Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

IntroduçãO Ao Linux

0 views

Published on

introdução ao linux

Published in: Technology
  • Be the first to comment

IntroduçãO Ao Linux

  1. 1. Introdução ao Linux [email_address]
  2. 2. Introdução <ul><li>Introdução ao sistema operacional Linux: </li></ul><ul><li>Sistema baseado no Sistema Operacional Unix. </li></ul><ul><li>Linus Torvalds iniciou seu desenvolvimento em 1991 em um sistema operacional chamado Minix. </li></ul><ul><li>Teve como base a livre distribuição do código-fonte para alteração e melhoramento por vários desenvolvedores ao redor do mundo. </li></ul><ul><li>Unix possui várias versões: Solaris, Irix, AIX e BSD – Cada uma com sua particularidade. </li></ul><ul><li>No mundo Unix o hardware escolhe o sistema operacional – SUN -> Solaris; IBM -> AIX. </li></ul><ul><li>No mundo linux depende das características que você escolher. R$ 50,00 faz diferença para um estudante? E para uma empresa? </li></ul><ul><li>Serviços (Treinamento/Qualificação/Certificação) e Suporte são os grandes atrativos das distribuições pagas. </li></ul>
  3. 3. Requisitos de Hardware <ul><li>Servidor DNS – Pentium 133MHZ/64 MB/500 MB. </li></ul><ul><li>Servidor de Correio – Pentium 233/128 MB/4 GB (100 usuários – 20 MB por usuário). </li></ul><ul><li>Servidor de Impressão – Pentium 133MHZ/64 MB/1 GB. </li></ul><ul><li>Base de Hardware </li></ul><ul><li>Linux nos dá todos os detalhes dos periféricos instalados no equipamento, isso pode gerar confusão caso você não saiba para que precisa da informação. </li></ul><ul><li>Barramento PCI/ISA/AGP. </li></ul>
  4. 4. O que você precisa saber para poder começar a instalar? <ul><li>Característica do Disco Rígido; </li></ul><ul><li>Adaptador Ethernet; </li></ul><ul><li>Monitor de Vídeo; </li></ul><ul><li>Interface de Vídeo; </li></ul><ul><li>Processador; </li></ul><ul><li>Memória; </li></ul><ul><li>Rede: </li></ul><ul><ul><li>Endereço IP; </li></ul></ul><ul><ul><li>Mascara de Rede; </li></ul></ul><ul><ul><li>Nome do Host; </li></ul></ul><ul><ul><li>Nome do Domínio; </li></ul></ul><ul><ul><li>Endereço do DNS; </li></ul></ul><ul><ul><li>Endereço do Gateway; </li></ul></ul>
  5. 5. Quais são os métodos de instalação? <ul><li>FTP; </li></ul><ul><li>HTTP; </li></ul><ul><li>NFS; </li></ul><ul><li>SMB; </li></ul><ul><li>Disco Local; </li></ul><ul><li>CD-Rom; </li></ul>
  6. 6. Criando um disco de inicialização <ul><li>Para criar um disco de inicialização você precisa utilizar um programa chamado RAWRITE que esta no primeiro disco de instalação da distribuição. </li></ul>
  7. 7. Nomes dos Dispositivos em Linux A: B: Fd0-fd1 ou floppy Drive 3 ½ Com1 – Com4 St0-st1 Fita SCSI Lpt1 – Lpt2 Lp0-lp1 Saída Paralela Com1 – Com4 Ttys0-ttys3 Saída Serial psaux PS/2 Com1 – Com4 cua0-cua3 Modem C: D: ... sda-sdh Unidade SCSI C: D: ... hda-hdh Unidade IDE DOS/Windows Linux Dispositivo
  8. 8. Particionamento de Disco <ul><li>O Linux oferece dois métodos para particionamento; </li></ul><ul><li>Disk Druid e Fdisk; </li></ul><ul><li>Se você tem um conhecimento em Windows perceberá a diferença entre o particionamento em Linux, o programa divide uma unidade de 2 partes, por exemplo, gerando duas unidades lógicas C: e D:, para o usuário a idéia passada é a de dois dispositivos de armazenamento separados fisicamente. </li></ul><ul><li>O particionamento em Linux unifica todos os dispositivos em um único sistema Raiz, ao invés de dispositivos separados, o usuário “vê” o sistema como uma única unidade. </li></ul><ul><li>O diretório ao qual o dispositivo é “Ligado”, nos chamamos de “Ponto de montagem”. </li></ul><ul><li>Os pontos de montagem estão escritos no arquivo /etc/fstab (usado no momento da inicialização) </li></ul><ul><li>Objetivo é o mesmo, manter dados incompatíveis separados. </li></ul><ul><li>Linux necessita de 2 partições – Swap e Root (raiz). </li></ul><ul><li>Administradores experientes separam arquivos de dados dos programas dos arquivos dos usuários em partições diferentes. </li></ul>
