Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Virus

1,394 views

Published on

Vírus - características estrutura e e algumas viroses

Published in: Education
  • Be the first to comment

Virus

  1. 1. VÍRUS Prof: SAMUEL BARBOSA
  2. 2. INTRODUÇÃO • OS VÍRUS SÃO SERES VIVOS?! • Acelulares; • Sem reino; • Sem metabolismo próprio; • O QUE OS TORNAM SERES VIVOS?! • Se reproduzem (dentro de células vivas); • Evoluem (sofrem mutações)
  3. 3. 225 nm 300 nm 90 nm 150 nm Hemácia 10.000 nm E. Coli (bactéria) 24 nm nm = nanômetro CARACTERÍSTICAS
  4. 4. CARACTERÍSTICAS Geralmente possuem DNA e RNA (exceto citomegalovírus) Acelulares Ametabólicos parasitas intracelulares obrigatórios Apresentam adaptações ao meio Altamente específicos Sofrem mutações Hereditariedade mesmo código genético encontrado nas células Não são formados por células (envoltórios proteicos/lipídios) Não possuem metabolismo próprio Passam informações genéticas a seus descendentes Fora da células entram em estado de latência Se modificam e evoluem
  5. 5. CARACTERÍSTICAS Quem são os hospedeiros dos vírus? Praticamente todos os organismos vivos podem ser infectados pelos vírus. Os vírus podem infectar células de animais, vegetais, fungos, bactérias e protistas. Célula Animal Vírus de animais Célula Vegetal (fitóvirus) Bactéria (Bacteriófagos ou fagos) Fungo (Micófagos) Protozoário Vírus ProtistaVírus
  6. 6. Estrutura Simples (capsídeo): Envelopado: capsula proteica que envolve o material genético. O conjunto do capsídeo mais o matéria genético forma o Nucleocapsídeo. Envelope lipoproteico que protege o Nucleocapsídeo
  7. 7. CLASSIFICAÇÃO DOS VÍRUS DNA vírus: são aqueles que apresentam o DNA(uma hélice ou dupla hélice) como matéria genético. Ex: HPV, hepatite B, bacteriófago, adenovírus, herpes, varíola entre outros; DNA RNA SÍNTESE PROTEICA
  8. 8. CLASSIFICAÇÃO DOS VÍRUS RNA vírus: são que apresentam RNA ( uma ou hélice ou dupla hélice) como matéria genético, onde pode ocorrer duas citações dependendo do vírus moléculas de RNA a) O RNA e transcrito em varias outras moléculas de RNA que passaram a controlar a síntese proteica. Ex: vírus da gripe (influenza) raiva (hidrofobia), encefalite e poliomielite; b)Retrovírus: e quando um vírus apresenta uma enzima viral a transcriptase reversa que e capaz de produzir uma molécula de DNA realizando uma transcrição reversa (retrotranscrição) a partir de uma molécula de RNA. Ex: AIDS, HTLV1 e HTLV2 RNA RNA SÍNTESE PROTEICA RNA DNA RNA PROTEÍNA Obs: so e considerado RETROVÍRUS o vírus apresenta a enzima transcriptase reversa.
  9. 9. Ciclo de um Retrovírus Ciclo do HIV (retrovírus)
  10. 10. REPRODUÇÃO Reprodução Viral • Os vírus só se reproduzem no interior de uma célula hospedeira. • O ácido nucléico dos vírus possui somente uma pequena parte dos genes necessários para a síntese de novos vírus. • As demais enzimas necessárias para a síntese protéica, síntese de ribossomos, RNAt, RNAm e ATP são fornecidas pela célula hospedeira. • Portanto, os vírus necessitam da via metabólica da célula para replicarem-se. Para estudarmos a reprodução viral vamos analisar a reprodução do bacteriófago, parasita intracelular de bactérias.
  11. 11. REPRODUÇÃO Ciclo Lítico
  12. 12. REPRODUÇÃO Ciclo Lisogênico 1. O processo é semelhante ao ciclo lítico, porém o DNA do fago se insere ao DNA bacteriano. 2. O vírus é agora chamado de profago. 3. Toda vez que a bactéria replicar seu cromossomo o DNA do profago também é replicado, permanecendo latente nas células filhas. Cromossomo bacteriano Genoma viral Porém, o DNA viral pode ser removido do cromossomo bacteriano e iniciar um ciclo lítico Genoma viral Genoma viral Ciclo Lítico No ciclo lisogênico as células não morrem e os vírus neste caso são chamados de temperados.
  13. 13. DNA do fago Cromossomo bacteriano Ciclo lítico Ciclo lisogênico O fago multiplica-se na bactéria hospedeira O casionalmente, o profago solta-se do cromossomo bacteriano e inicia um ciclo lítico A célula é lisada liberando os fagos A bactéria se reproduz normalmente, copiando o profago e transmitindo-o às células-filhas Ou As sucessivas divisões celulares geram uma população de bactérias portadoras do profago Genoma viral Ciclo Lítico e Lisogênico REPRODUÇÃO
  14. 14. REPRODUÇÃO Ciclo lítico Ciclo lisogênico
  15. 15. Vírus que ataca plantas • Quase todos os vírus que atacam plantas tem como material genético o RNA e não possuem envelope, no entanto a existem vírus não envelopados de DNA e vírus envelopas de DNA que parasita plantas. • Podem ser transmitidos por vetor, pelo pólen ou difusão mecânica. • Geralmente provocam o surgimento de manchas em folhas, flores e frutos e o declínio na taxa de crescimento. AGENTE QUE INOCULA UM PARASITA(INSETOS, FUNGOS, VERME NEMATÓDEO)
  16. 16. VACINAS x SOROS Imunização ativa Imunização passiva NOÇÕES DE IMUNOLOGIA
