Sistema circulatório

24,097 views

Published on

4 Comments
6 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
24,097
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
32
Actions
Shares
0
Downloads
572
Comments
4
Likes
6
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Sistema circulatório

  1. 1. SISTEMA CIRCULATÓRIO
  2. 2. CONSTITUIÇÃO DO SISTEMA CIRCULATÓRIO O Sistema circulatório é constituído pelo coração e por um conjunto de inúmeros vasos sanguíneos de diferentes dimensões: --- artérias ; --- veias ; --- capilares . VEIA ARTÉRIA CAPILAR
  3. 3. ARTÉRIAS – vasos sanguíneos de espessas paredes musculares por onde circula o sangue que sai do coração . Artéria Aorta ( sai do ventrículo esquerdo) Artéria pulmonar ( sai do ventrí- culo direito) PRINCIPAIS
  4. 4. VEIAS – vasos sanguíneos de paredes elásticas que transportam o sangue proveniente de todas as partes do corpo para o coração. PRINCIPAIS Veia Cava Superior Veia Cava Inferior Veia Pulmonar
  5. 5. CAPILARES – vasos sanguíneos de menores dimensões que permitem que o sangue chegue aos tecidos, a fim de se efectuarem as trocas necessárias.  
  6. 6. VASOS SANGUÍNEOS Os vasos sanguíneos aparecem geralmente coloridos nos esquemas que representam o Sistema Circulatório . As cores não significam que te- nhamos sangue vermelho e azul. Os vasos a vermelho indicam que o sangue que circula neles é rico em oxigénio , logo denomina-se Arterial . O sangue Venoso , rico em dióxido de carbono , está re- presentado a azul.
  7. 7. O SANGUE Fluido vermelho que circula em vasos sanguíneos . Percorrendo o organismo sem cessar, o sangue está presente em todas as suas funções sendo muito importante para todos os órgãos do cor- po.
  8. 8. O SANGUE Um indivíduo adulto , com cerca de 70 Kg , possui, em média, cerca de 5,6 litros de sangue , o que corres- ponde a 8% do peso total do seu corpo.
  9. 9. FUNÇÕES DO SANGUE <ul><li>Transporta nutrientes que foram </li></ul><ul><li>absorvidos através das vilosidades </li></ul><ul><li>intestinais; </li></ul><ul><li>Transporta oxigénio resultante da </li></ul><ul><li>hematose pulmonar; </li></ul><ul><li>Transporta produtos de excreção </li></ul><ul><li>provenientes da actividade celular, </li></ul><ul><li>entre os quais dióxido de carbono </li></ul><ul><li>e vapor de água. </li></ul>
  10. 10. CONSTITUIÇÃO DO SANGUE Em laboratório, é possível separar os constituintes do sangue . Os constituintes visíveis do sangue separados são: --- plasma (55%); --- constituintes sólidos (45%).
  11. 11. CONSTITUIÇÃO DO SANGUE O sangue é constituído por um líquido, o plasma , no qual se encontram em suspen- são vários tipos de células sanguíneas : -- glóbulos vermelhos *(A) -- glóbulos brancos *(B) -- plaquetas sanguíneas (C) (A) (B) (C) * hemácias * leucócitos
  12. 12. Sangue – líquido viscoso e vermelho que circula no organismo Constituição do sangue O sangue é constituído por: -- plasma ; -- glóbulos brancos ou leucócitos; -- glóbulos vermelhos ou hemácias; -- plaquetas sanguíneas.
  13. 13. CONSTITUINTES DO SANGUE <ul><li>Glóbulos vermelhos </li></ul>Células sem núcleo com forma de um disco com maior espes- sura nos bordos e menor na zona central.
  14. 14. <ul><li>Glóbulos vermelhos </li></ul>No interior das células existe um pigmento vermelho , a hemoglobina que dá a cor vermelha ao sangue . Este pigmento capta o oxigénio do do ar inspirado. É uma metaloproteína que contém ferro presente nos glóbulos ver – melhos e que permite o transpor- te de oxigénio. HEMOGLOBINA
  15. 15. <ul><li>Glóbulos brancos </li></ul>Células com núcleo , maiores que os glóbulos vermelhos, mas encontram- -se em menor número no sangue. Têm como função a defesa do orga- nismo.
