vigilância, tecnologia, espaço e cidade

1,603 views

Published on

As ideias de realidade ampliada e espaço ampliado têm sido relacionadas à difusão do uso de tecnologias sofisticadas. Isso também pode ser descrito como uma intensificação de nossas capacidades comunicativas, o que tem sido relacionado às (aparentes) infinitas possibilidades de experimentação e percepção do espaço por nossos corpos e mentes, enquanto conectados a ferramentas tecnológicas. Entretanto, ao contrário de experiências de ampliação passadas, em termos individuais (como a religião, a magia, metafísica, as artes, as drogas, etc), a ampliação tecnológica contemporânea tem se incorporado à nossa vida cotidiana, de tal forma que começamos a perder as noções de distinção entre as tecnologias digitais (que se tornam infiltradas, cada vez mais miniaturizadas) e o ambiente construído. Nesta breve apresentação, serão discutidas algumas características do espaço, do território e dos lugares contemporâneos, transformados por essas ampliações das nossas capacidades de interação (entre nós mesmos e com o meio), tendo como foco, ou possíveis manifestações, o uso intensivo de tecnologias cada vez mais infiltradas (cada vez menores e mais invisíveis) e, consequentemente, a intensificação das formas de controle e vigilância do espaço urbano.

Published in: Technology, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,603
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
10
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

