Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Projeto de desenho apresentação

1,516 views

Published on

Projeto em Arte educação

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Projeto de desenho apresentação

  1. 1. DESENHO INFANTIL: Desvios e Alterações no Processo Criativo Autor: Rose Aparecida da Silva Arte-Educadora Currículo Lattes BAURU 2012
  2. 2. Entendemos o desenho como sendo a arte de pensar através de traços, também uma manifestação conceitual fundamental para a formação humana e ferramenta de reflexão e sensibilidade No entanto, a linguagem gráfica foi no decorrer dos tempos, sendo substituída por outras atividades, por outras áreas do conhecimento. A nossa inquietação foi a seguinte:  Será possível reverter esse processo? Pensamos que aprendendo a desenhar, as pessoas passem a ver a vida de forma diferente, de forma global, simultânea e intuitiva. Adquirindo assim um nível de consciência profunda em que a racionalidade e a sensibilidade trabalhem juntas, de forma concomitante e cooperativamente.
  3. 3.  Perceber as conexões, que abrangem formas, cores, volumes, texturas, perspectivas, jogos de luz e sombra; que vão se desencadeando, no complexo processo da percepção visual  Compreender o desenho como sendo instrumento que permite ao indivíduo comunicar um pensamento, uma ideia, um conceito.
  4. 4.  Inicialmente enfocamos na concepção de desenho enquanto linguagem e como forma de educação. Para tanto foram estudadas as ideias de Tiburi, Edwards, Cotrim, Ostrower, Barbosa e Dworecki. Também mudando a forma de ver o desenho na vida, segundo estudos de Arheim e analogias de Rubem Alves. Dando enfoque na perspectiva sócio-cultural de Vigotsky e sua forma de pensar o desenvolvimento gráfico na infância e adolescência.
  5. 5.    O desenho primeira forma do ser humano manifestar seu entendimento do mundo Desenho é intenção, meta, propósito, é um plano que se concretiza. Não é coordenação motora, mas fruto do aprimoramento da percepção e da inteligência. Pessoas que desenham costumam enxergar o mundo de forma mais minuciosa, numa relação íntima entre o observador e a paisagem que contempla. Imagem1- Zé Otávio
  6. 6. Linguagem:   códigos pelos quais se comunicam a cultura e o conhecimento de um povo. Esses códigos são organizados dentro de uma logicidade própria de cada cultura proporcionando a interação na sociedade. Desenho:  composição de vários elementos plásticos que organizados transmitem uma produção de sentido, que permite ao indivíduo comunicar um pensamento, uma ideia, um conceito. Quanto maior a possibilidade de interpretação dessas informações, maior a comunicação.
  7. 7. insegurança Abandono do desenho moldes que ensinam como se faz Arte “corretament e” Desenho geométrico Laissez- faire
  8. 8. Aguçar mudança de hábitos percepção desconstruir pré-conceitos estereotipados Criatividade e desenho frutos de Arte pensante
  9. 9. O ver é compreender. (ARHEIM. 2005, p.39)         Ensinar a ver é: ensinar a conhecer, ensinar a explorar o mundo pelo olhar, apreender e compreendê-lo; quem compreende o que vê: cria novas possibilidades, inventa novas saídas, percebe o mundo de forma global; Imagem 2 – acervo pessoal
  10. 10. Desenhar na infância significa:  brincar, ela brinca com seus desenhos.  Gestualidade;  Prazer;  Comunicação;  Transitar livremente entre o imaginário e o real;  pura satisfação pessoal. Imagem3- google imagens
