgo Justificativa: Mantém o ambiente em ordem e reduz transmissão de microrganismos 23. Retirar luvas e higienizar as mãos (Vide POP n.º 00004) Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos 7. RECOMENDAÇÕES: Fazer o mínimo de movimentação possível com a roupa suja ao retirá-la do leito e na arrumação do leito. Usar da mecânica corporal e movimentos sincronizados. 8. CUIDADOS DE ENFERMAGEM: 9. JUSTIFICATIVA: Orientar paciente/cliente/acompanhante a manter os lençóis esticados Orientar paciente/cliente/acompanhante a manter o leito limpo de sujidades ou resíduos alimentares Previne abrasões de pele Evita a proliferação de microrganismos, insetos e roedores REFERÊNCIAS: 1. NETTINA, Sandra M.. Prática de Enfermagem. 9. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011. 2. POTTER, Patrícia Ann; PERRY, Anne Griffin. Fundamentos de Enfermagem. 7.ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012. 3. SMELTZER, Suzanne C.; HINKLE, Janice L.; BARE, Brenda G.; CHEEVER, Kerry H.. Brunner e Suddarth: Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgica. 12.ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2012. 4. TIMBY, Bárbara K.. Conceitos e habilidades fundamentais no atendimento de enfermagem. 8.ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.
  35. 35. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Curso Técnico em Enfermagem Procedimento Operacional Padrão 36 1. DESCRIÇÃO E FINALIDADE: Consiste em preparar o leito para o recebimento do paciente/cliente pós-cirúrgico com a finalidade de proporcionar repouso, conforto e segurança ao paciente/cliente. 2. INDICAÇÃO: Sempre que o paciente/cliente internado for submeter-se a um procedimento cirúrgico, ou sempre que houver a necessidade de internação de um paciente/cliente em pós-operatório imediato. 3. CONTRAINDICAÇÃO: Não se aplica. 4. RISCOS: Não se aplica. 5. MATERIAIS NECESSÁRIOS: Luvas de procedimento Hamper 2 lençóis 1 forro Impermeável 1 forro móvel 1 coberta ou cobertor 1 fronha Compressa Limpa Álcool a 70% 6. DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: Profissionais: Enfermeiro e Técnico em Enfermagem Ação de Enfermagem e Justificativa 1. Higienizar as mãos (Vide POP n.º 00004) Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos 3.3 ARRUMAÇÃO DO LEITO PÓS OPERATÓRIO POP N° 00007 Desenvolvido em: 15/12/2013 Revisão: 15/12/2014
  36. 36. 37 2. Reunir o material necessário e levar a roupa de cama na ordem de uso: cobertor, lençol de cima, lençol móvel, impermeável, lençol de baixo, fronha Justificativa: Facilita a organização e o controle eficiente do tempo 3. Calçar as luvas de procedimento Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos 4. Retirar a roupa de cama usada e colocá-la no hamper Justificativa: Mantém o ambiente em ordem e reduz a transmissão de microrganismos 5. Passar a compressa limpa embebida em álcool 70% no colchão e leito Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos 6. Proceder a vestimenta do leito: Esticar o lençol de baixo sobre o colchão; Prender a cabeceira e os pés da cama fazendo a prega nos cantos; Posicionar o impermeável e o lençol móvel e prende-los na lateral da cama; Posicionar o lençol móvel na parte superior da cama, fazendo pregas laterais; Estender o lençol de cima; Estender o cobertor; Pegar as pontas do lençol de cima, do cobertor, fazendo uma dobra das partes inferior e superior deles até o meio da cama, de modo que formem um envelope, para o lado cama oposto a porta de entrada do paciente/cliente; Enfronhar o travesseiro Justificativa: Realiza procedimento preconizado 7. Encaminhar o hamper com os lençóis usados até o local de armazenamento de roupa suja Justificativa: Mantém o ambiente em ordem e reduz a transmissão de microrganismos 8. Retirar luvas e higienizar as mãos (Vide POP n.º 00004) Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos 7. RECOMENDAÇÕES: Observar o estado de conservação do leito, do colchão e travesseiro. 8. CUIDADOS DE ENFERMAGEM: 9. JUSTIFICATIVA: Manter o hamper em local apropriado. Reduz a transmissão de microrganismos. REFERÊNCIAS: 1. PIANUCCI, Ana. Saber cuidar: procedimentos básicos em enfermagem. 14.ª ed. São Paulo: Senac, 2010. 2. SMELTZER, Suzanne C.; HINKLE, Janice L.; BARE, Brenda G.; CHEEVER, Kerry H.. Brunner e Suddarth: Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgica. 12.ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2012.
