Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

A Poesia Do Casal Apaixonado

1,549 views

Published on

Estudo Bíblico em Cantares

Published in: Spiritual, Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

A Poesia Do Casal Apaixonado

  1. 1. A Poesia de um Casal Apaixonado TexTo Áureo: “As muitas águas não poderiam apagar este amor, nem os rios afogá-lo; ainda que alguém desse toda a fazenda de sua casa por este amor, certamente a desprezariam”. Cantares 8.7 Texto Básico: Cantares 1.1-17 Ficamos fascinados com a linda poesia ou canção de amor que é o Cântico dos Cânticos. Apesar de saber que o livro não se trata de um cartão do Dia dos Namorados de antigamente, não temos muita certeza de seu significado. No decorrer dos séculos, a maioria dos judeus, querendo justificar a sua inclusão no cânon sagrado, interpreta-o como um retrato de Deus como esposo do seu povo (Os 2.16-20). Os cristãos leram-no, a princípio, como uma parábola que ilustraria a comunhão íntima entre Cristo, o noivo, e a igreja, a noiva (Ap 21.2,9), sendo esse amor correspondido sinceramente (Ef 5.25-32). Comentaristas mais modernos são da opinião que nada disso se justifica, pois não há um único texto em Cantares ou em qualquer outro lugar da Bíblia que indique, claramente, essa ideia. Desse modo, tendem a ler esse livro, literalmente, como uma expressão da santidade da vida conjugal, a mais plena expressão de amor entre o casal e que celebra a expressão sexual desse amor. 1. CONHECENDO O Casal apaixONaDO DE CaNTaREs Existem inúmeras interpretações sobre quem seria o “amado” e a “amada” citados nesse livro. Uns entendem que os principais perso- nagens são o rei Salomão e uma moça chamada Sulamita (Ct 6.13). Há também a teoria de que a história da Sulamita e do amado seria apenas um poema de amor e não uma narrativa verdadeira. Outros seguem o Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Quinta-feira Sexta-feira Sábado Cantares 2.1-17 Cantares 3.1-11 Cantares 4.1-16 Cantares 5.1-16 Cantares 6.1-13 Cantares 8.1-14 - 01 -
  2. 2. raciocínio de que o amado não se- Cantares: “Leva-me após ti...” (Ct ria Salomão, mas um jovem pastor 1.4). É uma submissão livre, espon- de ovelhas, da mesma condição tânea, auto-oferecida. O amor não econômica, social e cultural da obriga, mas atrai. Sulamita. Assim, a história narra a tentativa frustrada do rei em 4. a CRiaTiViDaDE DO aMOR conquistar uma moça comprome- tida com o noivo que era pastor, Os atos de amor podem ser interpretação adotada na presente programados para acontecer. A lição. amada estava tão cativada pelo jovem pastor que planejou tempo 2. a RiQUEZa QUE É O aMOR a sós com ele em passeios curtos (Ct 7.11-12). A rotina tem feito mui- O amor é um sentimento que tos casamentos perderem o prazer não pode ser comprado. Com da vida a dois, embora pequenos dinheiro, muitos compram prazer atos possam ter grande valor para sexual de formas diversas, mas revitalizar o relacionamento conju- não adquirem o amor de verdade: gal. Aprendemos com esse casal, “Ainda que alguém desse todos os a importância de cuidar do corpo, bens de sua casa pelo amor, seria que é templo do Espírito Santo de todo desprezado” (Ct 8.7-b). (1Co 6.19). A amada fazia um lindo O amor é um sentimento inego- penteado para ele (“... a tua cabe- ciável, por isso é uma atitude vã leira é como a púrpura” - Ct 7.5), substituir o carinho por uma fina tinha cuidado pelos seus lábios e jóia. Numa relação em família é hálito (Ct 4.3,11), usava perfumes comum presentear a alguém com cheirosos (Ct 4.11-b) e bastava o a expectativa de retribuição, mas amado olhar para ela que o coração o verdadeiro amor começa quando dele “disparava” (Ct 4.9). O amado nada se espera em troca. também tinha perfumes deliciosos (Ct 1.13). 3. a liBERDaDE DO aMOR 5. a FiDEliDaDE DO aMOR O amor não pode ser forçado a acontecer: “Conjuro-vos, ó filhas O rei Salomão fracassou em de Jerusalém, que não acordeis sua tentativa de conquistar a Su- nem desperteis o amor, até que lamita, porque pensou que, sendo este o queira” (Ct 8.4). Há marido homem e rico, poderia impor sua que exige que a esposa seja-lhe vontade sobre uma moça pobre. O submissa. Muito diferente é o que poema exalta o direito de a mulher ocorre no ambiente do livro de expressar sua vontade. Só o marido - 02 -
  3. 3. timidade: “Jardim fechado és tu, a situação de morte da esperança, irmã minha, esposa minha, ma- da alegria e paz no lar. O amor leva nancial fechado, fonte selada” (Ct cada um a dar a vida, se preciso for, 4.12). A esposa ama tanto o marido para ver o outro vivo e feliz. É uma que a ele se oferece (Ct 4.16). maneira comparativa de dizer: “O O amor conjugal só sobrevive amor é invencível; jamais acaba”. quando respira o ar da fidelidade e O amor é sobrevivente mesmo da confiança mútua. Sem esse oxi- nos dilúvios e enxurradas da vida: gênio, a relação conjugal asfixia- “As muitas águas não poderiam se e morre, pois quem consegue apagar este amor nem os rios amar alguém em quem não confia? afogá-los” (Ct 8.7). O amor vence Há exclusividade entre os que se o obstáculo do tempo, do vigor e amam: “O meu amado é meu, e da beleza que vão indo embora. O eu sou dele; ele apascenta o seu companheiro foi e sempre será a rebanho entre os lírios” (Ct 2.16). pessoa mais atraente (Ct 2.2-3). Quem é amado vence qualquer concorrência: “O meu amado é alvo e rosado, o mais distinguido entre dez mil” (Ct 5.9-10). Certamente, não deve ter sido fácil os noivos suportarem as pres- 6. O aMOR sUpERa BaRREiRas sões do poderoso rei Salomão, porém, com a força do verdadeiro É verdade que Cantares nos amor, eles, finalmente, conse- apresenta não somente poesia, guiram concretizar a união. Em mas dificuldades presentes no qualquer época, é possível surgir relacionamento conjugal. Nesse obstáculos, tentando perturbar um livro, lemos como é encantador relacionamento de amor. Podem andar juntos e como a união pode ser dificuldades financeiras, precon- ser conflitante. Não há apenas ceitos sociais, distância geográfica beijos, abraços, cores e amores; e tantos outros. A vitória do amor há também toda uma luta para é a recompensa dos que não de- permanecerem unidos. A esposa sistem e lutam para atingir o alvo preocupa-se com as raposinhas desejado, pois o amor “tudo sofre, que podem danificar os vinhe- tudo crê, tudo espera, tudo suporta” dos e a flor do amor (Ct 2.15). O (1Co 13.7). Um casal que cultiva amor não é apenas o prazer da um autêntico amor deve buscar intimidade física, mas também sabedoria, paciência e confiança compromisso com quem amamos: no Deus Eterno, para superar as “O amor é forte como a morte” (Ct adversidades que surgem contra 8.6), por isso não se conforma com esse amor. - 03 -

×