  9. 9. Nomes das partições mais comuns <ul><li>Swap – Contém o espaço de troca para o sistema operacional; </li></ul><ul><li>Root (/) – É a base de todo o sistema de arquivo; </li></ul><ul><li>Boot (/boot) – Algumas distribuições colocam os arquivos de inicialização em um diretório separado para que um partição “boot” possa ser criada separada do partição Raiz (/); </li></ul><ul><li>Usr (/usr) – Contém a maior parte dos programas de sistemas; </li></ul><ul><li>Home (/Home) – Contém os diretórios e arquivos pessoais; </li></ul><ul><li>Var (/var) – Contém arquivos da fila de impressão, correio, noticias e os logs do sistema; </li></ul><ul><li>Opt (/opt) – Contém os programas opcionais, alguns programas se instalam nesse diretório; </li></ul><ul><li>Etc (/etc) – Contém os arquivos de configuração. </li></ul>
  10. 10. Visão Geral do Sistema Linux <ul><li>Linux composto por 3 partes </li></ul><ul><ul><li>Kernel; </li></ul></ul><ul><ul><li>Aplicações do Sistema; </li></ul></ul><ul><ul><li>Aplicações do usuário. </li></ul></ul><ul><li>Kernel é o núcleo do sistema operacional e é responsável pelas funções de baixo nível (gerenciamento de memória, processos, CPU) é também responsável pelo suporte aos arquivos e periféricos. </li></ul><ul><li>Número de série: 2.4.4-CL (2.4 é a versão; 4 diz se o kernel é estável (par) ou de teste (impar); -CL é a distribuição). </li></ul><ul><li>Aplicações de sistema são necessários para os programas funcionarem. Ex: Init, Getty e syslog. </li></ul><ul><ul><li>Init – responsável por executar outros programas, garante que o getty seja executado e adota processos órfãos, é pai de todos os processos. </li></ul></ul><ul><ul><li>Getty – responsável pelo “login” tem terminal. </li></ul></ul><ul><li>Syslog – captura as mensagens de erro geradas pelo Kernel ou por outras aplicações. </li></ul>
  11. 11. Processo de inicialização <ul><li>Essencial para o administrador de sistemas ou redes; </li></ul><ul><li>Boot – Bootstrap Loader </li></ul><ul><li>“ Pull yourself up by your bootstraps” </li></ul><ul><li>“ Levante-se com suas próprias forças” </li></ul><ul><li>ROM BIOS - > Boot - > Kernel - > Init </li></ul><ul><li>* Servidores não têm dual boot, pois nunca vão ter dois sistemas operacionais instalados, pois a sua dedicação é exclusiva, diferente de um desktop. </li></ul>
  12. 12. LILO <ul><li>Ferramenta versátil </li></ul><ul><li>Gerência mais de 60 imagens </li></ul><ul><li>Pode ser instalado em disquete/HD </li></ul><ul><li>/etc/lilo.conf </li></ul><ul><li>#Exemplo </li></ul><ul><li>#Global Section </li></ul><ul><li>boot = /dev/hda3 -> onde esta o boot </li></ul><ul><li>map = /boot/map -> onde esta fisicamente </li></ul><ul><li>install = /boot/boot.b -> arquivo que é carregado na memória </li></ul><ul><li>prompt </li></ul><ul><li>timeout = 50 </li></ul><ul><li>#Default image </li></ul><ul><li>image = /vmlinux - > Qual a imagem do Kernel </li></ul><ul><li>label = Linux </li></ul><ul><li>root = /dev/hda3 - > Onde esta a raiz do sistema </li></ul><ul><li>read-only – > garante a execução do fschk, kernel intacto </li></ul><ul><li>other = /dev/hda1 </li></ul><ul><li>label = dos </li></ul><ul><li>table = /dev/hda </li></ul>
