Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
11 - Juntas Rebitadas e Soldadas
UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS - UFAM
ENGENHARIA MECÂNICA
ELEMENTOS DE MÁQUINA I
DISCEN...
 11.2 – Rebites
 11.3 – Processos de Soldagem
 11.4 – Juntas Soldadas Sujeitas a Carregamento Estático Axial e
Cisalham...
11.3 Rebites
• Jefté Alves- 21457799
11.2 Rebites
 Os rebites são peças fabricadas em aço,
alumínio, cobre ou latão.
 Unem rigidamente peças ou chapas,
princ...
 NBR 9580 – Rebites – Especificação.
 NBR 9587/1986 – Rebites com cabeça redonda de
diâmentro Nominal de 10 mm a 36 mm –...
 A análise das tensões de tração e de cisalhamento
transversal atuantes nos rebites é comparável com
aquela utilizada par...
 Enquanto o desenvolvimento de modernos equipamentos de
soldagem tem reduzido a importância dos rebites nas aplicações
es...
 Os rebites são mais baratos do que os parafusos.
 Máquinas de rebitagem a alta velocidade - algumas das quais
produzind...
 Em alguns casos eles impedem uma desmontagem
e uma manutenção que seriam desejadas.
 Em geral, um rebite não propicia u...
Tipos de Rebite: Tubular
Tipos de Rebite: Cegos
11.3 Processos de Soldagem
• Rodrigo Meireles de Freitas - 21457798
Soldagem
 “Processo de união de materiais usado para obter a coalescência localizada
de metais e não-metais, produzida po...
 Coalescência entre metais pelo aquecimento
deste com um arco elétrico estabelecido entre
um eletrodo metálico revestido ...
 Em geral automático soldas de alta qualidade e
velocidade.
 Eletrodo consumível não revestido
 Ar – Alumínio / CO2 - A...
 Eletrodo Tungstênio não consumível;
 Proteção à gás He, Ar.
 Pode ser totalmente automatizado.
Soldagem a arco gás-tun...
 Similar ao MAG, proteção interna;
 Proteção complementar à gás CO2;
 Aplicação Indústria naval e nuclear.
Soldagem a a...
 Fluxo granular externo, na região de trabalho;
 Eletrodo, camada de fluxo e Metal base;
 Usado na fabricação de vasos ...
 Controle total sobre a entrada de calor;
 Com ou sem metal de adição;
 Baixa produtividade, aplicação industrial
restr...
11.4 Juntas Soldadas Sujeitas a
Carregamento Estático Axial e
Cisalhamento Direto
• Rodrigo Meireles de Freitas - 21457798
 Expansões e contrações diferenciais, variações nas forças de fixação e variações na resistência
ao escoamento com a temp...
 Soldagem é união de materiais por fusão, formando um
único componente homogêneo.
 Eletrodo com as mesmas característica...
 Soldas Paralelo, cargas de cisalhamento;
 Transversal, uma de cisalhamento e uma de tração;
Soldas por Filete
 Tensão cisalhante atuante na seção mais estreita;
 t menor distância medida a partir da intersecção das placas, une as ...
Questão 11.1
𝐹 =
𝑆 𝑥𝑦
𝐴
𝐹𝑆
 FIM.
Elementos de Máquina I - 11 Rebites e Juntas Soldadas
Elementos de Máquina I - 11 Rebites e Juntas Soldadas
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Elementos de Máquina I - 11 Rebites e Juntas Soldadas

8,015 views

Published on

Apresentação sobre o capítulo 11 - Juntas Rebitadas, Soldadas e Coladas do livro Fundamento do Projeto de Componentes de Máquinas,

Diferentemente dos Parafusos de Potência e Elementos de Fixação Rosqueados, Rebitagem e Soldagem são formas de fixação permanente de componentes mecânicos.

Disciplina: Elementos de Máquina I
Curso: Engenharia Mecânica
UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS – UFAM

