Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

CRV Lagoa - Central de Reprodução Bovina (parte 2): seleção precisa com mais embriões

106 views

Published on

Central de Reprodução Bovina (parte 2): seleção precisa com mais embriões

Published in: Technology
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

CRV Lagoa - Central de Reprodução Bovina (parte 2): seleção precisa com mais embriões

  1. 1. Texto: Inge Van Drie Tradução Livre: Flávio Corbucci SÉRIE: CENTRAL DE REPRODUÇÃO BOVINA Parte 1 Agosto/2017 - As instalações Parte 2 Setembro - Produção de embriões Parte 3 Outubro - Família de vacas Na Central de Reprodução Bovina em Wirdum (Holanda), a CRV reúne as melhores fêmeas para produzir embriões para seu programa de melhoramento. Em uma série de três artigos, a revista Veeteelt vai aos bastidores e nessa edição o foco é a produção de embriões. Seleção precisa com mais embriões A Central de Reprodução Bovina tem papel chave no programa de seleção da CRV. Cerca de três quartos dos touros criados pela CRV todos os anos provêm de embriões produzidos por animais na nova fazenda do núcleo de reprodução. Como exatamente esse processo de produção de embriões funciona? Jakomien Noordman e Jaap Veldhuisen contaram para a Veeteelt. uanto mais embriões, maior a pressão de seleção, m melhor a chance de um animal ser Top. Jakomien N Noordman, chefe da produção de embriões e instalações dos touros, resume em poucas palavras porque a nova Central de Reprodução Bovina é tão importante para o programa de seleção da CRV. A Central atualmente produz 10.000 embriões por ano, mas sua ambição é produzir 20.000 embriões anualmente em Wirdum. “Reunimos as fêmeas com maior potencial genético”, diz o especialista em melhoramento Jaap Veldhuisen. “Nós queremos obter o maior número de descendentes possível desses animais, para que possamos selecionar, pois nosso maior objetivo é oferecer o melhor touro para que cada produtor possa atingir seus objetivos de seleção. Quer seja com um touro preto e branco, vermelho e branco ou mocho.” Q OPU/IVP é preferido Qual o atual processo de produção de embriões em Wirdum? Todos os anos a fazenda núcleo de reprodução recebe ao redor de 160 animais com alta qualidade genética que formam o “núcleo”. Em média, os animais têm cinco meses de idade quando chegam a Wirdum. “Crescer bem e ter um bom começo é o mais importante nos primeiros meses. Quanto melhor o cuidado com a bezerra durante a fase de cria e mesmo durante a sua gestação melhor é para a produção de embriões. Quando as fêmeas estão entre dez e doze meses de idade a coleta de oócitos começa. Observamos atentamente o desenvolvimento delas e também quando apresentam cio pela primeira vez. Isso nos permite monitorar quando estarão prontas para a produção de embriões”, explica Noordman. A coleta de oócitos ocorre duas vezes por semana. Ao contrário de antes quando a CRV optava principalmente pela coleta de embriões, agora escolhe quase sempre a OPU (aspiração folicular) / IVP (fecundação in vitro). Nessa técnica, os oócitos são coletados e depois fertilizados em laboratório. Noordman destaca os benefícios: “Nós podemos produzir mais embriões em menos tempo e com IVP nós podemos trocar os touros mais rapidamente. Podemos também continuar aspirando oócitos durante os primeiros meses de gestação”. Uma vez que as doadoras estão com aproximadamente seis meses de gestação elas são transferidas para uma das estações de testes da CRV. Somente as melhores doadoras – entre dez e quinze por cento – são reutilizadas como doadoras quando estão em lactação. “Nós trabalhamos principal- mente com novilhas não somente por possuírem um alto potencial genético, mas também porque, graças à seleção genômica, nós já sabemos tanto