  13. 13. Sequência de BOOT <ul><li>Rom BIOS -> BOOT-> Kernel -> Init -> rc.sysinit </li></ul><ul><li>Run Levels </li></ul><ul><ul><li>De 0 a 6 </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>0 – Halt </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – Single </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – Modo sem Rede </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3 – Modo texto/terminal </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>4 – Não utilizado </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>5 – Gráfico </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>6 – Reboot </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Definido no arquivo /etc/inittab </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Id:N:initdefault (onde N é o número do run level). </li></ul></ul></ul><ul><li>rc.local – Arquivos de carregamento de scripts do administrador de sistemas </li></ul>
  14. 14. Interpretador de Comandos <ul><li>Shell – analisa o texto digitado na linha de comando e gera algum resultado; </li></ul><ul><li>Cshell; Kshell, etc. </li></ul><ul><li>[root@localhost root]$ </li></ul><ul><li>[usuario@localhost usuario]# </li></ul>
  15. 15. Sintaxe de Comandos <ul><li>Padrão: comando [opções] [argumentos] </li></ul><ul><li>Opções mudam o comportamento usual do comando </li></ul><ul><li>Argumento é referente a algum arquivo/localidade por exemplo. </li></ul><ul><li>#cat /var/log/messages </li></ul>
  16. 16. <ul><li><commando> & </li></ul><ul><li>tail </li></ul><ul><li>mount / umount </li></ul><ul><li>join </li></ul><ul><li>fg / bg </li></ul><ul><li>head </li></ul><ul><li>pstree </li></ul><ul><li>cal </li></ul><ul><li>ps </li></ul><ul><li>rm </li></ul><ul><li>shutdown </li></ul><ul><li>mv </li></ul><ul><li>logout </li></ul><ul><li>cp </li></ul><ul><li>locate </li></ul><ul><li>rmdir </li></ul><ul><li>updatedb </li></ul><ul><li>mkdir </li></ul><ul><li>find </li></ul><ul><li>pwd </li></ul><ul><li>whereis </li></ul><ul><li>cd </li></ul><ul><li>makewhatis </li></ul><ul><li>more </li></ul><ul><li>whatis </li></ul><ul><li>cat </li></ul><ul><li>apropos </li></ul><ul><li>touch </li></ul><ul><li>grep </li></ul><ul><li>ls </li></ul><ul><li>uname </li></ul><ul><li>man </li></ul>
  17. 17. Comandos básicos <ul><li>touch saida.txt </li></ul><ul><li>cat saida.txt </li></ul><ul><li>vi saida.txt </li></ul><ul><li>Cat /var/log/messages </li></ul><ul><li>tail /var/log/messages </li></ul><ul><li>Head /var/log/messages </li></ul>
  18. 18. Redirecionamento/condutores <ul><li>Entrada Padrão (0) – Teclado/Mouse </li></ul><ul><li>Saída Padrão (1) – Monitor/Impressora </li></ul><ul><li>Saída de Erro (2) – Log/Monitor </li></ul><ul><ul><li>Ex: ls > saída.txt ou ls 2 > saída.txt </li></ul></ul><ul><ul><li>No primeiro exemplo o resultado do comando ls é redirecionado para o arquivo saída.txt. Já no segundo exemplo somente os erros. </li></ul></ul>
  19. 19. Manutenção do Sistema <ul><li>free – Tem como objetivo a verificação de espaço livre da memória. </li></ul><ul><li>ntsysv – Tem a função de exibir e configurar os serviços que serão inicializados junto com o sistema. </li></ul><ul><li>chkconfig – Semelhante ao ntsysv mas com um nível de detalhamento entre os modos de inicialização (texto/gráfico). </li></ul><ul><li>ps – Verifica os processos ativos (tabela init) </li></ul><ul><ul><li>-axjf </li></ul></ul><ul><ul><li>-aux </li></ul></ul><ul><ul><li>-axms </li></ul></ul><ul><ul><li>-ely </li></ul></ul><ul><li>Pstree </li></ul><ul><ul><li>Pstree –G </li></ul></ul><ul><ul><li>Pstree –G –c </li></ul></ul><ul><ul><li>Pstree –G –c -p </li></ul></ul><ul><li>kill – Termina os processos </li></ul><ul><ul><li>Kill [sinal] PID </li></ul></ul><ul><ul><li>Sinal – verificar 1,2,9,15,18 ... O que faz cada um deles? PESQUISAR! </li></ul></ul><ul><li>killall </li></ul>
