Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Migrando Aplicações Legadas para Nuvem

30 views

Published on

Palestra realisada no DevDay 2018 sobre como migrar aplicações legadas para nuvem.

Published in: Technology
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Migrando Aplicações Legadas para Nuvem

  1. 1. Palestrante: Categorias de premiação: Microsoft Azure Primeiro ano premiado: 2017 Número de prêmios MVPs: 1 rsantos@braziliandevs.com Linkedin.com/rsantosdev Facebook.com/rsantosdev Instagran.com/rsantosdev Twitter@rsantosdev Biografia Marido da Geysla, pai do Ted, desenvolvedor e nas horas vagas gosta de escrever sobre arquitetura para Nuvem.
  2. 2. Agenda: • First things first! • Componentes de uma aplicação legada • PaaS / IaaS • Banco de Dados • Distribuição de carga • Pontos de melhoria
  3. 3. First things first, ou começando do começo: • Conheça a aplicação que você quer migrar - Conhecer a aplicação vai economizar muito tempo e dinheiro - Vai te ajudar a tomar melhores decisões. • O que funciona para mim, pode não funcionar para você. - Faca testes, a melhor solução em um cenário, pode não ser em outro. - Testes de adequação e de carga são os seus melhores amigos.
  4. 4. First things first, ou começando do começo: • Mantenha as coisas simples e funcionais - Lift and Shift pode ser o seu melhor amigo. - Evite otimizações desnecessárias em um primeiro momento. • Vamos começar!
  5. 5. First things first, ou começando do começo: • Escolha do Data Center - Azure conta com mais de 50 regiões disponíveis. - Teste a latência: http://www.azurespeed.com/
  6. 6. First things first, ou começando do começo: • Escolha do Data Center - Pesquise as features que você deseja usar no data center escolhido. - O ideal eh uma combinação de velocidade e recursos.
  7. 7. Componentes de uma aplicação legada: • Banco de dados • Servidor Web • Load Balancer
  8. 8. PaaS vs IaaS: • Nem sempre a decisão eh feita por afinidade - Leve em conta componentes customizados (COM+) - PCI Compliance • PaaS - Muito mais simples de usar, modelo: faz pra mim que eu pago e te culpo se der algo errado. - Azure App Service / Azure App Service Environment • IaaS - Muito mais controle, modelo: deixa que eu mesmo faço. - Exige mais trabalho na configuração inicial, mas por outro lado te da muito mais poder e flexibilidade.
  9. 9. PaaS vs IaaS: • App Services - Suporte a mais diversas linguagens/plataformas - Integração com ferramentas CI/CD - Plataforma totalmente gerenciada - Suporte para apps: Windows / Linux / Containers - Slots - Application Insights - Integração on-premises via Gateway (ou outbound ips) • App Service Environment - Deploy direto para vnet - Load Balancer interno ou externo.
  10. 10. PaaS vs IaaS: • Virtual Machine - Inifitos “sabores” e tamanhos. Bom e Ruim! - Suporte imagens customizadas (.vhd) - Azure Automation - Custom Script Extension - Vnet / NSG / Public IP - Managed Disks (SSD!) - Otimizacao para algumas imagens (sql server) • Virtual Machine Scale Set - Facilita gerenciamento de múltiplas VMs - Load Balancer ou Application Gateway - Update automático, lote ou manual.
  11. 11. Banco de Dados: • PaaS vs IaaS - Mesmas regras do servidor de aplicação. - Em geral VMs facilitam a migração pois permitem rodar a mesma versão e configuração do ambiente atual. - Por outro lado PaaS fornece maior escalabilidade e facilidades. • Azure SQL Managed Instance - Excelente meio termo. Melhor dos 2 mundos. • AzCopy - Ferramenta indispensável para fazer upload / download de backups - https://docs.microsoft.com/pt-br/azure/storage/common/storage-use-azcopy
  12. 12. Distribuição de Carga: • Traffic Manager - Roteamento de tráfego para melhor desempenho e disponibilidade. - Facilita migração com integração entre Azure e On-Premises (outros providers). - Podem ser combinados para alta disponibilidade. • Application Gateway - Distribuição de carga HTTP(s) - Cookie Affinity para persistência de sessão. - Integração com serviços do Azure e On-Premises (outros providers). - Concentra certificados SSL. Gerenciamento e Performance. - Firewall web integrado.
  13. 13. Distribuição de Carga: • Load Balancer - Mais simples para fornecer balanceamento. - Regras TCP e UDP - Suporte nativo para IPv6 - Integra somente com VMs Azure. - Pode ser combinado com APP Gateway. • Ferramentas uteis para teste de rede: - PsPing: https://docs.microsoft.com/en-us/sysinternals/downloads/pstools
  14. 14. Pontos de melhoria: • Blog Storage para arquivos estáticos. • CDN para cache e distribuição global de arquivos. • Redis Cache para dados de Cache/Session do Servidor WEB. • Queues para processamento em segundo plano.
  15. 15. Encerramento: • Considerações Finais • Perguntas e Respostas • Agradecimentos

×