Blocos economicos

32,372 views

Published on

Neste DataShow são apresentados

Blocos economicos

  1. 1. Blocos Econômicos Professor: Rosemildo Lima
  2. 2. O que são os blocos econômicos? <ul><li>Trata-se de uma nova forma de regionalização do espaço mundial. </li></ul><ul><li>No atual contexto econômico e geopolítico mundial existe uma necessidade premente dos estados nacionais em construírem estratégias que visam: </li></ul><ul><li>tornar suas economias mais estáveis e competitivas; </li></ul><ul><li>unificar as operações monetárias (União Européia); </li></ul><ul><li>formalizar de acordos de cooperação entre os membros; </li></ul><ul><li>ampliar as trocas comerciais entre os membros; </li></ul><ul><li>estimular as atividades empresariais, pois facilitam o ciclo de reprodução do capital em escala regional; </li></ul><ul><li>buscar inserção competitiva no âmbito da globalização. </li></ul>
  3. 3. a) Teoria dos blocos regionais: os três grandes blocos dividiriam o mundo entre si (fechamento, competição e rivalidade) protecionismo e guerras comerciais. TEORIA SOBRE OS MERCADOS REGIONAIS
  4. 4. <ul><li>b) Teoria da globalização via mercados regionais : interligação dos blocos como uma etapa para a globalização. Nesta concepção, os mercados menores (sub-regionais) seriam integrados aos maiores (megablocos). Atualmente é a teoria mais aceita. </li></ul>TEORIA SOBRE OS MERCADOS REGIONAIS
  5. 5. TIPOLOGIA (ETAPAS): <ul><ul><li>Zona de Livre Comércio: região em que as mercadorias provenientes dos países membros podem circular livremente. Nessa zona livre, as tarifas alfandegárias são eliminadas e há flexibilidade nos padrões de produção, controle sanitário e de fronteiras. </li></ul></ul><ul><ul><li>União Aduaneira: além da zona de livre comércio, essa etapa envolve a negociação de tarifas alfandegárias comuns para o comércio realizado com os outros países. O Mercosul se encontra nesse estágio do processo. </li></ul></ul><ul><ul><li>Mercado Comum: engloba as duas fases anteriores e acrescenta a livre circulação de pessoas, serviços e capitais. </li></ul></ul><ul><ul><li>União Monetária: pressupõe a existência de um mercado comum em pleno funcionamento. Consiste na coordenação das políticas econômicas dos países membros e na criação de um único banco central para emitir a moeda que será utilizada por todos eles. </li></ul></ul><ul><ul><li>União Política: engloba todas as anteriores e envolve também a unificação das políticas de relações internacionais, defesa, segurança interna (terrorismo, narcotráfico) e segurança externa (guerras). </li></ul></ul>
  6. 6. Principias Blocos Econômicos
  7. 7. NAFTA
  8. 8. O QUE É? <ul><li>N.A.F.T.A.: sigla que significa Acordo de Livre Comércio da América do Norte (North American Free Trade Agreement). </li></ul><ul><li>Instrumento de integração entre a economia dos países participantes. </li></ul>
  9. 9. PROPOSTA PRINCIPAL <ul><li>Estabelece a supressão gradual de tarifas alfandegárias e outras barreiras, da maioria dos produtos fabricados ou vendidos na América do Norte. </li></ul><ul><li>Elimina barreiras para investimentos internacionais. </li></ul><ul><li>Limita-se à livre circulação de mercadorias entre os países membros. </li></ul>
  10. 10. PAÍSES MEMBROS E FUNDAÇÃO <ul><li>Canadá, Estados Unidos e México. </li></ul><ul><li>O primeiro passo para a NAFTA foi o tratado de livre comércio assinado por norte americanos e canadenses em 1988, ao qual os mexicanos aderiram em 1993. </li></ul><ul><li>Em janeiro de 1994, a fundação da NAFTA vem para consolidar o intenso comércio e concorrer com a União Européia. </li></ul>
  11. 11. Números do NAFTA
