Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Doc 018 transliteração dos termos sânscritos

207 views

Published on

DP +1.

Published in: Spiritual
  • Be the first to comment

Doc 018 transliteração dos termos sânscritos

  1. 1. Termos Sânscritos Grupo de Meditação Estudo 0187 www.kaulayoga.com 1 Transliteração dos termos Sânscritos sânscrito é a língua-mãe das escrituras sagradas da Índia antiga e seu sistema fonológico é grafado em caracteres devanāgarī, que significa Escrita da Cidade dos Deuses, uma alusão a atual cidade de Varāṇasī ou Benares. A transliteração dos fonemas sânscritos para os idiomas que usam o alfabeto romano utiliza caracteres especiais conforme a regra internacional de transliteração das línguas indo-européias. Entretanto, a maioria dos textos traduzidos não segue esta regra de transliteração, preferindo outra apropriada à pronúncia de cada país ou ainda conforme o entendimento do autor. Ambas as formas têm suas vantagens e desvantagens. A principal desvantagem da não utilização de uma regra internacional é a diversidade de grafias, para um mesmo nome, que pode causar certa confusão para leitores ainda não acostumados com as filosofias da Índia e buscam conhecimento em vários textos. Por exemplo: . grafia . Internacional Inglesa Francesa Portuguesa Śiva Shiva Çiva Xiva ou Chiva O sânscrito consta de quatorze vogais e trinta e seis consoantes, o que o torna um tanto hermético para os não iniciados: os nuances de pronúncia chegam a ser imperceptíveis aos ouvidos desabilitados. Conseqüentemente, muitos de seus sons são irreproduzíveis em outros idiomas. Não possui acentuação marcada ou forte, mas apenas uma sucessão de sílabas curtas e longas, com inflexões tônicas e musicais. O traço horizontal (macron) sobre a vogal implica em alongamento. A pronúncia figurada é dada abaixo, segundo a ordem do alfabeto sânscrito, ou melhor, silabário. Os termos que aparecem nos materiais do Espaço Kaula Yoga são transcritos na forma original conforme a transliteração adotada pela Convenção de Genebra de 1894. A terminação em a reserva-se exclusivamente às palavras masculinas ou neutras; o final i ou ā pode ser tanto feminino quanto masculino ou neutro, enquanto as palavras terminadas em ī são, na maioria, femininas. Os o e e pronunciam-se sempre fechados. As palavras em nossos textos que seguem esta convenção estão sempre em itálico, com exceção dos nomes próprios. Chave de transliteração internacional – a relação a seguir demonstra os caracteres de grafia internacional e sugere a pronúncia destes caracteres, conforme os sons da língua portuguesa. Vogais e ditongos: a अ aberta, curta, como em tatu (pūrṇa); ā आ aberta, longa, como em arte (prāṇa); e ए fechado, como em dedo (asteya); O
  2. 2. Termos Sânscritos Grupo de Meditação Estudo 0187 www.kaulayoga.com 2 i इ curta, como em idéia (Śiva); ī ई longa, como em ali (nāḍī); o ओ fechado, como em iodo (Yoga); u उ curta, como em união (udāṇa); ū ऊ longa, como em açude (kūṁbhaka); ai ऐ ditongo, como em vai (kaivalya); au औ ditongo, como em pauta (nauli); ṛ ऋ pronuncia-se no falar caipira, porta (ṛṣī); ṝ ॠ pronuncia-se como em marítimo (ṝkāra); ḷ (lṛ) ऌ pronuncia-se como em inglês, revelry (ḷtaka); ḹ (lṝ) ॡ pronuncia-se como em inglês, revelry, mas prolongado (ḹkāra); Consoantes: ka क como em Karina (karma); kha ख aspirada, como no inglês, broke-heart (Sāṁkhya); ga ग gutural, como em guirlanda (Gītā); gha घ aspirada, como no inglês, big-house (Gheranda); ṅa ङ nasalizando a vogal precedente (aṅga); ca च pronuncia-se como em tchê (citta); cha छ também como tchê, mas prolongado (mūrchā); ja ज palatal, pronuncia-se como Djalma (japa); jha झ palatal, como no inglês, hedgehog (jhali); ña ञ unicamente antes ou depois de consoantes palatais, como senha (jñāna); ṭa ट com a língua no palato, como no inglês, true (aṣṭāṅga); ṭha ठ dental aspirada, como no inglês, lighthouse (haṭha); ḍa ड com a língua no palato, como no inglês, drum (danḍa); ḍha ढ com a língua no palato, como no inglês, redhaired (Ḍhuṇḍi); ṇa ण como no inglês, done (prāṇa); ta त com a língua na raiz dos dentes, como em terra (Tantra); tha थ com a língua na raiz dos dentes, como no inglês, foot-hook (sthiraṁ); da द dental, como em dilúvio (dasanāmi); dha ध dental, como no inglês, bloodhorse (dhāraṇā); na न dental, como em nota (ānanda); pa प labial, como em posto (pūraka); pha फ labial aspirada, como no inglês, top-half (phāla);
  3. 3. Termos Sânscritos Grupo de Meditação Estudo 0187 www.kaulayoga.com 3 ba ब labial, como em bomba (bandha); bha भ aspirada, como no inglês, nib-head (bhūta); ma म em início de palavra ou após uma vogal, tem som labial, como em mãe (mantra); entre consoantes, é nasalizada, como em também (saṁskāra); ya य semivogal: pronuncia-se como o i em viola (Yoga); ra र sempre como se estivesse no meio da palavra, como em vidro (rāja); la ल como em iluminar (kuṇḍalinī); va व em início de palavra ou após uma vogal, pronuncia-se como em volta (vāsaṇā); entre consoantes, pronuncia-se como o w em narrow no inglês (tattva); śa श tem som de sh, como em Sheila (Śiva); ṣa ष tem som de sh, como em bush (Kṛṣṇa); sa स tem som de ss, como em passo (āsana); ha ह sempre aspirado, como em happy (anāhata); z, q, f são letras e sons que não existem em sânscrito. Têm origem pesa e foram assimilados durante a invasão mulçumana. Exemplo: faquir. © Fernando Liguori © 2012 Instituto Kaula Yoga www.kaulayoga.com kaulayoga@hotmail.com Instituto Kaula – Tantra :: Yoga :: Āyurveda Rua São Mateus, 890 São Mateus – Juiz de Fora – MG 36 025001

×