  11. 11. a criança amadurece:  Não incentivo  Adestramento motor gráfico  Crítica pessoal e social da produção gráfica  Perca do desejo do acesso ao desenho Desenho = velhos brinquedos empoeirados guardados no fundo dos baús  Imagem4 – Ricardo Antunes
  12. 12. Edwards DWORECKI aprender a desenhar:  aprender a ver de um modo diferente,  reeducar o sistema visual espacial,  estreitamente ligado ao processo criativo e ao ato de ver. Desenho:  instrumento de imersão no universo criativo  percurso de contínua experimentação e pesquisa da representação de formas através de traços.  Sugere a redescoberta do traço ao gesto
  13. 13.     O desenho é uma fazer criativo muita vezes não compreendido, faz parte de o senso comum, afirmar que desenhar é dom, um fazer desprovido de intelectualidade, coisa de criança ou de especialistas. O desenho é relegado a um fazer manual que não envolve o pensamento, o que o torna uma linguagem muitas vezes não desenvolvida pelas pessoas. Basta olhar e conseguir ver, adestrar o traço através de técnicas motoras repetitivas, ou promover desenhos através de desenhos livres, frutos de um espontaneísmo sem critérios, é desrespeitar o desenvolvimento cognitivo da criança. É impedir-lhe de desenvolver-se na sua plenitude intelectual. O desenho é muito mais que a ação das mãos é a ação do olhar, é linguagem, é uma forma de manifestar e de comunicar um pensamento; a mais antiga forma de comunicação plástica da humanidade. O desenho como linguagem é fruto de um conhecimento constituído a partir de experimentações, acertos e erros, trata-se de um fazer global de apropriação de mundo, estreitamente ligado ao processo criativo, ao ato de ver e ao pensamento.
  14. 14.  ARNHEIM, Rudolf. Arte e Percepção Visual: Uma psicologia da visão criadora: nova versão / Rudolf Arnheim; trad. Ivone Terezinha de Faria. São Paulo : Pioneira Thomson Learning.2005.  ANDRADE, Maria. Método de Redação Científica: Elaboração do TCC passo a passo. São Paulo: Factash, 2007.  BARBOSA, Ana Mae. Ed. Perspectiva. 4ºed. 2001  COTRIM, Gilberto. Fundamentos da Filosofia. Gilberto Cotrim, Mirna Fernandes. 1 ed.. São Paulo: Saraiva, 2010  DERDYK, Edith. Formas de pensar o desenho: desenvolvimento do grafismo infantil. São Paulo, Scipione, 1989.  DWORECKI, Silvio. Em Busca do Traço Perdido. São Paulo. Scipione.  EDWARDS, Betty. Desenhando Com o Artista Interior. Trad. Maria Cristina Guimarães Cupertino. São Paulo: Claridade.2002.  FERREIRA. Sueli. Imaginação e Linguagem no Desenho da Criança. Campinas, SP: Papirus, 3ª Ed. 2003. ( Coleção Papirus Educação)  IAVELBERG, Rosa. O Desenho Cultivado da Criança. São Paulo: Zouk, 2007.  MEREDIÉU, Florence de. O Desenho Infantil. Trad. Álvaro Lorencini, Sandra M. Nutrini.11.ed. São Paulo: Cutrix, 2006.  MOREIRA, Ana Angélica Albano. O Espaço Do Desenho: A Educação Do Educador. Col. Espaço. Ed. Loyola. São Paulo.1984. 12ª Edição. 2008.  TIBURI, Márcia. Diálogo/Desenho. Marcia Tiburi, Fernando Chuí. São Paulo. Ed.Senac. São Paulo. 2010.  VYGOTSKY, L. S. La Imaginacion Y El Arte En La Infancia (Ensayo Psicologico). S. de C.V, Hipanicos-Ediciones Y Distribuciones, 1989  São Paulo ( Estado) Secretaria da Educação. Currículo do Estado de São Paulo: Linguagens, códigos e suas tecnologias/secretaria da Educação; coordenação geral, Maria Inês Fini; coordenação de área, Alice Vieira. São Paulo : SEE, 2010  ALVES, Rubem. A Complicada Arte de Ver. Disponível em: www.rubemalves.com.br Acesso em: 12/10/2011. EDUSP.1998

×