  16. 16. <ul><li>Glóbulos brancos </li></ul>Existem diferentes tipos de glóbulos brancos, com formas e tamanhos di- versos consoante a função que de- sempenham. Uns produzem substâncias tóxicas para matar os mi– cróbios patogénicos , outros encarregam-se de “ devorar” esses microrganismos ou corpos estranhos. Diapedese Fagocitose
  17. 17. Glóbulos vermelhos Transportam o oxigénio até aos tecidos, libertam-no e, em troca, recebem uma pequena parte de dióxido de carbono que transportam até aos pul- mões. Glóbulos brancos Estas células têm como função a defesa do orga- nismo.
  18. 18. <ul><li>Plaquetas sanguíneas </li></ul>São células sem núcleo e de reduzidas dimensões. Desempenham um papel muito importante na coagulação do san- gue e contribuem assim para a cicatri – zação das feridas . Coágulo Plaquetas sanguíneas Têm como função a coagulação do sangue.
  19. 19. <ul><li>Plasma </li></ul>Líquido que contém cerca de 90% a 95% de água. O restante são proteínas e sais minerais dissolvidos . Transporta os nutrientes absorvidos nas vilosidades intestinais até às células, bem como as impurezas que resultam da acti – vidade celular. Plasma Líquido que transporta nutrientes, a maior parte do dióxido de carbono e outros produtos residuais.
  20. 20. CORAÇÃO Órgão oco e muscular com o tamanho aproximado de um punho fechado. Encontra-se alojado na cavidade torácica , entre os pulmões e ligei- ramente deslocado para o lado es- querdo.
  21. 21. CONSTITUIÇÃO DO CORAÇÃO ASPECTO EXTERIOR ASPECTO INTERIOR No interior do coração existem quatro cavida- des: duas aurículas e dois ventrículos . Ventrículos Aurículas
  22. 22. CORAÇÃO O coração tem a função de bombear o sangue não só pa- ra os pulmões , mas também para todas as partes do cor- po. Cada metade do coração está dividida em dois compartimentos : uma aurícula , que é a cavidade superior , e um ventrí- culo , que é a cavidade inferior . Sangue arterial Sangue venoso Lado esquerdo Lado direito
  23. 23. PULSAÇÃO O coração nem sempre bate à mesma velocidade . Exemplos: Sentado -- 70 puls./min. Andar -- cerca de 90 puls./min. Correr – cerca de 110 puls./min.
  24. 24. TENSÃO ARTERIAL O sangue está constantemente a exercer uma força sobre as pa- redes das artérias-- pressão ar- terial. Esta pressão é traduzida em dois números, como por exem- plo 12/8. máxima mínima sal esfigmomanómetro
  25. 25. CIRCULAÇÃO DO SANGUE
  26. 26. CIRCULAÇÃO DO SANGUE O trajecto do sangue no organismo. O sangue está em constante circulação , sempre no mesmo sentido.
  27. 27. Células
  28. 28. PEQUENA CIRCULAÇÃO: <ul><li>O sangue venoso é lançado para os </li></ul><ul><li>pulmões , através das artérias pulmo- </li></ul><ul><li>nares a fim de ocorrer a hematose pul- </li></ul><ul><li>monar. O sangue arterial regressa nova- </li></ul><ul><li>mente ao coração pelas veias pulmonares . </li></ul>
  29. 29. GRANDE CIRCULAÇÃO : <ul><li>O ventrículo esquerdo contrai-se, em- </li></ul><ul><li>purra o sangue arterial em direcção à </li></ul><ul><li>artéria aorta . Este sangue quando che- </li></ul><ul><li>ga aos tecidos liberta o oxigénio e rece- </li></ul><ul><li>be o dióxido de carbono , tornando-se </li></ul><ul><li>venoso . Este retorna ao coração pelas </li></ul><ul><li>veias cavas ( superiores e inferiores) e </li></ul><ul><li>entra na aurícula direita. </li></ul>
  30. 30. HIGIENE DO SISTEMA CIRCULATÓRIO
  31. 31. Causas que provocam a doença
  32. 32. VARIZES Chama-se variz à dilatação das veias. Acontecem com as veias dos membros inferiores e afecta com mais frequên- cia as mulheres. As varizes identificam-se por estarem dilatadas e com um aspecto que lembra uma mas- sa retorcida.
  33. 33. VARIZES As varizes podem originar algumas complica- ções como: flebites ( coagulação do sangue no interior da veia) e úlceras varicosas ( fe- ridas).
  34. 34. COLESTEROL Fluxo de Sangue reduzido Artéria Obstruída O colesterol é uma substância indispensável ao nosso organismo , que é fabricado por ele e que está presente em certos alimentos que ingerimos. Quando o nível de colesterol é elevado no sangue , prejudica o organismo . Deposita-se nas arté- rias , provocando doenças circula- tórias . Lipoproteínas Ateroma
  35. 35. Para remediar ...