  20. 20. Manutenção do sistema <ul><li>/etc/inittab </li></ul><ul><li>id:N:initdefault </li></ul><ul><li>N é o runlevel </li></ul><ul><li>ca::ctrlaltdel:/sbin/shutdown –t3 –r now </li></ul><ul><li>Substituir /sbin/shutdown … por texto com propriedade 666 para desabilitar o reboot do sistema </li></ul><ul><li>Uname –r ?? </li></ul><ul><li>cat /prov/version ?? </li></ul><ul><li>lsmod </li></ul>
  21. 21. Manutenção do Sistema <ul><li>fsck – Corrige erros da estrutura de arquivos e diretórios. </li></ul><ul><li>fdisk – Criar, listar, alterar e apagar partições </li></ul><ul><li>mkfs – formata a partição criada pelo fdisk com o sistema de arquivos. </li></ul><ul><ul><li>Mke2fs e mkdosfs são variações do comando acima. </li></ul></ul><ul><li>mkswap - prepara o disco para ser usado como memória virtual </li></ul><ul><li>du – listagem detalhada da capacidade do ocupada </li></ul><ul><li>df – capacidade armazenada </li></ul><ul><li>updatedb – cria um banco de dados com as localizações do arquivos no sistema. </li></ul><ul><li>locate – localiza na banco de dados criado pelo updatedb o arquivo desejado. </li></ul><ul><li>mount – monta uma unidade/partição no sistema de arquivos do linux. </li></ul><ul><li>umount – desmonta a unidade. </li></ul><ul><li>grep – Procura por texto em um arquivo. </li></ul><ul><li>which – Recebe um argumento e retorna a sua localização no disco </li></ul><ul><li>find – localiza a partir de uma caminho ou diretorio uma expressão no sistema de arquivos </li></ul>
  22. 22. Arquivo /etc/fstab <ul><li>Armazena configurações de quais dispositivos devem ser montados e qual o seu ponto de montagem para cada carga do sistema operacional. </li></ul><ul><li>cat /etc/fstab </li></ul><ul><li>Analizar este arquivo. </li></ul>
  23. 23. Ponto de Montagem? <ul><li>Sistema de arquivos no linux é hierarquico e admite diversos dispositivos sejam mapeados a partir da raiz (root “/” ). Desta forma CD-Rom, Pendrives, etc podem ser utilizados e o usuário “enxergará” como um diretorio na estrutura linux </li></ul><ul><li>Ponto de montagem para cd-rom “/mnt/cdrom” </li></ul><ul><li>mount e unmount </li></ul><ul><ul><li>mount /dev/fd0 /mnt/floppy </li></ul></ul><ul><ul><li>mount /dev/cdrom /mnt/cdrom </li></ul></ul><ul><ul><li>unmount /mnt/cdrom ou unmount /dev/cdrom </li></ul></ul>
  24. 24. Administração de Grupos/Usuários <ul><li>useradd – Adiciona um usuário ao sistema. </li></ul><ul><li>usermod – Modifica as características do usuário. </li></ul><ul><li>userdel – Deleta o usuário do Sistema. </li></ul><ul><li>passwd – altera senha do usuário. </li></ul><ul><li>whoami – mostra o usuário logado. </li></ul><ul><li>su – altera para o modo do super-usuário. </li></ul><ul><li>exit – Efetua o logoff do sistema. </li></ul><ul><li>tty – exibe o terminal que esta logado. </li></ul><ul><li>ls – l – listas as permissões dos arquivos/diretórios. </li></ul><ul><li>finger – exibe informações dos usuários. </li></ul><ul><li>chfn – adiciona informações dos usuário. </li></ul>
  25. 25. Adicionando contas <ul><li># groupadd faat </li></ul><ul><li># useradd -d /home/aluno2 -g faat -s /bin/bash aluno2 </li></ul><ul><li># passwd aluno2 </li></ul>
  26. 26. Permissões <ul><li>D - Diretório </li></ul><ul><li>R – Leitura =4 </li></ul><ul><li>W – Escrita = 2 </li></ul><ul><li>X – Executável = 1 </li></ul><ul><li>Ex: Chmod 700 arquivo1 </li></ul><ul><li>-RWX------ </li></ul>
