US Preventive Services Task Force

988 views

Published on

USPSTF - United States Preventive Services Task Force
Aula da Residência
Gustavo Landsberg
Preceptor RMMFC - Betim

LANDSBERG, Gustavo. USPSTF - United States Preventive Services Task Force [aula] Betim: SMS/ DESA/ PRM MFC Betim, 2009. [online] [disponivel em www.slideshare.net/rmmfcbetim] [ acesso em ##/##/####]

Published in: Health & Medicine
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
988
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
63
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

US Preventive Services Task Force

  1. 1. USPSTF United States Preventive Services Task Force Gustavo Landsberg Preceptor RMMFC - Betim
  2. 2. Aneurisma Aórtico Abdominal  Grau B  US abdominal  Única vez  Homens de 65-75 nos que já fumaram
  3. 3. AAS na Prevenção Primária de Eventos Cardiovasculares  Grau A  75-325mg MID (100mg MID)  Adultos com maior risco de DCV  homens >40a,  mulheres pós-menopausa  mais jovens se tabagismo, HAS, DM
  4. 4. AAS na Prevenção Primária de Eventos Cardiovasculares
  5. 5. Rastreio de Hipertensão  Grau A  Maiores de 18 anos  Diagnóstico: 2 ou + aferições em 2 consultas com intervalo mínimo de uma semana  JNC 7  PA inferior a 120/80: cada 2 anos  PAS 120-139 ou PAD 80-90: anualmente
  6. 6. Rastreio e Aconselhamento de Abuso de Álcool  Grau B  Adultos e gestantes  Arriscado/Harzardous:  + de 7 doses/semana ou 3/ocasião (mulheres)  + de 14 doses/semana ou 4/ocasião (homens)  Harmful(danoso?): sem critério de dependência mas experimentando dano físico, social ou psicológico  CAGE, AUDIT  TWEAK, T-ACE (gestantes)
  7. 7. Abuso de Álcool - CAGE  CUT DOWN: já tentou parar?  ANNOYED BY CRITICISM: já ficou irritado quando criticaram o seu hábito de beber?  GUILTY: já sentiu-se culpado após beber?  EARLY SHOT: já bebeu pela manhã para aliviar ressaca ou ficar mais calmo? (2 respostas positivas indicam dependência)
  8. 8. Abuso de Álcool Aconselhamento Comportamental 5-As  ACESSAR consumo de ácool;  ACONSELHAR a reduzir consumo;  ACEITAR objetivos do paciente na redução;  ASSITIR paciente com aquisição de motivação, auto-cuidado e suporte;  ARRANJAR suporte continuado, inclusive referência a tratamento especializado.
  9. 9. Rastreio de Bacteriúria Assintomática  Grau A em gestantes  12-16 semanas ou primeira consulta  Urocultura: >105 UFC  Previne ITU na gestante e recém nascido de baixo peso  Grau D em homens e não-gestantes
  10. 10. Promoção do Aleitamento Materno  Grau B  Sessões individuais ou grupais de 30-90 min;  Profissionais treinados em lactação;  Geralmente iniciadas no pré-natal;  Contempla:  benefícios para mãe e bebê;  fisiologia básica;  Equipamento;  técnica de posicionamento e apojadura;  superação de barreiras, aquisição de suporte social.
  11. 11. Promoção do Aleitamento Materno  Práticas hospitalares: contato precoce da mãe com recém-nascido, alojamento conjunto, evitar fórmulas suplementares  Mamadeiras, chupetas e amostras de dieta oferecidas por hospitais reduzem LM exclusivo  Mães que desejam continuar LM após retomar trabalho podem precisar de bomba para manter suprimento de leite  C.I: HIV, dependência de álcool/drogas, algumas medicações
  12. 12. Rastreio de Infecção por Chlamydia  Grau A: mulheres não-grávidas sexualmente ativas de 24 anos ou menos e maiores de 24 em risco*.  Grau B: mulheres grávidas de 24 anos ou menos e maiores de 24 em risco*.  Grau C: não rastrear mulheres de 25 ou mais se não estiverem em risco*.  Grau I: rastreamento em homens *DST prévia, parceiro novo/múltiplos, não uso de preservativo, troca de sexo por dinheiro/drogas.
  13. 13. Rastreio de Infecção por Chlamydia  Teste de amplificação dos ácidos nucléicos (anual)  Urina ou swab vaginal.  Custo: > IFI/ELISA e < cultura
  14. 14. Rastreio de Infecção por Chlamydia  Justificativa:  Mulheres: cervicite, uretrite  DIP: gravidez ectópica, infertilidade, dor pélvica  Gravidez: aborto, ruptura prematura de membranas, parto pré-termo, baixo peso, infecção no neonato,mortalidade infantil, endometrite pós-parto  Homens: uretrite, epididimite, constrição uretral  Co-infecção facilita transmissão do HIV
  15. 15. Prevenção de Gonococcia  Mulheres sexualmente ativas, inclusive gestantes, em risco*: GRAU B  Homens em risco*: GRAU I  Homens/mulheres baixo risco*: GRAU D  Gestantes sem risco*: GRAU I  Tratamento tópico profilático de oftalmia gonocócica neonatal: GRAU A * < 25 anos, DST prévia, parceiro novo/múltiplos, não uso de preservativo, troca de sexo por dinheiro/drogas.
  16. 16. Rastreio de Gonococcia  Padrão: cultura de swab endocervical ou uretral. S = 61-92%  Teste de amplificação dos ácidos nucléicos: pode ser feito pela urina. S = 66-100%