  37. 37. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Curso Técnico em Enfermagem Procedimento Operacional Padrão 38 1. DESCRIÇÃO E FINALIDADE: É procedimento de limpeza da pele do paciente/cliente através do cuidado higiênico no chuveiro. 2. INDICAÇÃO: Todos os pacientes/clientes internados com dificuldade de deambular, devem ser transportados em cadeiras de rodas ou cadeiras de banho. 3. CONTRAINDICAÇÃO: Pacientes/clientes acamados, inconscientes, sedados, em ventilação pulmonar mecânica, traumas, Trauma Raque- Medular (TRM). 4. RISCOS: Queimadura por temperatura inapropriada da água; Queda da própria altura ou da cadeira. 5. MATERIAIS NECESSÁRIOS: Banheiro com chuveiro Cadeira de banho Luvas de procedimentos Sabonete líquido e/ou barra Luva de banho e/ou compressa Toalha de rosto Toalha de banho Roupa íntima Pijama ou camisola Desodorante Pente Álcool a 70% Compressa limpa Roupa de cama Hamper Caneta Papel e/ou caderneta 3.4 BANHO DE ASPERSÃO POP N° 00008 Desenvolvido em: 15/12/2013 Revisão: 15/12/2014
  38. 38. 39 6. DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: Profissionais: Enfermeiro e Técnico em Enfermagem Ação de Enfermagem e Justificativa 1. Reunir o material necessário Justificativa: Promove a organização e o controle eficiente do tempo 2. Realizar acolhimento e solicitar permissão para realização do procedimento Justificativa: Reduz ansiedade do paciente/cliente e propicia a colaboração 3. Orientar paciente/cliente e/ou acompanhante de como será realizado o procedimento e solicitar sua colaboração Justificativa: Reduz ansiedade do paciente/cliente e propicia a colaboração 4. Fechar porta e janela do quarto, se possível Justificativa: Promove a privacidade do paciente/cliente e evita corrente de ar 5. Higienizar as mãos (Vide POP n.º 00004) Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos 6. Calçar as luvas de procedimento Justificativa: Promove barreira física entre as mãos e fluidos corporais paciente/cliente 7. Higienizar a cadeira de banho passando compressa embebida em álcool 70% e travar a mesma Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos e reduz o risco de queda
  39. 39. 40 8. Retire as vestes do paciente/cliente Justificativa: Realiza procedimento preconizado 9. Colocar o paciente/cliente cuidadosamente na cadeira, se necessário, cobrindo-o com toalha ou lençol e encaminhá-lo ao chuveiro Justificativa: Promove a privacidade do paciente/cliente 10. Testar a temperatura da água na face interna de seu braço Justificativa: Previne a ocorrência de queimaduras no paciente/cliente 11. Oferecer material de higiene ou ajudar o paciente/cliente a fazê-lo, iniciando pela face; e, por último, a região íntima Justificativa: Realiza procedimento preconizado 12. Remover a espuma com a ducha Justificativa: Realiza procedimento preconizado 13. Ajudar, se necessário, o paciente/cliente a se enxugar com uma toalha Justificativa: Realiza procedimento preconizado 14. Ajudar o paciente/cliente a se vestir e se pentear se necessário Justificativa: Realiza procedimento preconizado 15. Acompanhar o paciente/cliente até o quarto e sentá-lo em cadeira Justificativa: Realiza procedimento preconizado 16. Orientar possíveis alterações, dores, frio, tremores e comunicar à enfermagem Justificativa: Favorece a detecção precoce de qualquer alteração fisiológica e permite uma ação imediata 17. Trocar as luvas de procedimento Justificativa: Realiza procedimento preconizado e reduz a transmissão de microrganismos
  40. 40. 41 18. Retirar roupa de cama anterior e descartar em hamper, realizar desinfecção com álcool a 70% em colchão e travesseiro e colocar roupa de cama limpa e arrumar o leito (Vide POP n.º 00005) Justificativa: Realiza procedimento preconizado e reduz a transmissão de microrganismos 19. Auxiliar o paciente/cliente a ir para o leito e deixá-lo confortável Justificativa: Demonstra preocupação com seu bem-estar 20. Retirar luvas e higienizar as mãos (Vide POP n.º 00004) Justificativa: Reduz a transmissão de microrganimos 21. Realizar as anotações de enfermagem no prontuário Justificativa: Documenta o cuidado e subsidia o tratamento 7. RECOMENDAÇÕES: Quandoforpossível,opaciente/clientedeveserincentivadoatomarobanhosozinho,massentadoesobobservação. É muito importante verificar a temperatura da água do chuveiro para não provocar acidentes a pacientes/clientes que estejam impossibilitados de se locomover. Quando houver curativos, estes devem ser feitos logo após o término do banho. Os cabelos devem ser lavados, as unhas devem ser aparadas e limpas, sempre que necessário. Se for homem verificar a necessidade de tricotomia facial. Deve-se estimular o auto cuidado. 8. CUIDADOS DE ENFERMAGEM: 9. JUSTIFICATIVA: Orientar paciente/cliente/acompanhante a manter os lençóis esticados Orientar paciente/cliente/acompanhante a manter o leito limpo de sujidades ou resíduos alimentares Garantir integridade dos equipamentos usados pelo paciente/cliente Previne abrasões de pele Evita a proliferação de microrganismos, insetos e roedores Diminui o risco de acidentes REFERÊNCIAS: NETTINA, Sandra M.. Prática de Enfermagem. 9. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011. POTTER, Patrícia Ann; PERRY, Anne Griffin. Fundamentos de Enfermagem. 7.ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012. SMELTZER, Suzanne C.; HINKLE, Janice L.; BARE, Brenda G.; CHEEVER, Kerry H.. Brunner e Suddarth: Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgica. 12.ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2012. TIMBY, Bárbara K.. Conceitos e habilidades fundamentais no atendimento de enfermagem. 8.ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.
