Workshop “Integração em C,T&I para o setor florestal com foco no MDL em Minas Gerais” Thiago Mendes MSc Estudos Ambientais...
Plano de exposição   06/02/09 1)  Regime do Clima e os tipos de certificados de  redução de emissão do MDL; 2)  O Grupo Pl...
  Regime do Clima e os tipos de certificados de redução de emissão do MDL
- período pré Rio-92  - Rio 92 (UNCED): Agenda 21 UNFCCC - Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas. (...
Período de comprometimento: 2008-2012; Objetivo: redução das emissões de  CO 2 , CH 4 , N 2 O, HFCs, PFCs, SF 6 Responsabi...
Tipos de créditos <ul><li>Eficiência Energética </li></ul><ul><li>Troca de Combustíveis </li></ul><ul><li>Queima de gases,...
Oportunidade em diversas indústrias Benefícios climáticos associados a  Biomassa de origem florestal plantada F/R Decision...
Como é gerado o “crédito de carbono”? 06/02/09 Determinar a Linha de Base ( Baseline Scenario ): Emissões que ocorreriam n...
O Grupo Plantar e os projetos de MDL: mudanças climáticas e Desenvolvimento Sustentável
Principais Atividades do Grupo <ul><ul><ul><li>1967 - Gestão florestal ( florestas próprias e de terceiros) </li></ul></ul...
06/02/09 Produção adicional de biomassa cultivada como fonte de energia renovável para a produção de ferro-gusa   Os Proje...
Ferro Gusa <ul><li>Ferro fundido de primeira fusão, obtido a partir da redução do minério de ferro. </li></ul><ul><li>Apli...
<ul><li>Coque/Carvão Mineral </li></ul><ul><li>Carvão Vegetal  </li></ul><ul><li>de florestas nativas </li></ul><ul><li>Ca...
Cenário de Linha de Base Fonte: IISI, Sindifer, AMS
Aumento da produção global  = Aumento das emissões globais Cenário de Linha de Base
De acordo com o IEF e a UFLA (2006), o estoque de florestas para energia reduziu para aproximadamente  1.167.200,00 ha em ...
Matriz Energética de Minas Gerais Fonte: Cemig, 2005
Adicionalidade Fonte: AMS/SINDIFER, 2007
Componentes de Projetos de Carbono da Plantar Estoque de CO 2  em Plantios Florestais Componente Baseline Projeto Benefíci...
<ul><li>Volume total de reduções de emissões/remoções de GHG:  ~12,8 milhões de tCO 2 e *  </li></ul><ul><li>( 2/3 na área...
Cronologia do Projeto <ul><li>1998 - Concepção </li></ul><ul><li>1999 - Apresentação no Aspen Fórum (São Roque/SP) </li></...
Estrutura Financeira ER’s $ $
Desenvolvimento sustentável 06/02/09
Novos plantios gerados pelo MDL A Região do Projeto Cenário  do projeto X Cenário  de linha de base
Componente florestal <ul><li>Metodologia desenvolvida: Plantar, World Bank’s PCF, Dr. Luiz Gylvan Meira Filho e Dr. Thelma...
Carbonização Sustentável Créditos de carbono no projeto de carbonização = pesquisa inédita  e novas tecnologias para o des...
Componente Carbonização <ul><li>Metodologia desenvolvida: Plantar, World Bank’s PCF; </li></ul><ul><ul><li>Pesquisa e PDD:...
Ferro Gusa Verde Florestas Plantadas Sustentavelmente = Energia Renovável ...reduz as emissões da biomassa não-renovável o...
Sustentabilidade Social e Ambiental   <ul><li>Cerca de 1200 empregos diretos e de qualidade em áreas rurais; </li></ul><ul...
06/02/09 Indicadores Sociais e Ambientais
06/02/09 Indicadores Sociais e Ambientais Desenvolvimento sustentável em escala industrial
Considerações  Finais 06/02/09
Complexidade  Institucional no gerenciamento do carbono Projetos de Carbono  da Plantar UNFCCC/Kyoto Stakeholders Governo ...
<ul><li>Número de companhias independentes .........................  51 companhias </li></ul><ul><li>Tempo de duração do ...
Considerações Finais <ul><li>O MDL pode ajudar a resolver a  “falha de mercado”  na  </li></ul><ul><li>indústria siderúrgi...