sobre elas quanto costumávamos saber sobre uma vaca com três lactações”, explica Veldhuisen. Até a tinta afeta a produção de embriões As doadoras do núcleo produzem em torno de 10.000 embriões por ano. A CRV também compra de criadores ao redor de 1.500 embriões, na Holanda e outros países, baseando-se no pedigree, valores genômicos de produção e desempenho materno. O fato de o Núcleo fornecer a maioria dos embriões é uma escolha conscien- te, diz Noordman. “Para os produtores de leite, sua principal tarefa é produzir leite, para nós é a produção de embriões. Não há fazendas que produzem embriões nesta escala, nós podemos nos concen- trar inteiramente nessa tarefa. Utilizando a melhor nutrição, sanidade e instalações, nós tentamos na medida do possível descartar quaisquer fatores que atrapalhem a produção de embriões. E cuidamos para manter o mínimo de estresse. A produção de embriões é um processo delicado”, diz Noordman. ”Mesmo a tinta das paredes do laboratório pode ter efeito negativo na produção de embriões. Se algo não está certo, tal como a ração, nós notamos imediatamente na produção de embriões”. 150 novilhas doadoras + 20 vacas doadoras 10.000 embriões 1.500 embriões 200 mães de touros Núcleo Delta EuroDonor Fluxograma do Programa de Seleção da CRV 11.500 embriões 5.000 bezerras oriundas do EuroDonor 1.000 bezerros oriundos do EuroDonor2.500 bezerros 2.500 bezerras seleção genômica seleção genômica 160 bezerras para o núcleo 110 bezerros em produção após 4 anos 15 filhas de touros provados 50 touros CRV InSire e Top Uma centena de embriões por animal Eles aumentaram a meta em Wirdum. “Nosso objetivo é chegar a 100 embriões por animal. Isso é o dobro do que se produz atualmente”, diz Veldhuisen. “Não há muito tempo, nós produzíamos 25 embriões por novilha. Considerando uma taxa de prenhes de 50% você provavelmente teria dez bezerros. A questão é se isso permite uma seleção suficiente”, diz Veldhuisen. Ele dá um exemplo para ilustrar o quão importante é o aumento na produção de embriões para uma seleção precisa: “Delta Rora e Esmonique 38 são duas das melhores filhas de G-Force com um padrão de produção semelhante. Nós coletamos 28 embriões de Rora até o final de agosto de 2015, resultando em quatro bezerras e cinco bezerros. Esmonique nos deu 269 embriões, que geraram 37 bezerras e 45 bezerros. No final apenas um bezerro de Rora pontuou acima de 300 para o índice de seleção da CRV em comparação aos treze produzidos por Esmoni- que. Além disso, o melhor produto de Esmonique – Weelder Esperanto - atingiu 390 pontos para o índice de seleção da CRV, contra 304 do filho de Rora com maior pontuação. Rora agora produziu 118 embriões e seu filho Delta Treasure (filho de Finder) é o melhor reprodutor na CRV”. Três quartos dos touros do Núcleo Os 11.500 embriões que a CRV utiliza nas fazendas satélites Delta resultam em torno de 2.500 bezerras e 2.500 bezerros (veja ilustração). Além de todos esses animais, a CRV produz cerca de 5.000 bezerras e 1.000 bezerros em outros locais na Holanda e outros países. A partir dessas 7.500 bezerras, a CRV seleciona 160 para Wirdum. Dos 3.500 bezerros a CRV seleciona 110 por ano para reprodutores, três quartos destes vêm de embriões produzidos em Wirdum. Essa alta proporção é em parte devido ao alto nível genético no Núcleo, diz Veldhuisen: “Dentre as fêmeas Top 500 para NVI em Fevereiro de 2017, uma em cada cinco vieram do Núcleo e na média elas possuíam 320 para NVI. Outros 38% vieram de fazendas satélites, as quais recebem da CRV os embriões. Portanto, esses animais provêm em grande parte de doadoras de Wirdum. Eles atingiram em média de 304 para NVI. Os animais de outras fazendas que representaram 42% do Top 500 também tiveram em média 304 para NVI.’

×