  41. 41. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Curso Técnico em Enfermagem Procedimento Operacional Padrão 42 1. DESCRIÇÃO E FINALIDADE: Trata-se da higiene corporal em pacientes/clientes acamados. 2. INDICAÇÃO: Pacientes/clientes acamados, dependentes, sedados, inconscientes, em ventilação pulmonar mecânica, com restrições de movimentos. 3. CONTRAINDICAÇÃO: Evitar o procedimento em pacientes/clientes hemodinamicamente instáveis. 4. RISCOS: Tendência a hipotermia; Erosões e irritação por secagem ou hidratação insuficiente; Queimadura por temperatura inapropriada da água; Queda do leito; Infecções cruzadas por prática deficiente do procedimento, relacionado ao profissional; Infecções por falta de higiene. 5. MATERIAIS NECESSÁRIOS: Água e sabão Biombo Hamper Cadeira Roupa de cama Comadre ou papagaio Luvas de procedimentos Compressa ou luvas de banho Bacia Jarro com água morna e sabonete Creme ou solução hidratante Comadre Roupa íntima Pijama ou camisola Desodorante Pente Álcool a 70% 3.5 BANHO NO LEITO POP N° 00009 Desenvolvido em: 15/12/2013 Revisão: 15/12/2014
  42. 42. 43 Caneta Papel e/ou caderneta 6. DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: Profissionais: Enfermeiro e Técnico em Enfermagem Ação de Enfermagem e Justificativa 1. Reunir o material necessário e levar para próximo do paciente/cliente Justificativa: Promove a organização e o controle eficiente do tempo 2. Realizar acolhimento e solicitar permissão para realização do procedimento Justificativa: Reduz ansiedade do paciente/cliente e propicia a colaboração 3. Orientar paciente/cliente e/ou acompanhante de como será realizado o procedimento e solicitar sua colaboração Justificativa: Reduz ansiedade do paciente/cliente e propicia a colaboração 4. Fechar porta e janela do quarto, se possível Justificativa: Promove a privacidade do paciente/cliente e evita corrente de ar 5. Higienizar as mãos (Vide POP n.º 00004) Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos
  43. 43. 44 6. Calçar as luvas de procedimento Justificativa: Promove barreira física entre as mãos e fluidos corporais do paciente/cliente 7. Desocupar a mesa de cabeceira, isolar o ambiente com o biombo, aproximar o hamper e colocar a cadeira ao pé do leito Justificativa: Promove a organização e o controle eficiente do tempo e promove a privacidade do paciente/cliente 8. Dobrar a roupa de cama limpa e posicioná-la sobre a cadeira na ordem de uso Justificativa: Facilita a organização 9. Soltar a roupa de cama e deixar o paciente/cliente coberto somente com o lençol Justificativa: Promove a privacidade do paciente/cliente 10. Retirar lençóis, cobertores, travesseiros em excesso Justificativa: Realiza procedimento preconizado 11. Fazer a higiene oral com creme dental ou antisséptico bucal (Vide POP n.º 00013) Justificativa: Realiza procedimento preconizado 12. Abaixar a cabeceira da cama, se não houver contra indicação Justificativa: Realiza procedimento preconizado 13. Colocar luvas de banho e umedecer com água para iniciar o banho Justificativa: Realiza procedimento preconizado 14. Higienizar e enxáguar o rosto, orelhas e pescoço Justificativa: Realiza procedimento preconizado
  44. 44. 45 15. Enxugar com toalha de rosto Justificativa: Evita a umidade da pele, causadora da proliferação de microrganismos e aparecimento de assaduras 16. Retirar as vestes do paciente/cliente Justificativa: Realiza procedimento preconizado 17. Colocar a toalha de banho ou lençol no tórax do paciente/cliente deixando os braços sobre a toalha de banho Justificativa: Realiza procedimento preconizado 18. Ensaboar, lavar, enxaguar e enxugar da mão até a axila com movimentos longos e firmes. Iniciar do distal para o proximal Justificativa: Realiza procedimento preconizado
  45. 45. 46 19. Lavar o tórax e o abdome com movimentos circulares. Enxaguar e enxugar Justificativa: Realiza procedimento preconizado 20. Cobrir o tórax e abdome com lençol Justificativa: Realiza procedimento preconizado 21. Higienizar, enxáguar e enxugar os membros inferiores, do tornozelo até a raiz da coxa Justificativa: Realiza procedimento preconizado
  46. 46. 47 22. Repetir o procedimento no outro membro inferior Justificativa: Realiza procedimento preconizado 23. Aproximar dos pés do paciente/cliente a bacia de água Justificativa: Realiza procedimento preconizado 24. Higienizar e enxugar ambos os pés e retirar a bacia de água,desprezar a água utilizada Justificativa: Realiza procedimento preconizado 25. Virar o paciente/cliente em decúbito lateral colocando a toalha sob as costas e nádegas Justificativa: Realiza procedimento preconizado
  47. 47. 48 26. Higienizar e enxugar as costas e nádegas do paciente/cliente Justificativa: Realiza procedimento preconizado 27. Realizar desinfecção da cama com álcool a 70% e forrar com lençol limpo, colocando forro se necessário Justificativa: Realiza procedimento preconizado e reduz a transmissão de microrganismos 28. Massagear com creme hidratante Justificativa: Promove sensação de conforto e bem-estar, além de melhorar a circulação 29. Posicionar o paciente/cliente em decúbito dorsal e colocar a comadre e a toalha sob as nádegas Justificativa: Realiza procedimento preconizado 30. Dar o material para o paciente/cliente fazer sua higiene íntima. Caso não seja possível, proceder a higiene (Vide POP n.º 00012) Justificativa: Promove o autocuidado como forma de manter e/ou propicia a independência e autonomia do paciente/cliente 31. Virar o paciente/cliente em decúbito lateral e esticar o outro lado do lençol, procedendo como do outro lado. Voltar o paciente/cliente em decúbito dorsal Justificativa: A lateralização do paciente/cliente evita o uso de força por parte do profissional, além de promover maior segurança durante o procedimento
  48. 48. 49 32. Vestir o paciente/cliente Justificativa: Realiza procedimento preconizado 33. Explicar a importância da higiene pessoal com base no controle de infecção Justificativa: Demonstra preocupação com o seu bem-estar 34. Descartar a roupa de cama no hamper Justificativa: Realiza procedimento preconizado 35. Realizar desinfecção da cabeceira e criado mudo Justificativa: Realiza procedimento preconizado 36. Fazer a arrumação da cama Justificativa: Realiza procedimento preconizado 37. Pentear os cabelos do paciente/cliente Justificativa: Melhora a auto-imagem do paciente/cliente 38. Recolher o material do quarto, deixando-o em ordem e o paciente/cliente confortável Justificativa: Mantém o ambiente em ordem 39. Observar e orientar sobre possíveis alterações como dores, frio, tremores Justificativa: Favorece a detecção precoce de qualquer alteração fisiológica e permite uma ação imediata 40. Encaminhar o material ao expurgo Justificativa: Mantém o ambiente organizado e reduz a transmissão de microrganismos 41. Lavar com água e sabão e encaminhar ao CME e os demais materiais realizar a desinfecção com álcool a 70% e encaminhar ao destino Justificativa: Mantém o ambiente organizado e reduz a transmissão de microrganismos 42. Retirar luvas e higienizar as mãos (Vide POP n.º 00004) Justificativa: Reduz a transmissão de microrganimos 43. Realizar as anotações de enfermagem no prontuário Justificativa: Documenta o cuidado e subsidia o tratamento 7. RECOMENDAÇÕES: Em caso de pós operatório e/ou TRM, imobilizações e cirurgia ortopédica deve-se mobilizar o paciente/cliente em bloco. Usar da mecânica corporal e movimentos sincronizados. Sempre que possível, o banho no leito deve ser feito por duas pessoas. Manter os lençóis sujos sempre longe do seu uniforme.