MUITO OBRIGADO ! Thiago Mendes Analista de Projetos de Carbono [email_address] 31-3290-4032 www.plantar.com.br http://unfc...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Thiago

1,508 views

Published on

Workshop

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,508
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
25
Actions
Shares
0
Downloads
19
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Thiago

  1. 1. Workshop “Integração em C,T&I para o setor florestal com foco no MDL em Minas Gerais” Thiago Mendes MSc Estudos Ambientais e Análise do Território PPG – Geografia UFBA Belo Horizonte, Fevereiro de 2008 Projetos de MDL do Grupo Plantar: Mercado de Carbono e desenvolvimento sustentável
  2. 2. Plano de exposição 06/02/09 1) Regime do Clima e os tipos de certificados de redução de emissão do MDL; 2) O Grupo Plantar e os projetos de MDL: mudanças climáticas e Desenvolvimento Sustentável 3) Considerações Finais e desafios para o setor florestal siderurgico frente as mudanças climáticas 4) Debate
  3. 3. Regime do Clima e os tipos de certificados de redução de emissão do MDL
  4. 4. - período pré Rio-92 - Rio 92 (UNCED): Agenda 21 UNFCCC - Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas. (Princípio das resonsabi- lidades comuns mas diferenciadas) Norma: Redução GEE COP´s – Mitigação e Adaptação Definição de Regras Princípio: Desenvolvimento Sustentável Combatendo o Aquecimento Global
  5. 5. Período de comprometimento: 2008-2012; Objetivo: redução das emissões de CO 2 , CH 4 , N 2 O, HFCs, PFCs, SF 6 Responsabilidade: 39 países industrializados; Redução média: 5,2% em relação a 1990; O Protocolo de Quioto (1997) Entrou em vigor em 16 de fevereiro de 2005; Medidas domésticas + Mecanismos de flexibilidade: - Comércio de Emissões - Implementação Conjunta - Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (Anexo 1 e não Anexo 1)
  6. 6. Tipos de créditos <ul><li>Eficiência Energética </li></ul><ul><li>Troca de Combustíveis </li></ul><ul><li>Queima de gases, etc. </li></ul>“ CRÉDITOS PERMANENTES” Decisão 17/COP 7 ...emissão evitada, benefício permanente... <ul><li>“ Seqüestro”/Remoção de Carbono (Sinks) por </li></ul><ul><li>meio de reflorestamento </li></ul><ul><li>ou florestamento </li></ul>“ CRÉDITOS TEMPORÁRIOS” Decisão 19/COP 9 ... permanência do crédito condicionada à existência da floresta nativa ou de plantações de árvores...
  7. 7. Oportunidade em diversas indústrias Benefícios climáticos associados a Biomassa de origem florestal plantada F/R Decision 19/CP.9 Remoções Líquidas processamento ESTOQUE USO ENERGIA Decision 17/CP.7 Redução de emissões
  8. 8. Como é gerado o “crédito de carbono”? 06/02/09 Determinar a Linha de Base ( Baseline Scenario ): Emissões que ocorreriam na ausência de um projeto Determinar o Cenário do Projeto ( Project Scenario ): Emissões na implementação de um projeto CRÉDITO DE CARBONO _ =
  9. 9. O Grupo Plantar e os projetos de MDL: mudanças climáticas e Desenvolvimento Sustentável
  10. 10. Principais Atividades do Grupo <ul><ul><ul><li>1967 - Gestão florestal ( florestas próprias e de terceiros) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>1976 - Produção e comercialização de mudas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>1985 - Produção de Ferro-Gusa* (Mercado interno e externo) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>1993 – Produção de Carvão para Churrasco ( 1º produto para o consumidor final certificado pelo FSC no Brasil) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>1998 - Projeto de Créditos de Carbono </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2006 - Madeira Tratada </li></ul></ul></ul>
  11. 11. 06/02/09 Produção adicional de biomassa cultivada como fonte de energia renovável para a produção de ferro-gusa Os Projetos da Plantar <ul><li>Objetivos: </li></ul><ul><li>Remoções líquidas de CO 2 por meio de estoques adicionais de plantios de eucalipto (t’CERs – Decisão 19/CP.9) </li></ul><ul><li>Redução das emissões de CH 4 na produção de carvão vegetal </li></ul><ul><li>Redução de emissões de CO 2 na produção de ferro-gusa </li></ul><ul><li>Contribuir para o desenvolvimento sustentável da siderurgia a carvão vegetal, de sua cadeia de suprimentos e das regiões do projeto </li></ul>