  12. 12. ORIGEM <ul><li>Contexto: </li></ul><ul><li>– estratégia dos EUA para fortalecer sua economia no cenário do pós-Guerra Fria, devido a concorrência com as potências européias (Alemanha) e da Bacia do Pacífico (Japão) </li></ul><ul><li>– assegurar sua influência sobre a periferia imediata (Canadá) e sobre os países da América Latina (México). </li></ul><ul><li>– fracasso da política de “Iniciativa para as Américas” proposta por George Bush em 1990  criação de uma zona de livre comércio no continente americano, “do Alasca à Patagônia”. </li></ul><ul><li>Histórico: </li></ul><ul><li>– o American Free Trade Agreement foi assinado em 1992 pelos EUA, Canadá e México. </li></ul>
  13. 13. Objetivos <ul><li>– a instalação de uma zona de livre comércio entre EUA, Canadá e México, a partir da redução de barreiras alfandegárias e o investimento de capitais dos EUA (e do Canadá em menor escala) no México. </li></ul><ul><li>– possui uma finalidade (implícita) de diminuir e/ou impedir a imigração ilegal de mexicanos no país. Ao contrário da União Européia, o Nafta não prevê a livre circulação de trabalhadores </li></ul>
  14. 14. A MIGRAÇÃO Clandestina para os EUA
  15. 15. CONSEQUÊNCIAS <ul><li>– maior facilidade para a transferência de indústrias norte-americanas para o México (principalmente as maquiladoras). </li></ul><ul><li>– aumento do desemprego nos EUA em função da desativação de várias empresas nos EUA e que serão instaladas no México. </li></ul><ul><li>– maior penetração dos produtos americanos e canadenses no grande mercado consumidor mexicano. </li></ul><ul><li>– maior crescimento da economia mexicana, pela instalação das multinacionais americanas na fronteira norte do México, o que aumenta a desigualdade interna. </li></ul><ul><li>ao avanço da agroindústria dos EUA, o que tem provocado a reação dos camponeses através da guerrilha em Chiapas. </li></ul>
  16. 16. Desigualdades econômicas, políticas e demográficas entre os países-membros. <ul><li>Como principais desigualdades podemos citar: </li></ul><ul><li>Desigual distribuição interna da população  cerca de 70% da população do Nafta vive nos EUA, aproximadamente 23% no México e apenas 7% no Canadá. </li></ul><ul><li>Ritmo de crescimento demográfico diferenciado  o índice do crescimento vegetativo é baixo nos EUA e no Canadá, enquanto as taxas do México são elevadas. </li></ul><ul><li>Desigualdades sociais  o padrão de vida dos trabalhadores mexicanos é muito inferior ao dos norte-americanos e canadenses. </li></ul><ul><li>Desnível no setor agropecuário. </li></ul>
  17. 17. PONTOS NEGATIVOS <ul><li>Falta de infra-estrutura adequada para o transporte de produtos, que provoca prejuízos. </li></ul><ul><li>Beneficia única e exclusivamente as corporações multinacionais, especialmente a dos EUA. </li></ul><ul><li>Exploração norte-americana da mão-de-obra mexicana. </li></ul><ul><li>Com decorrência da falta de oportunidades cresce o número dos melhores cérebros que buscam seu futuro nos EUA. </li></ul><ul><li>Com a economia crescendo, todas as riquezas ficam concentradas num pequeno grupo, gerando pobreza nos demais. </li></ul><ul><li>O Canadá e o México dependem totalmente dos EUA. </li></ul><ul><li>Apesar de toda propaganda da mídia internacional, o México não ganha absolutamente nada com a vigência do NAFTA. </li></ul><ul><li>A agricultura mexicana perde a força e 6 milhões de lavradores mexicanos perdem suas terras e ocupações </li></ul>
  18. 18. RELAÇÃO COM O BRASIL <ul><li>Produtos brasileiros enfrentam mais dificuldades para entrar nos países da NAFTA, em especial o EUA que é um dos principais importadores dos produtos brasileiros. </li></ul>

×