Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Tem, DENUNCIAS SAUDE PORTUGAL

236 views

Published on

DENUCIAS NA SAUDE PORTUGAL 2013 de TEM

Published in: Health & Medicine
  • Be the first to comment

Tem, DENUNCIAS SAUDE PORTUGAL

  1. 1. FW: Resposta ao Exmo. Sr. Secretário deEstado Adjunto do Ministro da SaúdeCaixa de Entrada xTEM - Associação Todos com a Esclerose MúltiplaExmos. Srs.Braga, 18 de janeiro de 2013Segundo o JN de hoje, o Exmo. Sr. Secretário de Estado Adjunto do Ministroda Saúde, Dr. Leal da Costa, disse que “o Governo decidiu que vai passar a exigir aosmédicos associações de doentes que façam as suas declarações públicas de interesses quando estejamem causa afirmações sobre medicamentos por entender que, nalguns casos, há “aproveitamento políticoou até mesmo comercial” ”. No caso da TEM não há conflito de interesses. As suasatividades são feitas gratuitamente pela Universidade do Minho, ISAVE,médicos e advogados voluntários, tem um protocolo com o Grupo Trofa Saúdee recebeu cerca de 24 mil euros da SIC. A TEM não chega a receber daindústria farmacêutica, no total dos laboratórios, dez mil euros/ano. A TEM nãorecebe um cêntimo do Estado (apesar de sermos IPSS).Como V. Exa. sabe, existe legislação onde a indústria farmacêutica é obrigadaa publicar até março os apoios dados às associações. As associações não seimportariam de ter um décimo do apoio que a indústria farmacêutica dáimplicitamente ao Estado (perdão de juros, redução de dívida, pagamento ainvestigadores, …). Esta medida também se coloca aos governantes edeputados?Conforme o nosso mail de 11/1/13, segundo notícias(http://www.ptjornal.com/2013011113302/geral/saude/secretario-de-estado-da-saude-insiste-que-medicamentos-mais-indicados-nao-estao-proibidos.html) que dizem que o Exmo. Sr. “Secretário de Estadoda Saúde insiste que medicamentos “mais indicados” não estãoproibidos” é completamente falso, como já demonstrámos. Osmedicamentos de EM não são iguais (ver mail de 8/1/13).Conforme um estudo que irá ser apresentado no Second International PortoCongress on Multiple Sclerosis nos dias 25 e 26 de janeiro 2013, sobre aprevalência e caracterização da EM no distrito de Braga a 31/12/2009, otratamento mais frequente é Betaferon®, com 29,86%, seguindo-se Rebif22®com 24,64%, o Copaxone® com 17,97%, Rebif44® com 12,17%, Avonex®com 7,25% e Tysabri® com 5,51%, e Mitoxantrone 1. De salientar que 2,32%dos pacientes não faz qualquer medicação.
  2. 2. V. Exa. como médico hospitalar deveria saber, são os CA’s que escolhem enegoceiam os medicamentos hospitalares. Os médicos não são livres deescolher o melhor e mais adequado medicamento. Voltamos a afirmar queexiste proibição de prescrição de medicamentos em Portugal comconhecimento e consentimento do Ministério da Saúde. V. Exa. saberácertamente que: 1. O Centro Hospitalar de São João, por uma querela com uma empresa farmacêutica, substituiu em outubro de 2012, 2 dos 3 fármacos com interferão b-1a; 2. No caso do Hospital de Braga, desde agosto de 2011 que, para os novos doentes, só está disponível um único medicamento de 1º linha (Interferão b 1-b), ou, caso este seja contra-indicado por razões clínicas (bem definidas), acetato de glatirâmero; 3. Os hospitais compram os medicamentos com promoções tipo supermercado.Com os nossos melhores cumprimentos,O Presidente da Direção da TEMProf. Doutor Paulo Alexandre Pereira (Matemático)

×