Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Da unidade 15

210 views

Published on

Desenho de estruturas de concreto armado

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Da unidade 15

  1. 1. Representação de Projeto Estrutural UNIDADE 15 Estruturas de concreto armado UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE – FURG ESCOLA DE ENGENHARIA NÚCLEO DE EXPRESSÃO GRÁFICA Prof. Sinval Xavier
  2. 2. Representação de estruturas de concreto armado Norma técnica: NBR 7191/82
  3. 3. Principais elementos de uma estrutura de CA LAJE VIGA DE FUNDAÇÃO (BALDRAME) FUNDAÇÃO PILAR VIGA
  4. 4. O desenho para execução de formas deverá conter:  Planta (de fundações, lajes, etc.);  Cortes (das seções das vigas, principalmente);  Elevações (quando necessário);  Detalhes da estrutura necessários para o perfeito conhecimento de suas formas e dimensões. O desenho de formas deve ser executado na escala 1/50 ou em escala que permita a compreensão dos desenhos apresentados. DESENHO DE FORMAS Planta de formas: projeção dos elementos estruturais (vigas, lajes e pilares) em um plano horizontal situado abaixo dos mesmos, sendo visíveis as arestas diretamente voltadas para o plano. Exceção se faz para as formas de escadas, sapatas, blocos de fundações e casos especiais, para os quais o plano pode estar situado acima dos elementos representados.
  5. 5.  Sapatas - S  Pilares - P  Vigas - V  Lajes - L  Blocos - B  Paredes - PAR Designação e numeração das peças estruturais  Os blocos, sapatas e pilares são numerados sequencialmente, partindo do canto esquerdo superior do desenho, prosseguindo para a direita e em linha sucessivas de cima para baixo.  A numeração das vigas dispostas horizontalmente no desenho inicia do canto superior esquerdo do desenho e prossegue para a direita e para baixo em linhas sucessivas;  A numeração das vigas dispostas verticalmente no desenho inicia no canto inferior esquerdo e prossegue para a direita e para cima, de forma que ao girar a folha a 90º no sentido horário, a leitura seja facilitada;  A numeração das lajes inicia do canto superior esquerdo do desenho, prosseguindo para a direita e em linhas sucessivas, de cima para baixo, de forma a facilitar a localização das mesmas. Sugere-se a colocação de um círculo centralizado com o número da laje e logo abaixo a espessura da mesma.
  6. 6. A planta de formas de fundações, além de representá-las, tem a função de localizar a estrutura em relação as divisas do imóvel ou outros elementos de referência relevantes. Sendo assim, deve ser representado na mesma as divisas (parciais ou totais) do lote ou outros elementos que permitam a amarração da estrutura como um todo. FORMAS DE FUNDAÇÕES NBR 7191: Todas as peças, elementos ou detalhes da estrutura devem restar perfeitamente definidos nos desenhos de formas, por suas dimensões, locação e posição em relação a eixos, divisas, testadas ou linhas de referências relevantes. As fundações são localizadas através de seus eixos ou de seus limites (com preferência para os eixos, que são representados através de linha “traço ponto”).
  7. 7.  A representação de sapatas isoladas e blocos são semelhantes;  A numeração e as dimensões dos blocos e sapatas são indicadas juntos aos mesmos;  Quando existirem, os pilares que partem das sapatas ou dos blocos são representados através de sua secção horizontal e suas dimensões são indicadas junto aos mesmos.  Deve ser indicado o nível de referência do projeto (nível zero) e o nível de base das fundações. FORMAS DE FUNDAÇÕES
  8. 8.  Além de serem representadas em vista, com linhas de espessura média, as vigas de fundação dever ser rebatidas (para cima e para a esquerda) e serem representadas em corte, com linha de espessura mais grossa, e hachuradas;  Os pilares devem ser diferenciados, por meio de hachura (com legenda) em: pilares que nascem no nível representado; pilares que morrem no nível representado e pilares que seguem para o próximo nível; Também pode ser diferenciando através de legenda os pilares que sofrem mudança em sua seção. FORMAS DAS VIGAS BALDRAME
  9. 9. REBATIMENTO DA VIGA
  10. 10. FORMAS DAS LAJES  As seções das lajes e das vigas são representadas rebatidas, sempre para cima (as verticais) e para a esquerda (as horizontais), e hachuradas  As lajes rebaixadas ou elevadas devem ser hachuradas.  Devem ser colocado cotas de níveis para indicar o nível das lajes, não sendo necessário repetir as cotas em todas as lajes: somente o nível principal e os níveis das lajes rebaixadas ou elevadas
  11. 11. REBATIMENTO PARA A ESQUERDA REBATIMENTO PARA CIMA
  12. 12. ARMADURAS Compostas pela associação de diferentes peças de aço, as armaduras tem a função de resistir às diferentes solicitações e forças a que são submetidas as peças estruturais de concreto armado, especialmente as de tração.