  12. 12. Ferro Gusa <ul><li>Ferro fundido de primeira fusão, obtido a partir da redução do minério de ferro. </li></ul><ul><li>Aplicações: produção de aço e fundidos. </li></ul><ul><li>Carbono é o agente termo-redutor </li></ul>
  13. 13. <ul><li>Coque/Carvão Mineral </li></ul><ul><li>Carvão Vegetal </li></ul><ul><li>de florestas nativas </li></ul><ul><li>Carvão Vegetal </li></ul><ul><li>de florestas plantadas </li></ul>Fontes de CARBONO para a produção de ferro Fóssil Não-renovável/ Insustentável Limpo e renovável
  14. 14. Cenário de Linha de Base Fonte: IISI, Sindifer, AMS
  15. 15. Aumento da produção global = Aumento das emissões globais Cenário de Linha de Base
  16. 16. De acordo com o IEF e a UFLA (2006), o estoque de florestas para energia reduziu para aproximadamente 1.167.200,00 ha em Minas Gerais Cenário de Linha de Base 0 500,000 1,000,000 1,500,000 2,000,000 2,500,000 3,000,000 1967 1969 1971 1973 1975 1977 1979 1981 1983 1985 1987 1989 1991 1993 1995 1997 Área Plantada - MG (ha) Fonte: IPEF (2000)
  17. 17. Matriz Energética de Minas Gerais Fonte: Cemig, 2005
  18. 18. Adicionalidade Fonte: AMS/SINDIFER, 2007
  19. 19. Componentes de Projetos de Carbono da Plantar Estoque de CO 2 em Plantios Florestais Componente Baseline Projeto Benefício adicional para o clima Mitigação de metano na produção de carvão vegetal Produção de Ferro-Gusa utilizando carvão-vegetal renovável Recuperação de Cerrado Pastagens Pastagens Produção de carvão com elevada emissão de metano Uso do coque de carvão mineral ou biomassa não-renovável Novas florestas plantadas Prod. de carvão com redução das emissões de metano Uso do carvão vegetal de florestas sustentáveis Cerrado Remoções líquidas de CO 2 / estoque adicional de C Redução nas emissões de CH 4 Redução nas emissões de CO 2 Cerca de 400 ha
  20. 20. <ul><li>Volume total de reduções de emissões/remoções de GHG: ~12,8 milhões de tCO 2 e * </li></ul><ul><li>( 2/3 na área industrial e 1/3 na área florestal ) </li></ul><ul><li>Duração dos Projetos: 28 anos (2001- 2029) </li></ul><ul><li>Área Total Plantada: ~23,1 mil hectares </li></ul><ul><li>Áreas de Preservação: ~ 9,6 mil hectares </li></ul><ul><li>Créditos já negociados com o PCF: ~1,5 milhões de tCO 2 e </li></ul><ul><li>Valor da transação com o PCF: ~US$ 5,3 milhões </li></ul>Os Números dos Projetos * Pode variar conforme o regime de contabilização dos créditos florestais
  21. 21. Cronologia do Projeto <ul><li>1998 - Concepção </li></ul><ul><li>1999 - Apresentação no Aspen Fórum (São Roque/SP) </li></ul><ul><li>2000 - Carta de não-objeção do Governo Brasileiro </li></ul><ul><li>2001 - Assinatura da Carta de Intenções com o PCF </li></ul><ul><li>Aprovação pelo Comitê de Investidores do PCF </li></ul><ul><li>2002 - Assinatura do ERPA com o PCF </li></ul><ul><li>2002 - Validação parcial do projeto pela DNV </li></ul><ul><li>2003 - Assinatura do LA com o Rabobank </li></ul><ul><li>2003 - Verificação Inicial ( Parte I ) </li></ul><ul><li>2005 - Verificação Inicial (Parte II – Conclusão) </li></ul><ul><li>2005 - Submissão das Metodologias Carvão e Florestas </li></ul><ul><li>2006 - Aprovação das Metodologias e PDDs </li></ul><ul><li>2007 – Validação e Registro do projeto de Carbonização </li></ul><ul><li>2008 - Registro projeto Florestal e Submissão metodologia Industrial </li></ul>
  22. 22. Estrutura Financeira ER’s $ $
  23. 23. Desenvolvimento sustentável 06/02/09
  24. 24. Novos plantios gerados pelo MDL A Região do Projeto Cenário do projeto X Cenário de linha de base
  25. 25. Componente florestal <ul><li>Metodologia desenvolvida: Plantar, World Bank’s PCF, Dr. Luiz Gylvan Meira Filho e Dr. Thelma Krug. </li></ul><ul><li>Abordagem de linha de base (c): “most likely land-use at the time the project activity starts” </li></ul><ul><li>“ Carbon pools”: biomassa acima e abaixo do solo, excetuando, carbono no solo e serrapilheira (troncos e galhos mortos) </li></ul><ul><li>Para um IMA de 38 m 3 /h/ano => resultado de cerca de 200 toneladas de CO 2e /cada 5 anos (tCER’s) </li></ul>