  49. 49. 50 8. CUIDADOS DE ENFERMAGEM: 9. JUSTIFICATIVA: Orientar paciente/cliente/acompanhante a manter os lençóis esticados Orientar paciente/cliente/acompanhante a manter o leito limpo de sujidades ou resíduos alimentares Obervar as condições da pele e das proeminências óssea Previne abrasões de pele Evita a proliferação de microrganismos, insetos e roedores Previne e detecta precocemente as úlceras de pressão REFERÊNCIAS: 1. NETTINA, Sandra M.. Prática de Enfermagem. 9. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011. 2. POTTER, Patrícia Ann; PERRY, Anne Griffin. Fundamentos de Enfermagem. 7.ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012. 3. SMELTZER, Suzanne C.; HINKLE, Janice L.; BARE, Brenda G.; CHEEVER, Kerry H.. Brunner e Suddarth: Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgica. 12.ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2012. 4. TIMBY, Bárbara K.. Conceitos e habilidades fundamentais no atendimento de enfermagem. 8.ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.
  50. 50. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Curso Técnico em Enfermagem Procedimento Operacional Padrão 51 1. DESCRIÇÃO E FINALIDADE: É o método utilizado para inspecionar as condições dos pêlos e do couro cabeludo e garantir sua limpeza. 2. INDICAÇÃO: Realizar pelo menos 1x/semana em pacientes/clientes acamados, inconscientes, sedados, em ventilação pulmonar mecânica, traumas, TRM, pós-operatório de Cirurgia Ortopédica, Imobilização. 3. CONTRAINDICAÇÃO: Pacientes/clientes hemodinamicamente instáveis de difícil controle, hipotermia. 4. RISCOS: Tendência a hipotermia, resfriado por secagem deficiente e molhar a cama por derramento de água; Queimadura por temperatura inapropriada da água; Irritação ocular por queda de sabão nos olhos; Lesar o couro cabeludo ao pentear ou desembaraçar o cabelo; Otite por entrada de água no pavilhão auricular. 5. MATERIAIS NECESSÁRIOS: Água e sabão Biombo Forro Impermeável Balde Travesseiro Bacia Shampoo Toalha de banho Pente Luvas de procedimento Caneta Papel e/ou caderneta 6. DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: Profissionais: Enfermeiro e Técnico em Enfermagem 3.6 HIGIENE DO CABELO E COURO CABELUDO POP N° 00010 Desenvolvido em: 15/12/2013 Revisão: 15/12/2014
  51. 51. 52 AÇÃO DE ENFERMAGEM E JUSTIFICATIVA 1. Reunir o material necessário Justificativa: Promove a organização e o controle eficiente do tempo 2. Realizar acolhimento e solicitar permissão para realização do procedimento Justificativa: Reduz ansiedade do paciente/cliente e propicia a colaboração 3. Orientar paciente/cliente e/ou acompanhante de como será realizado o procedimento e solicitar sua colaboração Justificativa: Reduz ansiedade do paciente/cliente e propicia a colaboração 4. Fechar porta e/ou isolar o ambiente com biombo Justificativa: Promove a privacidade do paciente/cliente e evita corrente de ar 5. Higienizar as mãos (Vide POP n.º 00004) Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos 6. Calçar as luvas de procedimento Justificativa: Promove barreira física entre as mãos e fluidos corporais do paciente/cliente 7. Colocar o balde ao lado da cama, no chão forrado com papel toalha Justificativa: Realiza procedimento preconizado 8. Abaixar a cabeceira da cama, retirar o travesseiro e colocá-lo sob os ombros do paciente/cliente e forre com plástico o espaço sob os ombros e a cabeça do paciente/cliente Justificativa: Realiza procedimento preconizado
  52. 52. 53 9. Colocar a bacia sob a cabeça do paciente/cliente Justificativa: Promove a privacidade do paciente/cliente 10. Derramar a água morna do jarro sobre o couro cabeludo, após testar a temperatura Justificativa: Realiza procedimento preconizado e diminui risco de queimadura no couro cabeludo 11. Colocar shampoo nas mãos e massagear o couro cabeludo Justificativa: Realiza procedimento preconizado
  53. 53. 54 12. Derramar a água morna no couro cabeludo e nos cabelos para enxaguar Justificativa: Realiza procedimento preconizado 13. Repetir a lavagem Justificativa: Realiza procedimento preconizado 14. Desprezar a água da bacia no balde Justificativa: Realiza procedimento preconizado 15. Retirar a bacia e colocar a toalha na cabeça do paciente/cliente Justificativa: Realiza procedimento preconizado 16. Elevar o decúbito do paciente/cliente Justificativa: Deixa o paciente confortável
  54. 54. 55 17. Secar os cabelos com toalha, penteando-os a seguir Justificativa: Realiza procedimento preconizado e diminui a umidade do couro cabeludo e melhora a auto-imagem do paciente/cliente 18. Desprezar a água e encaminhar o material ao expurgo para limpeza e guarda Justificativa: Mantém a organização do ambiente 19. Retirar luvas e higienizar as mãos (Vide POP n.º 00004) Justificativa: Reduz a transmissão de microrganimos 20. Realizar as anotações de enfermagem no prontuário Justificativa: Documenta o cuidado e subsidia o tratamento
  55. 55. 56 7. RECOMENDAÇÕES: Ensaboar a cabeça com cuidado, para evitar escorrer espuma nos olhos. Se o cabelo estiver embaraçado, passar condicionador ou creme rinse antes do enxágue. Caso seja necessário usar um pente em mais de uma pessoa, fazer uma desinfecção prévia, com álcool a 70%. Observar temperatura da água. Proteger os ouvidos com bolas de algodão, se necessário. 8. CUIDADOS DE ENFERMAGEM: 9. JUSTIFICATIVA: Orientar possíveis alterações, ardor, irritação local, dores, frio, tremores e comunicar à enfermagem Informar sobre a importância da higiene pessoal Observar aparecimentos de parasitos Favorece uma intervenção imediata Evita a proliferação de microrganismos Previne e detecta precocemente as infestações REFERÊNCIAS: 1. NETTINA, Sandra M.. Prática de Enfermagem. 9. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011. 2. POTTER, Patrícia Ann; PERRY, Anne Griffin. Fundamentos de Enfermagem. 7.ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012. 3. SMELTZER, Suzanne C.; HINKLE, Janice L.; BARE, Brenda G.; CHEEVER, Kerry H.. Brunner e Suddarth: Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgica. 12.ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2012. 4. TIMBY, Bárbara K.. Conceitos e habilidades fundamentais no atendimento de enfermagem. 8.ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.