  17. 17. Rastreio de Gonococcia  Justificativa:  Mulheres: cervicite, uretrite.  DIP: gravidez ectópica, infertilidade, dor pélvica  Gravidez: corioamnionite, ruptura prematura de membranas, parto pré-termo.  Infecção no neonato: conjuntivite que pode levar a cegueira, sepse associada a meningite/endocardite.  Homens: uretrite, epididimite, prostatite.  Co-infecção facilita transmissão do HIV
  18. 18. Rastreio de Sífilis  Pessoas com risco aumentado*: grau A  Gestantes: grau A  Pessoas sem risco aumentado: grau D  VDRL seguido de FTA-ABS confirmatório * Homens com relação homossexual, comportamento de risco, troca de sexo por dinheiro/drogas, institucionalização correcional.
  19. 19. Visão Prejudicada em Crianças  Rastrear ambliopia, estrabismo and déficit na acuidade em menores de 5 anos: grau B
  20. 20. Depressão em Adultos  Grau B  Intervalo ideal desconhecido  Somente se sistema permitir: diagnóstico preciso, tratamento eficaz e seguimento adequado  Sensibilidade: 80-90%  Especificidade: 75-85%
  21. 21. Depressão em Adultos 1. “No último mês sentiu-se muitas vezes pra baixo, deprimido(a) ou com falta de esperança?” (humor) 2. “No último mês sentiu-se frequentemente sem interesse ou prazer em fazer as coisas?” (anedonia)  Se +, diagnosticar (DSM-IV, CID, etc)
  22. 22. Rastreio de Diabetes  Grau B  Adultos com PA > 135x80 (com ou sem tratamento) assintomáticos  Glicemia de jejum de 3/3 anos
  23. 23. Promoção de Dieta Saudável  Aconselhamento dietético para promoção de dieta saudável:  pacientes não selecionados na atenção primária: GRAU I  pacientes com hiperlipidemia e outros fatores de risco de DCV ou doenças crônicas ligadas a dieta: GRAU B
  24. 24. Promoção de Dieta Saudável  Vários questionários validados  Intervençoes efetivas:  Auto-monitorização  Superação de barreias mais comuns  Ajuda no estabelecimento de metas  Orientações de compra e preparo do alimentos  Role playing  Suporte social  5-As (access/advise/agree/assist/arrange)
  25. 25. Rastreio de HIV  Grau A  Adolescentes e adultos com risco aumentado:  Relação homossexual masculina após 1975  Sexo desprotegido com múltiplos parceiros  Usuários atuais ou pregressos de drogas injetáveis  Troca de sexo por dinheiro/drogas  Pessoas com parceiros infectados, bissexuais ou usuários de drogas injetáveis  Pessoas sendo tratadas por DST  Transfundidos entre 1978 e 1985
  26. 26. Rastreio de HIV  ELISA repetido +  Western Blot ou Imunofluorescência confirmatórios  Sensibilidade e especificidade > 99%
  27. 27. Anemia Ferropriva  Rastreio de gestantes assintomáticas: grau B  Suplementação de ferro em gestantes sem anemia: grau I  Suplementação de ferro em crianças de 6-12 meses assintomáticas em risco aumentado (fatores socioeconômicos): grau B  Rastreio em crianças de 6-12 meses: grau I
  28. 28. Rastreio de Dislipidemia  Homens:  Acima de 35 anos: grau A  De 20-35 anos com > risco de DAC: grau B  Mulheres:  Acima de 45 anos com > risco de DAC: grau A  De 20-45 anos com > risco de DAC: grau B  Homens de 20-35 e mulheres maiores de 20 anos sem risco aumentado: grau C
  29. 29. Anemia Ferropriva  Suplementos de ferro: 30% das intoxicações fatais pediátricas nos EUA entre 1983 e 1990.  Sintomas: vômitos, irritabilidade, diarréia explosiva, dor abdominal, rebaixamento de consciência, hematêmese. Taquipnéia, taquicardia, hipotensão, choque.
  30. 30. Rastreio de Obesidade  Grau B  Todos os adultos  IMC  Obesidade central (cintura crista ilíaca)  Homens > 102 cm  Mulheres 88 cm  Oferecer: aconselhamento intensivo e intervenções comportamentais para promover perda de peso sustentada para adultos obesos
  31. 31. Obesidade  IMC 25-29,9: sobrepeso  IMC 30-34,9: obesidade grau I  IMC 35-39,9: obesidade grau II  IMC > 40: obesidade grau III  Intervenções eficazes semelhantes a “promoção de dieta saudável”
  32. 32. Rastreio de Osteoporose  Mulheres acima de 65 anos: grau B  Mulheres de 60-65 com risco de fraturas aumentado: grau B  Densitometria óssea com dupla emissão de Rx (DEXA) do colo do fêmur, de 2 em 2 anos  Osteoporosis Risk Assessment Instrument (ORAI): idade, peso, uso de estrógeno
  33. 33. ORAI - Osteoporose Rastrear se > 9 S=93.3% E=46.4%
  34. 34. Tabagismo  Rastrear adultos e providenciar intervenções para cessar: grau A  Rastrear gestantes e providenciar aconselhamento enfático para as que fumam: grau A
  35. 35. Tabagismo  Intervenções breves de rastreio, aconselhamento (3 min.) e/ou farmacoterapia reduz consumo  “ Dose-dependente”  5-As: Ask/Advise/Assess/Assist/Arrange  5-Rs: Relevância/Riscos/Recompensas/ Resistências/Repetição  “Quit-lines”

×