  26. 26. Carbonização Sustentável Créditos de carbono no projeto de carbonização = pesquisa inédita e novas tecnologias para o desenvolvimento sustentável Cenário de linha de base X Cenário do projeto
  27. 27. Componente Carbonização <ul><li>Metodologia desenvolvida: Plantar, World Bank’s PCF; </li></ul><ul><ul><li>Pesquisa e PDD: RS Consultants, Estatística/IPEAD-UFMG, RARIS Consultoria; </li></ul></ul><ul><li>Abordagem de linha de base (a): “Existing actual or historical emissions, as applicable” </li></ul><ul><li>Fontes de emissão: metano durante o processo de pirólise da madeira; </li></ul><ul><li>Linha de base da Plantar: 29% de rendimento gravimétrico = 48 kg de CH 4 /tonelada de carvão ou cerca de 1 tCO 2e /tonelada de carvão </li></ul>
  28. 28. Ferro Gusa Verde Florestas Plantadas Sustentavelmente = Energia Renovável ...reduz as emissões da biomassa não-renovável ou do coque de carvão mineral padrões sustentáveis para a siderurgia e sua cadeia de suprimentos ! ®
  29. 29. Sustentabilidade Social e Ambiental <ul><li>Cerca de 1200 empregos diretos e de qualidade em áreas rurais; </li></ul><ul><li>Plano de monitoramento de biodiversidade e condições de trabalho do Banco Mundial </li></ul><ul><li>Certificações: ISO 14001, ISO 9001, Fundação Abrinq </li></ul><ul><li>Certificação pioneira FSC - Forest Stewardship Council - o que inclui diversos programas específicos de monitoramento: fauna e flora, qualidade e quantidade de água, prevenção de incêndios, educação ambiental, relações apropriadas com comunidades locais, sindicatos e vizinhos, etc. (Áreas de Curvelo, Felixlândia e Morada Nova de Minas). </li></ul>06/02/09 Abrinq - Plantar S/A e Siderúrgica FSC - Forest Stewardship Council ISO 14001 Plantar Siderúrgica ISO 9001-2000 Plantar Siderúrgica
  30. 30. 06/02/09 Indicadores Sociais e Ambientais
  31. 31. 06/02/09 Indicadores Sociais e Ambientais Desenvolvimento sustentável em escala industrial
  32. 32. Considerações Finais 06/02/09
  33. 33. Complexidade Institucional no gerenciamento do carbono Projetos de Carbono da Plantar UNFCCC/Kyoto Stakeholders Governo Local e Nacional Investidores World Bank Parceiros Financeiros ONGs e Movimentos Sociais Mercados de Ferro e de Carbono Academia
  34. 34. <ul><li>Número de companhias independentes ......................... 51 companhias </li></ul><ul><li>Tempo de duração do projeto ........................................................ 28 anos </li></ul><ul><li>Área Plantada ......................................................................... 2,5 milhões ha </li></ul><ul><li>Investimento em Florestas ....................... USD 5 bilhões / primeiros 7 anos </li></ul><ul><li>Área Protegida ............................................................................. 833.000 ha </li></ul><ul><li>Empregos diretos .............................................................................. 100.000 </li></ul><ul><li>Redução de emissões (2009-2037) .............................. 777 milhões tCO2e - Recursos obtidos (preço de 16 USD/ tCO2e)…………… ..US$ 12,3 bilhões </li></ul><ul><li>Produção de Ferro Gusa 2009 .....................................36.6 Milhões de tons </li></ul><ul><li>Produção de Ferro Gusa 2037 .................................... 63.8 Milhões de tons </li></ul><ul><li>Produção Total de Ferro Gusa (2009-2037) .......1,422.7 Milhões de tons </li></ul>Potencial de Replicação do Projeto
  35. 35. Considerações Finais <ul><li>O MDL pode ajudar a resolver a “falha de mercado” na </li></ul><ul><li>indústria siderúrgica, promovendo desenvolvimento social </li></ul><ul><li>e ambiental; </li></ul><ul><li>Atrair recursos importantes para a área que possui menor investimento no interior da cadeia produtiva da siderurgia => tecnologia carbonização (biocombustíveis de segunda geração); </li></ul><ul><li>Novos padrões sociais e ambientais com implicações </li></ul><ul><li>estruturais em termos de institucionalização dos </li></ul><ul><li>processos de desenvolvimento local. </li></ul><ul><li>Transferência de tecnologia brasileira para promover a energia renovável em outros continentes; </li></ul>
  36. 36. MUITO OBRIGADO ! Thiago Mendes Analista de Projetos de Carbono [email_address] 31-3290-4032 www.plantar.com.br http://unfccc.int www.mct.gov.br/clima

×