  56. 56. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Curso Técnico em Enfermagem Procedimento Operacional Padrão 57 1. DESCRIÇÃO E FINALIDADE: É o método utilizado para realizar a higiene do estoma e pele periestoma, bem como a colocação e troca do sistema coletor. 2. INDICAÇÃO: Portadores de estomia intestinal e urológica. 3. CONTRAINDICAÇÃO: Não se aplica. 4. RISCOS: Abrasão da pele ao redor da estoma; Diminuição da autoestima. 5. MATERIAIS NECESSÁRIOS: Bandeja ou carro de curativo Bolsa coletora Escala de medida do estoma Gaze Algodão Sabão de uso habitual Protetor de pele Tesoura curva Soro fisiológico Luvas de procedimento Comadre Forro Impermeável Máscara descartável Caneta Papel e/ou caderneta 6. DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: Profissionais: Enfermeiro e Técnico em Enfermagem 3.7 HIGIENE DO ESTOMA E PELE PERIESTOMA, ILEOSTOMIA, UROSTOMIA COLOCAÇÃO E TROCA DO SISTEMA COLETOR POP N° 00011 Desenvolvido em: 15/12/2013 Revisão: 15/12/2014
  57. 57. 58 AÇÃO DE ENFERMAGEM E JUSTIFICATIVA 1. Conferir a prescrição médica, reunir todo material na bandeja e levar para próximo ao paciente/cliente Justificativa: Evita erro e promove a organização e o controle eficiente do tempo 2. Realizar acolhimento e solicitar permissão para realização do procedimento Justificativa: Reduz ansiedade do paciente/cliente e propicia a colaboração 3. Orientar paciente/cliente e/ou acompanhante de como será realizado o procedimento e solicitar sua colaboração Justificativa: Reduz ansiedade do paciente/cliente e propicia a colaboração 4. Fechar porta e/ou isolar o ambiente com biombo Justificativa: Promove a privacidade do paciente/cliente e evita corrente de ar 5. Higienizar as mãos (Vide POP n.º 00004) Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos 6. Calçar as luvas de procedimento e colocar a máscara descartável Justificativa: Promove barreira física entre as mãos e fluidos corporais do paciente/cliente 7. Colocar o paciente/cliente em posição confortável, expondo apenas a região a ser limpa, protegendo a cama com um forro móvel. Se o paciente/cliente tiver condições, pode ser levado ao banheiro Justificativa: Realiza procedimento preconizado 8 Retirar a bolsa coletora, observando o aspecto do material coletado (cor, consistência, quantidade, odor) e desprezar na comadre ou no vaso sanitário Justificativa: Realiza procedimento preconizado e fornece dados para documentar as condições de eliminações do paciente/cliente 9. Afastar a abertura da bolsa com uma das mãos e, com a outra, colocar água dentro da mesma até a metade da sua capacidade Justificativa: Realiza procedimento preconizado 10 Fechar a abertura da bolsa com uma das mãos, fazer movimentos com a bolsa para remoção de resíduos e desprezar na comadre ou vaso sanitário. Repetir o processo até a bolsa estar totalmente limpa Justificativa: Realiza procedimento preconizado 11. Limpar o estoma e região periestomal com água e sabão ou SF 0,9%, observando as condições da pele e mantendo-a seca para aplicação do dispositivo. Utilizar gaze ou algodão sobre o mesmo para evitar drenagem de urina ou fezes Justificativa: Minimiza a proliferação de microrganismos na região periestomal 12. Medir o estoma com escala de medidas, traçar molde no verso da placa, deixando área de segurança de 1mm. Estoma irregular, preparar molde sob medida Justificativa: Evita extravasamentos e contato dos efluentes com a pele 13. Retirar o papel protetor da base Justificativa: Promove aderência da bolsa
  58. 58. 59 14. Colocar a pasta de resina sintética (se necessário), preenchendo os espaços vazios na região periestoma Justificativa: Protege a pele periestoma e evitar extravasamento de efluentes 15. Adaptar a nova bolsa coletora, ajustando sua abertura ao estoma, pressionando suavemente contra a parede abdominal e colocar o clamp/presilha no dispositivo, fechando-o Justificativa: Oferece segurança ao paciente/cliente, garante boa aderência e vedação da bolsa coletora 16. Deixar o paciente confortável Justificativa: Demonstra preocupação com o seu bem-estar 17. Recolher todo material, deixando o ambiente em ordem e encaminhar ao expurgo Justificativa: Mantém a organização do ambiente 18. Retirar luvas e máscara descartável e higienizar as mãos (Vide POP n.º 00004) Justificativa: Reduz a transmissão de microrganimos 19. Checar o procedimento Justificativa: Informa que a ação foi realizada 20. Realizar as anotações de enfermagem no prontuário Justificativa: Documenta o cuidado e subsidia o tratamento 7. RECOMENDAÇÕES: Remova o sistema de bolsas se o paciente/cliente reclamar de queimação ou coceira sob ele ou se houver drenagem purulenta em volta do estoma. Se dispositivo de duas peças, conectar a bolsa à base de modo que facilite o esvaziamento, levando-se em conta a preferência do paciente/cliente (posição vertical ou horizontal) e verificar se a bolsa está adequadamente conectada à base evitando vazamentos. Usar apenas soro fisiológico ou água e sabão na pele ao redor do estoma. Caso o paciente/cliente apresente condições clínicas favoráveis, retirar a bolsa coletora durante o banho de aspersão, para facilitar o descolamento da placa. Reservar o clamp/presilha para ser reutilizado após limpeza. A bolsa coletora deve ser esvaziada sempre que o efluente atingir um terço ou, no máximo, metade da sua capacidade. O esvaziamento e a higienização regular da bolsa coletora aumenta sua durabilidade, o conforto e evita constrangimento ao paciente/cliente. O efluente de ileostomia e de colostomia à direita deve ser quantificado em volume, principalmente nos primeiros dias do pós-operatório, para cálculo de reposição líquida e de eletrólitos. Caso a troca da bolsa seja de colostomia, esvazie a mesma fazendo movimentos para baixo com as mãos sobre a bolsa, para facilitar a saída das fezes.