  36. 36. OBESIDADE
  37. 37. OBESIDADE INFANTIL
  38. 38. O QUE PROVOCA A OBESIDADE ?
  39. 39. OBESIDADE MÓRBIDA A obesidade é definida como um excesso de gordura acumu- lada no corpo . Quando este ex- cesso de gordura atinge grandes proporções , passa a ser chama- da de obesidade mórbida .
  40. 40. OBESIDADE MÓRBIDA Os obesos mórbidos têm algumas limitações na realização das suas actividades diárias .
  41. 41. TRATAMENTO CIRÚRGICO BALÃO GÁSTRICO BANDA GÁSTRICA IMC= PESO:( ALTX ALT) Índice de massa corpórea Super obesidade > ou = 50 Obesidade MÓRBIDA 40-49,9 Obesidade moderada 30-39,9 Obesidade leve 25-29,9 Peso normal 18-24,9 Abaixo do peso < 18,5 Classificação IMC (Kg / m²)
  42. 42. … APÓS A CIRURGIA
  43. 43. QUE FAZER ?
  44. 44. SABER MAIS ...
  45. 45. TESTE DO PÉZINHO
  46. 46. TESTE DO PÉZINHO Algumas crianças nascem com doenças graves que clinicamente são muito difíceis de diagnosti – car nas primeiras semanas de vi- da . A partir do 3ºdia (Programa Nacional de Diagnóstico Precoce-1979) DOENÇAS: Fenilcetonúria (FCN) Hipotireoidismo (HC)
  47. 47. TRANSPLANTE CARDÍACO
  48. 48. TRANSPLANTE CARDÍACO O transplante cardíaco é uma técnica cirúrgica que implanta um coração saudá- vel para substituir ou auxiliar o coração do- ente. O médico sul-africano Christian Barnard fez o primeiro transplan- te de coração.
  49. 49. TRANSPLANTE CARDÍACO Factores de Risco --- infecções; --- possibilidade de o novo coração ser rejeitado pelo organismo do paci- ente . Um coração aguenta sem funcionar 4 horas. Durante este tempo, ele tem de ser retira- do ao doador , transportado até ao hospital e colocado no receptor .
  50. 50. TRANSPLANTE CARDÍACO Os receptores podem ser recém-nascidos e idosos com mais de 70 anos.
  51. 51. CORAÇÃO ARTIFICIAL Testado em animais 2 de Julho de 2001 AbioCor
  52. 52. PACEMAKER
  53. 53. PACEMAKER O avanço da tecnologia permitiu instalar marca-passos (pacemakers) em pacientes que pre- cisem de regular o batimento cardíaco .
  54. 54. PACEMAKER
  55. 55. ANGIOPLASTIA
  56. 56. ANGIOPLASTIA Introdução de um cateter (tubo) contendo um balão vazio , através da artéria da perna , na artéria coronária afectada . Enche o balão de ar , alargando a artéria e aumentando o fluxo sanguíneo .
  57. 57. BYPASS
  58. 58. BYPASS ( REVASCULARIZAÇÃO MIOCÁRDIA) Termo em inglês usado para designar uma cirurgia que utiliza um enxerto ( veia, ar- téria ou enxerto artificial ) para desviar o sangue de alguma área bloqueada da ar- téria coronária doente.
  59. 59. BYPASS
  60. 60. ELECTROCARDIOGRAMA
  61. 61. ELECTROCARDIOGRAMA Exame médico na área da cardiologia onde é feito o registo da variação dos potenciais eléctricos gerados pela acti- vidade eléctrica do coração. O aparelho que regista o electrocardio- grama tem o nome de electrocardiógrafo .
  62. 62. PROVA DE ESFORÇO
  63. 63. PROVA DE ESFORÇO O bem-estar do coração pode ser avaliado por um electrocardiograma de esforço , que regista a activida- de eléctrica no interior do coração enquanto o paciente caminha sobre um tapete rolante . A velocidade vai aumentando e exi- gindo um maior esforço ao coração . Em caso de problema cardíaco ocor- re alteração no gráfico.
  64. 64. SISTEMA HOLTER
  65. 65. SISTEMA HOLTER Permite a gravação do electrocardio- grama por um período de 24h com o paciente desempenhando as suas acti- vidades do dia-a-dia.
