Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Origem da CEE

1,421 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Origem da CEE

  1. 1. Trabalho realizado por: Inês Batista Origem da CEE
  2. 2. Antecedentes  Após o fim da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), a Europa encontrava-se arruinada, todos os países e as suas economias estavam gravemente prejudicados. Depois da guerra a Alemanha foi considerada culpada e o seu território foi dividido e ocupado (uma parte pela Europa Ocidental e outra pela União Soviética). Apesar de a guerra ter acabado ainda vivíamos num clima de inimizades (Guerra Fria).  Para tentar estabelecer uma paz duradoura era necessário voltar a unir a Europa.
  3. 3. Proposta de Schuman  No dia 9 de maio de 1950, Robert Schuman lança um apelo à Alemanha Ocidental e aos países europeus para que instituíssem uma única autoridade transnacional comum para administração das respetivas produções de aço e carvão.
  4. 4. CECA  Na primavera de 1951, foi firmado o Tratado de Paris que criava a Comunidade Europeia do Carvão e do Aço (CECA), concretizando a proposta de Schuman, onde alcançaram um entendimento que favoreceu o intercâmbio de matérias-primas necessárias para a siderurgia, de forma dotar a Europa de autonomia na produção, este uniu os países do Benelux (uma área de livre comércio já existente formada por Bélgica, Holanda e Luxemburgo) juntamente com a França, a Itália e a Alemanha.
  5. 5.  A partir de 1950, a Comunidade Europeia do Carvão e do Aço começa a unir económica e politicamente os países europeus, tendo em vista assegurar uma paz duradoura.  Os seis países fundadores são a Alemanha, a Bélgica, a França, a Itália, o Luxemburgo e os Países Baixos, tendo mais tarde outros membros a aderir.
  6. 6. Tratado de Roma  O mais importante impulso para unir os países tem lugar em 1957 com a assinatura do Tratado de Roma. Os países constituintes da Europa dos Seis decidem avançar na cooperação nos domínios económico, social e político. Os acordos tinham como objetivo implantar um mercado comum que permitisse a livre circulação de pessoas, bens e capitais.
  7. 7. Artigo 2º A Comunidade tem como missão, através da criação de um Mercado Comum e de uma União Económica e Monetária e da aplicação das políticas ou ações comuns a que se referem os artigos 3º e 3º-A, promover, em toda a Comunidade, o desenvolvimento harmonioso e equilibrado das atividades económicas, um crescimento sustentável e não inflacionista que respeite o ambiente, um alto grau de convergência dos comportamentos das economias, um elevado nível de emprego e de proteção social, o aumento do nível e da qualidade de vida, a coesão económica e social e a solidariedade entre os Estados-membros.
  8. 8. Artigo 3º a) A eliminação, entre os Estados-membros, dos direitos aduaneiros e das restrições quantitativas à entrada e à saída de mercadorias, bem como de quaisquer outras medidas de efeito equivalente; b) Uma politica comercial comum; c) Um mercado interno caracterizado pela abolição, entre os Estados-membros, dos obstáculos à livre circulação de mercadorias, de pessoas, de serviços e de capitais; d) Uma política comum no domínio da agricultura e das pescas; e) Uma política comum no domínio dos transportes; f) A aproximação das legislações dos Estados-membros na medida do necessário para o funcionamento do mercado comum;
  9. 9. CEE  Deste tratado surgiu A Comunidade Económica Europeia (CEE) dotada de capacidade autónoma de financiamento. Este documento formou ainda uma terceira comunidade de duração indeterminada, a Comunidade Europeia da Energia Atómica (CEEA) ou (EURATOM).
  10. 10. Bibliografia  http://europa.eu/about-eu/eu-history/index_pt.htm  http://pt.wikipedia.org/wiki/Uni%C3%A3o_Europeia# Antecedentes  http://web-uniao-europeia.tripod.com/formacao.htm

×