  59. 59. 60 8. CUIDADOS DE ENFERMAGEM: 9. JUSTIFICATIVA: Atentar para a escolha correta do dispositivo Verificar se a pele está bem seca antes da aderência do adesivo Utilizar quando indicado, cinto elástico com encaixe no dispositivo Aplicar barreiras protetoras em forma de pó e pasta sob a dermatite antes da fixação do dispositivo Substituir o sistema em uso, trocando por outra marca ou material quando estiver causando dermatite Retirar com delicadeza e de forma correta conforme técnica o dispositivo anterior Em alguns casos, o melhor dispositivo não foi o selecionado para o paciente/cliente Proporciona maior fixação e segurança Proporciona maior fixação e segurança Diminui desconforto e garante a fixação Reduz complicações periostomais Evita traumas mecânicos REFERÊNCIAS: 1. NETTINA, Sandra M.. Prática de Enfermagem. 9. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011. 2. POTTER, Patrícia Ann; PERRY, Anne Griffin. Fundamentos de Enfermagem. 7.ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012. 3. SMELTZER, Suzanne C.; HINKLE, Janice L.; BARE, Brenda G.; CHEEVER, Kerry H.. Brunner e Suddarth: Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgica. 12.ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2012. 4. TIMBY, Bárbara K.. Conceitos e habilidades fundamentais no atendimento de enfermagem. 8.ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.
  60. 60. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Curso Técnico em Enfermagem Procedimento Operacional Padrão 61 1. DESCRIÇÃO E FINALIDADE: É o método utilizado para promover higienização da região íntima proporcionando conforto e bem-estar do paciente/cliente e prevenindo infecção. 2. INDICAÇÃO: Pacientes/clientes acamados, impossibilitados de realizar este procedimento sem auxílio. Preparar pacientes/ clientes para exame ginecológico/urológico e coleta de urina para exames. 3. CONTRAINDICAÇÃO: Não se aplica. 4. RISCOS: Edema de glande; Não colocar a comadre sob o paciente/cliente quando for caso de pós-operatório de TRM, imobilização, cirurgia ortopédica e mobilizar o paciente/cliente em bloco; Risco de infecção uretral por técnica de higienização incorreta; Queimadura por temperatura inapropriada da água; Lesão por retração do prepúcio. 5. MATERIAIS NECESSÁRIOS: Bandeja ou carrinho de banho Biombo Lençol Forro Impermeável Comadre Luvas de procedimento Jarro com água morna Sabonete neutro Compressas ou luvas de banho Toalha papel higiênico Caneta Papel e/ou caderneta 3.8 HIGIENE ÍNTIMA POP N° 00012 Desenvolvido em: 15/12/2013 Revisão: 15/12/2014
  61. 61. 62 6. DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: Profissionais: Enfermeiro e Técnico em Enfermagem AÇÃO DE ENFERMAGEM E JUSTIFICATIVA 1. Reunir todo material na bandeja e levar para próximo ao paciente/cliente Justificativa: Promove a organização e o controle eficiente do tempo 2. Realizar acolhimento e solicitar permissão para realização do procedimento Justificativa: Reduz ansiedade do paciente/cliente e propicia a colaboração 3. Orientar paciente/cliente e/ou acompanhante de como será realizado o procedimento e solicitar sua colaboração Justificativa: Reduz ansiedade do paciente/cliente e propicia a colaboração 4. Fechar porta e/ou isolar o ambiente com biombo Justificativa: Promove a privacidade do paciente/cliente e evita corrente de ar 5. Higienizar as mãos (Vide POP n.º 00004) Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos 6. Calçar as luvas de procedimento Justificativa: Promove barreira física entre as mãos e fluidos corporais do paciente/cliente 7. Colocar o material sobre a mesa de cabeceira Justificativa: Realiza procedimento preconizado 8. Retirar as vestes do(a) paciente/cliente Justificativa: Realiza procedimento preconizado HIGIENE FEMININA 9. Posicionar a paciente/cliente em posição ginecológica, cobrindo-a com um lençol, e elevar a cabeceira Justificativa: Realiza procedimento preconizado e a cabeceira elevada proporciona melhor conforto a paciente/ cliente
  62. 62. 63 10. Colocar o forro e a comadre sob a paciente/cliente Justificativa: Realiza procedimento preconizado 11. Se houver material fecal, remover com papel higiênico ou compressa úmida Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos do ânus para a genitália ou uretra 12. Separar os grandes lábios com a mão não-dominante, expondo o meato uretral e o orifício da vagina Justificativa: Realiza procedimento preconizado e possibilita a adequada higienização 13. Derramar pequena quantidade de água sobre a vulva Justificativa: Realiza procedimento preconizado
  63. 63. 64 14. Com a compressa, ensaboar a região pubiana, a vulva e o períneo, sempre no sentido ântero-posterior Justificativa: Realiza procedimento preconizado e possibilita a adequada higienização
  64. 64. 65 15. Enxaguar e enxugar delicadamente a região perineal e perianal com uma toalha Justificativa: Realiza procedimento preconizado HIGIENE MASCULINA 16. Posicionar o paciente/cliente em posição dorsal confortável ou ginecológica e elevar a cabeceira Justificativa: Realiza procedimento preconizado e a cabeceira elevada proporciona melhor conforto ao paciente/ cliente 17. Colocar o forro e a comadre sob a paciente/cliente Justificativa: Realiza procedimento preconizado 18. Se houver material fecal, remover com papel higiênico ou compressa úmida Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos do ânus para a genitália ou uretra
  65. 65. 66 19. Erguer o pênis do paciente/cliente e derramar pequena quantidade de água na região genital Justificativa: Realiza procedimento preconizado 20. Ensaboar, com compressa úmida, a região pubiana no sentido ântero-posterior. Enxaguar Justificativa: Realiza procedimento preconizado e possibilita a adequada higienização
  66. 66. 67 21. Retrair o prepúcio e ensaboar, com compressa, a glande e o meato uretral, utilizando movimentos circulares de dentro para fora, o corpo do pênis de cima para baixo, escrotal e a região ao redor. Enxaguar Justificativa: Realiza procedimento preconizado e possibilita a adequada higienização 22. Retornar o prepúcio à posição inicial Justificativa: O prepúcio apertado em torno do pênis pode causar desconforto e edema local
