Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Cristiana Agapito - SciELO Portugal: O ontem, hoje e amanhã

59 views

Published on

A Rede SciELO se desenvolve há 20 anos como uma notável cooperação internacional em comunicação científica em acesso aberto. A rede consiste de coleções nacionais de periódicos publicados por sociedades científicas, associações profissionais, universidades e outras instituições de ensino selecionados segundo critérios de indexação baseados em padrões internacionais e boas práticas de edição científica. Em 2018, a rede opera em 15 países ibero-americanos e na África do Sul. Na maioria destes países as coleções SciELO refletem a implantação de políticas nacionais de apoio ao avanço da pesquisa e sua comunicação com ênfase nos periódicos publicados nacionalmente e são financiadas e lideradas por organizações governamentais de apoio à pesquisa.

A cooperação internacional está fundamentada no entendimento comum que os periódicos de qualidade editados nacionalmente cumprem funções essenciais nos sistemas nacionais de produção científica, como são a comunicação de pesquisas com centralidade nacional ou regional no que se refere aos objetos de estudo, prioridades e públicos alvos e ao desenvolvimento de disciplinas e comunidades de pesquisa particularmente no que se refere ao ensino e às infraestruturas e capacidades de comunicação cientifica, e, a partir das funções anteriores, participar ativamente no fluxo global de informação científica. Os periódicos SciELO são de diferentes disciplinas e, além do inglês, publicam nos idiomas nacionais dos países da rede SciELO. O SciELO destaca também que a capacidade de publicar periódicos de qualidade é parte essencial da capacidade de fazer pesquisa de qualidade.

A Rede SciELO é descentralizada em sua governança, financiamento e operação. É estruturada por um conjunto de princípios, objetivos e funções comuns que conformam o Programa SciELO. Os princípios se referem, em primeiro lugar, à concepção do conhecimento científico como bem público que é melhor realizado pela comunicação em acesso aberto, em segundo, ao trabalho em rede para maximizar as contribuições e os ganhos, e, terceiro, à adoção do estado da arte com adesão aos padrões, controle de qualidade e inovações em todas as etapas da comunicação das pesquisas. Os objetivos específicos são promover ativamente o aumento sustentável da qualidade editorial, visibilidade, uso e impacto dos periódicos e das pesquisas que comunicam. Os objetivos são alcançados por meio do fortalecimento e desenvolvimento das infraestruturas e capacidades nacionais de...

Published in: Science
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Cristiana Agapito - SciELO Portugal: O ontem, hoje e amanhã

