Os Planos d'Os Lusíadas

48,174 views

Published on

Os planos d'Os Lusíadas:
- Plano da Viagem;
- Plano da História de Portugal;
- Plano dos deuses;
- Plano da Intervenção do Poeta.

Published in: Travel, Technology
3 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
48,174
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
423
Actions
Shares
0
Downloads
588
Comments
3
Likes
5
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Os Planos d'Os Lusíadas

  1. 1. OS PLANOS D’ OS LUSÍADAS <ul><li>Apresentação dos vários dos vários planos d’ Os Lusíadas . </li></ul><ul><li>1 </li></ul>
  2. 2. OS PLANOS D’OS LUSÍADAS <ul><li>Pode identificar-se a presença de quatro planos distintos na narrativa de Os Lusíadas : </li></ul><ul><li>Plano da Viagem ; </li></ul><ul><li>Plano da História de Portugal ; </li></ul><ul><li>Plano dos deuses / maravilhoso ; </li></ul><ul><li>Plano do Poeta . </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Plano da Viagem - compreende todos os momentos da narração relativos à acção principal, a viagem de Vasco da Gama, desde a partida de Lisboa até ao desembarque na ilha de Vénus. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Plano da História de Portugal – consiste na exposição da História de Portugal, “ E também as memórias gloriosas / Daqueles Reis que foram dilatando / A Fé, o Império, e as terras viciosas .” </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Os factos históricos anteriores à viagem são relatados nos discursos de Vasco da Gama ao rei de Melinde, e de Paulo da Gama ao Catual. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Os factos históricos posteriores à viagem são narrados nas profecias de Júpiter, do Adamastor, da ninfa Sirena e de Tétis. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Plano dos deuses – plano relativo à intriga dos deuses pagãos, que começa com o consílio que inicia a acção do poema e termina na ilha de Vénus, que encerra o poema. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Segundo António José Saraiva, “ Formalmente a unidade d’Os Lusíadas é estabelecida pela intriga dos deuses . Baco, Júpiter, Neptuno, Vénus estão em cena desde o início ao fim do poema, o qual abre com o consílio dos deuses e termina com a Ilha dos Amores. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>(...) Não se trata de mero quadro externo ou de uma sobreposição, mas da mola real do poema. (...) As personagens mitológicas têm uma vida que falta às personagens históricas : são elas, sim, as verdadeiras criaturas humanas, que sentem, se apaixonam , intrigam e fazem rebuliço. </li></ul>
  10. 10. <ul><li>Através da mitologia, Camões exprime algumas tendências profundas do Renascimento: a vitória dos homens contra os deuses , que personificam os limites impostos pela tradição à iniciativa humana; a confiança na capacidade humana para dominar a natureza ; a concepção da natureza como um ser vivo .” </li></ul>
  11. 11. <ul><li>Plano do Poeta – plano relacionado com todas as considerações e reflexões ( normalmente no final dos Cantos ) do poeta sobre os mais diferentes aspectos. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Também designados por excursos , estes momentos digressivos traduzem a visão crítica do poeta, conferindo ao poema uma perspectiva interventiva . </li></ul>
  13. 13. <ul><li>O apelo de Camões aos valores defendidos pelo Renascimento, entre outros, está bem presente nos excursos . </li></ul>

×