  67. 67. 68 23. Enxugar delicadamente o pênis, a bolsa escrotal e a região perianal com uma toalha Justificativa: Realiza procedimento preconizado 24. Retirar a comadre e o forro Justificativa: Realiza procedimento preconizado 25. Recolocar as vestes do (a) paciente/cliente Justificativa: Realiza procedimento preconizado 26. Deixar o (a) paciente/cliente em posição confortável Justificativa: Demonstra preocupação com o seu bem-estar 27. Recolher todo material, deixando o ambiente em ordem e encaminhar ao expurgo Justificativa: Mantém a organização do ambiente 28. Retirar luvas e higienizar as mãos (Vide POP n.º 00004) Justificativa: Reduz a transmissão de microrganimos 29. Realizar as anotações de enfermagem no prontuário Justificativa: Documenta o cuidado e subsidia o tratamento 7. RECOMENDAÇÕES: A temperatura da água deve estar morna. 8. CUIDADOS DE ENFERMAGEM: 9. JUSTIFICATIVA: Orientar possíveis alterações, ardor, irritação local, dores e comunicar à enfermagem Informar sobre a importância da higiene pessoal Favorece uma intervenção imediata Evita a proliferação de microrganismos
  68. 68. 69 REFERÊNCIAS: 1. NETTINA, Sandra M.. Prática de Enfermagem. 9. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011. 2. POTTER, Patrícia Ann; PERRY, Anne Griffin. Fundamentos de Enfermagem. 7.ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012. 3. SMELTZER, Suzanne C.; HINKLE, Janice L.; BARE, Brenda G.; CHEEVER, Kerry H.. Brunner e Suddarth: Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgica. 12.ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2012. 4. TIMBY, Bárbara K.. Conceitos e habilidades fundamentais no atendimento de enfermagem. 8.ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.
  69. 69. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Curso Técnico em Enfermagem Procedimento Operacional Padrão 70 1. DESCRIÇÃO E FINALIDADE: Realizar a higiene oral conservando a boca saudável, livre de resíduos alimentares e proporcionando o conforto e bem- estar do paciente/cliente. 2. INDICAÇÃO: Sempre após as refeições ou 3x/dia em todos os pacientes/clientes internados. 3. CONTRAINDICAÇÃO: Pós-operatório de cirurgia bucomaxilo. 4. RISCOS: Sangramento; Lesões na mucosa e tecido gengival, náuseas, quebra da prótese do paciente/cliente; Aparecimento de cáries por falha na higienização; Broncoaspiração; Relacionado ao profissional: Infecções cruzadas por não utilizar EPI. 5. MATERIAIS NECESSÁRIOS: Bandeja Luvas de procedimento Toalha de rosto Escova dental ou espátula protegida com gaze Creme dental ou antisséptico bucal Copo descartável com água Cuba rim ou redonda Caneta Papel e/ou caderneta 6. DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: Profissionais: Enfermeiro e Técnico em Enfermagem AÇÃO DE ENFERMAGEM E JUSTIFICATIVA 1. Reunir todo material na bandeja e levar para próximo ao paciente/cliente Justificativa: Promove a organização e o controle eficiente do tempo 3.9 HIGIENE ORAL POP N° 00013 Desenvolvido em: 15/12/2013 Revisão: 15/12/2014
  70. 70. 71 2. Realizar acolhimento e solicitar permissão para realização do procedimento Justificativa: Reduz ansiedade do paciente/cliente e propicia a colaboração 3. Orientar paciente/cliente e/ou acompanhante de como será realizado o procedimento e solicitar sua colaboração Justificativa: Reduz ansiedade do paciente/cliente e propicia a colaboração 4. Fechar porta e/ou isolar o ambiente com biombo Justificativa: Promove a privacidade do paciente/cliente e evita corrente de ar 5. Higienizar as mãos (Vide POP n.º 00004) Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos 6. Calçar as luvas de procedimento Justificativa: Promove barreira física entre as mãos e fluidos corporais do paciente/cliente 7. Posicionar o paciente/cliente em posição de Fowler ou semi-fowler Justificativa: Realiza procedimento preconizado e a cabeceira elevada proporciona melhor conforto ao paciente/ cliente e evita broncoaspiração 8. Colocar a toalha de rosto no tórax do paciente/cliente Justificativa: Protege a roupa do paciente/cliente 9. Colocar o creme dental na escova de dente ou umedecê-la com antisséptico bucal utilizado na instituição. Na ausência de escova de dente pode ser utilizado uma espátula protegida com gaze Justificativa: Realiza procedimento preconizado 10. Escovar os dentes do paciente/cliente com movimentos circulares de frente para trás num ângulo de 45º e de cima para baixo. Escovar a língua, delicadamente Justificativa: Facilitar a remoção das placas e do tártaro
  71. 71. 72 11. Oferecer um copo com água para o paciente/cliente fazer bochechos e, eliminar esses resíduos numa cuba rim colocada próximo ao maxilar inferior Justificativa: Realiza procedimento preconizado 12. Enxaguar a escova e guardá-la Justificativa: Realiza procedimento preconizado 13. Enxugar os lábios do paciente/cliente Justificativa: Realiza procedimento preconizado 14. Deixar o (a) paciente/cliente em posição confortável Justificativa: Demonstra preocupação com o seu bem-estar 15. Recolher todo material, deixando o ambiente em ordem e encaminhar ao expurgo Justificativa: Mantém a organização do ambiente 16. Retirar luvas e higienizar as mãos (Vide POP n.º 00004) Justificativa: Reduz a transmissão de microrganimos 17. Realizar as anotações de enfermagem no prontuário Justificativa: Documenta o cuidado e subsidia o tratamento 7. RECOMENDAÇÕES: Se o paciente/cliente estiver acamado, porém sem restrições de movimentos, deve-se oferecer o material e deixar que ele mesmo proceda à escovação. As próteses dentárias devem ser higienizadas em água corrente e recolocada na boca do paciente/cliente. Recomendar a higiene oral diária após as refeições para evitar cáries, infecções, hemorragias genvial, mal hálito e rachaduras nos lábios e língua. Pacientes/clientes com plaquetopenia devem ser submetidos à uma escovação cuidadosa a fim de prevenir sangramento gengival. 8. CUIDADOS DE ENFERMAGEM: 9. JUSTIFICATIVA: Orientar possíveis alterações, ardor, irritação local, dores e comunicar à enfermagem Informar sobre a importância da higiene pessoal Favorece uma intervenção imediata Evita a proliferação de microrganismos REFERÊNCIAS: 1. NETTINA, Sandra M.. Prática de Enfermagem. 9. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011. 2. POTTER, Patrícia Ann; PERRY, Anne Griffin. Fundamentos de Enfermagem. 7.ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012. 3. SMELTZER, Suzanne C.; HINKLE, Janice L.; BARE, Brenda G.; CHEEVER, Kerry H.. Brunner e Suddarth: Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgica. 12.ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2012. 4. TIMBY, Bárbara K.. Conceitos e habilidades fundamentais no atendimento de enfermagem. 8.ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.