  27. 27. Permissões <ul><li>Chown – altera o dono do arquivo ou diretório </li></ul><ul><li>Chgrp – altera o grupo de arquivos e diretórios </li></ul><ul><li>Chattr – modifica atributos de arquivos e diretórios </li></ul><ul><li>Lsattr – lista atributo de arquivos e diretórios </li></ul>
  28. 28. Quotas em disco <ul><li>Possibilidade de controle de armazenamento em disco por usuários </li></ul><ul><ul><li>É preciso que esta opção esteja habilitada no Kernel do Linux </li></ul></ul><ul><ul><li>O arquivo fstab/mtab tem que ter a habilidade de gerenciar por dispositivo </li></ul></ul><ul><ul><li>Quota, quotaon, quotaoff, repquota, quotacheck, edquota…. </li></ul></ul>
  29. 29. Compactadores/ Descompactadores <ul><li>- Zip </li></ul><ul><li>- Gzip </li></ul><ul><li>- Unzip </li></ul><ul><li>- Gunzip </li></ul>
  30. 30. Empacotadores <ul><li>Tar </li></ul><ul><ul><ul><li># tar –cMf backup.tar arq1 arq2 arq3 </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>c – create </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>M – Modular (vários volumes) </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>f – arquivo </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li># tar xvfz batckup.tar.gc –C /tmp </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>x –extrair </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>z – descomprimir </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>f – arquivo </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>C - direcionar </li></ul></ul></ul></ul>
  31. 31. RPM (Red Hat Package Manager) <ul><li>Método criado pela Red Hat para realizar a compactação / empacotamento / instalação dos softwares de uma maneira padronizada. </li></ul>
  32. 32. RPM <ul><li>rpm –ivh <pacote> (instalação) </li></ul><ul><li>rpm –ivh <pacote> --force (instalação forçada) </li></ul><ul><li>rpm –ivh <pacote> -- nodeps (sem dependências) </li></ul><ul><li>rpm –ivh <pacote> --force –nodeps </li></ul><ul><li>Para desinstalar pacotes: </li></ul><ul><li>rpm –e <pacote> (desinstala) </li></ul><ul><li>rpm –e <pacote> --allmatches (desinstala todas as versões) </li></ul><ul><li>rpm –e <pacote> --nodeps (desinstala sem depedências) </li></ul><ul><li>Para atualizar pacotes: </li></ul><ul><li>rpm –uvh <pacote> </li></ul><ul><li>Para consultar pacotes, informações e sumário: </li></ul><ul><li>rpm –q <pacote> </li></ul><ul><li>rpm –qi <pacote> </li></ul><ul><li>rpm –qil <pacote> </li></ul><ul><li>rpm –qa > /home/usuário/informacao </li></ul><ul><li>rpm –qpl *.rpm > /home/usuário/sumario </li></ul>
  33. 33. YUM <ul><li>Sistema de gerenciamento de instalação </li></ul><ul><li>yum install <pacote> </li></ul><ul><li>yum remove <pacote> </li></ul><ul><li>yum update <pacote> </li></ul>
  34. 34. Kernel <ul><li>Modular </li></ul><ul><li>Vantagem: pode ser recompilado e customizado para se adequar melhor a tarefa que irá executar. </li></ul><ul><li>Drivers podem ser carregados/compilados no Kernel </li></ul><ul><ul><li>Módulos escritos em C, mas não ligados ao Kernel (linker) </li></ul></ul><ul><ul><li>/lib/modules/versão-do-kernel </li></ul></ul>
  35. 35. Kernel <ul><li>lsmod </li></ul><ul><li>insmod <modulo> </li></ul><ul><li>rmmod <modulo> </li></ul><ul><li>modinfo <modulo> </li></ul><ul><li>modprobe <modulo> </li></ul><ul><li>cat /etc/modules.conf </li></ul><ul><li>depmod <modulo> </li></ul>
  36. 36. Recompilando Kernel <ul><li>Obter as fontes do Kernel (kernel-source.rpm) ou kernel.org </li></ul><ul><li>/usr/src/linux </li></ul><ul><li>make mrprobe </li></ul><ul><li>make menuconfig ou xconfig ou config </li></ul><ul><li>make dep </li></ul>

×