  17. 17. VIROSES Principais Viroses: • Raiva • AIDS • Hepatite • Poliomelite(Paralisia infantil) • Herpes • Varíola • Gripe • Caxumba • Sarampo • Rubéola • Febre Amarela e Dengue • Catapora • Febres Hemorrágicas
  18. 18. Influenza (Gripe) É uma doença encontrada geralmente em aves e mamíferos, Causada por um RNAvírus. (H1N1, H1N2...H16N9... Etc.) Os vírus da gripe que atacam humanas são diferentes dos que atacam outros animais, são resultantes de mutações. A gripe não e letal pra maioria das pessoas mais pode sofrer mutações e passar a ser letal, da mesma forma um vírus letal pode sofrer mutação e deixar de ser letal. O vírus da gripe e representando pelas letras H e N. H= hemaglutinina – proteína de entrada do vírus na célula hospedeira N= Neuraminidase – proteína de saída do virus da célula hospedeira Existem Neuraminidase e hemaglutininas diferentes devidos as mutações. Dai os termos h1n1, h1n2 ... Etc.
  19. 19. Influenza (Gripe)
  20. 20. Influenza (Gripe) Gripe A. H1N1. gripe suína.
  21. 21. Gripe A Gripe Aviária Agente Etiológico: Vírus Influenza H5N1 Forma de transmissão: Contato direto com secreções de aves infectadas pelo vírus através do ar, água, alimentos ou roupas contaminadas. Sintomas: Febre alta, dores musculares, dificuldades e problemas respiratórios. Tratamento: Não existe. Profilaxia: Sacrificar todos os animais que possam estar infectadas pelo vírus. A maioria das aves morrem 24 horas após o contágio. O vírus atualmente só é transmitido de aves para seres humanos. O grande perigo consiste no vírus sofrer alguma mutação que o permita ser transmitido de humano para humano. Influenza (Gripe)
  22. 22. Influenza (Gripe) • Gripe B • Gripe
  23. 23. DENGUE Clássica e hemorrágica VIROSES Vetor: Aedes aegypti Agente etiológico: Arbovírus – Flavivírus – Deng1, Deng2, Deng3, Deng4 Contágio: Picada do mosquito transmissor (Aedes aegypti) Sintomas: Dengue: febre alta, dores no corpo e nas articulações. Tratamento: Dengue: Não há vacinas; antivirais. Repouso e ingestão de líquidos Dengue hemorrágica: Profilaxia: Não possui cura Eliminação de criadouros do mosquito (objetos que acumulem água parada) Utilização de inseticidas e repelentes. Na forma hemorrágica, além dos sintomas acima, ocorre alterações no sistema de coagulação sanguínea onde pequenos vasos podem sangrar na pele e em órgãos internos, levando a hemorragias.
  24. 24. EXERCÍCIO (FUVEST-2011) Considere as seguintes características atribuídas aos seres vivos: I. Os seres vivos são constituídos por uma ou mais células. II. Os seres vivos têm material genético interpretado por um código universal. III. Quando considerados como populações, os seres vivos se modificam ao longo do tempo. Admitindo que possuir todas essas características seja requisito obrigatório para ser classificado como “ser vivo”, é correto afirmar que a) os vírus e as bactérias são seres vivos, porque ambos preenchem os requisitos I, II e III. b) os vírus e as bactérias não são seres vivos, porque ambos não preenchem o requisito I. c) os vírus não são seres vivos, porque preenchem os requisitos II e III, mas não o requisito I. d) os vírus não são seres vivos, porque preenchem o requisito III, mas não os requisitos I e II. e) os vírus não são seres vivos, porque não preenchem os requisitos I, II e III.
  25. 25. EXERCÍCIO Estima-se que haja atualmente no mundo 40 milhões de pessoas infectadas pelo HIV (o vírus que causa a AIDS), sendo que as taxas de novas infecções continuam crescendo, principalmente na África, Ásia e Rússia. Nesse cenário de pandemia, uma vacina contra o HIV teria imenso impacto, pois salvaria milhões de vidas. Certamente seria um marco na história planetária e também uma esperança para as populações carentes de tratamento antiviral e de acompanhamento médico. TANURI, A.; FERREIRA JUNIOR, O. C. Vacina contra Aids: desafios e esperanças. Ciência Hoje (44) 26, 2009 (adaptado). Uma vacina eficiente contra o HIV deveria: a) induzir a imunidade, para proteger o organismo da contaminação viral. b) ser capaz de alterar o genoma do organismo portador, induzindo a síntese de enzimas protetoras. c) produzir antígenos capazes de se ligarem ao vírus, impedindo que este entre nas células do organismo humano. d) ser amplamente aplicada em animais, visto que esses são os principais transmissores do vírus para os seres humanos. e) estimular a imunidade, minimizando a transmissão do vírus por gotículas de saliva.
  26. 26. EXERCÍCIO . (Cesgranrio) O vírus da AIDS é formado por uma cápsula esférica contendo em seu interior o material genético. Este tipo de vírus é chamado RETROVÍRUS porque: a) o RNA produz um "molde" de molécula de DNA. b) o RNA torna-se uma molécula autoduplicável. c) o DNA possui cadeia simples sem timina. d) o DNA possui mecanismos de retroação. e) o DNA e RNA não se pareiam.

×