Universidade Aberta | Portugal 
  
Mestrado em Pedagogia do Elearning, 7ª Edição 
   
   
UC 12090 – Avaliação em Co...
Texto 1 ­ “A Cultura de Avaliação: que dimensões?” 
Esta é uma temática atual que emerge de muitas investigações. O artigo...
 
Recomendações dos processos  de avaliação: 
● habilitar os alunos para o progresso autônomo; 
● oferecer feedback regula...
 
Principais caraterísticas dos ambientes de aprendizagem construtivistas: 
● autenticidade; 
● trabalho em grupo; 
● cont...
 
 
Considerações finais: 
 
Do primeiro artigo escolhido, poder­se­á sistematizar que o processo de Bolonha introduziu no...
Machado, C. & Gomes, M. J. (2013). Avaliação de cursos online : algumas perspetivas . Disponível em:                      ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Avaliação pedagógica digital em contextos de elearning

424 views

Published on

MPEL7 - ACE

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
424
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
214
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Avaliação pedagógica digital em contextos de elearning

  1. 1.       Universidade Aberta | Portugal     Mestrado em Pedagogia do Elearning, 7ª Edição          UC 12090 – Avaliação em Contextos de  Elearning        Tema 2 ­ Atividade 2: Avaliação Pedagógica Digital em Contextos de Elearning             Docente Responsável: Professora Doutora Lúcia Amante    Grupo 2: Ana Freire, Carlos Santos, Diana Morais e Nelson Soares      11 de maio de 2014        1 
  2. 2. Texto 1 ­ “A Cultura de Avaliação: que dimensões?”  Esta é uma temática atual que emerge de muitas investigações. O artigo intitulado “A Cultura de Avaliação:                                  que dimensões?” compreende as novas estratégias de avaliação e as dimensões e parâmetros da cultura de                                avaliação. Tendo em consideração os autores, “o Processo de Bolonha” (Comissão Europeia,2008:citado                        por Pereira,A;Oliveira,I & Tinoca,L.,2010) apresenta “o desafio ao ensino superior de promover ambientes                          virtuais de aprendizagem” (p.1). Mas que mudanças referem os autores?  ● alteração na perceção dos objetivos do sistema de ensino superior e na seleção de metodologias a                                utilizar;  ● estratégias de avaliação a implementar de forma a avaliar um currículo baseado em competências;  ●  surgem os Programas de Avaliação de Competências (PACs).  A avaliação de competências requer uma nova abordagem. As novas culturas de aprendizagem forçam o                              uso de novas estratégias de avaliação. Essas estratégias de avaliação são vitais para garantir um adequado                                reconhecimento do trabalho individual realizado, segundo os autores. Existe uma nova cultura de avaliação:   ● A avaliação deverá ser centrada no aluno, com critérios explícitos, processos clarificados,                        resultados obtidos e competências evidenciadas. Tudo isto tem de ser conseguido de modo a puder                              integrar todas as situações, mediante uma estratégia que deverá contemplar atividades                      colaborativas.  Para os autores, “as novas estratégias de avaliação introduzem a necessidade de ter em conta as                                competências exigidas na prática da vida real e de assegurar que os modos de avaliação reflitam os que são                                      utilizados nesses cenários e que os critérios de avaliação sejam adequados”.  Existem quatro dimensões para a cultura de avaliação: autenticidade, consistência, transparência e                        praticabilidade. Sobre a autenticidade, os autores referem que este conceito está ligado com o grau de                                semelhança entre competências que são avaliadas num PAC, considerando os seguintes parâmetros de                          referência, designadamente, a similitude, complexidade, adequação e significância. Quanto à consistência,                      esta “surge como forma de responder às exigências de validade e fiabilidade tradicionalmente associadas                            apenas a indicadores psicométricos” (Pereira; Oliveira & Tinoca, 2010,p.4), compreende quatro                      parâmetros, tais como, alinhamento instrução­avaliação, multiplicidade de indicadores, adequação dos                    critérios e alinhamento competências­avaliação. Em termos de transparência, o programa deverá ser visível                          e entendível para todos, considerando quatro parâmetros: democratização, envolvimento, visibilidade e                      impacto. Por último, os autores tecem considerações sobre a praticabilidade, ou seja, a exequibilidade de                              qualquer estratégia de avaliação. Agrega três vértices essenciais: custos, eficiência e sustentabilidade.  A reconcetualização da avaliação nas suas funções, formas e instrumentos de avaliação tornou­se                          fundamental para garantir a qualidade da nova cultura da aprendizagem.    Texto 2 ­ “Quality in Online Delivery: What does it mean for assessment in E­learning                              Environments?”  Este artigo aborda as definições atuais de qualidade na avaliação on­line e examina as expetativas                              emergentes do que constitui avaliação on­line. A educação está focada nas necessidades do aluno,                            enquanto que o professor se tornou um mediador e motivador da aprendizagem do aluno.  2 