vigilância, tecnologia, espaço e cidade

  1. 1. rodrigo firmino<br />professor associado – gestão urbana (PUCPR)<br />www.twitter.com/rodrigo_firmino<br />
  2. 2. programa…<br />projeto 1 . as tecnologias infiltradas na cidade ampliada: vigilância e controle do espaço contemporâneo<br />projeto 2.a influência das TICs no território da cidade ampliada: o desenvolvimento tecnológico e a forma urbana<br />projeto 3 . o pensar e o planejar da cidade ampliada: tradução de urbano em cidade na sociedade contemporânea<br />temas…<br />.espaço ampliado<br />.tecnologias miniaturizadas e infiltradas<br />.a ideia de ambientes responsivos/reativos/inteligentes<br />.vigilância<br />. arquitetura + urbanismo + segurança + crime + medo<br />
  3. 3. objetivos…<br />. estudo e sistematização teórico-conceitual das questões ligadas à vigilância e controle, e seus desdobramentos no espaço urbano;<br />. compreender o fenômeno crescente das chamadas tecnologias infiltradas na formação do espaço nas cidades, e o relacionamento dessas tecnologias com a possibilidade de constituição da cidade ampliada;<br />.compreender as formas pelas quais vigilância e controlese aplicam à construção, planejamento, gestão e uso do espaço urbano.<br />
  4. 4. espaço ampliado?<br />
  5. 5. espaço x território?<br />
  6. 6. espaço segue a função?<br />
  7. 7. espaço cognitivo?<br />
  8. 8. espaço x cultura?<br />
  9. 9. espaço invisível?<br />
  10. 10. lugar<br />porção do espaço apropriada por valores culturais compartilhados, não impostos<br />ny, brooklyn. a construção do lugar<br />
  11. 11. território<br />porção do espaço imantada por valores culturais compartilhados na busca do controle<br />caaba, meca. a construção do território<br />
  12. 12. computação ubíqua<br />realidade virtual<br />espaço ampliado?<br />TICs – o grupo de tecnologias mais “invasivo” de todos os tempos!<br />[tudo tende a ter um microchip]<br />computação ubíqua(Mark Weiser)<br />
  13. 13. era dos mainframes<br />
  14. 14. era dos PCs<br />
  15. 15. era da ubicomp<br />
  16. 16. 4 possíveis implicações ao espaço urbano (Dana Cuff):<br />1. espaço cada vez mais controlado e “controlável”<br />2. “what was solid and opaque becomes transparent, yet what makes the hidden accessible is itself invisible”<br />3. complexificação ideológica e conceitual sobre o que possa significar público e privado na cidade<br />4. altera as noções de cidadania e privacidade<br />CYBURG. “If cyberspace is dematerialized space, the cyburg is spatially embodied computing, or an environment saturated with computing capability”<br />
  17. 17. congestion charge (Londres)<br />
  18. 18. Patriot Act, illustration by Wiretap Studios<br />
  19. 19. a ideia de cyburg implica…<br />. bases de dados para reconhecimento e busca de indivíduos ou grupos, “objetos de interesse”<br />. ubicomp e a promessa do always-on, redes onipresentes<br />. espaços arquitetônicos e urbanos tornam-se entidades vívidas, continuamente animadas, ambientes inteligentes<br />. calculative backgroundou espaço ampliado onde computadores fazem parte das coisas e tarefas mais ordinárias<br />
  20. 20. tecnologias infiltradas<br />“paradoxically, ambient, ubiquitous or locative media, like all new technological systems, tend to become hidden and ‘disappear’ at precisely the moment that they become most important” (Stephen Graham)<br />“the most profound technologies are those that disappear. They weave themselves into the fabric of everyday life until they are indistinguishable from it” (Mark Weiser)<br />
  21. 21. 11/16<br />Cyburg (Dana Cuff) = recombinant architecture (William Mitchell)<br />[espaço urbano híbrido, simbiótico e cibernético]<br />“bricks and clicks” =tijolos + argamassa +bits + bytes<br />
  22. 22. Chris Oakley, “the catalogue” (www.chrisoakley.com)<br />
  23. 23. vigilância?<br />- coleta sistemática de informações com o propósito de influenciar, gerenciar, manipular ou controlar indivíduos ou grupos (David Lyon)<br />- vigilância dirigida ou em massa<br />- humana e não-humana?<br />- vigilância é “certo” ou “errado”?<br />- assistência e controle… sem transparência, e de forma invisível?<br />
  24. 24. referências conceituais…<br />.Vigilância - coleta sistemática de informações com o propósito de gerenciar, manipular, ou exercer influência e controle sobre grupos ou indivíduos (David Lyon)<br />. de Foucault (panóptico, sociedade da disciplina) à Deleuze (sociedade do controle)<br />. ‘little brothers’ x ‘big brother’...<br />. ‘sociedade do risco’ (Beck, 1992) = medo do crime (Raco, 2003)<br />. espaços urbanos fragmentados, splintering urbanism (Graham and Marvin, 2001)<br />.‘sociedades da vigilância’ (Lyon, 1994; Murakami Wood, 2006)<br />
  25. 25. vigilância e espaço?<br />uso generalizado de tecnologias invisíveis/miniaturizadas = abre diversas possibilidades de aplicação da vigilância e do controle (ambígua)<br />Influência sobre oespaço urbano:<br />.banalização da segurança e do medo (crime, terrorismo, violência)<br />.amplificação de um espaço urbano fragmentado, segregado<br />.influência sobre a definição defronteiras sociopolíticas (acesso)<br />.segurança torna-se central para governança, design e planejamento<br />qual a influência de práticas de vigilância e controle (suportados por tecnologias infiltradas) sobre os LUGARES?<br />
  26. 26.
  27. 27.
  28. 28.
  29. 29.
  30. 30.
  31. 31. renascença urbana ou uma nova estética da segurança?<br />arquitetura como uma “solução técnica”para problemas relacionados ao crime e à violência nas cidades?!<br />normativo, como um manual para o design de lugares seguros...<br />Oscar Newman (1996)<br />
  32. 32. renascença urbana ou uma nova estética da segurança?<br />
  33. 33. renascença urbana ou uma nova estética da segurança?<br />
  34. 34. “stay away!” – segregação, separação, crime e medo<br />
  35. 35. “stay away!” – segregação, separação, crime e medo<br />
  36. 36. “stay away!” – segregação, separação, crime e medo<br />
  37. 37. considerações finais…<br />. políticas urbanas e tecnológicas = novas espacialidades e temporalidades urbanas<br />. ambientes saturados de tecnologias antecipatórias (infiltradas), que delegam “agência” à sistemas invisíveis<br />. novas e velhas tecnologias e projetos reorganizando o espaço por meio de uma agenda com crescente interesse em temas como segurança, crime, medo, terror, guerra...<br />. arquitetura e urbanismo levam em consideração esses aspectos na construção de uma cidade cada vez “menos pública” e “menos aberta”, com diferentes nuances nas relações entre vigilância, tecnologia e configuração espacial…<br />
  38. 38. inversão de relações espaciais…<br />territorialização dos lugares<br />lugarização dos territórios<br />
  39. 39. “surveillance, security and social control in Latin America”<br />http://www2.pucpr.br/ssscla<br />2009<br />“identification, identity and surveillance in Latin America”<br />http://bit.ly/b8o2ow<br />2010<br />
  40. 40.
  41. 41. breve...<br />ICTs for Mobile and Ubiquitous Urban Infrastructures<br />Surveillance, Locative Media and Global Networks<br />Rodrigo Firmino, Fabio Duarte and Clovis Ultramari<br />

×