  13. 13. Armaduras – definições, peças e materiais Barra ou vergalhão – Elemento nervurado de aço para concreto aramado, obtido por laminação, disponíveis nos diâmetros nominais a partir de 5 mm (3/16”); Fio – Elemento liso de aço para concreto armado, obtido por trefilação, disponíveis nos diâmetros nominar entre 3,2 mm (3/32”) e 10 mm (3/8”); Armadura positiva – também chamada de positivo, é a armadura situada na parte inferior das lajes e vigas, responsável por resistir aos esforços de tração gerados pelos momentos fletores positivos; Armadura negativa – Também chamada de negativo, é a armadura situada na parte superior das lajes e vigas, responsável por resistir aos esforços gerados pelos momentos fletores negativos; Estribos – peças de aço liso dispostas transversalmente ao elemento estrutural com o objetivo de resistir aos esforços transversais decorrentes das forças de cisalhamento,no caso das vigas, e das forças de tração e do efeito de flambagem, no caso dos pilares. Os estribos também auxiliam na montagem e transporte da armação;
  14. 14. Tela soldada – malha pré-fabrica utilizada como armadura positiva em lajes; Aderência – propriedade que impede que haja escorregamento entre uma barra em relação ao concreto que a envolve, permitindo a transferência de esforços entre os mesmo. A aderência pode-se dar pro adesão, atrito ou aderência mecânica; Ancoragem – aumento da aderência através do aumento no comprimento da barra (comprimento de ancoragem) ou por meio da execução de dobradura ou ganchos em suas terminações; Cobrimento – Também chamado de recobrimento é a camada de concreto que protege a armadura do meio externo; Armaduras – conceitos, peças e materiais
  15. 15. Em obras de edificações, os fios CA-60 B (normalmente empregados na armaduras de lajes e nos estribos de vigas e pilares) e as barras CA-50 A ou B (normalmente empregadas nas armaduras de vigas e pilares e, eventualmente, nas lajes) são os mais utilizados. Em geral, são encontradas no comércio as seguintes bitolas: Fios CA-60 B: 3,4 - 4,2 - 4,6 - 5 - 6 - 6,4 - 7 - 8mm Barras CA-50 A ou B: 6,3 - 8 - 10 - 12,5 - 16 - 20 - 22,5 - 25 - 32mm Armaduras – conceitos, peças e materiais Barras: produtos obtidos por laminação a quente com diâmetro de 5,0 mm ou superiores. Tipos: CA-25 (liso) e CA-50 (nervurado) Fios: produtos obtidos por trefilação ou laminação à frio, com diâmetro nominal inferior a 10 mm. Tipo CA-60
  16. 16. O que deve ser representado: a) Todos os detalhes para a perfeita compreensão da armadura, na escala 1/50 ou ampliados; b) Cada tipo diferente de barra deve ser desenhada com as cotas necessárias ao seu dobramento correto, indicação de seu número, quantidade e diâmetro; c) É dispensada a representação individual de cada estribo ou cinta no desenho da peça quando seu espaçamento for constante, bastando indicá- lo com a letra “c/” seguida do valor do espaçamento em cm; d) Deve-se indicar a resistência do concreto em MPa, o fator água/cimento e o cobrimento; Armaduras - representação
  17. 17.  A armadura positivas de uma laje é representada apenas por uma de suas barras longitudinais e uma de suas barras transversais (lajes quadradas ou retangulares);  O mesmo ocorre para as armaduras negativas e para as armaduras de reforço, as quais são representadas por apenas uma de suas barras em suas diferentes posições e sentidos; Representação de armaduras de lajes  No desenho as barras são representadas rebatidas, de forma a mostrar as dobras e ganchos por ventura existentes; A armadura negativa é representada com linha tracejada e a positiva com linha cheia.
  18. 18. Diretamente sobre as barras devem ser indicado através de texto o número de barras naquele sentido, seu diâmetro, espaçamento e comprimento em centímetros; Representação de armaduras de lajes Para o cálculo da quantidade de ferro em cada direção divide-se o vão pelo espaçamento, sendo preferível arredondar o valor encontrado para cima.
  19. 19. Shafts, alçapões ou outras aberturas na laje devem receber uma armadura de reforço em seu contorno
  20. 20. Lajes em balanço se ligam a outra laje ou viga unicamente por um lado. Sua armação principal é negativa. Coloca-se uma outra armação corrida na outra direção, que servirá para amarração da ferragem negativa
  21. 21. A representação das armaduras das vigas é realizada através da secção longitudinal esquemática da peça. Também é recomendável a representação da seção transversal da viga em escala ampliada (1/20 ou 1/25). Representação de armaduras das vigas Quando houver várias camadas de barras a representação longitudinal deve reproduzir esquematicamente a posição relativa de cada camada.
  22. 22. A representação das armaduras dos pilares é realizada através de suas seções transversais, com a indicação da posição das barras e seus respectivos diâmetros; Ao lado da seção é representado um de seus estribos, com a indicação de sua quantidade, diâmetro, espaçamento, comprimento total do ferro e dimensão de cada trecho da dobradura. Representação de armaduras de pilares Ao lado da seção transversal é representada as seção longitudinal do pilar e os níveis verticais do projeto, sendo aceito a simples representação de cada uma das diferentes barras. No caso dos pilares que seguem para o próximo pavimento são representadas as extensões de suas barras neste pavimento. No caso de pilares que nascem de sapatas ou blocos, os mesmos são representados desde de sua origem.
  23. 23. Representação de armaduras de sapatas
  24. 24. Representação de armaduras de escadas As escadas devem ser representadas através das seções de suas lajes inclinadas, de forma tal que seja mostrado as armaduras longitudinal e transversal Fonte: http://portaldoprojetista.com.br/dimensionamento-de-uma-escada-em-concreto-armado/

×