Published in: Engineering
  • Be the first to like this

Elementos de Máquina I - 11 Rebites e Juntas Soldadas

  1. 1. 11 - Juntas Rebitadas e Soldadas UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS - UFAM ENGENHARIA MECÂNICA ELEMENTOS DE MÁQUINA I DISCENTES: JEFTE ALVES RODRIGO MEIRELES
  2. 2.  11.2 – Rebites  11.3 – Processos de Soldagem  11.4 – Juntas Soldadas Sujeitas a Carregamento Estático Axial e Cisalhamento Direto 1.1 Introdução
  3. 3. 11.3 Rebites • Jefté Alves- 21457799
  4. 4. 11.2 Rebites  Os rebites são peças fabricadas em aço, alumínio, cobre ou latão.  Unem rigidamente peças ou chapas, principalmente, em estruturas metálicas, de reservatórios, caldeiras, máquinas, navios, aviões, veículos de transporte e treliças.
  5. 5.  NBR 9580 – Rebites – Especificação.  NBR 9587/1986 – Rebites com cabeça redonda de diâmentro Nominal de 10 mm a 36 mm – Dimensões e Material.  NBR 8395/2008 – Aluminio e sua ligas – Barras e arames para a fabricação de rebites, parafusos e similares por recalque a frio. Normas para Rebites
  6. 6.  A análise das tensões de tração e de cisalhamento transversal atuantes nos rebites é comparável com aquela utilizada para os parafusos na Seção 10.4.  Pré-cargas iniciais relativamente altas são aplicadas aos rebites durante sua instalação, deixando-os, por vezes, avermelhados pelo calor dissipado na operação. Analise das Tensões de Tração e de Cisalhamento Transversal
  7. 7.  Enquanto o desenvolvimento de modernos equipamentos de soldagem tem reduzido a importância dos rebites nas aplicações estruturais de grande porte, o desenvolvimento de modernas máquinas de rebitagem tem expandido de forma significativa seu uso na fixação de componentes menores em uma grande variedade e produtos industriais associados às áreas automotiva, de aparelhos eletrodomésticos, eletrônica, mobiliária, máquinas de escritório e outras. Os rebites têm, com frequência, substituído os elementos rosqueados nessas aplicações, tendo em vista seu menor custo de instalação. Rebite x Solda Rebite x Parafuso
  8. 8.  Os rebites são mais baratos do que os parafusos.  Máquinas de rebitagem a alta velocidade - algumas das quais produzindo mais de 1000 uniões por hora propiciam a montagem de conjuntos a baixo custo.  Os rebites também podem servir como eixo pivô, Contatos Elétricos, Guia de Contato, Batente.  Comparado a elementos de fixação rosqueados, os rebites não são Susceptíveis ao desparafusamento involuntário. Pontos Positivos
  9. 9.  Em alguns casos eles impedem uma desmontagem e uma manutenção que seriam desejadas.  Em geral, um rebite não propicia uma união tão forte quanto um parafuso do mesmo diâmetro. Pontos Negativos
  10. 10. Tipos de Rebite: Tubular
  11. 11. Tipos de Rebite: Cegos
  12. 12. 11.3 Processos de Soldagem • Rodrigo Meireles de Freitas - 21457798
  13. 13. Soldagem  “Processo de união de materiais usado para obter a coalescência localizada de metais e não-metais, produzida por aquecimento até uma temperatura adequada, com ou sem a utilização de pressão e/ou metal de adição.” - AWS
  14. 14.  Coalescência entre metais pelo aquecimento deste com um arco elétrico estabelecido entre um eletrodo metálico revestido e a peça que está sendo soldada.  Eletrodo Consumível Soldagem a Arco com metal protegido Equipamentos Desenho esquemático
  15. 15.  Em geral automático soldas de alta qualidade e velocidade.  Eletrodo consumível não revestido  Ar – Alumínio / CO2 - Aços Soldagem a arco gás-metal Soldagem MIG/MAG Metal de base Equipamentos
  16. 16.  Eletrodo Tungstênio não consumível;  Proteção à gás He, Ar.  Pode ser totalmente automatizado. Soldagem a arco gás-tungstênio Soldagem TIG Tungsten-Inert gás
  17. 17.  Similar ao MAG, proteção interna;  Proteção complementar à gás CO2;  Aplicação Indústria naval e nuclear. Soldagem a arco com fluxo nucleado Seção transversal de um Arame tubular
  18. 18.  Fluxo granular externo, na região de trabalho;  Eletrodo, camada de fluxo e Metal base;  Usado na fabricação de vasos de pressão, e navios e barcos. Soldagem a arco submerso Equipamentos Arco Submerso
  19. 19.  Controle total sobre a entrada de calor;  Com ou sem metal de adição;  Baixa produtividade, aplicação industrial restrita. Soldagem a gás Equipamentos Oxi-acetileno
  20. 20. 11.4 Juntas Soldadas Sujeitas a Carregamento Estático Axial e Cisalhamento Direto • Rodrigo Meireles de Freitas - 21457798
  21. 21.  Expansões e contrações diferenciais, variações nas forças de fixação e variações na resistência ao escoamento com a temperatura.  Material de alimentação deve ter as mesmas características do metal de base.  Soldagem aplicada a Construção de Edifícios e vasos de pressão, normas específicadas. Juntas Soldadas
  22. 22.  Soldagem é união de materiais por fusão, formando um único componente homogêneo.  Eletrodo com as mesmas características de resistência e ductilidade.  Exemplo: 70 no Eletrodo indica a Resistência a Tração.  XX detalhes do processo de soldagem, posição de soldagem tipo de revestimento e corrente. Material da Junta
  23. 23.  Soldas Paralelo, cargas de cisalhamento;  Transversal, uma de cisalhamento e uma de tração; Soldas por Filete
  24. 24.  Tensão cisalhante atuante na seção mais estreita;  t menor distância medida a partir da intersecção das placas, une as extremidades.  L comprimento da solda; Área para cálculo da tensão na solda = tL;  A = 0,707 h 2 L Soldas por Filete
  25. 25. Questão 11.1 𝐹 = 𝑆 𝑥𝑦 𝐴 𝐹𝑆
  26. 26.  FIM.

×