Organização do espaço: a morfologia urbana

8,432 views

Published on

Panorâmica das três principais formas de plantas urbanas vistas com recurso às imagens do Google Earth.

Published in: Education
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
8,432
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
843
Actions
Shares
0
Downloads
311
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Organização do espaço: a morfologia urbana

  1. 1. O plano, um documento técnico, pode ser objeto de representação cartográfica. Vulgarmente, ouvimos falar em PLANTA, um tipo de mapa de grande escala que faz uma representação pormenorizada da porção de espaço que cartografa.
  2. 2. Desde que Portugal entrou para a União Europeia foi obrigado a exigir a elaboração de PDM – Planos Diretores Municipais – aos seus Municípios, instrumentos que definem as regras do uso dos solos nos Municípios.
  3. 3. http://www.gaiurb.pt/revpdm/rel/9/9_1.pdf Casco histórico (freguesia de Stª Marinha) Trata-se de um conjunto urbano cujo traçado dos arruamentos não obedece a uma orientação previamente definida … notase que houve um engenhoso aproveitamento das condições naturais do terreno – declives, orientação, exposição – de acordo com a função de armazenamento do vinho. Pormenores retirados do Plano de Ordenamento do PDM Núcleos rurais Correspondem aos aglomerados urbanos que permanecem como estruturas de malhas irregulares com edificação ao longo dos caminhos rurais. Alguns destes núcleos mantêm a atividade primitiva residualmente ou tendem para o abandono, outros há que pela sua localização junto ao rio vão assumindo um carácter mais vocacionado para o turismo ao nível das atividades náuticas, desportivas e de lazer, assim como da gastronomia do peixe.
  4. 4. http://www.gaiurb.pt:81/aplicacao/gaiavirtual.html#
  5. 5. Em relação ao diapositivo anterior, neste, a escala de aproximação utilizada ainda não permite ver, com nitidez, a terceira dimensão: a altura. Identifica-se a ESAS e a ocupação residencial em frente à escola, por exemplo. Nesta imagem, a uma escala maior, surge uma menor porção de espaço mas com uma representação muito pormenorizada: a ESAS é vista nas três dimensões assim como as habitações, distinguindo-se moradias de prédios em altura.
  6. 6. Tipo de morfologia urbana: Planta em quadrícula ou ortogonal: as estradas cortam-se perpendicularmente em ângulo reto. Cidade de Espinho
  7. 7. Cidade de Espinho Vista aérea correspondente à planta do diapositivo anterior. Vêem-se as duas dimensões, tal como se observasse de cima para baixo, na vertical.
  8. 8. Cidade de Espinho Vista aérea em diagonal. Percebe-se a disposição ortogonal e a terceira dimensão. Observam-se vários usos do espaço, por exemplo, equipamento desportivo, vias férreas.
  9. 9. Vila Real de Stº António, Algarve Outro exemplo de planta ortogonal. Este modelo já era muito usado na Antiguidade
  10. 10. Vila Real de Stº António, Algarve Vista aérea: os arruamentos, a ocupação do espaço, as duas dimensões
  11. 11. Los Angeles Planta ortogonal (pequena parte). Planta seguida em muitas cidades novas e onde o espaço abunda.
  12. 12. Los Angeles Vista aérea da cidade. O desenho geométrico das vias de comunicação é acentuado.
  13. 13. Los Angeles Vista de uma área mais restrita, mais pormenor, visível o poder de compra dos habitantes
  14. 14. Cidade do Porto Exemplo de uma planta desordenada localizada na área mais antiga da cidade. O rio obrigou a cidade a crescer para Norte e alargar-se para Este e Oeste.
  15. 15. Cidade do Porto: A vista aérea mostra o traçado irregular, as ruas estreitas, o espaço densamente ocupado. A estrela a vermelho localiza a Sé, edifício histórico a partir do qual a urbe se estendeu.
  16. 16. Sé do Porto Construída no cimo do morro abre-se para o casario que ocupou a encosta orientada a Oeste.
  17. 17. Cidade do Cairo Pormenor da parte antiga da cidade – Velho Cairo. Típico da cidade muçulmana, a morfologia é de ruas estreitas e tortuosas, autênticos labirintos. Planta irregular frequente em cidades medievais europeias.
  18. 18. Velho Cairo Vista aérea, uma constatação da configuração labiríntica da morfologia caraterística das antigas cidades muçulmanas. Atualmente, as áreas novas seguem a planta ortogonal. Há uma tendência para a uniformização.
  19. 19. Cidade de Mashhad Segunda cidade do Irão, exemplifica a coexistência da morfologia irregular (traçado contínuo), primitiva, e da morfologia ortogonal (tracejado)
  20. 20. Vista aérea da cidade de Mashhad 2,83 milhões de habitantes levaram a cidade a expandirse muito além da parte antiga (letra A).
  21. 21. Cidade de Évora Planta radioconcêntrica. A partir do núcleo urbano mais antigo, muralhado, partem radialmente vias de comunicação para o exterior.
  22. 22. Cidade de Évora Vista aérea que permite mostrar a circular à Muralha, o crescimento da cidade intramuralhas, à volta da Sé, e a expansão para além da circular com as vias de acesso radiais.
  23. 23. Cidade de Milão Um exemplo clássico de planta radioconcêntrica. Observam-se vias de cintura em torno da cidade e as vias radiais que divergem para o espaço envolvente e convergem para a cidade. Este traçado facilita as comunicações e a expansão urbana.
  24. 24. Planta da cidade de Lisboa (pormenor) Contraste entre a cidade medieval (Sé de Lisboa e castelo de S.Jorge) e a Baixa Pombalina, reconstrução da cidade após o terramoto de 1755.
  25. 25. A Baixa Pombalina (mandada edificar pelo Marquês de Pombal) Seguiu a planta geométrica – ruas retas e perpendiculares organizadas a partir de um eixo central, a Rua Augusta. Os edifícios têm uma arquitetura semelhante.

×