  66. 66. CIRURGIA VALVULAR
  67. 67. CIRURGIA VALVULAR Entre as cavidades do cora- ção existem válvulas que se abrem e fecham para deixar o sangue circular. A cirurgia valvular consiste na implantação de uma nova válvula no coração. Esta po- de ser de origem animal , hu- mana ou artificial .
  68. 68. FIBRILHAÇÃO
  69. 69. FIBRILHAÇÃO A fibrilhação é um tipo de arritmia cardíaca . É uma situação patológica em que a progres- são do estímulo da aurícula não chega a en – trar no ventrículo , formando como que um ciclo dentro da própria aurícula . A aurícula contrai-se constantemente sem ha- ver contracção do ventrículo .
  70. 70. FIBRILHAÇÃO Como os ventrículos não conseguem bombear o sangue ocorre uma para- gem cardíaca . O desfibrilhador é um aparelho que, através de duas placas metálicas, aplica um breve choque eléctrico ao coração , tentando re- por as contracções normais.
  71. 71. HEMOFILIA
  72. 72. HEMOFILIA Os portadores de hemofilia apre- sentam dificuldades no processo de coagulação do sangue , portanto estão constantemente sujeitos a hemorragias . A hemofilia é uma doença hereditária . Não há cura para esta doença, contro- la-se com injecções regulares dos facto- res de coagulação deficientes .
  73. 73. SOPRO NO CORAÇÃO
  74. 74.       SOPRO NO CORAÇÃO Um sopro no coração é um som anormal produzido pelo refluxo de sangue turbu- lento dentro deste órgão. CAUSA S: -- anormalidade das válvulas; -- problemas congé- nitos; -- inflamações
  75. 75. GRUPOS SANGUÍNEOS
  76. 76. GRUPOS SANGUÍNEOS Em 1900, o austríaco Karl Landsteiner, classi- ficou o sangue em 4 grupos: A, B, AB e O. DIAGRAMA DA COMPATIBILIDADE
  77. 77. MEDULA ÓSSEA
  78. 78. O que é a medula óssea? Zona encarnada que fi- ca no interior dos ossos ( vulgarmente chamado tutano ). É um tecido mole espon- joso localizado no interi- or dos ossos longos. A medula vermelha é res- ponsável pela formação das células sanguíneas.
  79. 79. O que é um transplante de medula óssea? Tratamento usado na cura de algumas doenças malignas* que afectam as células sanguíneas. A medula óssea doente é subs- tituída por células normais de medula óssea. * Anemia Aplástica grave Leucemia (alguns tipos)
  80. 80. O que é a compatibilidade? Para que se realize um transplante de medula é necessário que haja uma total compatibilida- de das medulas entre doador e receptor . CASO CONTRÁRIO A medula será rejeitada. Osso ilíaco
  81. 81. Transplante de células do sangue do cordão umbilical. Durante anos, todo o material expelido durante o parto era simplesmente deitado fora. Pla- centa, líquido amniótico e o san- gue do cordão umbilical. Hoje, com os avanços da medicina , descobriu-se que o sangue do cordão umbilical contém uma grande quantida- de das famosas células-tronco , que po- dem transformar-se em diversos tecidos e órgãos. Cordão umbilical
  82. 82. O que é a Leucemia? Tipo de cancro que afecta a função e a veloci- dade de crescimento dos glóbulos brancos (leu- cócitos). O transplante surge com uma forma de tratamento complementar aos tra- tamentos convencionais. Entre os 18 e os 45 anos ( 10ml de sangue )
  83. 83. SISTEMAS CIRCULATÓRIOS DE OUTROS ANIMAIS
  84. 84. GAFANHOTO Tem um sistema circulatório aberto . Possui apenas um vaso dorsal. O sangue vindo do corpo entra nos corações através de pequenas aber- turas laterais . Mais tarde o sangue é bombeado para o vaso dorsal até à ca- beça , saindo depois para todos os tecidos.
  85. 85. MINHOCA O sistema circulatório é fechado . O sangue circula de trás para di- ante num vaso dorsal e de diante para trás num vaso ventral. Estes ligam-se por rami- ficações laterais que,per- to da cabeça, apresen- tam cinco corações late- rais que impulsionam o sangue.
  86. 86. PEIXE O sistema circulatório é fechado . O sangue circula em vasos sanguí- neos, passando apenas uma vez pelo coração , o que se denomina circulação simples. No coração só circula sangue venoso que é enviado para as guel- ras transformando-se em arterial . Este é levado a todo o corpo, voltando venoso ao coração.
  87. 87. FIM

×