  72. 72. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Curso Técnico em Enfermagem Procedimento Operacional Padrão 73 1. DESCRIÇÃO E FINALIDADE: Mudança de posição do paciente/cliente que encontra-se impossibilitado de se movimentar sem auxílio. 2. INDICAÇÃO: Paciente/cliente acamados, dependentes, sedados, inconscientes, em ventilação pulmonar mecânica. 3. CONTRAINDICAÇÃO: Evitar o procedimento em paciente/cliente hemodinamicamente instáveis. 4. RISCOS: Queda do leito, perda de acessos, interrupções de drenagens (causadas por dobras nos tubos, sondas), desestabilização hemodinâmica. 5. MATERIAIS NECESSÁRIOS: Equipamentos de Proteção Individual (EPI) relacionados à precaução padrão baseados na forma de transmissão Travesseiros Coxins 6. DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: Profissionais: Enfermeiro e Técnico em Enfermagem AÇÃO DE ENFERMAGEM E JUSTIFICATIVA 3.10 MUDANÇA DE DECÚBITO POP N° 00014 Desenvolvido em: 15/12/2013 Revisão: 15/12/2014
  73. 73. 74 1. Reunir todo material e levar para próximo ao paciente/cliente Justificativa: Promove a organização e o controle eficiente do tempo 2. Realizar acolhimento e solicitar permissão para realização do procedimento Justificativa: Reduz ansiedade do paciente/cliente e propicia a colaboração 3. Orientar paciente/cliente e/ou acompanhante de como será realizado o procedimento e solicitar sua colaboração Justificativa: Reduz ansiedade do paciente/cliente e propicia a colaboração 4. Fechar porta e/ou isolar o ambiente com biombo Justificativa: Promove a privacidade do paciente/cliente 5. Higienizar as mãos (Vide POP n.º 00004) Justificativa: Reduz a transmissão de microrganismos 6. Calçar as luvas de procedimento Justificativa: Promove barreira física entre as mãos e fluidos corporais do paciente/cliente 7. Adaptar a altura do leito numa posição confortável para trabalhar, ajustando cabeceira à 0º ou o mais baixo que paciente/cliente possa tolerar Justificativa: Facilita o procedimento 8. Abaixar a grade lateral do lado em que o profissional estiver e manter levantada a do lado oposto Justificativa: Diminui o risco de queda do paciente/cliente 9. Retirar travesseiros e lençol protetor do cliente Justificativa: Facilita o procedimento DECÚBITO DORSAL PARA LATERAL: 10. Posicionar o paciente/cliente a beira do leito com ajuda do lençol móvel Justificativa: Permite espaço no leito para o posicionamento
  74. 74. 75 11. Posicionar membros superiores sobre tórax e cruzar a perna mais distante sobre a mais próxima Justificativa: Realiza procedimento preconizado 12. Posicionar as mãos no ombro e no quadril mais distante do paciente/cliente e rolá-lo em direção ao profissional, com auxílio do lençol móvel Justificativa: Realiza procedimento preconizado 13. Deixar o paciente/cliente confortável e com alinhamento apropriado Justificativa: Demonstra preocupação com o seu bem-estar 14. Apoiar a cabeça com um travesseiro, alinhando a cabeça com a coluna vertebral Justificativa: Evita torcer ombros, cintura e quadril 15. Flexionar os ombros e cotovelos e apoiar o braço mais superior com um travesseiro Justificativa: Realiza procedimento preconizado 16. Posicionar a articulação do quadril mais superior um pouco para frente e apoiar a perna em uma posição de discreta abdução com um travesseiro Justificativa: Realiza procedimento preconizado 17. Colocar e apoiar os pés em dorsiflexão neutra Justificativa: Realiza procedimento preconizado 18. Apoiar as costas com um travesseiro ou coxin Justificativa: Realiza procedimento preconizado DECÚBITO DORSAL OU LATERAL PARA DECÚBITO VENTRAL: 19. Colocar o paciente/cliente em decúbito lateral, seguindo os passos descritos acima Justificativa: Realiza procedimento preconizado 20. Continuar rolando o paciente/cliente até que esteja em decúbito ventral Justificativa: Realiza procedimento preconizado 21. Virar a cabeça lateralmente, deixando-a alinhada com o restante do corpo Justificativa: Diminui o risco de broncoaspiração

×