  3. 3.   Recomendações dos processos  de avaliação:  ● habilitar os alunos para o progresso autônomo;  ● oferecer feedback regular aos alunos;  ● suporte a aprendizagem entre pares;  ● práticas de projeto de auto­avaliação.  Sobre as oportunidade de melhorar a avaliação na web, Laurillard (1993) sugere que a aprendizagem                              baseada em computador tem um papel importante na promoção:  ● auto­aprendizagem e aumento da autonomia do aluno;  ● flexibilidade e diversidade na avaliação;  ● aumento da literacia da informação, garantindo que as habilidades de pós­graduação estejam em                          sintonia com os empregadores;  ● aumento de produtividade e eficiência no ensino superior.  Schacter (1999) afirma que o que determina o valor educativo das TIC é a forma como ele é usado na                                        prática.  Aprendizagem baseada na web, o que significa esta nova pedagogia ou a repackaging?  Os alunos precisam ter mais responsabilidade pelo seu aprendizado, mas muitos precisam de ajuda para                              conseguir esta habilidade. Shaffer e Resnick (1999) afirmam que a tecnologia pode ser usada para criar                                contextos autênticos de aprendizagem, e fornecer recursos para dar aos alunos oportunidades em várias                            áreas. são elas: conectividade ­ autenticidade ­ pluralismo epistemológico ­ para expressar e representar                            ideias de muitas maneiras.  As tecnologias de informação podem alterar a qualidade da experiência de aprendizagem, e podem ser                              utilizadas para criar ambientes autênticos para a avaliação.  A aprendizagem baseada na web significa uma nova concepção de currículo?  Seria preciso utilizar e aplicar os meios de comunicação para o ensino e cenários onde os alunos participam                                    ativamente produzindo conhecimento. a avaliação por pares é um indicador da extensão pedagógica através                            da web, como as ferramentas de comunicação on­line, espaços de trabalho compartilhados e diálogos                            assíncronos, tornando a aprendizagem em rede e a avaliação viáveis. Esta abordagem participativa se                            resume:  ● atividades de avaliação que reconhecem os alunos como contribuintes;  ● atividade de avaliação envolvendo oportunidades para estudantes de comunicação que possam                      participar de uma comunidade on­line;  ● avaliação de atividade reflete o status dos estudantes como contribuintes para o conteúdo do curso                              e criadores de novos produtos de conhecimento.  Avaliação alternativa usando a tecnologia  Esta forma de avaliação é baseada no construtivismo e reconhece o aluno como arquiteto­chefe na                              construção do conhecimento.  Em ambientes de aprendizagem construtivistas há interação social, comunicação, troca de opiniões,                        colaboração e apoio para os alunos.  3 
  4. 4.   Principais caraterísticas dos ambientes de aprendizagem construtivistas:  ● autenticidade;  ● trabalho em grupo;  ● controlo do aprendiz;   ● aprendizagem em scaffolding .  1 A avaliação autêntica ou desempenho pode ser utilizada na aprendizagem construtivista de ambientes uma                            vez que permite o processo e conhecimento do produto a ser avaliado, apoiado por canais de comunicação                                  para o trabalho em grupo, a reflexão, o pensamento racional e auto­dirigido de aprendizagem (Scardamalia,                              1992; Birenbaun, 1999; Reeves, 2000).    Texto 3 ­ “Avaliação de Cursos Online: algumas perspetivas”  Do ponto de vista de Machado & Gomes (2013), “os desafios colocados pela sociedade do conhecimento                                exigem que as Instituições de Ensino Superior (IES) se adaptem a novas realidades económico­sociais e a                                novos públicos”, daí que seja imperscindível avaliar para melhor.  Este artigo visa abordar a avaliação de cursos em b/e­Learning, onde são apresentados sete modelos de                                avaliação de cursos, segundo diferentes perspetivas e dimensões de análise.   O esquema abaixo sintetiza os modelos considerados:  1 “Processo que capacita a criança ou principiante a resolver um problema, executar uma tarefa ou alcançar um objetivo                                      que estaria acima de sua capacidade” (WOOD; BRUNER; ROSS, 1976, p. 90).    4 
  5. 5.     Considerações finais:    Do primeiro artigo escolhido, poder­se­á sistematizar que o processo de Bolonha introduziu novos desafios                            numa nova cultura de avaliação, que deve ser uma evidência clara nas Instituições do Ensino Superior.                                Surgem os programas de avaliação de competência, designados por PACs. Por sua vez, a avaliação de                                competências requer uma nova abordagem.   A avaliação deverá estar centrada no aluno. Esta nova cultura de avaliação introduz quatro pilares                              fundamentais: autenticidade, consistência, transparência e praticabilidade.  Quanto ao segundo texto estudado, este menciona as inquietações da qualidade da avaliação online. A                              educação está focada nas necessidades dos alunos. Com a utilização das novas tecnologias de informação e                                comunicação, estas podem alterar a qualidade da experiência de aprendizagem e podem ser utilizadas para                              produzir ambientes autênticos de avaliação. É através da utilização da tecnologia, que o aluno numa ótica de                                  construtivismo delinea a sua própria avaliação.   Por último, o terceiro documento analisado compreende uma abordagem da avaliação nos cursos em                            regime b/e­Learning, onde são apresentados alguns modelos de avaliação, onde se identificam um conjunto                            de níveis, dimensões, fatores, componentes e variáveis a ter em consideração aquando da avaliação desta                              modalidade de cursos.    Referências Bibliográficas     5 
  6. 6. Machado, C. & Gomes, M. J. (2013). Avaliação de cursos online : algumas perspetivas . Disponível em:                                  http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/25195 . Acesso 29 de abril de 2014.    McLoughlin; C. & Luca, J. (2001). "Quality in Online Delivery: What does it mean for assessment in                                  E­Learning Environments?" The ASCILITE conference proceedings.    Pereira, A. Oliveira, I. & Tinoca, L. (2010). " A Cultura da Avaliação: que dimensões?", In Actas da                                    Conferência Internacional TICeduca2010, Instituto de Educação, Universidade de Lisboa.            6 

×