  1. 1. SciELO Portugal: O ontem, hoje e amanhã Reunião da rede SciELO Grupo de Trabalho 1 São Paulo, 24 setembro 2018
  2. 2. 2000/1_ 2003 2005 2006 Início das negociações com a Rede SciELO Seleção das primeiras revistas da coleção SciELO Portugal On Line Comité Consultivo Evolução da SciELO Portugal
  3. 3. 2007_ 2012 2014 2018 Certificação da coleção Passagem do trabalho técnico para os editores SciELO Citation Index Web of Science 20 ANOS REDE SciELO Novos Critérios Transição para FCT Evolução da SciELO Portugal
  4. 4. Dados da coleção Fonte:https://analytics.scielo.org/ Dados extraídos a 28 agosto 2018 63 revistas 1 518 fascículos 17 097 documentos 271 660 referências citadas
  5. 5. 63 Dados da coleção – Número de revistas avaliadas Fonte: DGEEC
  6. 6. Dados da coleção – Número de revistas indexadas Fonte:https://scielo.dgeec.mec.pt/
  7. 7. Dados da coleção – Número de Consultas Fonte:https://analytics.scielo.org/. Dados extraídos a 31 agosto 2018
  8. 8. • Prioridade do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior – “O conhecimento é de Todos e para Todos”. • Publicação dos princípios orientadores, fevereiro 2016: (https://www.portugal.gov.pt/media/18506199/20160210-mctes-ciencia-aberta.pdf) • Obrigatoriedade de publicação em acesso aberto dos resultados e dos dados da investigação financiados pela Fundação para a Ciência e Tecnologia. • Obrigatoriedade de ORCID para investigadores que beneficiem de financiamento público. • Apoio à definição de políticas pelas editoras e revistas científicas nacionais relativamente ao auto arquivo em repositórios institucionais e registo das mesmas na base de dados internacional SHERPA/RoMEO. Políticas nacionais de acesso aberto
  9. 9. Novo Ciclo da SciELO Portugal • Gradual transição da gestão do projeto da DGEEC para a Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P. (FCT) - principal organismo público responsável pelo financiamento e avaliação de atividades de Ciência em Portugal. • 1ª fase - passagem da responsabilidade de coordenação científica da coleção e coordenação do Comité Consultivo SciELO Portugal. • 2ª fase – passagem da coordenação nacional e gestão técnica do projeto.
  10. 10. Novo Ciclo da SciELO Portugal ● Encontro: “Edição Digital em Ciência Aberta – Caminhos e Oportunidade”, 6 setembro 2018. (http://www.ciencia-aberta.pt/edicao-digital) ● Organização: Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; FCT; DGEEC. ● Destinatários: Editores em geral e Comunidade SciELO. ● Objetivos: Discussão dos caminhos e oportunidades da Ciência Aberta; Comunicação da passagem da SciELO Portugal para a FCT; Discussão dos novos Critérios da SciELO; Discussão do documento “Ontem, hoje e amanhã da SciELO Portugal”.
  11. 11. A adoção das linhas prioritárias de ação São Paulo, 24 de setembro de 2018
  12. 12. FCT A Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) é a agência pública nacional de apoio à investigação em ciência, tecnologia e inovação, em todas as áreas do conhecimento. Iniciou atividades em agosto de 1997 e é tutelada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. Em 1 de outubro de 2013, a FCT assumiu as atribuições e competências da Fundação para a Computação Científica Nacional (FCCN). ENQUADRAMENTO
  13. 13. Unidade FCCN A FCCN é a unidade da FCT que tem como missão principal o planeamento e gestão da RCTS – Rede Ciência, Tecnologia e Sociedade. A RCTS é uma infraestrutura de investigação digital, transversal a todas as áreas do conhecimento cobrindo todo o território nacional. ENQUADRAMENTO Pilares de ação ••••• Conectividade ••••• Computação ••••• Segurança ••••• Colaboração ••••• Conhecimento
  14. 14. RCAAP Repositórios Científicos de Acesso Aberto de Portugal Principais áreas de atuação 129 Instituições com Repositório Institucional 76 Revistas 510.000 documentos agregados (PT) > 15,5 milhões de downloads (2017) Conhecimento
  15. 15. A FCT / FCCN e a SciELO • 1ª fase - passagem da responsabilidade de coordenação científica da coleção e coordenação do Comité Consultivo SciELO Portugal. • 2ª fase – passagem da coordenação nacional e gestão técnica do projeto. NOVO CICLO SciELO PORTUGAL
  16. 16. 2ª FASE Modernização tecnológica da plataforma SciELO; Promover a integração da coleção SciELO num ecossistema de gestão de revistas que permitirá simplificar, integrar e tornar coerente a oferta atual de plataformas para a gestão do ciclo de vida (submissão, revisão, publicação) editorial de todas as revistas científicas nacionais; Alteração da estrutura operacional a nível nacional - da DGEEC para a FCT - levando a novas oportunidades, sinergias e economias de escala.
  17. 17. WP2 - Estudos e Prospeção WP3 - SE - Infraestruturas WP4 - SE - Serviços WP5 - Apoio ao UtilizadorWP6 - Políticas e Diretrizes WP7-Comunicação,Disseminaçãoe Formação WP1-Coordenação PLANO DE TRABALHO
  18. 18. ADOÇÃO DAS LINHAS PRIORITÁRIAS DE AÇÃO
  19. 19. Ano 1 Q1 Q2 Q3 Q4 Ano 2 Q1 Q2 Q3 Q4 WP1 - COORDENAÇÃO WP2 - ESTUDOS E PROSPEÇÃO WP3 - SE - INFRAESTRUTURAS WP4 - SE - SERVIÇOS WP5 - APOIO AO UTILIZADOR WP6 - POLÍTICAS E DIRETRIZES WP7 - COMUNICAÇÃO, DISSEMINAÇÃO E FORMAÇÃO PLANO DE TRABALHO - CALENDÁRIO

×